Projeto que amplia espaços da mulher no legislativo provoca divergências

Gardênia apoia a aproposta

Gardênia apoia a aproposta

O Projeto de Lei do Senado, de autoria da senadora Gleisi Hoffmann (PT-RR) que reserva o percentual mínimo de 50% das cadeiras do legislativo para as mulheres, divide opiniões de deputadas maranhenses.

Eliziane Gama (PPS) e Gardênia Castelo (PSDB) apoiam a proposta, já a deputada Graça Paz (PSL) é indiferente. Para ela, a mulher nutre desinteresse pela política e por esse motivo, nada deve mudar.

“O sistema de cota é necessário para reduzir a desigualdade entre homem e mulher no legislativo brasileiro”, disse Gama.

Graça Paz é indiferente ao projeto

Graça Paz é indiferente ao projeto

Gardênia afirmou que a proposta valoriza a pessoa do sexo feminino. “A mulher já ocupa espaços na política, mas é preciso que avancemos mais. Você dificilmente vê no Senado, por exemplo, uma mulher atuando na Mesa Diretora. As mulheres geralmente não têm espaços nas Mesas das Casas Legislativas. Acho que o projeto é positivo e torço para a sua aprovação”, destaco.

Graça Paz afirmou que nada deve mudar. “A mulher não consegue ocupar sequer os 30% que são destinadas a ela. Há um desinteresse muito grande até pela diferenciação nos partidos políticos. As legendas priorizam as candidaturas masculinas do que as femininas. As donas de casa também não conseguem se engajar na política. Por tudo isso, acredito que nada deve mudar”, finalizou.

O Projeto de Lei foi aprovado na última quarta-feira pela CCJ do Senado e deve ser encaminhado para a pauta de votações em plenário até o fim de janeiro de 2015.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *