Othelino mais fortalecido para a reeleição na Mesa Diretora da AL

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Othelino Neto (PCdoB), assegurou mais um apoio para a disputa do comando da Mesa Diretora da Casa, para o biênio 2019/2020.

Trata-se do deputado estadual eleito Zé Gentil (PRB), pai do prefeito de Caxias, Fábio Gentil (PRB).

Zé Gentil declarou apoio a Othelino durante uma visita de cortesia ao gabinete do presidente do legislativo.

“No momento, não existe nome melhor que o de Othelino Neto para presidir a Assembleia Legislativa do Maranhão. Ele é amigo de todos os deputados. Eu me dava muito bem com o pai dele, o saudoso Othelino Filho. Vejo nele a qualidade de representar muito bem a Assembleia Legislativa do Maranhão”, disse Zé Gentil.

Othelino Neto agradeceu o apoio e a visita de cortesia. “É com satisfação que dou as boas-vindas ao mais novo deputado Zé Gentil, que nos visita acompanhado do prefeito de Caxias. É uma honra tê-los conosco”, enfatizou.

Othelino já conta com o apoio de 33 votos deputados eleitos.

Fernando Furtado repudia uso de seu nome em suposta lista que pede a “cabeça” de diretor da AL

Fernando Furtado relata movimentação de deputados contra diretor da AL

Fernando Furtado relata movimentação de deputados contra diretor da AL

O deputado estadual Fernando Furtado (PCdoB) utilizou a tribuna da Assembleia Legislativa na manhã de hoje, para repudiar o uso de seu nome numa suposta lista, que teria sido assinada por deputados, para pedir a saída do diretor de Comunicação da Casa, Carlos Alberto.

A lista, segundo o parlamentar, teria sido divulgada em blogs que fazem a cobertura política do legislativo estadual.

O pronunciamento do deputado, no entanto, acabou gerando um mal entendido e provocando uma “saia justa” na base governista. Isso porque além de repudiar a suposta lista, ele desautorizou os líderes governistas Rogério Cafeteira (PSC) e Eduardo Braide (PMN), a incluírem o seu nome em qualquer ato, antes do total conhecimento do teor.

“Eu repudio esse ato e afirmo que eu não participei de nenhuma movimentação para pedir a cabeça do Carlos Alberto. Sou muito homem para assumir os meus atos. O dia em que eu tiver de pedir a cabeça de alguém, venho aqui e eu mesmo faço”, disse e completou:

“Peço aos deputados Rogério Cafeteira, líder do Governo, e Eduardo Braide, líder do maior bloco governista, que não incluam o meu nome em nada antes de eu ser consultado. Não me incluam em nada que eu não tenha de fato uma participação”, disse.

Para esclarecer: O que Furtado fez não foi acusar Rogério Cafeteira ou Eduardo Braide, de serem autores da suposta lista. Ele apenas desautorizou ambos de utilizarem o seu nome antes de ser consultado, para qualquer que seja o fim. Daí o mal entendido, agora desfeito.

Furtado afirmou que comunicará o presidente da Casa, deputado Humberto Coutinho (PDT), do ocorrido…

Max homenageia deputados

Max Barros é presidente da Assembleia

Max Barros é presidente da Assembleia

O presidente em exercício da Assembleia Legislativa, deputado Max Barros (PMDB), homenageou os seus colegas de parlamento na sessão ordinária de ontem. Max fez um balanço da atual legislatura, destacou os avanços da Casa e falou da importância de todos os deputados e funcionários do Legislativo Estadual.

“Cada um de vocês, sem exceção, foi fundamental para que a Assembleia realizasse um trabalho brilhante ao longo desta legislatura. Acredito que cumprimos o nosso papel enquanto legisladores e que o parlamento termina o ano com um saldo extremamente positivo”, destacou.

Max Barros falou de sua gestão na presidência da Casa, após a ascensão de Arnaldo Melo (PMDB) ao Governo do Estado e das metas estabelecidas para a Casa.

“Nosso compromisso foi administrar esta Casa junto com todos os deputados em harmonia, respeitando as discordâncias, que são próprias da democracia, e enxugar, em comum acordo com os líderes e com todos os deputados, a pauta de votações. Também assumi o compromisso de que fosse votado o Orçamento do Estado dentro desta Legislatura. Foi o que aconteceu, uma vez que o Orçamento foi aprovado de forma unanime, num acordo entre os deputados e graças ao papel fundamental da Mesa Diretora”, ressaltou.

Max Barros fez questão de homenagear individualmente cada deputado que não estará na próxima legislatura na Assembleia [os eleitos deputados federais, aqueles que não conseguiram a reeleição e os que sequer disputaram o processo eleitoral 2014] e por esse gesto foi cumprimentado pelos colegas.

O ato marcou aquela que pode ter sido a última sessão do ano. Regimentalmente, o recesso parlamentar somente será iniciado na próxima terça-feira. É provável, no entanto, que na segunda já não tenha mais sessão ordinária.

CPI da Agiotagem já tem 13 assinaturas

O deputado estadual Hemetério Weba (PV) foi mais um a assinar o requerimento de autoria de Raimundo Cutrim (PSD) para a criação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investigará a Agiotagem no Maranhão. Com a assinatura de Weba, chega a 13 quantidade de nomes relacionados no documento. Para ser de fato criada e  instalada na Assembleia Legislativa, a CPI precisa de no mínimo 14 assinaturas.

Hemetério assinou o requerimento após longo, mas não tão convincente discurso de Raimundo Cutrim na tribuna da Casa. Revoltado com a cobertura jornalística do caso Décio Sá – que faz ligação a crimes de agiotagem no estado, Cutrim promete não desistir da CPI. “Insisto da minha convocação pela Comissão de Ética [da Assembleia], insisto na apresentação junto ao Ministério Público. Insisto, no Plenário desta Casa, pela aprovação dos Requerimentos nº. 157 a 161, que requer a relação das cópias das notas fiscais que envolvem agiotagem em nosso Estado. Isso é apenas um pingo d’água no oceano. Insisto, senhores deputados, no apoio que necessito dos senhores para a elucidação de todos esses fatos”, afirmou.

O problema de Cutrim é que não há um consenso entre a oposição e governistas na Casa. Marcelo Tavares (PSB) quer espaço para oposição e pretende indicar   Eliziane Gama (MD) para a presidência ou relatoria do colegiado. Roberto Costa (PMDB), no entanto, garante que trabalhará para impedir que a oposição ocupe qualquer um dos dois cargos.

Enquanto isso, a CPI da Agiotagem continua emperrada.

TJ decreta a ilegalidade da greve, mas PMs e bombeiros continuam acampados na Assembleia

O desembargador Stélio Muniz considerou, na manhã de hoje, a greve dos policiais militares e bombeiros como ilegal. A determinação do desembargador é de que os manifestantes voltem às suas atividades, sob pena de multa no valor de R$ 200,00 para cada grevista, por dia sem trabalhar.

Até o meio dia o comando da greve ainda não havia sido comunicado oficialmente da decisão, e mantém a ocupação da área externa da Assembleia Legislativa do Maranhão. Há pelo menos 2 mil policiais acampados na “Casa do Povo”.

A greve dos policiais militares foi iniciada na noite de ontem após assembleia geral da categoria, realizada na sede da Fetiema, no Centro. O grupo reivindica melhores condições de trabalho; reajuste salarial de 30%; redução da jornada de trabalho de 80 horas para 40 horas semanais; revisão dos critérios de promoção e anistia para todos os participantes do movimento grevista.

No dia 7 deste mês os policiais militares e bombeiros chegaram a paralisar as suas atividades, mas após negociação com deputados estaduais, suspenderam o movimento. O impasse, no entanto, permanece.