Pressionado por deputados, Flávio Dino vai definir saída de secretários-candidatos

O Estado – O governador Flávio Dino (PCdoB) revelou ontem, em entrevista a O Estado, que deve realizar até o fim do ano uma reunião específica com o grupo de secretários que demonstram interesse em disputar as eleições do ano que vem.

Mais de uma dezena do atual corpo de auxiliares do comunista deve ser obrigada a deixar o governo para a disputa eleitoral. Serão candidatos a deputados federais ou estaduais.

Segundo a Lei Eleitoral, os ocupantes de cargos no primeiro escalão só precisam desincompatibilizar-se pelo menos seis meses antes do pleito. Nesse caso, o prazo finaliza-se em abril do ano que vem. O governador, no entanto, pensa em antecipar essa saída.

Seria uma forma de evitar – ou minimizar – possíveis acusações de uso da máquina a favor de candidatos governistas.

“Eu acompanho essa movimentação, porém, até agora, sem nenhuma interferência. É um assunto que nós não tratamos ainda. É claro que já mais para o fim do ano eu vou fazer uma reunião com esses pré-candidatos que já tiverem se manifestado, para discutir com cada um se serão mesmo candidatos, ou não”, declarou.

Segundo ele, o objetivo é “modular o começo de 2018” como data para a exoneração daqueles que confirmarem o desejo de tentar mesmo vagas na Câmara dos Deputados e na Assembleia Legislativa.

“Nós vamos definir o prazo, levando em conta obviamente o prazo legal, que é de seis meses antes, no caso o mês de abril. A partir daí, a gente deve modular o começo de 2018 para essas definições serem tomadas”, completou.

Legitimidade – Apesar de articular um saída precoce dos seus secretários que entrarão na disputa, Flávio Dino avalia que a “movimentação” daqueles que, mesmo ainda no governo, já buscam viabilizar suas candidaturas é legítima e faz parte do jogo político do Brasil.

“Há uma movimentação legítima de pré-candidatos, sejam atuais secretários, sejam atuais parlamentares, que já começam a se movimentar para a eleição do ano que vem e isso faz parte da política, tal como ela se desenvolve no Brasil”, destacou.

Ele ressalta, contudo, que o assunto ainda não foi tratado diretamente com os secretários-candidatos. “Nunca fizemos nenhuma conversa com esses secretários”, afirmou.

Gleisi rechaça apoio de Lula a Waldir Maranhão

O deputado federal Waldir Maranhão (PP) inventou um suposto apoio do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) à sua candidatura ao Senado da República.

É o que se pode concluir, após a declaração da senadora Gleisi Hoffmann, presidente nacional do PT, que esteve no último fim de semana em São Luís.

De acordo com Gleisi, não houve, até o momento, qualquer declaração de apoio de Lula a Waldir Maranhão.

Waldir havia utilizado repassado a informação para blogs, há duas semanas, após ter tirado uma foto ao lado do ex-presidente da República.

E durante as duas últimas semanas, passou a ter nome na pauta da política estadual. Sem, contudo, conseguir provar que Lula havia declarado tal apoio.

Gleisi colocou um ponto final na farça e rechaçou sustentação de Lula ou do PT à candidatura de Waldir…

Gleisi Hoffmann nega convite do PT a Flávio Dino para vice de Lula

A senadora Gleisi Hoffmann, presidente nacional do Partido dos Trabalhadores (PT), negou que a sigla tenha feito convite ao governador Flávio Dino (PCdoB) para a composição de chapa majoritária de Lula nas eleições de 2018.

O suposto convite havia sido especulado pela coluna Radar, da Veja e explorado pela mídia alinhada ao Palácio dos Leões.

Em entrevista coletiva em São Luís, Gleisi garantiu que nunca conversou com o governador do Maranhão sobre a possibilidade de ele ser candidato a vice-presidente.

“Nós não estamos discutindo a formação de chapa presidencial, até porque nosso objetivo, primeiro, é garantir que o presidente Lula possa disputar as eleições. Esse é o nosso grande desafio, a nossa grande luta. Não tive essa conversa com o governador Fláivo Dino a respeito de ser vice de chapa do Lula”, disse.

