Médicos dos Socorrões ameaçam parar as atividades

Socorrão II fica no bairro Jardim Tropical / imagem: arquivo

Socorrão II fica no bairro Jardim Tropical / imagem: arquivo

Médicos contratados que atendem nos hospitais Djalma Marques (Socorrão I) e Dr. Clementino Moura (Socorrão II) denunciam irregularidades nos contratos de prestação de serviços dos profissionais das duas unidades de urgência e emergência.

Entre as reclamações, estão o atraso no pagamento de salários e corte em mais de 50% nos vencimentos de alguns plantonistas. A situação mais crítica ocorre no Socorrão II, cujo quadro de profissionais é composto em 70% por médicos contratados, que ameaçam entregar os contratos e parar as atividades caso a situação não seja solucionada.

Os salários atrasados correspondem ao vencimento do mês de fevereiro. De acordo com o médico Érico Cantanhede, presidente da Associação dos Médicos dos Socorrões (AMESS) e ex-­diretor do Socorrão I, alguns dos médicos contratados chegaram a receber o pagamento no sábado, dia 7, mas a surpresa veio quando viram que os salários haviam sido reduzidos. Além disso, a maioria dos médicos sequer chegou a receber o pagamento.

“Existem nos Socorrões duas situações de médicos, aqueles que são concursados e os contratados. Os médicos concursados receberam normalmente, mas os médicos contratados foram prejudicados pela Secretaria Municipal de Saúde [Semus], junto com a direção do Socorrão, que de uma forma irresponsável cortou o salário da maioria desses profissionais. Alguns colegas tiveram um corte de R$ 3 mil, outros de R$ 8 mil, e maioria ainda não recebeu. Houve uma discrepância muito grande e estamos revoltados”, afirmou.

Por causa desse corte e também da falta do pagamento, alguns médicos deixaram de ir para os plantões este mês, mas foram convencidos pela AMESS a continuarem com os atendimentos nos plantões para que a população não fosse prejudicada.

“Alguns médicos, muito revoltados, disseram que iriam parar os atendimentos nos Socorrões, o que realmente aconteceu em alguns plantões. Alguns plantonistas não foram, mas não houve prejuízo para a população, pois conversamos com eles e conseguimos mudar essa situação”, disse o médico e presidente da AMESS.

Em nota a Secretaria Municipal de Saúde afirma que os salários dos profissionais que têm contratos temporários referentes ao mês de fevereiro já foram pagos e que a remuneração recebida foi calculada de acordo com a carga horária trabalhada no referido mês.

12 ideias sobre “Médicos dos Socorrões ameaçam parar as atividades

  1. A situação da nossa saúde está cada dia mais dificil. A de São Luís já não prestava mesmo, agora o Estado está acabando com as UPAs e com o Hospital Geral. Péssimo atendimento, falta de material e equipes insatisfeitas. Afinal, já pagaram os salários do mês de fevereiro? Eu hein

  2. Esses médicos ganham rios em dinheiro para nem olhar para a cara dos pacientes e ainda querem fazer greve. Tem de cortar esses salários absurdos mesmo. Enquanto um médico ganha 3 mil por plantão, nós trabalhadoras e tabalhores da educação não chegamos a isso nem com um mês inteiro de trabalho. Querem fazer é graça. Mais Médicos neles!!!!

  3. Sei não viu, tem algo de muito estranho nisso. Vale lembrar que esse médico que fez a denúncia foi diretor sdo Socorrão I e não conseguiu ficar no cargo na gestão do atual prefeito. E pelo que vi, era só o mês de fevereiro que estava atrasado, mas parece que já foi pago. O que eles querem afinal?

  4. Estranho. Muito estranho. Todos sabemos que os Socorrões não tem lá essa estrutura toda. Mas reclamar de um mês atrasado e ameaçar fazer greve é um pouco demais né. A Prefeitura disse que já pagou. E aí, vão parar mesmo? Fala sério…

  5. Sinceramente, não dou mais a mínima para médico, professor e motorista e cobrador de ônibus. Todo ano é a mesma palhaçada e a gente que se f…

  6. Enaquanto eles faltam aos plantões, as pessoas vão morrendo nos corredores desses hospitais nojentos que se chamam Socorrões. A vida parece não valer mesmo nada para essa gente

  7. Mas se a secretaria ja deu a nota informando que o salario foi pago e corresponde as horas trabalhadas, nao tem mais o que discutir. O problema é que tem medico que falta e depois nao quer que descontem do vencimento deles. Vamos falar a real.

  8. Quem cumpre com o seu trabalho corretamente no serviço publico deve receber o salario em dia. Mas se falta, tem que descontar e colocar outro medico no lugar. De preferencia, responsavel.

  9. Eles estão com raiva porque as famosas dobradinhas não foram pagas. Tem que pagar mesmo o q é devido. Não sabem nem atender o paciente com educação e querem ganhar rios de dinheiro. A secretaria está certa em pagar só o q foi trabalhado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *