Wellington do Curso cobra celeridade nas ações de Edivaldo Júnior

Wellington do Curso

Deputado estadual Wellington do Curso

O deputado estadual Wellington do Curso (PPS) cobrou do atual prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior (PTC), na sessão de ontem na Assembleia Legislativa, o cumprimento das propostas de campanha.

Após o discurso do colega de parlamento, Edivaldo Holanda (PTC), que usou a tribuna mais uma vez para destacar a gestão do filho, Wellington cobrou a celeridade das ações do plano de governo por parte do gestor que está há dois anos à frente da prefeitura de São Luís. “O prefeito não pode se calar diante das vozes das ruas que clamam por uma realidade mais humana”, afirmou.

Ainda no seu pronunciamento, o deputado fez um alerta. “Deputado Edivaldo Holanda, respeitosamente, queria dizer ao senhor e aos demais parlamentares, que eu não posso ser demagogo, fazer um pacto de mediocridade e simplesmente ouvir se falar de obras realizadas pela Prefeitura de São Luís que não existem e ficar calado”, completou.

Ao finalizar o seu discurso, Wellington reiterou o seu pedido ao prefeito. “Hoje, como parlamentar, não posso me calar diante das vozes nas ruas, que clamam por melhorias. Isso, nada mais é, que a obrigação de um gestor público. E eu, como cidadão e parlamentar, trago à tribuna da Assembleia o clamor das ruas e que muito ainda há de ser feito”, concluiu.

Ascom

Tabuleiro montado

Edivaldo conta com o apoio de Flávio para reeleger-se

Edivaldo conta com o apoio de Flávio para reeleger-se

Embora o governo Flávio Dino (PCcdoB) só esteja em seu início, com apenas dois meses de mandato, já é grande a movimentação de bastidores com vistas aos próximos pleitos a partir deste, sobretudo nas eleições majoritárias de 2016, 2018 e 2020, que se interligam entre si para o projeto dos dinistas.

E o primeiro passo são as eleições em São Luís e Imperatriz, em 2016. Em Imperatriz, Flávio Dino conseguiu garantias do prefeito Sebastião Madeira (PSDB) de apoiar um candidato do seu grupo para sucedê­-lo. Madeira já demonstrou preferência pelo agora secretário de Infraestrutura, Clayton Noleto (PcdoB), mas o deputado Professor Marco Aurélio e a suplente Rosângela Curado (PDT) também se movimentam.

Eliziane tenta se articular para a disputa pela Prefeitura de São Luís

Eliziane tenta se articular para a disputa pela Prefeitura de São Luís

O projeto de Curado envolve ainda o deputado federal Weverton Rocha (PDT), que quer estar em uma chapa majoritária em 2018. Em São Luís, o jogo é mais complicado. O governador quer garantir que todos os aliados abram mão das candidaturas em favor do prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PTC), que tem dificuldades de apoio popular e precisa do “guarda­-chuva” governamental para se viabilizar.

Weverton quer participação na chapa par o Governo em 2018

Weverton quer participação na chapa par o Governo em 2018

Principal adversária do prefeito, a deputada federal Eliziane Gama (PPS) tem sido assediada com ofertas de secretaria e a vaga de vice do próprio Edivaldo, com a garantia de que ele deixaria a prefeitura em 2018 para ser candidato a senador ou a vice na chapa à reeleição do governador.

A vaga de candidato a senador tem sido almejada também pelos deputados federais José Reinaldo Tavares (PSB) e Rubens Júnior (PCdoB), e pelo presidente da Assembleia, Humberto Coutinho (PDT).

Mais fraco entre os três, Rubens Júnior tenta viabilizar­se também como alternativa ao mesmo projeto oferecido a Eliziane, garantindo pelo menos dois anos de mandato em caso de reeleição de Edivaldo. Sem falar no grande jogo de bastidores pela indicação do vice em São Luís, que mobiliza não só o PDT, mas lideranças do PSDB, do PCdoB, do PSB e até do PT, que, em breve, deve se alinhar ao projeto de Dino.

E assim está montado o tabuleiro de 2016, 2018 e 2020.

Sousa Neto cobra inauguração do Hospital de Santa Inês, que já tem obras concluídas

Deputado estadual Sousa Neto

Deputado estadual Sousa Neto

O deputado Sousa Neto (PTN) cobrou ontem na Assembleia Legislativa, a inauguração do Hospital Macrorregional de Santa Inês, do Programa Saúde é Vida, que já está com as obras finalizadas.

A unidade idealizada pelo governo Roseana Sarney (PMDB) possui 100 leitos de internação, 12 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), Centro de Hemodiálise com 50 máquinas já compradas, Unidade de Pronto Atendimento (UPA), numa área total de 5.225 metros quadrados.

As obras foram finalizadas no mês passado, no entanto, o governador Flávio Dino (PCdoB) ainda não abriu o espaço para o atendimento à população.

“Venho aqui pedir inclusive a ajuda do presidente desta Casa para sensibilizar o governador no sentido de apenas inaugurar um hospital que já está pronto e que é extremamente importante para os cidadãos daquela região e também para desafogar o Hospital Regional de Monção que está superlotado, pois com apenas 50 leitos não consegue suportar todas as demandas da região”, disse.

O Programa Saúde é Vida entregou, até dezembro do ano passado, cerca de 65 novas unidades de saúde em todo o estado.

Hildo Rocha diz que prefeito cassado foi vítima de esquema no TRE

Deputado federal Hildo Rocha

Deputado federal Hildo Rocha

O deputado federal Hildo Rocha (PMDB) fez denúncia hoje na tribuna da Câmara Federal, que atingiu diretamente a Corte do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Maranhão.

Ele declarou que o prefeito de Ribamar Fiquene, Edilomar de Miranda, foi cassado por ter se negado a pagar valor não revelado em dinheiro para emissário do tribunal.

“O prefeito me procurou e pediu um aconselhamento. Eu disse que ele não pagasse nada. Tinha certeza de que ele não seria cassado porque estava com o direito”, contou ao blog o deputado, por telefone, há pouco.

Cassado no TRE, o prefeito conseguiu reverter a sua situação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ontem. “Eu fiz essa revelação como um desabafo, porque estava me sentindo culpado, já que o prefeito foi cassado e estava deprimido, mesmo depois de eu garantir que ele não seria, porque acreditava que ele estava no direito dele. Mas, agora, o TSE repôs a Justiça”, completou.

O TRE ainda não se posicionou a respeito do caso.

Deputados do PPS abrem mão de passagens aéreas para cônjuges

11021134_784597331625455_8532126966597640384_nOs deputados federais eleitos pelo PPS apresentaram documento à Mesa Diretora da Câmera Federal abrindo mão do benefício que dá a cônjuge de deputados, direito a passagens aéreas bancadas com dinheiro público.

Ao todo, 10 parlamentares assinam o documento, dentre eles a deputada federal Eliziane Gama (PPS), única mulher titular na CPI da Petrobras.

O documento já foi protocolado.

Edilázio reitera apoio aos policiais do Maranhão

Edilázio assegura apoio a policiais

Edilázio assegura apoio a policiais

O deputado estadual Edilázio Júnior (PV), primeiro secretário da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa, reiterou ontem o seu apoio aos membros das Polícias Civil, Militar e do Corpo de Bombeiros do Maranhão.

Ele voltou a explicar que o motivo de ter votado contra a Medida Provisória 185 foi justamente a inconstitucionalidade já apontada por juristas e entidades como a Associação Nacional dos Procuradores dos Estados e do Distrito Federal (Anape), que já ingressou com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adim) no Supremo Tribunal Federal (STF) e afirmou que trabalha para valorizar os policiais, por isso de sua contraproposta apresentada na Assembleia.

O parlamentar sugeriu ao governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), que seja encaminhada uma nova Medida Provisória ao Legislativo, que contemple não somente os policiais, mas todos os servidores públicos do estado, o que desta forma assegura o princípio da isonomia e mantem a sua constitucionalidade.

