Rebelião deixa 13 mortos em Pedrinhas

Imagens do repórter fotográfico Douglas Júnior, de O Estado, mostram momentos de tensão em Pedrinhas

Imagens do repórter fotográfico Douglas Júnior, de O Estado, mostram momentos de tensão em Pedrinhas

A rebelião que ocorreu ontem no Complexo Penitenciário de Pedrinhas foi mesmo iniciada pelo Bonde dos 40. Foi o que apurou o repórter Thiago Bastos de O Estado, que conseguiu falar por telefone com um dos membros da facção criminosa.

Ao todo, 13 detentos foram mortos. Outros 26 feridos foram transferidos para o Hospital Municipal Djalma Marques, o Socorrão I. Alguns permanecem internados em estado grave. A rebelião foi registrada no Presídio São Luís.

Oficialmente, a Secretaria de Justiça e Administração Penitenciária (Sejap) informou que o motivo da rebelião seria a descoberta de um túnel, por volta das 15h30 de ontem, no pavilhão 2 do bloco F, o que teria causado a revolta de alguns presos. Segundo o secretário de Segurança Pública, Aluísio Mendes, pelo menos 60 presos tentaram fugir por este túnel. Assim que o plano foi descoberto, os presos teriam se revoltado, o que teria causado a rebelião.

Por telefone, no entanto, um dos líderes do motim, que não quis se identificar, contou outra versão a O Estado. De acordo com ele, que estava na parte interna da Cadet e se definiu como membro do Bonde dos 40, a rebelião ocorreu devido ao episódio registrado no dia 1º de outubro deste ano, quando três presos foram mortos na Penitenciária de Pedrinhas, após a transferência de 35 presos da Central de Custódia de Presos de Justiça, do Anil. Os mortos seriam integrantes do Bonde dos 40, que teriam sido executados, na ocasião, por integrantes do grupo rival Primeiro Comando do Maranhão (PCM). “Nós não podíamos deixar batido o que fizeram com nossos irmãos. Precisávamos fazer alguma coisa para vingar a morte dos nossos irmãos”, disse o detento.

Perguntado se a razão da rebelião teve a ver com a descoberta de um túnel na Cadet, o preso negou. “Não tem nada a ver com túnel. Fizemos isso aqui hoje [ontem] porque os caras do PCM são nossos inimigos e tínhamos de matar eles”, disse.

Enquanto estourava a rebelião em Pedrinhas, outros integrantes do Bonde dos 4O que estão soltos, incendiaram ônibus na capital. Foram registrados ataques na Cohab, Cohatrac, Monte Castelo, Maracanã, Vila Janaína, Cidade Olímpica, Rio do Meio e São Raimundo.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>