Delegado é preso por envolvimento com quadrilha de assalto a bancos

O delegado de Polícia Civil, Thiago Bardal, que até o ano passado comandava a Superintendência de Investigações Criminais do Maranhão, foi preso na manhã de hoje por envolvimento com a quadrilha que assaltou banco e tocou o terror em Bacabal.

Além de Bardal, foram presos na ação conjunta do  Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco) e da Superintendência Estadual de Prevenção e Combate à Corrupção (Seccor), o investigador de polícia João Batista de Sousa Marques e dos advogados Werther Ferraz Junior e Ary Cortez Prado Junior.

De acordo com as investigações, Thiago Bardal e os demais presos se associaram em uma organização com o objetivo de extorquir grupos criminosos, recebendo parte do apurado em assaltos a bancos e fazendo a proteção das quadrilhas, mediante o recebimento de propina. As práticas vinham acontecendo desde 2015, quando Tiago Bardal assumiu a chefia da Seic.

Os policiais recebiam cerca de R$ 100 mil por assalto realizado. A cobrança era feita por intermédio dos advogados presos.

As investigações continuam e buscam averiguar a participação de outros policiais no esquema.

Terror em Bacabal: bandidos assaltam banco, fazem reféns e incendeiam veículos

A cidade de Bacabal viveu uma noite de pânico ontem. Bandidos fortemente armados invadiram o município por volta das 22h e articularam uma ação violenta num assalto a banco.

Os criminosos atacaram uma Delegacia de Polícia Civil, incendiaram viaturas e metralharam um quartel de Batalhão da Polícia Militar.

Eles também incendiaram carros para bloquear a ponte que dá acesso à cidade, com o objetivo de evitar que reforço policial chegasse até o local e segundo a própria PM, utilizaram uma carreta para dificultar a ação das forças de segurança.

Moradores da cidade foram capturados como reféns e abandonados em municípios vizinhos, durante a fuga dos criminosos.

O Cosar – batalhão de elite criado justamente para o combate a assalto a bancos no interior do estado -, foi acionado, entrou em confronto com a quadrilha e matou três bandidos. Um quarto integrante da organização criminosa foi preso.

A força de segurança do estado busca agora os demais membros da organização criminosa.

Vídeo acima publicado no blog do Gilberto Léda

Jefferson Portela diz que assalto a banco não o preocupa

Jefferson Portela é secretário de Segurança

Jefferson Portela é secretário de Segurança

O secretário de Estado da Segurança Pública, Jefferson Portela, afirmou há pouco, em entrevista concedida ao programa Ponto Final, da Rádio Mirante AM, que o crime de assalto a banco é um problema que não o preocupa.

A declaração provocou polêmica de imediato nas redes sociais, principalmente em decorrência do elevado número deste tipo de crime no Maranhão. Em apenas 14 dias, já foram registrados 7 assaltos ou arrombamentos a bancos, ou seja, uma média de um crime deste tipo a cada dois dias.

Somente nesta semana já foram dois os registros. Em 2015, primeiro ano do governo Flávio Dino (PCdoB) e da gestão de Portela na Segurança, o número de assaltos a bancos praticamente dobrou em relação a 2014.

Por isso a gravidade da declaração polêmica, e até inconsequente de Portela.

“É um problema nacional, mas nem me preocupa. Temos uma violência extrema na Bahia, na fronteira do Piauí com o lado de lá do Estado. Estive reunido com o comandante da Polícia Militar do Piauí e com o secretário de Segurança do Piauí e eles narraram essa vinda de lá para cá. Eles já estão preocupados de fazer essa contenção do meio do Estado para lá. É muita explosão de banco descendo para cá”, disse.

Resta saber se o governador pensa da mesma forma que o secretário…

Um dia após polêmica da farsa da estatística do Governo, banco é alvo de bandidos no interior do estado

explosoesUm dia depois de iniciada a polêmica sobre a farsa das estatísticas apresentadas pelo Governo do Maranhão no que diz respeito a assaltos a bancos, ataques a caixas eletrônicos e saidinhas bancárias, mais uma explosão de caixas eletrônicos foi registrado no Maranhão.

O crime ocorreu em uma agência do Banco Bradesco, em Presidente Sarney, por volta de 1h desta madrugada. De acordo com a polícia, cerca de cinco homens efetuaram o crime.

Na manhã de ontem, na Assembleia Legislativa, o deputado Sousa Neto (PTN) desconstruiu a estatística de crimes relacionados às agências bancárias apresentada pelo Governo. O Executivo havia apontado redução de 23% de ataques a caixas eletrônicos e 7% de assaltos a bancos.

Tudo mentira.

O que houve na verdade foi aumento de 36,36% de ataques a caixas eletrônicos e 25% de assalto a banco. Também houve aumento de 50% de saidinhas bancárias do período de janeiro a julho deste ano, comparado a igual período de 2014.

E apesar de mais um crime ter sido registrado hoje, é capaz de o Governo apresentar nova estatística com números mirabolantes, apontando a queda da violência no Maranhão…