Produtores se unem e pagam por recuperação de estrada no sul do MA

A Associação Maranhense dos Produtores de Algodão (Amapa) realizou a entrega de um serviço de recuperação de uma rodovia estadual e contempla 30 quilômetros de extensão da via.

Outros 20 quilômetros já haviam sido entregues no ano passado.

A iniciativa se deu após os produtores cansarem de esperar pela iniciativa do Governo Flávio Dino (PCdoB), na recuperação da estrada que integra o chamado Anel da Soja.

Ao longo de quatro meses, a obra custou em média R$ 25 mil por quilômetro recuperado.

“Fizemos um orçamento em cima de hora/máquina, com despesas, alimentação e alojamento de funcionários. Fizemos o mínimo possível”, disse o produtor Idone Grolli.

A pista tem 12 metros de largura, uma camada de 60 cm de cascalho e canaletas para escoar a água das chuvas.

“Ano passdo a gente levantou 20 quilômetros, esse ano estamos entregando mais 30 quilômetros, e a ideia é ir avançando ao longo dos anos nessa qualidade de estrada até chegar a vez do poder público complementar o trabalho de base, que é asfaltar a estrada”, afirmou o caminhoneiro Rubens Paiva.

“Nós produtores rurais já estamos cansados de promessa”, afirmou Wellington Nascimento, coordenador da associação.

Por meio de nota, a Sinfra informou que das três etapas que compõem o anel da soja, vai entregar nos próximos dias o primeiro trecho da obra.

A reportagem completa foi veiculada no Hora 1, da TV Globo.

Deputado cobra dados sobre obra do Anel da Soja

O deputado estadual Adriano Sarney (PV) cobrou explicações da Secretaria de Estado da Infraestrutura (Sinfra), nesta quarta-feira (31), sobre o não fornecimento de informações das obras do Anel da Soja.

A falta de transparência ocorre desde dezembro do ano passado, depois de audiência pública ocorrida em Balsas, coordenada pelo parlamentar, quando foi protocolado na Sinfra um requerimento da Comissão de Assuntos Municipais da Assembleia Legislativa, então presidida por Adriano, solicitando relatório do andamento do projeto. Em consequência da falta de informações, o parlamentar cogita levar o caso à Justica, por ato de improbidade administrativa.

“A Assembleia Legislativa está sendo desrespeitada constantemente, porque nós, deputados e deputadas, não conseguimos obter informações sobre as ações do Governo do Estado. O que o governo comunista está querendo esconder? Se o governo não quer responder à Assembleia, então terá que responder à Justiça”, declarou Adriano.

O deputado lembrou de ter cobrado do secretário Clayton Noleto (Sinfra), em fevereiro deste ano, em sabatina realizada na Assembleia, informações sobre o andamento das obras e que o mesmo havia prometido enviar as informações, mas não cumpriu. O Anel da Soja é um importante projeto, que teve início no governo Roseana Sarney (PMDB), financiado com recursos do BNDES, que visa integrar a logística do agronegócio do Sul do Maranhão ao Porto do Itaqui, passando pela Ferrovia Norte-Sul.

Edilázio destaca obras em Santo Amaro e a construção do Anel da Soja

Edilázio destaca obras em Santo Amaro

Edilázio destaca obras em Santo Amaro

O líder do Bloco Parlamentar Democrático, deputado estadual Edilázio Júnior (PV), destacou na sessão de hoje na Assembleia Legislativa, a autorização do Governo do Estado para a construção, na Região Sul, do Anel da Soja. A obra, que receberá investimentos de R$ 700 milhões, integra 400 quilômetros de pavimentação e viabilidade para o escoamento mais rápido e eficaz de toda a produção daquela região. Edilázio participou da assinatura da Ordem de Serviço. Ele também ressaltou a autorização para a construção da estrada que ligará o povoado Sangue ao município de Santo Amaro do Maranhão e a estrada que ligará Santo Amaro a Primeira Cruz.

“O Anel da Soja é a maior obra rodoviária do estado do Maranhão e servirá para escoar toda a riqueza da Região Sul”, disse. A obra foi autorizada na última sexta-feira pelo secretário de estado da Infraestrutura, Luis Fernando Silva (PMDB), que coordena o Plano Rodoviário no interior do estado. O plano contempla a construção de mais de mil quilômetros de vias recuperadas nos 217 municípios e mil quilômetros de rodovias estaduais.

Edilázio falou dos investimentos do Governo no município de Santo Amaro do Maranhão, confirmados após ele ter apresentado indicações na Assembleia. No início do ano, por exemplo, ele já havia articulado a assinatura de um convênio entre a Prefeitura e o Executivo Estadual, com o emprego de emendas parlamentares, que contempla o município com a pavimentação de vias por bloquetes.

Citou também a construção da estrada que dará acesso ao município e os benefícios à população local. “A estrada que ligará o povoado Sangue até Santo Amaro vai custar R$ 63 milhões. Ali [na assinatura da ordem de serviço], eu pude ver a alegria do povo com a obra tão sonhada, que muitos não acreditavam que um dia viesse acontecer. A governadora Roseana Sarney [PMDB] levou um sorriso para o rosto de santo-amarenses”, disse.

Ele falou do potencial turístico do município e da previsão de aumento da economia local. “Eu não tenho dúvida de que, a partir de agora, com a construção desta estrada e depois de sua conclusão, Santo Amaro será o grande destaque do turismo de nosso estado”, completou.

Ao todo, segundo mostrou Edilázio, o Governo do Estado autorizou a execução da MA 320, com 47 quilômetros de extensão [R$ 63 milhões]; pavimentação de vias urbanas, com investimento de R$ 1,7 milhão e o trecho da MA 320 de 23 quilômetros que vai de Primeira Cruz a Santo Amaro.

Eduardo Braide (PMN) reconheceu o empenho do pevista e se colocou na condição de testemunha do esforço de Edilázio por Santo Amaro.