Bentivi não é mais pré-candidato a prefeito pelo PHS

phsO médico, advogado e jornalista João Bentivi não é mais pré-candidato a prefeito de São Luís pelo PHS. A direção municipal da sigla se dobrou aos pré-candidatos a vereador, que questionavam o desempenho de Bentivi nas pesquisas de intenções de votos, como mostrou o blog em primeira mão [reveja aqui] e retirou o nome do correligionário da disputa.

Por meio de nota, Marcos Vinicius Andrade, presidente do diretório municipal da sigla, aliado do deputado estadual Carlinhos Florêncio (PHS), o partido explicou a decisão.

“Essa agremiação política toma essa decisão atendendo aos pedidos da maioria dos pré-candidatos a vereador de São Luís, por entender que, nesse momento, o melhor caminho é a coligação na majoritária. O desempenho da nossa candidatura própria nas pesquisas precisou ser refletida”, diz o comunicado.

O partido quer compor chapa com a indicação do candidato a vice-prefeito, de algum dos quatro pré-candidatos em disputa: Eduardo Braide (PMN), Edivaldo Holanda Júnior (PDT), Wellington do Curso (PP) e Eliziane Gama (PPS). A legenda vai se reunir – em datas diferentes -, com os pré-candidatos para discutir a possibilidade de aliança.

“A decisão final sobre o rumo do PHS nas eleições municipais de 2016 será tomada pela Direção do Partido ouvindo os pré-candidatos a vereadores e filiados partidários”, completa a nota, assinada por Marcos Vinicius Andrade, presidente municipal do PHS.

Quem é quem

Os principais candidatos a prefeito de São Luís entram na reta final do início do prazo de convenções em situações distintas entre si, e alguns até com perspectiva de mudança de cenário em relação ao que ocorria semanas atrás, por exemplo. Alguns casos:
Edivaldo Júnior (PDT): o prefeito ganhou fôlego com o crescimento nas pesquisas e, sobretudo, com a decisão do governador Flávio Dino (PCdoB) de criar o “consórcio de candidatos”. A jogada de Dino impede os adversários de buscar novas frentes, já que todos são “candidatos do palácio”. Edivaldo corre risco, porém, de aumentar seu desgaste com a adesão do também desgastado PT.

Eliziane Gama (PPS): a deputada ainda lidera as pesquisas, mas mostra-se cada dia mais fragilizada do ponto de vista político. Tem o PSDB, mas não tem as principais lideranças da legenda. E deve perder também o PSB. Muito por causa da própria postura ambígua, que ora vai para um lado, ora para outro.

Wellington do Curso (PP): descartado por Márcio Jerry como “candidato do palácio”, o deputado driblou a situação ao se fortalecer como “candidato independente”. Mas tem poucas lideranças atuando nos bastidores, o que dificulta a adesão de partidos e a formação de uma chapa consistente para as próximas fases da campanha.

Fábio Câmara (PMDB): o vereador conseguiu driblar a resistência das lideranças peemedebistas e se impôs como candidato. Tem agenda em Brasília, com a cúpula do PMDB, que já chancelou seu nome em São Luís. Senhor da própria decisão, Câmara tem agora condições próprias para negociar em nome da legenda da qual é presidente em São Luís, mesmo com os baixos índices nas pesquisas.

João Bentivi (PHS): o médico, jornalista e advogado, que começou empolgado, não conseguiu se viabilizar pode, inclusive, desistir da candidatura. Negociações nesse sentido estão sendo coordenadas por lideranças da legenda, que podem ir tanto para Eliziane Gama quanto para Wellington do Curso. Bentivi pode ser candidato a vereador, como uma espécie de puxador de votos da legenda.

Da coluna Estado Maior

Bentivi tem pré-candidatura ameaçada no PHS

phsO pré-candidato a prefeito de São Luís, João Bentivi (PHS), pode estar com sua candidatura ameaçada na capital. Isso porque pré-candidatos a vereador pelo Partido Humanista da Solidariedade (PHS), estão insatisfeitos com o desempenho do correligionário e avaliam a possibilidade de mudança no projeto em reuniões do diretório municipal.

O PHS possui hoje 60 pré-candidatos a vereadores em São Luís, e a maioria sustenta que o desempenho do médico nas pesquisas de intenções de votos não favorece o projeto da sigla para o Legislativo Municipal.

O objetivo é eleger pelo menos dois vereadores para a próxima legislatura.

O partido decidirá em reunião, nos próximos dias, qual posição será tomada em relação à pré-candidatura do médico. Caso o nome dele seja vetado na sigla, a tese que ganha força é a de possibilidade de aliança para a disputa majoritária, com a composição junto a outro pré-candidato.

Outro lado

O blog já tentou entrar em contato com o pré-candidato, mas não conseguiu. O espaço seguirá aberto para a manifestação de Bentivi.