“No meu entendimento não se pode, de maneira nenhuma, limitar uma classe, em detrimento das demais. Creio que ainda há tempo de o governador mandar uma nova MP para cá, adequando a uma nova realidade, até porque cedo ou tarde, o STF deve apontar a inconstitucionalidade da MP 185”, disse.

Edilázio rechaçou qualquer posicionamento contrário aos policiais militares, civis e bombeiros que atuam no Maranhão.

“Se um dia eu tiver de dar um voto minerva aqui na Casa, que eu tenha de desempatar entre policiais e os Direitos Humanos, tenha a absoluta certeza de que vou estar com os policiais. Não concordo com a nota externada pela associação ou representante dos Direitos Humanos, acho sim que a polícia tem que reagir quando for preciso, de forma enérgica e com resultado positivo para a população e para a vida dos policiais”, finalizou.

Ascom

Advogados se unem para contrapor a gestão de Mario Macieira na OAB

oab jornalO Estado – A eleição para a seccional maranhense da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) ocorrerá somente em novembro, mas o movimento para debater propostas já foi iniciado, assim como as articulações para montagem de chapa.

Um grupo de cerca de 500 advogados, cujos representantes estiveram ontem em O Estado, já iniciaram esses debates. Reuniões periódicas estão sendo feitas. Toda quinta­-feira o grupo de advogados se reúne para debater o que eles consideram problemas da atual gestão da OAB e quais as propostas para resolver as pendências.

O movimento é estadual e conta com a adesão de 500 profissionais da área. Em visita a O Estado, os advogados colocaram como ponto mais importante para a próxima gestão da OAB o retorno da luta pelas prerrogativas dos advogados. Segundo Charles Dias, um dos líderes do movimento, há carências de atuação da ordem em prol da classe.

“Somos quase 15 mil advogados e o que percebemos é que quem comanda a Ordem há vários anos não percebe que o perfil dos advogados é diferente do perfil que a OAB tem. Não há um trabalho voltado para os profissionais que hoje estão desamparados”, afirmou Charles Dias.

Além de criticar a falta de atividades voltadas para defesa dos profissionais, os advogados disseram ainda que a seccional do Maranhão da OAB tem lado político mesmo a legislação prevendo que a entidade de classe deve ser apartidária.

Movimento -­ O grupo de advogados iniciou o movimento no fim do ano passado. Já foram mais de 20 reuniões semanais. Há grupos em redes sociais que estimulam o debate sobre a melhoria da entidade de classe. O movimento continuará este ano. Na quinta­-feira, 5, os advogados reunirão a imprensa no Hotel Luzeiros na Ponta d’Areia para apresentar o movimento e quais são suas propostas. “Queremos buscar novas adesões ao nosso projeto, que tem o objetivo único de valorização de quem é a razão da existência da ordem, que são os advogados”, afirmou Charles Dias.

Eliziane Gama quer a convocação de 23 na CPI da Petrobras

Eliziane Gama na Câmara Federal

Eliziane Gama na Câmara Federal

A deputada federal Eliziane Gama (PPS-MA), titular da CPI da Petrobras, protocolou hoje requerimentos de convocação de 23 pessoas e mais um, de instalação de quatro sub-relatorias na comissão. Dentre os suspeitos que a deputada quer ouvir estão o ex-ministro José Dirceu, o tesoureiro do PT João Vaccari Neto, ex-ministro Antonio Palocci, o senador Fernando Collor (PTB-AL), o ex-gerente de Engenharia da Petrobras Pedro Barusco e o ex-diretor de Serviços da companhia Renato Duque. Ela também quer ouvir o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo.

Cardozo será chamado para explicar por que se encontrou com advogados da empreiteiras em caráter reservado. Já o ex-ministro José Dirceu, do governo Lula, que cumpre pena por envolvimento no Mensalão, é apontado pelo doleiro Alberto Youssef como beneficiário de recursos pagos por empreiteiras investigadas na operação Lava Jato. Parte desse dinheiro teria ido para o PT por meio da atuação de Vaccari e Dirceu.

Eliziane Gama quer que o ex-ministro Antonio Palocci, dos governos Lula e Dilma, explique um pedido de “doação” de R$ 2 milhões para a campanha eleitoral de Dilma Rousseff, feito em 2010, conforme informação do ex-diretor de Abastecimento Paulo Roberto Costa.

De Fernando Collor de Mello Eliziane quer saber sobre recebimento de propina resultante de um contrato de R$ 300 milhões assinado em 2012 pela BR Distribuidora com a rede de combustíveis São Paulo. O negócio foi intermediado, segundo o jornal Folha de São Paulo, por Pedro Leoni Ramos, emissário de Collor.

O depoimento de Pedro Barusco, segundo requerimento de Eliziane Gama, “é de extrema importância para a CPI”. Ele foi braço direito de Renato Duque e chegou ao cargo por indicação de José Dirceu. A diretoria comandada por Duque cuidava de projetos e licitações, como a refinaria de Abreu e Lima e Comperj, obras cujo custo ultrapassa R$ 200 bilhões. Dois delatores da Lava Jato disseram ter pago propina de R$ 97 milhões a Duque e a Barusco em nome das empreiteiras para conseguir contratos de cinco obras.

Sub-relatorias – Eliziane Gama informou que o PPS quer que a Comissão Parlamentar de Inquérito tenha sub-relatorias de superfaturamento e gestão temerária na Petrobras; de constituição de empresas subsidiárias com o fim de praticar atos supostamente ilícitos; de superfaturamento e gestão temerária na construção e afretamento de navios de transporte, navios-plataforma e navios-sonda; e a última, para relatar denúncias de irregularidades na operação da companhia Sete Brasil e na venda de ativos da Petrobras para a África.

Os alvos dos requerimentos

Auro Gorentzvaig (convite)

Atan de Azevedo Barbosa

Antonio Palocci

Augusto Amorim Costa

Bernardo Schiller Freiburghaus

Cesar Roberto Santos Oliveira

Fernando Collor de Mello

Fernando de Castro Sá

Geovane de Moraes

Guilherme Esteves de Jesus

Joao Vaccari Neto

José Dirceu

José Eduardo Cardozo

Luís Eduardo Campos Barbosa da Silva

Mário Frederico Mendonça Goes

Milton Pascowitchi

Paulo Okamoto

Pedro Barusco

Renato Duque

Shinko Nakandakari

Venina Velosa da Fonseca

Encaminhada pela Ascom

Inaugurada em dezembro, Via Expressa não surporta chuva e tem trecho comprometido

Obra foi inaugurada por Roseana Sarney em dezembro do ano passado

Obra foi inaugurada por Roseana Sarney no início de dezembro do ano passado

Inaugurada pela governadora Roseana Sarney (PMDB) em dezembro do ano passado, a Via Expressa já apresenta graves problemas estruturais em sua extensão.

Com as fortes chuvas [nem tão fortes assim] que caíram no fim de semana, um trecho da avenida, construída para fluir trânsito rápido, ruiu e provocou inúmeros transtornos aos motoristas que trafegavam no local.

O trecho onde está aberto buraco, fica próximo ao Vinhais Velho e foi sinalizado pelos moradores do bairro.

Para chegar concluir o roteiro, motoristas precisam buscar um atalho por cima da calçada e então seguir viagem.

Um absurdo, para uma obra que além de cara, levou quase três anos para ser concluída…

Bancas de revistas são retiradas da Praça João Lisboa

João LisboaSeis bancas de revistas instaladas há décadas em uma das calçadas da Praça João Lisboa, no Centro Histórico da capital, foram retiradas hoje do local pela Prefeitura de São Luís.

A retirada, coordenada pela Subprefeitura da região, teve por objetivo manter a autenticidade do Centro Histórico, uma vez que, segundo a Prefeitura, as bancas atrapalhavam a completa visão dos casarões erguidos no século passado.

Quatro, das seis bancas retiradas, serão deslocadas para um espaço reservado atrás do abrigo da João Lisboa e no Largo do Carmo, que será padronizado.

A ação se estenderá nos próximos dias. O blog apoia a iniciativa.João Lisboa II

Imagens retiradas do perfil, no Facebook do jornalista Ciro Nolasco