“O Maranhão elegeu uma mentira”, diz Lobão sobre Flávio Dino

O senador Edison Lobão (MDB), pré-candidato à reeleição, foi duro com o governador Flávio Dino (PCdoB), ontem (21), durante seu discurso em ato da ex-governadora Roseana Sarney (MDB).

Para ele, o eleitor do Maranhão desiludiu-se com o comunista.

“O povo foi iludido uma vez, não será iludido uma segunda”, declarou.

O senador acrescentou que o estado “paga o preço” de ter acreditado nos comunistas.

“O Maranhão elegeu uma mentira. Erramos, e porque erramos estamos pagando o preço”, concluiu.

Do blog de Gilberto Léda

Pré-candidatos ainda sem definição de chapa para as eleições 2018

O Estado – Faltando pouco mais de quatro meses para as eleições deste ano, os principais pré-candidatos ao Governo do Maranhão ainda estão com as chapas majoritárias ainda indefinidas. O período para o registro se estenderá até dia 15 de agosto. Data limite para que os partidos definam as composições eleitoras deste ano.

Todos os pré-candidatos ao governo do Maranhão ainda não definiram suas posições nas chapas majoritárias. Faltando cerca de quatro meses para o pleito de outubro, os pré-candidatos Roseana Sarney (MDB), Flávio Dino (PCdoB), Ricardo Murad (PRP), Eduardo Braide (PMN), Roberto Rocha (PSDB) e Maura Jorge (PSL) ainda não definiram os nomes que comporão suas chapas majoritárias.

Roseana Sarney precisa confirmar somente o nome que será seu companheiro de chapa na vaga de vice-governador já que as conversas que estão sendo costuradas desde o ano passado apontam para as candidaturas de Sarney Filho (PV) e Edison Lobão (MDB) para o Senado. Para vice, o grupode Roseana aponta para o senador João Alberto de Sousa, mas definição ainda não foi anunciada.

Por enquanto, Roseana Sarney tem quatro partidos que apoiam sua candidatura. Além do MDB, há o PSD, PV, PSC e PMB. O PRTB recentementefoi posto como aliado do PSL da pré-candidata Maura Jorge.

Anúncio – A situação aparentemente confortável do grupo de Roseana Sarney não é a mesma do governador Flávio Dino, candidato à reeleição. O comunista já anunciou Weverton Rocha (PDT) como seu primeiro candidato ao Senado. Mas a outra vaga, Dino tem colocado como opção a ser debatida pelos partidos aliados o nome de Eliziane Gama (PPS).

Para a vaga de vice, Flávio Dino tem defendido nos atos políticos de pré-campanha – com direito a pedido expresso de votos – o nome do atual vice-governador Carlos Brandão (PRB), que por ter assumido o comando do estado após 7 de abril é visto como inelegível por especialistas em direito eleitoral.

Mas estas duas vagas ainda estão sendo debatidas pelo DEM e pelo PT, O primeiro, desde que anunciou apoio a Dino vem condicionando o apoio a vaga na chapa majoritária. O partido já recebeu espaços na gestão estadual, mas ainda discute a possibilidade de entrar na chapa majoritária.

Já o PT, divulgou na semana passada nota oficial com a assinatura de membros da direção nacional apontado que o partido até vai com Dino, mas somente se tiver espaço na chapa majoritária. Sendo assim, o PT poderia indicar ou o candidato a vice-governador ou a senador.

O segundo caso, o PT tem como pré-candidatos o ex-secretário de Esportes, preterido por Dino, Márcio Jardim, e também o ex-presidente da seccional maranhense da Ordem dos Advogados do Brasil (OBA), Márcio Macieira.

Sem definições – Por enquanto, o PT – maioria subjugada por Dino – aguarda as reuniões oficiais da legenda para definição de rumos de 2018. Já Eduardo Braide ainda não tem qualquer definição mesmo sobre sua pré-candidatura. O deputado estadual, que já teve apoio oficial declarado pelo ex-governador Zé Reinaldo Tavares (PSDB), ainda não anunciou aliados ou companheiros de chapas se sua candidatura for confirmada durante o período de convenção partidária.

Roberto Rocha durante os encontros internos do PSDB anunciou Alexandre Almeida e José Reinaldo Tavares como pré-candidatos ao Senado. Nome de vice, não chegou a ser cogitado.

No caso da vaga a senador, nos bastidores, ainda é debatido se Almeida realmente sairá a senador. Sobre a vaga de candidato a vice, o PSDB ainda não se definiu.
Maura Jorge do PSL recebe apoio do PSDC e PRTB para 2018 Maura Jorge, após trocar o Podemos pelo PSL devido ao apoio do pré-candidato a Presidência da República, deputado Jair Bolsonaro, conseguiu dois apoios partidários neste último fim de semana.

Em encontro partidários, os presidente do PRTB (Márcio Coutinho) e do PSDC (Pastor Bel) confirmaram que caminharão ao lado de Maura Jorge nas eleições deste ano.

Ainda no início deste ano, o PRTB vinha dialogando com o PRP, de Ricardo Murad, para composição para as eleições de 2018. O PSDC estava em conversa constante com o MDB.

Depois de conversas nacionais e também no Maranhão, os partidos fecharam apoio a Maura Jorge, que já tinha apoio do Podemos, partido que tinha a ex-prefeita de Lago da Pedra nos quadros até a definição de Jair Bolsonaro pelo PSL.

Com o anúncio da união dos partidos, Maura Jorge passa a ter um nome para o Senado. O pastor Bel, que desconsiderou documento da Assembleia de Deus sobre o pleito de 2018, reafirmou sua candidatura ao Senado.

Já o PRTB ainda não anunciou um nome para compor a chapa de Maura Jorge neste pleito

Apreensão de veículos: O constrangimento de Rogério Cafeteira

Deputado Wellington, Ex.ª hoje, infelizmente, tem levantado uma bandeira que pode ser até simpática para alguns, mas não cabe, sinceramente, deputado, a um parlamentar. V. Ex.ª hoje incentiva a que não se pague impostos no Maranhão“, Rogério Cafeteira, líder do Governo na Assembleia Legislativa, no dia 9 de abril de 2018.

O líder do Governo do Estado na Assembleia Legislativa, deputado estadual Rogério Cafeteira (DEM), é sem dúvida o parlamentar da base governista que saiu mais constrangido com o recuo do governador Flávio Dino (PCdoB) em relação a decisão reduzir drasticamente a apreensão de veículos com atraso no licenciamento no Maranhão.

Antes defensor árduo das ações ostensivas da BPRv e com discussões ásperas na tribuna do Legislativo com deputados contrários às apreensões, a exemplo de Wellington do Curso (PSDB), coube a Cafeteira a missão de apresentar aos colegas o Decreto que disciplina este tipo de ação no Maranhão e que substitui as apreensões de veículos por medidas educativas, exatamente aqueles defendidas pela oposição e que ele rebatia.

Cafeteira utilizava o discurso de que a oposição era contrária a blitze de lei seca [o que não é verdade], quando admitia, ao mesmo tempo, que a defesa da oposição pelo não recolhimento de veículos era um “incentivo à sonegação de impostos“.

Se não, vejamos um trecho do que disse Cafeteira na sessão do dia 9 de abril deste ano, há exatos 30 dias -, na tribuna da Assembleia Legislativa.

Deputado Wellington, por incrível que pareça, V. Ex.ª não faz parte, mas V. Ex.ª era principal personagem de um grupo, Deputado Carlinhos Florêncio, que se comunica quando tem blitz de combate ao álcool da Lei Seca, que V. Ex.ª hoje, infelizmente, tem levantado uma bandeira, que pode ser até simpática para alguns, mas não cabe, sinceramente, deputado, a um parlamentar. V. Ex.ª hoje incentiva a que não se pague impostos no Maranhão. Eu, daqui a pouco, temo que V. Ex.ª… V. Ex.ª hoje tem feito uma apologia à sonegação em todos só sentidos. Eu, daqui a pouco, temo que V. Ex.ª chegue aqui e defenda um médico que dá o preço de uma consulta ou de uma cirurgia com recibo ou sem recibo. De um dentista que faça um tratamento em seu dente com recibo ou sem recibo com preços diferentes. Deputado, eu vejo que V. Ex.ª insiste em uma questão… em legislar sobre uma questão que eu de novo reitero aqui, nós, V. Ex.ª não tem competência para legislar. É competência da União. É competência federal a legislação sobre trânsito”, disse Cafeteira, no tempo da liderança do partido.

Agora, depois do recuo de Flávio Dino a 5 meses das eleições, diante do forte desgaste a imagem do comunista, Cafeteira foi obrigado a mudar de posicionamento. Trata a nova postura [de não mais recolher veículos mediante o não pagamento de licenciamento e do IPVA] como medida como educativa, só não consegue explicar porque o Governo não adotou essas mesmas medidas desde 2015, quando deu início à atual gestão.  

O Estado estreia programa semanal “Eleições 2018”

Clóvis Cabalau, Carla Lima, Marco D’Eça, Gilberto Léda e Ronaldo Rocha

O jornal O Estado do Maranhão retoma hoje, em sua versão online, o projeto pioneiro de debate sobre o processo eleitoral. O “Eleições 2018” [assista o programa aqui] já está disponível em oestadoma.com e traz em sua primeira edição uma análise sobre o cenário atual da sucessão estadual, apresentando pré-candidaturas, movimentações e possibilidades de aliança dos atuais postulantes ao cargo de governador.

Mediado pelo diretor de redação, Clóvis Cabalau, o programa contará com as informações e opiniões da equipe da editoria de Política de O Estado: o editor Marco Aurélio D’Eça, a subeditora Carla Lima e os repórteres Ronaldo Rocha e Gilberto Léda.

“Esse é um projeto pioneiro no jornalismo online do Maranhão, iniciado por O Estado ainda no fim de 2015, tendo seu ápice durante nossa cobertura da eleições de 2016. Com o ‘Eleições 2018’ seguimos como referência na cobertura do processo eleitoral, sempre com análises isentas e gabaritadas e com informação exclusiva”, destacou Cabalau.

Segundo o diretor de redação, com o programa sobre as eleições, a equipe de Política de O Estado prepara-se, também, para a retomada da “Sabatina O Estado”, com entrevistas com todos os candidatos ao governo confirmados.

“Como ainda estamos em período de pré-campanha, o programa focará nas análises de cenários, nas articulações dos pré-candidatos, preparando o terreno para a nossa série de sabatinas, que ocorrerá no segundo semestre, após as convenções partidárias, quando os candidatos já houverem sido oficialmente anunciados”, completou.

Apuração – O editor de Polícia, Marco D’Eça, também exaltou o pioneirismo de O Estado no jornalismo online maranhense e pontuou que, mais uma vez, o eleitor do Maranhão ficará a par de tudo do processo eleitoral com informação de qualidade e bem apurada.

“Nosso foco bem informar o nosso leitor. E é pensando nisso que buscamos a informação melhor apurada, a análise baseada em dados reais, a opinião bem embasada. O Estado é pioneiro nesse formato de cobertura e, com a experiência já adquirida, entregará aos seus seguidores um panorama completo do processo eleitoral de 2018”, ressaltou.

“Eleições 2018” irá ao ar semanalmente no site de O Estado, sempre às quartas-feiras. No primeiro programa, um rápido bate-papo sobre os pré-candidatos já postos no debate, fake news e a mais recente incursão do governador Flávio Dino (PCdoB) pelo no cenário da sucessão presidencial.

Flávio Dino confirma Eliziane e Weverton na chapa para o Senado

O governador Flávio Dino (PCdoB) confirmou, no fim de semana, os deputados federais Eliziane Gama (PPS) e Weverton Rocha (PDT) na chapa majoritária para a disputa do Senado.

A confirmação ocorreu durante o evento de pré-campanha do comunista “Diálogos pelo Maranhão”, do qual participaram lideranças políticas e presidentes de partidos alinhados ao projeto do chefe do Executivo.

– Com este grupo não estou sozinho e tenho certeza que, com Eliziane, Weverton, Brandão, Márcio Jerry e tantos outros, conseguiremos vencer novamente esta luta – disse.

Carlos Brandão, vice-governador do Maranhão, também foi confirmado por Dino.

 

Ala do PT quer Mario Macieira na chapa de Flávio Dino

O Estado – A direção estadual do PT no Maranhão vai se reunir nesta semana para iniciar o debate sobre um novo nome que poderá ser o pré-candidato a senador pela legenda, o ex-presidente a seccional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Mário Macieira. Além dele, há ainda o ex-secretário de Esportes de Flávio Dino (PCdoB), Márcio Jardim, que vem defendendo a indicação do PT para a chapa do comunista.

Antes visto como um partido que não causaria problemas na composição da chapa de Flávio Dino, o PT parece que não desistiu a vaga na chapa majoritária do comunista. A prova disto foi o início do debate interno a respeito da indicação do nome do ex-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), seccional do Maranhão, Mário Macieira, para candidatura ao Senado.

Macieira confessa que há um conversa a respeito e que analisará da melhor forma a possibilidade de entrar na disputa pelo espaço na chapa de Dino.

“Fomos procurados por militantes do partido com esta proposta [ser o candidato a senador]. Não descarto a possibilidade até pelos anos de militância que tenho no partido. Mas também sei que toda esta história é embrionária e muito deve ser debatido”, disse a O Estado, Mário Macieira.

Interno – Além desta possibilidade de ter Mário Macieira como candidato ao Senado, o PT já tem inscrito como disponíveis para esta vaga o ex-secretário de Esportes do governo de Flávio Dino, Márcio Jardim. Ele vem conseguindo abrir espaços para o seu projeto por meio da relação próxima que tem com o ex-presidente Lula.

O problema de Jardim é conseguir o aval – se o PT conseguir entrar na chapa do governador – de Flávio Dino para ser membro da chapa majoritária.

Isto porque Jardim foi preterido pelo governador quando novos aliados como o PR e DEM chagaram ao governo. A secretaria comandada pelo petista acabou sendo direcionada para sanar a pane de outros aliados que reivindicavam o espaço no governo estadual.

O problema é que Jardim não agrega apoio nem internamente e nem como um nome aceito pelo governador e seus aliados dos demais partidos. Para garantir competitividade em relação aos demais partidos aliados, o PT pretende apresentar Macieira que seria um nome novo e de fácil aceitação interna e externa.

 

Espionagem: documento da PM cita: “coordenador das eleições”

O memorando circular de número 114/2018 do Comando de Policiamento do Interior da Polícia Militar (PM) do Maranhão, cujo teor foi apresentado hoje, primeiro, pelo jornalista Gilberto Léda, cita a existência de um “coordenador das eleições”, supostamente, dentro da corporação.

O caso, que ganhou repercussão nacional, aponta para o monitoramento ilegal da PM a políticos que fazem oposição ao governador Flávio Dino (PCdoB).

O documento, “vazado” da corporação, aponta para a existência sim, de um comando para operação  eleitoral dentro da PM.

O ofício é do dia 20 de abril, possui número de controle (114/2018) e cita o memorando anterior, cujo teor é considerado e devidamente controlado pela menção de Memo Circular nº 098/2018, do dia 06 de abril, conforme consta na redação.

No ofício, a indicação de que a “coleta de dados eleitorais, junto aos órgãos competentes, que estão diretamente relacionado ao assunto” deve ser referida como solicitação de um tal “Coordenador das Eleições de 2018”.

O documento, assinado pelo coronel Zózimo Paulino da Silva Neto, comandante do CPI, é outra prova inequívoca de que a oposição ao Governo seria alvo de uma ação coordenada pela PM.

OUTRO LADO

Nota da SSP

Sobre o memorando enviado pelo coronel Zózimo Paulino, no dia 20 de abril, a Secretaria de Segurança Pública do Maranhão (SSP-MA) esclarece que:

1. Em nenhum momento foi constituída, pelo Comando da Polícia Militar do Maranhão, a função de “coordenador de Eleições 2018”.
2. Qualquer coordenação desta natureza só será feita em momento oportuno, em apoio à Justiça Eleitoral.
3. O Coronel Zózimo Paulino da Silva Neto será ouvido na Sindicância que apura os fatos.

Duarte Júnior é alvo de nova denúncia na Procuradoria Regional Eleitoral

O Estado – Mais uma denúncia foi feita a Procuradoria Regional Eleitoral (PRE) contra o ex-diretor do Procon, Duarte Júnior (PCdoB), que é pré-candidato a deputado estadual. A notícia acerca de fatos foi apresentado pelo advogado Thiago Brhanner que alega abuso de poder político e promoção pessoal supostamente cometidos pelo comunista.

De acordo com a representação, Duarte Júnior, que ministrava a disciplina de Direito Constitucional em uma universidade particular de São Luís, teria usado seus alunos para sua promoção pessoal por meio do projeto Jovem Cidadão, criado para garantir acesso a jovens da periferia o direito de retirar documentos.

De acordo com um dos alunos do ex-diretor do Procon, João Batista dos Santos Filho, que é citado na notícia de fato de Thiago Brhanner, o professor Duarte Júnior duas semanas antes de deixar o cargo que ocupava no governo de Flávio Dino, montou equipes com alunos de sua disciplina, cujo objetivo era recrutar pessoas em periferias de São Luís para que fossem retirar CPG, RG e título de eleitor em um shopping da cidade e no fim, as pessoas levadas para tirar documentos teriam direito a assistir a um filme no cinema no shopping.

“Eu não fui porque tenho 44 anos e como uma pessoa mais experiente percebi quais eram os objetivos deste professor. Só queria se promover porque não há nada na ementa da disciplina que justifique este tipo de atividade”, afirmou a O Estado o aluno.

Na denúncia também constam conversas de grupo de Whatsapp, nas quais os alunos reclamam da ação e afirmam que somente participaram porque valia ponto na disciplina.

Também conta na representação feita a PRE, que foram disponibilizados ônibus para levar os moradores das comunidades, que após retirar somente título de eleito – já que o sistema para retirar demais documentos estavam fora do ar – Duarte Júnior foi pessoalmente a ação do projeto jovem Cidadão feita pelos universitários.

Brhanner pede que a procuradoria eleitoral investigue a denúncia e aplique as sanções ao ex-diretor do Procon.

Outras denúncias – Além deste fato que motivou a notícia de fato de Thiago Brhanner, o aluno João Batista informou que as consequências desta atividade extra classe – que não teve conhecimento da direção da universidade – foi que a turma exigiu que Duarte Júnior fosse retirado da disciplina.

“Foi feita uma reclamação ao coordenador do curso, coronel Sílvio, sobre esta atitude e outras como o fato de não ministrar a aula com o conteúdo da disciplina e somente falar das ações dele no Procon deste professor, que acabou sendo retirado da nossa turma e substituído pela professora Rosélia Araújo”, disse João Bastista.

OUTRO LADO – Duarte Júnior nega acusações e se diz perseguido

O Estado entrou em contato com o pré-candidato a deputado estadual que alegou sofrer perseguição por parte do advogado Thiago Brhanner. Segundo Duarte Júnior, esta é a quarta vez que Brhanner o aciona na Justiça.

Sobre a atividade com os alunos de Direito Constitucional, o comunista afirmou que fez uma atividade para aliar a teoria vista em sala de aula com a prática. De acordo com ele, o objetivo era mostrar aos alunos a aplicação dos direitos fundamentais dos cidadãos.

“Sempre fiz este tipo de atividade com meus alunos. Mostrar na prática aos alunos o que aprendem na teoria em sala de aula. Neste caso, o projeto Jovem Cidadão – feito em parceria com o Tribunal Regional Eleitoral e que já existe há três anos – os alunos puderam acompanhar o direito do cidadão previsto no artigo 1º da Constituição”, afirmou Duarte Júnior.

O ex-auxiliar de Flávio Dino afirmou ainda que não houve qualquer sansão para os alunos que não participaram ou benefício em notas os universitários que fizeram parte do projeto. Esta afirmação de Duarte Júnior vai de encontro com o que disse um dos alunos em conversas pelo Whatsapp e que constam na denúncia de Brhanner.

Oposição forte

O saldo da janela partidária mostra, claramente, o fortalecimento dos candidatos de oposição ao governo Flávio Dino (PCdoB). Se não perdeu partidos de sua base – pelo menos não por enquanto –, Dino também não conseguiu impedir a atração de outras legendas pelos adversários. Passado o período da janela partidária, a oposição ao governo Dino acabou fortalecida ao fim do processo.

A ex-governadora Roseana Sarney, por exemplo, garantiu seu MDB, manteve o PV alinhado e a garantia – ou pelo menos a promessa – de ter o PSD também no palanque. Roseana mantém-se como a candidata com maior tempo de TV, polarizando com Flávio Dino.

O senador Roberto Rocha atraiu nomes de peso para o seu PSDB e segue como opção ao governo. O deputado estadual Eduardo Braide (PMN) garantiu, com o aceno do PSC, fôlego para chegar às convenções em condições de negociação partidária.

A candidata que mais ganhou mídia nesta fase da janela partidária, no entanto, foi a ex-prefeita Maura Jorge (PSL). Sua aliança com o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) chamou a atenção, inclusive, de candidatos interessados em sua chapa, como o ex-deputado Wagner Pessoa e o ex-vereador e candidato a prefeito de São Luís, Fábio Câmara.

Talvez até por esse movimento é que Flávio Dino se prepara para ir ao interior, tentando fortalecer sua imagem. Afinal, a oposição vem forte.

Da coluna Estado Maior, de O Estado do Maranhão

Edilázio recebe apoio em Santa Luzia e Lago da Pedra

O deputado estadual Edilázio Júnior (PSD) recebeu apoio à sua pré-candidatura a deputado federal, no último fim de semana, nos municípios de Santa Luzia do Paruá e Lago da Pedra.

Em Santa Luzia ele foi recebido pela ex-prefeita dra. Eunice ao lado do ex-prefeito dr. Harolfran Melo e todo o grupo político da região, formado por vereadores, ex-vereadores e lideranças políticas. No encontro, dra. Eunice e dr. Harolfran prometeram empenho em prol da pré-candidatura de Edilázio para a Câmara Federal.

O ex-governador do Maranhão e ex-presidente da Assembleia Legislativa Arnaldo Melo, ao lado da filha, deputada Nina Melo, participou do ato.

Já no município de Lago da Pedra, Edilázio foi recebido pelo ex-prefeito Luiz Osmani. Vereadores, ex-vereadores e lideranças políticas da região declararam apoio ao pré-candidato do PSD.

O vereador do município de Esperantinópolis, Frankson e o ex-prefeito Chico Jovita, também fecharam aliança pela pré-candidatura de Edilázio.

O parlamentar agradeceu o gesto das lideranças políticas de Santa Luzia do Paruá e de Lago da Pedra, e assegurou dedicação e empenho, caso eleito para a Câmara, em prol dos municípios.