O abismo entre o discuso e a prática de Flávio Dino

Flávio Dino mesmo antes de assumir, já tenta censurar jornalistas

Flávio Dino mesmo antes de assumir, já tenta censurar jornalistas

Em recente entrevista ao programa Roda Viva, da TV Cultura, o governador eleito Flávio Dino (PCdoB) afirmou com todas as letras ser “contrário” a “qualquer tipo de controle de conteúdo” na mídia.

Há, no entanto, um verdadeiro abismo em relação ao discurso do comunista e a prática, que é justamente a de tentar censurar jornalistas e assim deter o controle de mídias.

Mesmo depois de eleito, Flávio recorreu à Justiça – expediente que extrapolou até o limite do bom senso, durante o período eleitoral -, e ajuizou ação de indenização por danos morais contra o jornalista Daniel Matos, pela publicação de um texto opinativo em seu blog. Além da indenização, Dino pedia que a postagem fosse retirada do ar.

Felizmente a ação do comunista não prosperou e foi indeferida.

A matéria em questão tinha como título “’Com serviços prestados’ à campanha de Flávio Dino, César Bombeiro mira a Sejap”. No texto, Matos mostrou toda a movimentação de Bombeiro para ser nomeado na pasta, algo que nem deu certo, uma vez que o comunista confirmou o bacharel em Direito Murilo Andrade, com larga experiência em Minas Gerais.

Não havia nada demais no texto, a não ser a crítica, que Dino tanto tenta evitar no campo das ideais, e barrar na Justiça. Tanto que na decisão, o juiz Silvio Suzart dos Santos, da 11ª Vara Cível da capital, negou os pedidos de Dino.

“É bem de ver que a publicação hostilizada e acima transcrita não ultrapassa a crítica jornalística, tendo o réu se limitado a externar sua opinião a respeito de possíveis pretensões de terceiro de ocupar cargo no futuro governo […] Nada que possa, portanto, ser considerado danoso ou propriamente ofensivo contra a honra e a dignidade do autor”, sentenciou.

Flávio Dino, q ue ingressou com dezenas de ações na Justiça Eleitoral durante a campanha, mesmo antes de assumir, já dá clara demonstração de como pretende agir nos próximos quatro anos, quando confrontado no campo das ideias.

Mas  mídia não se curvará a ele…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *