Hospital Aldenora Bello diz que Governo vai liberar verba

Gilberto Léda – O Hospital do Câncer Aldenora Bello emitiu uma nota há pouco para anunciar que o Governo do Estado aceitou liberar recursos do Fundo Estadual de Combate ao Câncer para ajudar a manter os serviços da unidade em funcionamento.

Proposta igual havia sido sugerida pelo deputado estadual Eduardo Braide.

Com o reforço dos recursos do fundo, a Fundação Antonio Dino, mantenedora do hospital, deve conseguir evitar o fechamento do Serviço de Pronto Atendimento (SPA), do Atendimento Domiciliar e do Tratamento da Dor e Cuidados Paliativos, que estava previsto para ocorrer no dia 12 de agosto.

Abaixo, o comunicado oficial da entidade sobre o caso.

A Fundação Antonio Dino, mantenedora do Hospital do Câncer Aldenora Bello, vem informar à sociedade que nosso Hospital NÃO VAI FECHAR. A direção informou a Secretaria Municipal de Saúde, em 13 de julho, a difícil decisão de suspender as atividades apenas do S.P.A (Serviço de Pronto Atendimento Oncológico), atendimento domiciliar, tratamento da dor e cuidados paliativos, a partir do dia 12 de agosto de 2018, por prazo indeterminado, são serviços iniciados em 2008, com financiamento insuficientes pelo SUS.

Felizmente desde o primeiro momento fomos procurados pelo Governo do Maranhão para evitar a paralisação destes serviços diante do grave quadro financeiro que atingiu a entidade. A proposta inicial do Governo foi destinar os recursos do Fundo Estadual de Combate ao Câncer à Fundação, o que garantiria a continuidade do atendimento à toda sociedade. Todavia, há procedimentos burocráticos necessários à destinação dos recursos, mesmo porque tal dinheiro é gerido por um conselho com representantes de diversas entidades, não apenas por membros do Governo.

A Fundação destaca, ainda, a parceria com o Governo do Maranhão, desde 2015, que permitiu a destinação de repasses financeiros e compra de novos equipamentos, fundamentais à assistência aos nossos pacientes.

São Luís (MA), 19 de Julho de 2019
ANTONIO DINO TAVARES
Vice-Presidente da Fundação Antonio Dino

O incoerente Flávio Dino e a “ajuda” ao Aldenora Bello

O governador Flávio Dino afirmou hoje, em seu perfil no twitter, que “diferentemente dos outros governos”, sempre ajudou e ajudará o Hospital do Câncer Aldenora Bello.

Disse isso após a Fundação Antônio Jorge Dino – mantenedora do hospital -, ter anunciado a descontinuidade de atividades e depois de o deputado Eduardo Braide ter cobrado do chefe do Executivo, a liberação de mais de R$ 3 milhões disponíveis no Fundo Estadual de Combate ao Câncer.

E faltou com a verdade.

Em  2017, por exemplo, Dino vetou mais de R$ 12 milhões em emendas da oposição para a Saúde. Desse montante, mais de R$ 1 milhão daria suporte especificamente ao Hospital Aldenora Bello.

Na ocasião, o comunista vetou as emendas de Andrea Murad (R$ 200 mil), Edilázio Júnior (R$ 200 mil) e Eduardo Braide (R$ 700 mil) para a unidade, referência em tratamento de câncer no estado.

E foi duramente criticado pela oposição naquela oportunidade [reveja aqui].

Os deputados já alertavam para um possível colapso no hospital, que agora se confirma.

Não tem como agora, portanto, Dino tentar sustentar o discurso de que sempre ajudou o hospital.

Não mesmo…

PTB vai com Flávio Dino, diz Pedro Fernandes

A executiva nacional do PTB decidiu por unanimidade ontem pelo apoio à pré-candidatura de Geraldo Akcmin (PSDB) à Presidência da República.

A posição do partido, teoricamente, deverá se repetir nos estados em que o PSDB possui pré-candidatura ao Governo.

No Maranhão, o PSDB tem como pré-candidato o senador Roberto Rocha.

Mas…

Sobre o assunto, o deputado federal Pedro Fernandes (PTB) afirmou ao blog que apesar de nacionalmente o partido ter formalizado aliança com o PSDB, o mesmo não ocorrerá no Maranhão.

Ele disse que o partido continuará ao lado de Flávio Dino, que disputará a reeleição para o cargo em outubro.

Então tá.

Edilázio visita os municípios de Tutóia e Barreirinhas

O deputado estadual Edilázio Junior, pré-candidato do PSD a uma vaga na Câmara Federal, intensificou a sua pré-campanha no interior do estado no início desta semana.

Na segunda-feira o parlamentar visitou a cidade de Tutóia. Lá, participou, ao lado do deputado Fábio Braga, de um almoço oferecido por José Aldo, liderança política da região e pelo ex-prefeito Raimundo Nonato, o Diringa.

Vereadores, lideranças comunitárias, presidentes de partidos e aliados do pré-candidato o recepcionaram no ato. Edilázio ainda participou da abertura de um tradicional festejo da região.

Logo após a agenda em Tutória, Edilázio seguiu para o município de Barreirinhas.

Na ocasião ele realizou uma visita política ao prefeito da cidade, Albérico Filho, que o apoia na cidade. Albérico apresentou a obra de construção do Parque de Vaquejada do município, que está sendo edificado com recursos próprios e que será inaugurada na próxima semana, com a tradicional Vaquejada de Barreirinhas. O local já recebeu calçamento e iluminação. Está em fase de infraestrutura das demais áreas.

Ao longo da semana Edilázio visitará outros municípios.

Sindicância da PM responsabiliza “coordenador das eleições” em caso de espionagem

Folha de S. Paulo – Uma sindicância sigilosa feita pela Polícia Militar do Maranhão apontou quatro responsáveis pela determinação de espionagem de opositores do governo Flávio Dino, inclusive um coronel que foi filiado a seu partido, o PC do B. A apuração poupou, no entanto, o comando da corporação.

Segundo o governo, os quatro policiais envolvidos foram questionados e deverão apresentar sua defesa para que eventuais medidas sejam tomadas. Diz que a determinação de espionagem foi ilegal.

Candidato a deputado estadual em 2014, o coronel Heron Santos foi responsabilizado por ordenar, em abril, que comandantes informassem “as lideranças que fazem oposição (…), que podem causar embaraços no pleito eleitoral” (saiba mais).

Heron havia sido convidado informalmente pelo comandante-geral da PM do Maranhão, Jorge Luongo, a realizar um planejamento da chamada Operação Eleições 2018.

O subcomandante-geral, Pedro Ribeiro, orientou outro coronel, Zózimo Neto, a dar o apoio necessário a Heron na tarefa.

Por iniciativa própria, sem submetê-la a aprovação de seus superiores, segundo a sindicância, Heron instruiu Zózimo a ampliar a orientação para unidades do interior.

Zózimo repassou a ordem ao tenente coronel Emerson Farias Costa, que, na ausência do superior, assinou o ofício, extrapolando sua competência, “haja vista que não havia qualquer tipo de delegação de seu chefe imediato”, assinalou o investigador.

Segundo a apuração, o coronel Heron passou a cobrar Costa, a major Ana Paula Fróes Barros e um soldado sobre os resultados do monitoramento.

Em resposta, a major repassou o pedido de informações e, para isso, convocou reunião com PMs e determinou a elaboração de um e-mail para as unidades do interior.

Foram responsabilizados o coronel Heron, o tenente Costa, a major Ana Paula por “ter faltado com a verdade” na reunião com PMs em que exigiu celeridade na cobrança das informações do interior, e o major Antônio Carlos Araújo Castro, “por ter utilizado sem autorização a assinatura do coronel Markus Lima”.

Ricardo Murad abre mão de pré-candidatura e anuncia apoio a Roseana

O ex-deputado estadual e ex-secretário de Estado da Saúde, Ricardo Murad (PRP), anunciou há pouco, em seu perfil, em rede social, desistência de pré-candidatura ao Governo do Maranhão.

Murad declarou apoio à pré-candidatura de Roseana Sarney (MDB) ao Executivo.

“Minha gente querida, eu tenho um comunicado importante para vocês. O Maranhão vive um momento muito difícil, e a opção é clara sob qual dos lados escolher. Se o do mal governo, da perseguição, da destruição das coisas boas que nós conquistamos, ou se o lado dos que têm experiência, dos que têm tolerância, de um governo que faça, como fizemos na saúde, com as UPAs e a construção dos hospitais, para a mesma qualidade das escolas, das polícias, das estradas, e sempre olhando para quem mais precisa”, disse.

Murad explicou a sua decisão e dedicou apoio a Roseana.

“Acima dos nossos sonhos, devemos tomar as decisões certas, no momento certo. A hora é de união, de unidade e vamos todos juntos, caminhar para uma agrande vitória. Por isso em nome do Maranhão e de pessoas que sempre estiveram ao meu lado, renuncio a minha candidatura para apoiar Roseana ao Governo e derrotar aqueles que não foram capazes de trazer a mudança que prometeram”, completou.

Murad também confirmou pré-candidatura a deputado federal e anunciou pré-candidatura de Andrea Murad e Sousa Neto para deputado estadual.

Ainda é pouco…

O prefeito Edivaldo Holanda Júnior segue dando prioridade à realização semanal da Feirinha São Luís, uma espécie de marco do segundo mandato do pedetista na capital.

É reconhecidamente uma iniciativa de sucesso, que atrai turistas, artistas locais e a população para momentos de lazer e entretenimento no Centro Histórico da capital.

Pouco, contudo, se comparado às promessas de construção de um hospital de emergência, realização de concurso na saúde, construção de creches e modernização do sistema de transporte.

MDB pede afastamento de procurador eleitoral casado com secretária de Dino

O Estado – O Diretório Estadual do MDB no Maranhão protocolou no Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) uma representação, com pedido de providências, pelo afastamento do procurador da República Juraci Guimarães Júnior do posto de procurador regional eleitoral substituto.

O partido alega falta de impessoalidade na atuação do representante da Procuradoria Regional Eleitoral (PRE) no Maranhão por suposta ligação com o governo Flávio Dino (PCdoB), que concorrerá à reeleição neste ano.

Segundo o pedido de providências, a esposa de Juraci Guimarães, Lilian Régia Guimarães, é a atual secretária de Estado da Gestão e Previdência da administração comunista.

Para o MDB, o fato de a esposa do procurador estar no primeiro escalão do governo desde o início da atual gestão “ratifica a relação de proximidade, pelo menos em sentido funcional, existente entre si [Juracio Guimarães] e a pessoa do atual Governador do Estado”.

“Em virtude disso, a imparcialidade do Representado resta absolutamente comprometida, eis que, ainda que sua função seja de Procurador Substituto, a qualquer momento pode assumir a titularidade da função e praticar atos cujas finalidades seriam e a de garantir a normalidade e legitimidade do pleito”, destaca o texto da ação.

A atuação do procurador no rumoroso caso da “Máfia do Contrabando” também é citada na ação. O MDB afirma que Juraci Guimarães agiu com “clara leniência” depois que um policial militar – denunciado como membro da quadrilha de contrabando de bebidas e cigarro desbaratada na zona rural de São Luís – acusou o secretário de Estado da Segurança Pública, Jefferson Portela, de o haver coagido a apontar os nomes de adversários do governo como integrantes da organização criminosa.

“Em vez de aplicar o já conhecido in dubio pro societate e aprofundar-se no exame dos elementos de informação apresentados pelo policial militar, o Representado convocou a imprensa e declarou publicamente que o PM declarante não possuía qualquer credibilidade e a sua delação era um nada jurídico. Como bem se vê, o não aprofundamento das investigações no tocante a atos ilícitos supostamente praticados pelo Secretário de Segurança do Estado, consubstancia clara violação aos deveres funcionais do Ministério Público, cuja inércia não encontra nenhuma justificativa razoável, podendo dar azo à interpretação de que a inação é tão somente pelo receio de que eventual investigação viesse a trazer à tona fatos que pudessem arranhar a imagem do governo e, consequentemente, comprometer a sua situação no pleito que se avizinha”, completa a representação.

Para o MDB, a manutenção de Juraci Guimarães no cargo de procurador eleitoral substituto do Maranhão “representaria elevada probabilidade de prejuízo para o pleito” de 2018, por ação ou por omissão.

“A manutenção do Representado no cargo que atualmente ocupa representaria elevada probabilidade de prejuízo para o pleito que se avizinha, na medida em que, em caso de atuação concreta, há elevada probabilidade de anulação de todos os atos que porventura venha a praticar”, alegam os emedebistas.

O caso foi distribuído na semana passada ao gabinete do conselheiro Leonardo Accioly das Silva. Procurado pela reportagem, via assessoria de imprensa, o procurador não havia se manifestado até o fechamento desta edição.

Flávio Dino recebe Ciro Gomes no Palácio

O governador Flávio Dino recebeu, no início da tarde de hoje, o pré-candidato a Presidência da República, Ciro Gomes, no Palácio dos Leões.

Na ocasião, ele assegurou a participação no ato de lançamento da pré-candidatura do deputado federal Weverton Rocha ao Senado da República.

Dino, que no mês de maio provocou polêmica ao sugerir – em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo -, a desistência do PT à pré-candidatura de Lula e apoio dos partidos de esquerda ao nome de Ciro, evitou reforçar a tese em seu perfil, em rede social.

Na publicação ele tratou Ciro de amigo e não fez referência à pré-candidatura do pedetista a Presidência da República.

É uma forma de tentar amenizar a crise com o PT, que exige espaços na chapa majoritária e questiona o suposto apoio do comunista a Ciro.