Edivaldo e uma Educação que não avança…

Professores da rede municipal de ensino iniciaram hoje a greve da categoria em São Luís. O movimento é liderado pelo Sindicato dos Profissionais do Magistério da Rede Municipal de São Luís (Sindeducação).

Com a greve, fica suspenso o reinício das aulas de segundo semestre, que estava marcado justamente para hoje, em toda a capital.

O protesto ocorre, segundo a categoria, por falta de negociação em relação ao reajuste salarial 2017 da categoria, e a lentidão na reforma das escolas municipais.

No site do sindicato, já está organizada uma agenda para a primeira semana da greve. De hoje até o dia 9, serão realizadas blitz [visitas] nas escolas. Haverá concentração na sede do sindicato sempre das 7h30 às 13h30.

No dia 9, os professores da capital vão realizar manifestação na Praça Deodoro. O ato leva como título: “O Grito pela Educação Pública de São Luís”.

A gestão do prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT) tem como secretário de Educação, Moacir Feitosa.

O mesmo que atuou como secretário de Jackson Lago, Tadeu Palácio e João Castelo.

Ele assumiu posto deixado por Geraldo Castro (PCdoB), que também não conseguiu efetivar a tão prometida “revolução” na educação de São Luís.

Ao se eleger para o primeiro mandato, em 2012, Edivaldo prometia dar estrutura às escolas e valorizar o professor da rede municipal de ensino.

Cinco anos depois, o cenário mostra exatamente o contrário disso. Escolas em situação precária – algumas com teto caído -, sem segurança e infraestrutura mínima; professor insatisfeito e estudantes sem estrutura digna.

Lamentável…

3 ideias sobre “Edivaldo e uma Educação que não avança…

  1. Quero aproveitar e dizer que amanhã, dia 2 iniciarão as aulas na UeB Paulo Freire não Liberdade,,parece que as professoras de lá não aderiram ao movimento paredista, acontece que a reforma não foi concluída,;do lado de fora está só Mato, não terminaram o trabalho porque as pessoas que estão realizando a tal das medidas corretivas estão sem receberem salários, a caixa de água que deveria ser trocada não foi, dentro dela existe uma crosta de sujeira que, às vezes, até sai no cano de água, a empresa da merenda que o professor Moacir Feitosa falou na imprensa que seria outra continua com a mesma, os porteiros da JM serviços ainda não receberam o salário do mês de julho, e hoje a administração pagou os efetivo, em suma antes que as pessoas comecem a criticar a greve dos professores é bom avaliar a gestão de Edivaldo nessa pasta que é tão cheia de problemas.

  2. Uma pequena correção foi o salário de junho que os funcionários da JM não receberam, na semana passada eles receberam o do mês de maio, faltando, portanto junho e julho já que estamos em agosto.

  3. Pingback: Clipping Agosto/2017 | SINDEDUCAÇÃO : São Luís-MA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *