Flávio Dino e Weverton Rocha num jogo de faz de conta na Famem

O primeiro afirmou num recente evento que o seu grupo político dispõe de pelo menos meia dúzia de candidatos ao Governo para a eleição de 2020 e afirmou que o momento, contudo, não é para se antecipar qualquer disputa.

Agora, prega consenso para a disputa da Famem.

Foi um recado direto ao segundo, que articula-se nos bastidores para ser “ungido” pelo grupo político antecipadamente para o Executivo.

O segundo, por sua vez, movimenta-se junto ao um grupo de prefeitos para a eleição da Famem, com o objetivo de derrubar do comando da entidade, o prefeito de Tuntum, Cleomar Tema.

Ele, aliás, se propôs ontem a atacar a imprensa que tratou do assunto e de sua articulação para o pleito na entidade municipalista.

Flávio Dino sabe dos interesses e dos objetivos de Weverton, mas também tem a noção exata de que esse não é o momento para  colocá-lo no grupo como o seu sucessor. É cedo ainda.

Weverton, por sua vez, sabe que não tem, pelo menos no momento, a “benção” de Flávio Dino para se cacifar como o nome de sucessão no grupo, finge que não tem nada com a eleição da Famem e joga a culpa na imprensa.

Um jogo de faz de conta. Só teatro…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *