Sampaio Basquete joga amanhã contra o Presidente Venceslau

Após o recesso da Liga de Basquete Feminino (LBF CAIXA) – temporada 2018 por conta do Carnaval, a equipe do Sampaio Basquete está pronta para retornar à quadra. Nesta quinta-feira (15), o time maranhense fará sua quarta partida no torneio nacional. Dessa vez, as comandadas do técnico Virgil Lopez encaram o Presidente Venceslau fora de casa. A bola sobe às 21h (horário de Brasília), no Ginásio Uniesp, no interior paulista.

O Sampaio Basquete chega a esta partida com a segunda melhor campanha na LBF CAIXA em aproveitamento. O time tricolor apenas atuou em São Luís, onde venceu dois dos seus três compromissos no torneio. Em casa, o Sampaio derrotou o Uninassau Basquete por 87 a 73 e o Funvic/Ituano por 71 a 54. O único tropeço do representante maranhense na LBF CAIXA foi justamente para o Vera Cruz Campinas, líder invicto do torneio.

Para o duelo desta quinta-feira, a equipe tricolor vem motivada. As duas últimas semanas foram bastante produtivas para que as jogadoras do Sampaio Basquete melhorassem o condicionamento físico e serviu para o técnico Virgil Lopez armar o time para a sequência de jogos fora de casa.

Enquanto o Sampaio Basquete tem mostrado evolução dentro de quadra, o Presidente Venceslau não vive um bom momento na LBF CAIXA. Após duas vitórias nas duas primeiras rodadas, o time paulista vem de três derrotas seguidas, sendo a última no Ginásio da Uniesp para o Vera Cruz Campinas.

Para conseguir vencer Presidente Venceslau, o Sampaio Basquete aposta suas fichas na armadora norte-americana Briahanna Jackson. Com média de 14,3 pontos por jogo, a expectativa é que a camisa 23 comande o time tricolor mais uma vez.

Após o duelo desta quinta-feira, o Sampaio Basquete fará outros dois jogos fora de casa. No sábado (17), o time visitará o Poty/BAX/Catanduva e na sexta-feira da semana que vem (23), a equipe vai até Blumenau encarar o time da casa. Em São Luís, o próximo compromisso do Sampaio Basquete será no dia 2 de março, quando receberá o SBC/Brazolin Unip.

LBF CAIXA 2018

A primeira fase da LBF CAIXA 2018 terá 18 rodadas em dois turnos para definir os classificados às quartas de final. Na primeira etapa dos playoffs, os jogos serão decididos em até três confrontos, assim como nas semifinais. A grande decisão, por sua vez, terá série “melhor de cinco”.

A equipe do Sampaio Basquete tem o patrocínio da Cemar e do governo do Estado por meio da Lei de Incentivo ao Esporte.

JOGOS DO SAMPAIO BASQUETE

16.1 – Sampaio Basquete 87 x 73 Uninassau Basquete

21.1 – Sampaio Basquete 71 x 54 Funvic/Ituano

23.1 – Sampaio Basquete 41 x 53 Vera Cruz Campinas

15.2 – Presidente Venceslau x Sampaio Basquete (21h)

17.2 – Poty/BAX/Catanduva x Sampaio Basquete (17h)

23.2 – Blumenau x Sampaio Basquete (20h)

2.3 – Sampaio Basquete x SBC/Brazolin Unip (19h)

4.3 – Sampaio Basquete x Santo André/Apaba (10h)

11.3 – Sampaio Basquete x Blumenau (10h)

23.3 – Sampaio Basquete x Poty/BAX/Catanduva (21h)

25.3 – Sampaio Basquete x Presidente Venceslau (10h)

2.4 – Uninassau Basquete x Sampaio Basquete (21h)

12.4 – Funvic/Ituano x Sampaio Basquete (19h)

14.4 – Vera Cruz Campinas x Sampaio Basquete (19h)

20.4 – SBC/Brazolin Unip x Sampaio Basquete (19h)

22.4 – Santo André/Apaba x Sampaio Basquete (18h)

Assessoria

Maranhão teve sete senadores em 7 anos

O Maranhão elegeu em 2010 os senadores João Alberto de Sousa e Edison Lobão (ambos do MDB).

Em 2014, elegeu Roberto Rocha (PSDB).

No período de 7 anos, contudo, sete representantes diferentes assumiram mandato na Câmara Alta.

Na vaga de Lobão assumiu seu filho, o suplente Edinho Lobão (MDB), logo no início do mandato. Atualmente é o segundo suplente de Lobão, Pastor Bel, quem está representando o Maranhão no Senado.

Também eleito em 2010, João Alberto ficou no governo Roseana até 2014, abrindo vaga para o suplente Clóvis Fecury (DEM).

E mesmo a vaga de Roberto Rocha, que só assumiu em 2014, já foi ocupada por um suplente.

Em 2016, o tucano Pinto Itamaraty assumiu o posto, numa articulação que visava o apoio à candidatura de Wellington do Curso (PP) – que tinha o filho de Rocha na vice – para prefeito de São Luís.

Agora em 2018, duas das três vagas no Senado serão novamente postas em disputa; E é bom ficar de olho nos suplentes de cada candidato.

Afinal, o eleitor pode eleger um e dar mandato a outro…

Com informações do G1

Não colou…

O governo Flávio Dino (PCdoB) não poupa nem aliados em sua sanha propagandista, já de olho nas eleições de 2018.

Acostumado a fazer caridade com o chapéu alheio e a faturar com obras e ações dos outros, os comunistas tentaram, mais uma vez, repetir a dose no caso da reforma das praças Joãosinho Trinta e Gomes de Sousa, próximo à antiga RFFSA, na Beira-Mar.

Anunciou aos quatro cantos que a obra era sua – relegando a um segundo plano o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e até mesmo a Prefeitura de São Luís, administrada pelo aliado Edivaldo Holanda Júnior (PDT).

Ocorre que em tempos de informação digital, os dados oficiais normalmente são facilmente acessados.

E, assim, logo descobriu-se que a obra teve projeto executivo todo confeccionado pelo Iphan, com recursos do PAC Cidades Históricas, e que a iluminação e o paisagismo ficaram a cargo da Prefeitura. Ao governo coube, basicamente, colocar uma placa de inauguração.

Dessa vez, a estratégia não colou.

Da coluna Estado Maior, de O Estado do Maranhão

A grave denúncia de governistas sobre o uso da máquina na gestão Flávio Dino

São graves as acusações de deputados estaduais governistas, todos aliados do governador Flávio Dino (PCdoB), de que secretários de Estado têm utilizado a máquina pública em troca de apoio político para as eleições 2018.

Raimundo Cutrim (PCdoB), Vinicius Louro (PR), Sergio Frota (PSDB), Stênio Rezende (DEM), Júnior Verde (PRP) e Josimar de Maranhãozinho (PR), foram alguns dos parlamentares governistas que acusaram secretários de terem cometido crime eleitoral.

Mas, a constatação dos governistas – agora incomodados com a falta de espaço político no grupo comunista -, já havia sido feita pela oposição.

 

De acordo com as denúncias, ao solicitar convênios ou parceria institucional com o Executivo Estadual, prefeitos e vice-prefeitos – aliados destes deputados -, têm sido confrontados com a seguinte condição: apoio eleitoral para o secretário nas eleições 2018.

Na sessão de ontem os parlamentares declinaram o nome de um dos secretários: trata-se de Marcio Honaiser, titular da Secretaria de Estado da Agricultura, pré-candidato a deputado estadual pelo PDT.

E foram vários e assustadores os relatos.

Honaiser já se defendeu. Por meio de nota, negou as acusações. Disse não estar assediando prefeitos com o auxílio da máquina em troca de apoio eleitoral.

E o Ministério Público, até agora, segue em silêncio…

Edilázio enxerga abuso político na estrutura do Governo

O deputado estadual Edilázio Júnior (PV) reforçou denúncia levantada pelo governista Raimundo Cutrim (PCdoB), na sessão de ontem na Assembleia Legislativa, e apontou o uso da máquina, abuso de poder político e econômico, supostamente cometido por secretários de Estado pré-candidatos ao pleito 2018.

Para Edilázio, o caso levantado por Cutrim reforça a tese de que o governador Flávio Dino (PCdoB) mentiu na campanha eleitoral. Ele lembrou que Dino havia assegurado, em 2014, e logo após assumir mandato, que nenhum secretário de Estado seria candidato.

“Hoje, enquanto deputado aqui que fica votando medidas impopulares, aumentando imposto, votando contra professor, fica mendigando para conseguir autorizar suas emendas, secretário fica sorrindo do desgaste dos colegas aqui e tem emenda à vontade”, disse.

Segundo Edilázio, secretários oferecem kits de irrigação em troca de apoio político para a eleição.

“Eu pude ver agora na Baixada Maranhense secretário de Estado que não é deputado, patrocinando mais de 15 municípios. Tem secretário de Estado que está doando kit de irrigação. Não é para associação, não é para prefeitura; é para o vereador. ‘Estão aqui 30 kits, 20 kits’. Isso aqui é notório. Todo mundo sabe, não tem segredo. Esse governador que é useiro e vezeiro de faltar com a verdade. Disse que não ia ter secretários candidatos. Quando ele assumiu ele colocou logo o deputado Neto Evangelista e o deputado Bira, então já começou mentindo no primeiro dia de mandato. E hoje tem mais candidato do que secretário. Até presidente de comissão de licitação é candidato a deputado”, afirmou.

“Esse é o governo comunista que ontem criticava, que ontem dizia que tudo isso era um abuso de poder econômico, hoje utiliza muito pior”, completou.

Edilázio também classificou Flávio Dino como o chefe do Executivo Estadual “mais mentiroso do país”.

“Flávio Dino é o governador mais mentiroso do Brasil. Quando foi eleito, disse aqui nesta tribuna que daria à oposição, tratamento igualitário a todos os deputados. Mentiu. Não me recordo de o Maranhão ter um governador tão mentiroso quanto ele”, pontuou.

Deputados governistas acusam secretários de uso da máquina em campanha

Raimundo Cutrim e Vinicius Louro são da base do Governo

Os deputados estaduais Raimundo Cutrim (PCdoB) e Vinícius Louro (PR), ambos da base de apoio ao governador Flávio Dino (PCdoB), denunciaram ontem, na Assembleia Legislativa, que secretário da gestão comunista estão usando os cargos para fazer política e angariar votos no interior do estado.

Nenhum deles citou nomes, mas afirmaram que há auxiliares do governador, com pretensões de se candidatar nas eleições deste ano, que estão lançando mão da estrutura do Executivo para garantir benefícios a prefeitos em troca de apoio e votos.

O assunto veio à tona em discurso de Cutrim. Ao citar o caso da deputada federal Cristiane Brasil – indicada do PTB ao Ministério do Trabalho – que foi flagrada em áudio, quando ainda era secretária da Prefeitura do Rio, em 2014, pressionando servidores públicos a conseguir votos para ela, o parlamentar destacou que há casos parecido acontecendo no Maranhão.

“Aqui tem um secretário de Estado que foi a alguns prefeitos, e disse: ‘Olha, eu vou dar isto aqui para ti, para você votar em mim. Se não for, eu não dou’. Ora, secretário, são ações do governo”, criticou Cutrim, que não revelou o nome do secretário, mas citou alguns dos prefeitos assediados.

“O prefeito de Senador La Rocque, esse secretário foi lá e prometeu alguns recursos e obras ou fatos para aquele município: ‘mas só encaminho se você votar em mim’. Então aí há previsão legal de crime eleitoral, a partir do que você condiciona. Prefeito de São João do Caru também. Prefeito de Presidente Vargas, Wellington. Prefeito de Bom Jardim, onde é votado o Deputado Neto Evangelista. Prefeito de Pindaré Mirim, onde é votado o Chefe do Gabinete Civil, o Marcelo. Então são fatos que nós não podemos aceitar. Secretário do governo condicionando favor para colocar, tendo que votar nele. Isso é crime, nós não podemos, como Assembleia Legislativa, a população e o Ministério Público, não podemos aceitar fatos dessa natureza”, completou.

O deputado relatou, também, um caso envolvendo o ex-prefeito de Nova Olinda, Delmar Sobrinho, que votaria nele, mas mudou de ideia depois de abordado por um secretário de Flávio Dino.

“Para minha surpresa, tomei conhecimento em blogs que ele [Delmar Sobrinho] já estava com outra pessoa, secretário. Chegou lá: ‘eu vou dar isso, aquilo outro’. Fez um acordo, aquilo que o deputado aqui 90% não tem, como eu não tenho, e o secretário resolveu o problema dele”, afirmou.

Cutrim pediu maior vigilância por parte do próprio governo. “O governo tem que verificar esse assunto, é um assunto sério, eu estou andando nos municípios e aqui eu não disse os nomes dos secretários por falta, para não ser deselegante. Mas todos vocês sabem”, ressaltou.

Mais

Mesmo sem citar nomes, Raimundo Cutrim acabou lembrando um fato relacionado ao secretário de Estado da Agricultura Familiar, Adelmo Soares, pré-candidato a deputado estadual pelo PCdoB. Após assediar prefeitos, no ano passado, ele acabou sendo convocado, a requerimento do deputado Júnior Verde (PRB) – aprovado por unanimidade – a dar explicações na Assembleia. Mas a base aliada acabou tratando de pôr panos quentes na questão. “Aqui, o deputado Júnior Verde fez uma convocação, depois ficou o dito pelo não dito. Não sei por que ele não falou o que ele pensava inicialmente. Então, mas são pessoas que estão condicionando o voto. Isso é crime. Isto é crime eleitoral e eu não aceito”, disse.

Vinícius Louro quer maior atenção a secretários candidatos

O deputado Vinícius Louro (PR) corroborou o discurso de Raimundo Cutrim. Segundo ele, os “interesses próprios” dos secretários candidatos têm prevalecido no interior do Maranhão, o que merece maior atenção por parte do governador Flávio Dino.

Segundo ele, mesmo no caso dos prefeitos que já têm posição fechada com algum deputados, os titulares das pastas têm exigido o apoio de lideranças ligadas aos gestores – vereadores, na maioria das vezes – para liberar benefícios às cidades.

“Eu acho que o Governador tem que buscar mais atenção dentro do governo, haja vista que a maioria dos seus secretários são candidatos. Então, da mesma forma, eles têm interesse próprio e não adianta a gente, nas nossas bases, prefeitos virem aqui no Governo do Estado e aí vai despachar com o secretário e a primeira coisa que ele pergunta é com qual deputado o prefeito está. O prefeito responde: ‘Rapaz, tu tem essa demanda aqui, mas, para liberar, arruma dois, três vereadores’. Essa é a primeira questão que está acontecendo no Governo do Estado. Isso estou falando como testemunha”, declarou.

Louro criticou, ainda, os casos de auxiliares do governador que têm fechado apoio, nos municípios, até mesmo com adversários do Palácio dos Leões.

“Outra questão que o governador tem que também ter mais atenção é a questão dos secretários que estão fazendo política no interior do Maranhão. Eu acho bem salutar o governador olhar realmente quem são os candidatos a deputados, tanto estaduais como federais, e olhar seus aliados, porque, na região do Médio Mearim, tem secretário e, em outras regiões, também há secretário, mas se vê os aliados desse secretário, ele não vota com o governador de jeito nenhum. Entendeu? Nós da base aprovando tudo que o governo manda para esta Casa, fazendo parte da base do governo e aí nós estamos sendo ali, vamos dizer, discriminados dentro do governo. Quer dizer, aqui dentro eu sou situação e lá na base eu sou oposição, porque é a nossa forma de tratamento que nós estamos tendo nas nossas bases”, concluiu.

De O Estado

Flávio Dino recua e destina dinheiro de empréstimo para a recuperação de rodovias

MA-014 está em péssimas condições e dificulta o tráfego de veículos leves e pesados

O governador Flávio Dino (PCdoB) recuou, baixou Medida Provisória, e decidiu mudar a destinação de recursos de um empréstimo de R$ 55.692.000,00 milhões adquiridos em 2016 junto ao Banco do Brasil, para a recuperação de rodovias estaduais.

O montante havia sido contratado em dezembro de 2016 – sob a regulamentação da Lei nº 10.546 aprovada na Assembleia Legislativa -, para aquisição de motoniveladoras, por meio do Programa Maranhão Mais Justo e Competitivo.

Após críticas da oposição sobre as condições precárias de rodovias estaduais, contudo, o governador mudou o objeto da lei.

Ele editou a Medida Provisória nº 268, publicada na edição eletrônica do dia 2 de fevereiro deste ano, do Diário Oficial, e alterou a aplicação dos recursos.

Pela nova redação, o montante do empréstimo poderá ser aplicado no Programa Mais Asfalto em três projetos específicos. No primeiro, a destinação é para a “logística de transportes e restauração de rodovias; melhoramento e pavimentação de rodovias; conservação e manutenção de rodovias”.

No segundo projeto, o montante será destinado para aplicação em “implantação e melhoramento de estradas vicinais”.

Já no terceiro projeto, o recurso poderá ser aplicado no programa “Mais Segurança: aparelhamento e estruturação tecnológica”.

Desgaste – A mudança na redação da lei e o recuo do governador Flávio Dino ocorreu após a oposição ter apontado falta de infraestrutura e de manutenção de rodovias estaduais.

No início do ano, em solenidade oficial do Governo Federal, na inauguração de obra de duplicação da BR-135, o deputado federal Hildo Rocha (MDB) apontou as péssimas condições das rodovias estaduais.

Durante o discurso, ele utilizou como base, o levantamento da Confederação Nacional dos Transportes (CNT) – que analisa o estado geral das rodovias do país -, e que classificou o Maranhão como o estado que detém a pior qualidade da malha rodoviária estadual.

De acordo com a entidade, de 2016 a 2017, o índice de trechos considerados ruins ou péssimos nos aspectos de pavimentação, sinalização e geometria passou de 88,7% para 91,6%.

A entidade também mostrou que nenhum quilômetro de rodovias mantidas atualmente pelo Governo do Maranhão foi avaliado como ótimo e apenas 4,6% da malha do estado é considerada boa para se trafegar. Outros 3,8% quilômetros de estradas maranhenses são apenas regulares.

Na ocasião, Hildo foi vaiado e xingado por auxiliares de Dino. O presidente do Procon-MA, Duarte Júnior e o secretário de Estado da Infraestrutura, Clayton Noleto (PCdoB), chegaram a zombar do deputado federal.

Hildo ingressou com uma denúncia no Ministério Público posteriormente, em desfavor de Duarte Júnior.

Saiba Mais

O levantamento da CNT, que apontou o Maranhão como o estado de pior qualidade da malha viária do país, também mostrou que nenhum quilômetro de rodovias mantidas atualmente pelo Governo do Maranhão foi avaliado como ótimo e apenas 4,6% da malha do estado é considerada boa para se trafegar. Outros 3,8% quilômetros de estradas maranhenses são apenas regulares. Com a aplicação do empréstimo junto ao BB, Flávio Dino tentará mudar o quadro.

Wellington denuncia precariedade da MA-006

O deputado estadual Wellington do Curso (PP), utilizou a tribuna da Assembleia Legislativa ontem para apontar falta de infraestrutura da rodovia estadual MA-006.

Ele cobrou do governador Flávio Dino (PCdoB), informações sobre a destinação de recursos para a recuperação da rodovia.

O pedido de informações do deputado Wellington tem por fundamento a visita de inspeção realizada pelo parlamentar. Ele assegura ter constatado a precariedade e abandono da rodovia estadual, que está repleta de buracos e tem trechos intrafegáveis.

“A MA-006 é uma rodovia por onde a economia do nosso estado, ainda que em parte, passa diariamente. É uma das principais rodovias do Maranhão, indo de Cururupu até Alto Parnaíba, com mais de 700 km de extensão, passando por cidades como Grajaú, Arame, Fortaleza dos Nogueiras, Formosa da Serra Negra, entre outras. São trechos totalmente danificados, como os 233 km que vai de Balsas a Alto Parnaíba”, disse.

Ele apontou prejuízos para a economia do estado e transtornos para a população dos municípios que têm acesso à rodovia.

“Na população o sentimento é de revolta em quem passa por ali. A população está se sentindo enganada por Flávio Dino. Eu vi a propaganda de investimento na rodovia. Só que eu visitei, eu percorri a rodovia e na MA-006 o que eu encontrei foi buraco e estrada de chão. Por isso, solicito que prestem contas. Se investiram R$ 5 milhões, a população quer saber: por que a MA-006 está naquelas condições? Para onde foi o dinheiro?”, finalizou.

Informações de O Estado

Justiça determina interdição da delegacia de Parnarama

Uma decisão da juíza titular da comarca de Parnarama, Sheila Silva Cunha, determina que o Estado do Maranhão proceda à interdição das celas da Delegacia de Parnarama e disponibilize agentes penitenciários para custódia dos presos no município, realizando ainda reforma estrutural da carceragem da cidade e disponibilizando ao Município de Parnarama o efetivo mínimo necessário de servidores para funcionamento regular da Polícia Civil.

A decisão também determina ao Secretário de Segurança Pública do Estado e ao Diretor da Administração Penitenciária do Estado do Maranhão que transfiram os custodiados da cadeia pública da Parnarama, no prazo de 72 horas (setenta e duas horas), para estabelecimento prisional em condições de recebê-los, informando sobre o referido local, sob pena de multa diária e pessoal no valor de R$ 5 mil. A decisão foi proferida nesta segunda-feira, 5.

Essas são algumas das determinações provocadas por uma ação civil pública com pedido liminar ajuizada pelo Ministério Público Estadual em face do Estado do Maranhão, na qual pleiteia diversas obrigações de fazer referentes ao dever constitucional de garantir segurança pública imposto ao Estado. O órgão ministerial requereu a liminar alegando a inércia estatal e a deterioração das condições da carceragem da Comarca durante anos. A ação é de 2013.

“Convém esclarecer que verifiquei pessoalmente as condições da cadeia pública de Parnarama no mês de janeiro de 2018 e lá constatei a situação caótica de falta de segurança, higiene e condições básicas de saneamento, além de ausência de vigilância especializada dos custodiados e o risco iminente de desabamento da carceragem”, explicou a magistrada, destacando o desvio de finalidade da Delegacia de Polícia de Parnarama.

Segundo a magistrada, há notícia nos autos sobre da ausência de servidores no plantão da Polícia Civil na Comarca de Parnarama . “Recebi em meu gabinete Policiais Militares da 3ª Companhia do Batalhão de Polícia Militar da Comarca de Parnarama informando a recorrência da situação e pedindo orientações de como proceder a entrega dos presos em flagrante delito, diante da constante ausência de servidores da Polícia Civil nos plantões, sobremodo, aos finais de semana”, informou.

A decisão judicial destaca a necessidade do Poder Judiciário em suprir a omissão estatal de garantir dignidade aos detentos, determinando o cumprimento das medidas necessárias para evitar a continuidade da situação caótica e seus efeitos danosos, que colocam em risco a vida e a integridade física não só dos custodiados, mas também dos funcionários da Delegacia de Parnarama e da população da comarca, que fica à mercê das consequências de uma provável rebelião e fuga. Nesse contexto, a magistrada citou decisões de tribunais superiores.

Escala – Deverá o órgão estatal, ainda, regular o funcionamento dos plantões de 24 horas, devendo o delegado regional de polícia civil do Estado do Maranhão responsável pela circunscrição de Parnarama e o delgado de polícia civil titular da Comarca de Parnarama informarem à juíza e à 3ª Companhia do Batalhão de Polícia Militar de Parnarama, no prazo de 72 horas, a escala completa dos plantões da delegacia, contendo nome do servidor responsável pelo sobreaviso, o contato telefônico e e-mail, sob pena de multa diária e pessoal no valor de R$ 5 mil. “Desde já advirto que a atualização dos dados informados compete as autoridades acima, sob pena de incidência da referida multa diária e pessoal”, completa a magistrada.

Ascom TJMA

Othelino defende democracia e respeito às diferenças na Assembleia

Na abertura dos trabalhos, nesta segunda-feira (5), o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Othelino Neto (PCdoB), destacou o papel do Legislativo maranhense e defendeu um parlamento democrático com debates exaustivos e respeito às diferenças de ideias entre seus pares. Na presença de várias autoridades, entre elas o governador Flávio Dino (PCdoB), o presidente do Tribunal de Justiça, desembargador José Joaquim Figueiredo dos Anjos, e o procurador-geral de Justiça, Luiz Gonzaga, ele ressaltou ainda que a relação harmônica entre os três poderes é de suma importância para o Estado.

Othelino Neto agradeceu a presença de todos e lembrou que, pela primeira vez, a abertura desta Legislatura aconteceu sem a presença do saudoso presidente Humberto Coutinho. “Ele nos deixou imensas lições e, nos momentos em que o substituímos, interinamente, procuramos seguir a sua postura respeitosa e democrática com todos os deputados, de oposição ou governistas. Por esse norte, vamos continuar a nos guiar, na condução da Assembleia em 2018, respeitando as diferenças. Nos momentos de debates acaloradas, respeitaremos a prerrogativa de permitir que os parlamentares debatam à exaustão os projetos em questão, de qualquer origem”, disse.

Debate acalorado

Na avaliação do presidente da Assembleia, uma das características mais bonitas do Parlamento são os debates acalorados, permitindo o confronto de ideias, com a maioria vencendo, como define o Estado Democrático de Direito. Ele explicou que, como presidente, terá que reduzir a participação na tribuna, mas que vai continuar a fazer o bom debate, o que lhe mais agrada. “Os debates deixam a Assembleia mais rica, mais forte, porque são debates no campo das ideias e com respeito”, garantiu.

Durante a Sessão Solene, Othelino Neto informou que, no ano passado, 139 projetos foram aprovados pela Assembleia, um percentual produtivo, sendo alguns por unanimidade, apesar de serem 42 deputados com pensamentos diferentes.

Servidores públicos

Sobre o Maranhão, Othelino registrou que o Estado dá exemplo, num momento de crises institucionais no país. “Dá exemplo porque as instituições permanecem independentes e autônomas, como rege a Constituição, e conseguem trabalhar e cumprir seus deveres. Quem ganha com isso é a sociedade, porque, afinal, todos nós somos servidores públicos, pagos pelos constituintes, para prestarmos serviços de qualidade”, afirmou.

“Não canso de enfatizar isso, porque é um exemplo que passamos para o Brasil. Mesmo com o país em crise, há um pequeno Estado, com grandes potenciais naturais, que vem lutando para ocupar seu espaço e, cada dia, consegue conquistá-lo. Dá sinal para o país que aqui existem muitas cabeças pensantes. Cabeças pensantes não só aqui, mas do povo maravilhoso, que sabe fazer suas escolhas”, enfatizou.

Segundo Othelino, a Assembleia manterá, em 2018, o ritmo acelerado de trabalho. “Reforço o compromisso de continuar dando atenção máxima aos projetos de interesse do Maranhão, cumprindo com nossa missão constitucional. Aqui, teremos o bom confronto, o debate que o Maranhão quer; o debate respeitoso que fizemos nos outros anos, para que os maranhenses continuem tendo orgulho do Poder Legislativo”, finalizou.

Flávio Dino anuncia a construção do Socorrão Metropolitano em São Luís

Reprodução de TV/ Flávio Dino na tribuna da Assembleia Legislativa

O governador Flávio Dino (PCdoB) anunciou há pouco, na solenidade de abertura dos trabalhos na Assembleia Legislativa, a construção de um novo Hospital de Urgência e Emergência em São Luís.

Trata-se do Socorrão Metropolitano, como o chefe do Executivo definiu, que ficará situado no bairro do Turu.

De acordo com Flávio Dino, a licitação para o empreendimento já foi lançada e está na fase de habilitação dos concorrentes. “Em breve eu convidarei este Parlamento para participar do lançamento das obras”, disse.

Flávio Dino justificou a construção do novo hospital, obra que será conduzida pela Secretaria de Estado da Infraestrutura (Sinfra), com a necessidade de “desafogar” as unidades que atuam nesta modalidade na capital.

“O hospital será construído na Avenida São Luís Rei de França, e antes que alguém fale da dificuldade do trânsito no local,  quero adiantar que ele terá duas entradas principais. Uma na avenida, e outra por atrás”, explicou.

A unidade de urgência e emergência atenderá a população dos quatro municípios que integram a Ilha: São Luís, São José de Ribamar, Raposa e Paço do Lumiar.

Em tempo: Ao disputar a reeleição, em 2016, o prefeito Edivaldo Holanda Júnior prometeu construir um novo hospital de urgência e emergência na capital. O projeto, contudo, jamais foi executado.