A declaração da petista deixou aliados de Dino constrangidos…

A primeira derrota de Roberto Rocha para 2018

O senador Roberto Rocha (PSB) já acumula a primeira derrota no projeto que alimenta para a disputa das eleições do Governo do Maranhão de 2018.

No início da semana a direção nacional do PSB – partido pelo qual o senador pretende disputar o pleito -, tirou do comando municipal da sigla, em São Luís, o ex-vereador Roberto Rocha Júnior, filho do parlamentar, e instituiu uma Comissão Provisória.

Mas o problema não para por aí: o presidente da comissão passa a ser o deputado estadual Bira do Pindaré, um dos principais aliados do governador Flávio Dino (PCdoB) na Assembleia Legislativa, ambos adversários políticos do senador.

Com isso, Rocha perde espaços na legenda e começa a ter o projeto de candidatura pelo PSB ameaçado.

A decisão da cúpula nacional da legenda tomou por base o voto do ainda socialista em favor da PEC da Reforma Trabalhista, no Senado, na ocasião em que o partido orientava voto o contrário.

E a retaliação não poderia ter sido mais “dolorida”.

Uma derrota amarga, e que desafia Rocha a consolidar-se como candidato.

O jogo é bruto…

Petista nega convite a Dino para composição de chapa com Lula

O colunista Cláudio Humberto afirmou hoje que não é verdadeira a informação de que o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), teria sido sondado para compor chapa como vice do ex-presidente Lula (PT) para a eleição de 2018.

De acordo com o jornalista, a presença de Dino “estreitaria a chapa”.

Dino segue em silêncio sobre o tema

Lideranças do Podemos convidam para lançamento em São Luís

Em um grande ato político realizado dia 1º em Brasília, lideranças do ex-PTN apresentaram ao país o Podemos, partido que surge com uma nova proposta na forma de fazer política no Brasil, com mais transparência e participação popular. Anunciado como pré-candidato a presidente da República no evento, o senador Álvaro Dias gravou com a presidente nacional do partido, Renata Abreu, e com o deputado Aluisio Mendes um convite aos maranhenses para o lançamento do Podemos no Maranhão, no próximo sábado (8), em São Luís.

“Temos que passar o país a limpo, arrancá-lo das mãos da corrupção. Nós podemos e vamos mudar o Brasil para melhor. Estaremos no Maranhão com essa proposta e contamos com a presença de todos”, afirmou Álvaro Dias.

Para colocar em prática seus princípios, o Podemos vai lançar um aplicativo. A ideia é que, por ele, o eleitor possa propor projetos de lei; dar palpite na orientação da bancada em relação a propostas que estejam tramitando no Congresso; e tenha acesso a dados sobre os parlamentares do partido.

Com uma bancada federal de 14 deputados e dois senadores, o Podemos prepara candidaturas majoritárias para disputar as eleições de 2018 em todo o país. No Maranhão, o deputado Aluisio Mendes também comemora o crescimento do partido, sob a presidência da ex-deputada Maura Jorge. “Atribuímos esse crescimento justamente a essa nova forma de fazer política: com ética e lisura, e valorizando a participação dos cidadãos na tomada de decisões”, destacou.

O lançamento do Podemos no Maranhão acontecerá no próximo sábado, 8 de julho, em encontro que reunirá no Hotel Luzeiros lideranças de todo o estado, além da bancada federal do partido. “Acreditamos que, juntos, podemos mudar para melhor a realidade do nosso povo”, afirma Maura Jorge.

A vice

Flávio Dino ao lado do vice-governador, Carlos Brandão

O governador Flávio Dino (PCdoB) passou a enfrentar um problema adicional – além da briga por candidaturas a senador – na montagem de sua chapa para as eleições de 2018. A vaga de vice passou a despertar interesse, sobretudo, pelo fato de que o contemplado pode, em caso de reeleição do comunista, assumir em 2022 já com projeto de ser candidato à reeleição.

E por este motivo, nessa briga entram figuras tão reluzentes quanto improváveis, como os prefeitos Edivaldo Júnior (PDT), de São Luís, e Luis Fernando Silva (PSDB), de Ribamar; os deputados federais Weverton Rocha (PDT), Eliziane Gama (PPS) e Waldir Maranhão (PP) – que ora pleiteiam vaga de senador – e até adversários do governador como o senador Roberto Rocha (PSB) e o deputado estadual Eduardo Braide (PMN).

A opção por adversários passou a ser admitida no Palácio dos Leões como medida para minimizar os riscos do pleito de 2018. Os dinistas entendem que, com menor número de candidatos ao governo, maior são as chances de vitória rápida, diante da polarização inevitável.

Mas a articulação não consta somente de chamar um Roberto Rocha ou um Eduardo Braide e abrir-lhes a vaga na chapa. É necessário contemplar aliados com outros espaços e evitar desgastes. Por isso a dificuldade de Flávio Dino no trato das questões envolvendo a montagem de seu palanque. Questões que só devem aumentar à medida que se aproxima a campanha.

Da coluna Estado Maior, de O Estado do Maranhão

Escutec: Sarney Filho e Zé Reinaldo lideram a disputa para o Senado

O ministro do Meio Ambiente Sarney Filho (PV) e o deputado federal José Reinaldo Tavares (PSB), lideram a pesquisa de intenções de votos do instituto Escutec, divulgada hoje.

Sarney Filho aparece em primeiro lugar com 13% das intenções de votos; José Reinaldo, segundo colocado, tem 10,8%. Na terceira colocação está o ex-deputado Gastão Vieira com 10%.

Logo em seguida está suplente de senador Lobão Filho (PMDB), com 9,2% da preferência do eleitorado; Waldir Maranhão (PP), com 6,3%; Weverton Rocha (PDT), com 6,2% e Clóvis Fecury (sem partido), com 2,1%.

No quesito “nenhum deles”, 28,5% dos eleitores assinalaram e ouros 13,9% não souberam ou não responderam a pesquisa, que foi realizada em 80 municípios e ouviu 2034 eleitores.

Escutec: Roseana aparece com vantagem de 7 pontos sobre Flávio Dino

O instituto Escutc divulgou somente hoje uma pesquisa de intenções de votos contratada pelo PMDB, que aponta vantagem da ex-governadora Roseana Sarney sobre o governador Flávio Dino (PCdoB).

O levantamento coloca Roseana Sarney com 32,9% das intenções de votos, contra 25,9% de Flávio Dino. São exatos sete pontos de vantagem.

Na terceira colocação aparece o deputado estadual Eduardo Braide (PMN), com 11,4% e logo em seguida o senador Roberto Rocha (PSB), com 6,6%. Maura Jorge é a última colocada, com 2,5% da preferência do eleitorado.

Ao todo, 12,6% dos entrevistados afirmaram não votar em nenhum dos candidatos listados e 8,1% não souberam ou não responderam.

A pesquisa Escutec ouviu 2034 eleitores em 80 municípios do Maranhão.

Definição no PSDB: Brandão atento aos cenários

O presidente do PSDB no Maranhão, vice-governador do Estado, Carlos Brandão, participou na noite de ontem da reunião ampliada da Executiva Nacional da sigla, que definiu a permanência do partido na base do Governo Federal.

Lideranças nacionais do partido e representantes de todos os estados, participaram do ato.

Atento aos cenários, Brandão defendeu a tese de preservação à boa política. “Tenho acompanhado atentamente as movimentações do meu partido e respeito a decisão nacional, defendendo sempre a política feita com verdade, transparência, respeito às instituições e compromisso com o cidadão e com o país”, reforçou, ao assegurar que vai seguir as determinações que a coletividade partidária definir nacionalmente.

Também participaram do encontro, representantes de bancada, quatro ministros: Aloysio Nunes Ferreira (Relações Exteriores), Bruno Araújo (Cidades), Antônio Imbassahy (Secretaria de Governo) e Luislinda Valois (Direitos Humanos); os governadores de São Paulo, Geraldo Alckmin; de Goiás, Marconi Perillo, e do Pará, Simão Jatene; os prefeitos de São Paulo, João Dóriae e de Manaus, Arthur Virgílio.