Para especialista, Edivaldo pode reverter rejeição 

Jorge Aragão 

Mais uma tese dos oposicionistas a gestão Edivaldo Júnior (PDT) começa a ruir. Como o Blog já havia comentado, a rejeição ao prefeito de São Luís, o político Edivaldo Júnior é diferente e o Blog chegou a citar que a rejeição seria um “mito”.Nesta segunda-feira (25), o especialista em marketing político e jornalista Daniel Mendes concedeu entrevista exclusiva ao Blog do Robert Lobato e entre os questionamentos feitos, Mendes respondeu sobre a rejeição de Edivaldo Júnior.

”Se a rejeição fosse à pessoa física do prefeito, suas qualidades humanas, seria muito grave. Mas como, aparentemente, é mais ao gestor, caberá à campanha dele desfazer essa imagem. Não irá desfazer de toda, mas pode diluir o suficiente para dar a ele mais competitividade no segundo turno”, afirmou.

Ou seja, como o Blog sempre afirmou, Edivaldo faz uma política diferenciada, de corpo a corpo, e mesmo com a alta rejeição de sua gestão, esse elemento pode não ser decisivo na eleição, como apostavam os oposicionistas a administração de Edivaldo Júnior.

Daniel Mendes também fez uma observação até óbvia. Com Edivaldo à frente nas pesquisas eleitorais, principalmente se os dois levantamentos desta semana confirmarem essa liderança, os outros dois pré-candidatos Eliziane Gama (PPS) e Wellington do Curso (PP) vão ter que “trocar tiros”, ou seja, como o Blog sempre disse, quando começar realmente a campanha Edivaldo, já com o couro grosso, permanecerá sendo vidro, mas Eliziane e Wellington também passarão a ser vidraça.

“O que eu posso destacar é que, caso se confirmem as tendências das últimas pesquisas, especialmente o que a DataM trouxer na próxima quarta-feira, com uma amostra muito larga (dois mil eleitores entrevistados), nós teremos um clima bem diferente do que se prenunciava até então, com dois candidatos estabelecendo uma trégua entre si para concentrar as artilharias no prefeito. O mais provável é que deixem o prefeito, que terá que se haver com sua rejeição no segundo turno, e façam uma campanha de vida e morte pelo posto de desafiante”, declarou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *