Para Monteiro, eleição indireta não interessa ao PT

Monteiro diz não pensar na indireta

Monteiro diz não pensar na indireta

O presidente do Diretório Estadual do Partido dos Trabalhadores (PT) no Maranhão, Raimundo Monteiro, declarou ontem que o comando da legenda “não tem muito interesse” no debate sobre uma possível eleição indireta para o Governo do Estado.

Os petistas mantêm no estado aliança com o PMDB e, caso a governadora Roseana Sarney (PMDB) renuncie ao mandato para concorrer a uma vaga no Senado, especula-se que a legenda indique o candidato a vice em composição com um peemedebista – os mais cotados são o secretário de Infraestrutura, Luis Fernando Silva, e o presidente da Assembleia, deputado Arnaldo Melo.

Segundo apurou O Estado, o desejo das lideranças do PMDB é repetir em outubro a chapa majoritária que for montada para a disputa indireta. Mas o PT, ainda de acordo com Monteiro, não parece tentado a vincular as duas eleições. “Eu, pessoalmente, não tenho muito interesse nesse debate. E muita gente no partido também não tem interesse”, disse.

Segundo ele, o comando partidário tem trabalhado nas articulações sobre a tática eleitoral para a eleição de outubro. No PT, a tendência é que a aliança com o PMDB seja repetida, mas a decisão passará por avaliação nacional.

Candidatos – Prováveis candidatos a vice-governador numa composição com o PMDB, o secretário de Trabalho e Economia Solidária, José Antônio Heluy, e o presidente do Incra, José Inácio, confirmam que a prioridade do partido é a eleição de outubro, mas discordam de Monteiro quanto ao interesse na indireta.

“Eu acho que o PT não pode se excluir desse debate, tem que entrar na discussão, embora eu perceba que a tendência é que não haja essa participação agora, para que um composição seja trabalhada apenas para a eleição direta, em outubro”, relatou Ignácio.

Segundo Heluy, o momento no partido é de discutir a escolha dos delegados que terão direito a voto no encontro que definirá o rumo eleitoral da legenda. O auxiliar da governadora Roseana Sarney (PMDB), no entanto, admite que há, sim, conversas sobre uma composição com o PMDB para a possibilidade de uma eleição pela Assembleia Legislativa.

“No momento, a prioridade é a posse dos dirigentes e dos delegados do partido. Mas já se iniciou, sim, esse debate sobre a indicação de vice. Nada oficial, as conversas têm sido travadas mais entre os próprios atores envolvidos”, completou, citando a si próprio como pré-candidato a vice, além do deputado estadual Zé Carlos, do secretário de Estado de Ciência e Tecnologia, do presidente do Incra, José Inácio, e do ex-vereador Kléber Gomes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *