Edilázio tem caminhada consolidada para a Câmara Federal

A campanha do deputado estadual Edilázio Júnior, candidato a uma vaga na Câmara Federal pelo PSD, cresceu na semana em que será realizada a eleição no estado.

Apoiado pela ex-governadora Roseana Sarney (MDB), candidata ao comando do Executivo; pelo senador Edison Lobão (MDB), candidato à reeleição ao Senado e pelo deputado federal Sarney Filho (PV), também candidato ao Senado, Edilázio tem percorrido dezenas de municípios nos últimos de campanha em todas as regiões do estado.

Desde o fim de semana, Edilázio já percorreu os municípios de Bacuri, Cururupu, Turilândia, São João dos Patos, Colinas, Caxias, Codó, Afonso Cunha, Timon e Buriticupu.

Além de prefeitos, vice-prefeitos, lideranças políticas, presidentes de partidos e líderes comunitários, milhares de eleitores têm acompanhado de forma espontânea a campanha de Edilázio em todo o Maranhão.

Nas caminhadas, carreatas e nos comícios realizados em praças públicas, Edilázio tem recebido o apoio massivo do eleitor que acompanha o seu trabalho na Assembleia Legislativa.

Edilázio promete trabalhar pelo desenvolvimento do Maranhão no Congresso Nacional e continuar com a agenda municipalista que marcou os seus dois mandatos no Legislativo Estadual.

TRE indefere pedido de registro de candidatura de coronel Pereira

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MA) do Maranhão indeferiu o pedido de registro de candidatura do coronel Pereira (SDD), que tentava disputar uma vaga na Assembleia Legislativa.

Pereira é ex-comandante-geral da Polícia Militar (PM), nomeado para o cargo pelo governador Flávio Dino (PCdoB).

A decisão de indeferimento do pedido de registro de candidatura do policial militar foi unânime da Corte Eleitoral. O relator da matéria foi o juiz Gustavo Vilas Boas.

Ele apontou a não comprovação, do coronel Pereira, da sua desincompatibilização do cargo público dentro do prazo estabelecido pela Lei.

Os demais membros do colegiado acompanharam o magistrado.

Deputado do PCdoB tem candidatura indeferida no TRE

O suplente de deputado Fernando Furtado (PCdoB), que ficou conhecido em âmbito nacional na ocasião do vazamento de um áudio de uma audiência pública da qual participou, em que ele classifica índios de “viadinhos” e ataca a Igreja Católica, teve o seu registro de candidatura indeferido pela Justiça Eleitoral.

O registro foi indeferido em decorrência de ações dos quais é alvo na 2º instância da Justiça Estadual. Ele não apresentou documentos necessários para explicar qual a situação dos processos penais.

Fernando Furtado é candidato a deputado estadual pela coligação “Todos Pelo Maranhão 3”.

Em 2015, primeiro ano de mandato, ele foi eleito pela organização Survival International vencedor do prêmio ‘Racista do ano de 2015’. Em julho daquele ano, durante audiência pública em São João do Caru (MA), a 359 km de São Luís, ele xingou índios da tribo Awá-Guajá e homossexuais, chamando-os de maneira pejorativa de ‘viadinho’ e ‘baitola’.

“Índio diz que não sabe plantar arroz. Então morre de fome, desgraça, é a melhor coisa que tem. Porque não sabem nem trabalhar”, destacou a Survival International do trecho da fala do deputado maranhense. Os Awá-Guajá são considerados um dos povos mais vulneráveis do planeta.

Ele também foi interpelado judicialmente e repudiado por entidades que atuam na defesa dos direitos humanos.

Apesar disso, foi blindado pela base do Governo na Assembleia Legislativa e não perdeu o mandato por quebra de decoro parlamentar.

Aluisio Mendes intensifica campanha no interior do estado

O candidato à reeleição a Câmara Federal, Aluísio Mendes (Podemos), consolidou campanha neste fim de semana, fechou articulações partidárias e recebeu grande apoio popular em cidades do interior do Maranhão. Ele esteve em Bom Jesus das Selvas, Coroatá, Tuntum, Peritoró, São João Batista e Bacurituba.

Em Bacurituba, Aluísio esteve com o prefeito Cisto, além de vereadores, ex-prefeitos e outras lideranças locais. Ele participou de grande carreata pelas ruas e avenidas da cidade, onde foi acompanhado por centenas de pessoas. Em São João Batista, o candidato que quer estender o grande trabalho realizado nos últimos quatro anos no Congresso se reuniu com o grupo do líder político Mercinho.

Já em Peritoró, Aluísio foi recebido pelo grupo do prefeito Padre Josias onde participou de grande carreata e comício. Em Tuntum, nova grande mobilização em torno de sua candidatura no povoado São Lourenço em parceria com Daniela Tema, do grupo do prefeito Tema.

Em Coroatá, Aluísio esteve no povoado Santo Antônio do Natalino, onde conversou com lideranças. Outra grande mobilização foi em Bom Jesus das Selvas, onde Aluísio firmou parceria com a candidata à deputada estadual, Bárbara Soeiro e alinhou discurso com o grupo da ex-prefeita Cristiane Damião.

Para o candidato, a união de forças fará novamente um estado mais forte. “Conto com o apoio do povo para manter o trabalho firme e correto na Câmara [Federal]. Sempre lutando pelas causas dos mais necessitados e lutando firme para trazer investimentos ao nosso Maranhão. Peço ao povo que acredite em nosso propósito e nos mantenha na luta em Brasília”, disse.

Ascom Aluisio Mendes

Flávio Dino tem candidatura impugnada na Justiça Eleitoral

O deputado estadual Edilázio Júnior, candidato a deputado federal pelo PSD formalizou sábado, no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Maranhão, uma ação de impugnação contra o registro de candidatura do governador Flávio Dino (PCdoB).

Ele apontou vício formal na convenção que homologou a chapa de Dino.

De acordo com a denúncia, o PCdoB incorreu em irregularidade o então procurador-geral do Estado, Rodrigo Maia, como representante da coligação, quando ele ainda ocupava o posto de titular da Procuradoria.

A convenção do PCdoB foi realizada no dia 28 de julho. Segundo a ação, Maia só foi exonerado do Governo três dias depois, em ato válido a partir do dia 1º de agosto – o caso foi revelado no meio da semana, em ação popular protocolada pelo advogado Thales de Andrade.

Edilázio apontou que por conta da irregularidade, o Demonstrativo de Regularidade de Atos Partidários (Drap), documento sem o qual não se pode registrar uma candidatura, está “eivado de vício formal”.

“Ao ler a ata da convenção partidária que fixou a coligação informada no Drap, percebemos que o representante escolhido não possui condições legais para exercer tal função, tendo em vista que era Procurador-Geral do Estado no dia da convenção, conforme publicação do Diário Oficial do Estado e sendo nomeado dias após para outro cargo de direção no governo estadual. Com efeito, o Procurador-Geral do Estado, por impedimento legal, não pode exercer a função equivalente ao de presidente partidário, muito menos participar de convenção e presidir coligação de partidos em clara conduta vedada”, alega o parlamentar.

A ação terá agora de ser analisada pelo Pleno do TRE.

Outro lado

Lideranças do PCdoB sustentam que apesar de exonerado da PGE no dia 31 de julho, Rodrigo Maia só teria começado a responder pela coligação de Flávio Dino no dia 9 de agosto. Essa será a defesa levada pela sigla ao tribunal.

Inelegibilidade: Flávio Dino reage e diz que registrará candidatura no TRE

O governador Flávio Dino (PCdoB) reagiu à decisão da juíza eleitoral Anelise Nogueira Reginato que o tornou inelegível por 8 anos, junto de Márcio Jerry, candidato a deputado federal e o prefeito e vice de Coroatá, por abuso de poder nas eleições de 2016.

O chefe do Executivo tratou a decisão como uma “especulação” de adversários políticos e afirmou que amanhã pleiteará o seu registro de candidatura na Justiça Eleitoral.

‘Amanhã irei pleitear normalmente meu registro ao TRE, que será deferido nos termos da lei. E semana que vem vamos começar mais uma bela campanha alegre, propositiva e vencedora”, disse.

Resta saber agora, qual será o posicionamento do Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão…

Eduardo Braide desiste de candidatura ao Governo

Com o fracasso na articulação junto a alguns partidos políticos do Maranhão, o deputado estadual Eduardo Braide (PMN), abriu mão da candidatura ao Governo do Maranhão e anunciou há pouco, que disputará uma vaga na Câmara Federal.

Braide tentava, desde o início do ano, receber o apoio do PSDB à sua pré-candidatura. O senador Roberto Rocha, contudo, rechaçou abrir mão do projeto de candidatura própria ou de ceder o partido ao parlamentar.

Depois disso Braide chegou a negociar com a pré-candidata Maura Jorge, do PSL. Não avançou.

Nas últimas horas viu diminuto o seu projeto político para tentar alcançar o Executivo.

Segundo colocado na eleição de 2016 para a Prefeitura de São Luís, Braide acabou perdendo tropeçando na articulação política. Ficou isolado e obrigado a desistir da candidatura própria.

 

Já são sete os candidatos ao Governo do Maranhão

Com a confirmação da candidatura do deputado estadual Eduardo Braide (PMN) ao Governo do Estado, chegou a sete o número de candidatos.

Além de Braide, vão concorrer ao comando do Palácio dos Leões, Roseana Sarney (MDB), Maura Jorge (Pode), Ricardo Murad (PRP), Roberto Rocha (PSDB), Odívio Neto (PSOL) e Flávio Dino (PCdoB), que disputará a reeleição.

 

Braide tem articulado candidatura ao lado do deputado federal Zé Reinaldo (sem partido). Ambos já foram aliados, mas romperam com o comunista.

O primeiro chegou a ocupar o posto de líder do Governo na Assembleia Legislativa. O segundo, foi quem iniciou Dino na política, após o comunista deixar a magistratura.

Roberto Rocha é o terceiro candidato a governador oriundo do grupo político de Flávio Dino.

Eleito na chapa do comunista em 2014, o tucano rompeu com Dino em 2016, após eles não chegarem a um acordo em relação à disputa eleitoral da Prefeitura de São Luís.

Os demais candidtaos: Roseana, Ricardo Murad, Maura Jorge e Odívio Neto, sempre atuaram em lado oposto ao de Dino.

Sacrifícios

O deputado federal José Reinaldo Tavares, ainda no PSB, parece totalmente disposto a não abrir mão de seu projeto para ser candidato a senador do Maranhão. Mesmo sem um destino partidário certo, as últimas declarações dele demonstram que, mesmo que não seja pelo grupo do governador Flávio Dino (PCdoB), ele será candidato em outubro.

Segundo Tavares, por duas ocasiões ele fez sacrifícios em nome do grupo ao qual ele passou a fazer parte. O primeiro sacrifício foi em 2006 quando decidiu não deixar o governo estadual para disputar a vaga na Câmara Alta e garantir que o então candidato Jackson Lago saísse eleito ao governo. Foi nessa época que o então governador do Maranhão cometeu uma série de irregularidades que levou, em outro momento, à cassação do diploma de Lago.

Outro sacrifício citado por Tavares foi em 2014, quando ele foi convencido pelo próprio Flávio Dino a não lançar sua candidatura a senador para deixar somente Roberto Rocha como candidato do então “grupo da mudança”.

Na época, o agora deputado federal chegou a lançar sua pré-candidatura, mas abriu mão depois que teve a garantia de Dino de que seria o próximo candidato ao Senado quatro anos mais tarde e também teria bases eleitorais que garantiriam sua eleição para Câmara dos Deputados.

O fato é que quatro anos depois Tavares vê novamente seu projeto de candidato ao Senado indo embora por falta de apoio do grupo que ele diz ter feito sacrifícios.

Da coluna Estado Maior, de O Estado do Maranhão

PSOL lança engenheiro civil para a disputa do Governo

O PSOL maranhense lançou manifesto para apresentar a candidatura do professor Odivio Neto ao Governo do Estado.  Engenheiro civil ele já foi candidato do partido a vice-governador e a prefeito de São João dos Patos. Também disputou vaga na Câmara Municipal de São Luís.

O nome de Odivio Neto é o oitavo a ser apresentado como postulante á disputa de 2018 no maranhão. Além deles, apresentam-se ao eleitor os candidatos Flávio Dino (PCdoB), Roseana Sarney (PMDB), Roberto Rocha (PSDB), Maura Jorge (PODE), Ricardo Murad (PRP), Eduardo Braide (PMN) e Coronel Monteiro (PEN-Patriotas).

No manifesto de lançamento da candidatura, o PSOL criticou o governo Flávio Dino, classificado como de acomodação de interesses de grupos. O partido classifica a candidatura de Neto como forma de luta contra exploração.

“Esta pré-candidatura reveste-se claramente de uma perspectiva de classe, democrática, popular e coerente com sua trajetória recente de combate, em primeira linha, ao governo de conciliação de interesses de Flávio Dino (PCdoB) e do governo golpista de Temer (PMDB). Nessa perspectiva, a pré-candidatura insere-se na luta contra toda forma de exploração e opressão do nosso povo, como sua própria história militante comprova”, diz o documento do partido.

Engenheiro civil, ex-candidato a prefeito de São João dos Patos e ex-candidato a vice-governador, Odivio também disputou as eleições para a Câmara Municipal de São Luís.

O manifesto tem assinatura de várias lideranças da esquerda maranhense e de líderes dos movimentos sociais.