Brandão diz que Roberto Rocha vai “jogar a toalha” em 2018

O vice-governador do Maranhão, Carlos Brandão, destituído na semana passada do comando estadual do PSDB, provocou o senador Roberto Rocha, que assumiu a presidência da Comissão Interventora do partido, e disse que o correligionário desistirá da disputa para o Governo do Estado em 2018.

A manifestação de Brandão ocorreu por meio do twitter.

“Eu não vou defender projeto que não acredito. Em 2002 o senador Roberto Rocha foi candidato a governador, e sabe o que aconteceu? Ele jogou a toalha. E é isso o que vai acontecer”, disse.

Insatisfeito com o PSDB após intervenção da direção nacional, Brandão sugeriu provável saída da sigla, ao afirmar que não defenderá o “projeto”.

Foi ele quem articulou a aliança do partido com o PCdoB, do governador Flávio Dino, na eleição 2014.

Eleito vice-governador, Brandão tem trabalhado para tentar reeditar a aliança.

A direção nacional da sigla, contudo, já rechaçou a possibilidade. Ao instituir Roberto Rocha como presidente interino da legenda no Maranhão, Tasso Jereissati afirmou que Brandão havia “submetido o PSDB aos caprichos do PCdoB”.

Tasso também falou da falta de espaços da legenda no estado e questionou o fato de o partido, no Maranhão, apoiar o governador Flávio Dino, que defende a eleição do ex-presidente Luiz Inácio do Lula da Silva em 2018.

Com informações de O Estado

Hora do desembarque

Até o fim da semana passada, membros do PSDB do Maranhão trabalharam com a possibilidade de evitar a volta do senador Roberto Rocha ao partido, já que o retorno dele acarretaria mudanças de postura da legenda em relação ao governo comunista de Flávio Dino (PCdoB).

Por meio de sua assessoria, Carlos Brandão dizia que ainda não havia se reunido com Tasso Jereissati, presidente nacional tucano. Neto Evangelista, que é do primeiro escalão do governo comunista, usava verbos na condicional para dizer que poderá deixar o PSDB. Deputados estaduais como Sérgio Frota e Marcos Caldas reclamavam de não terem sido ouvidos pela direção nacional.

O fato é que os tucanos de bico duro não quiseram saber de argumentos sobre crescimento do partido graças à aliança com o PCdoB. Filiaram Roberto Rocha ao PSDB e virão, em breve, ao Maranhão para ato simbólico de filiação, e também para dar ao senador o comando do partido no estado.

Na solenidade oficial de filiação ocorrida ontem, em Brasília, tanto Jereissati quanto Geraldo Alckmin, Marcone Pirilo e José Serra deixaram claro que Roberto Rocha é o nome do partido no Maranhão.

Agora resta a Brandão, Evangelista e a todos os demais tucanos apaixonados pelos comunistas esquecerem o “amor” iniciado em 2014 com Flávio Dino ou deixar os quadros do PSDB.

E se escolherem a saída ao desembarque do colo comunista, esses tucanos terão que trilhar um caminho que garanta a eles vitória em seus projetos políticos.

Da coluna Estado Maior, de O Estado do Maranhão

Ida de Roberto Rocha ao PSDB deve esvaziar Carlos Brandão

O possível ingresso do senador Roberto Rocha (PSB) no Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), assegurado pelo membro da executiva nacional da sigla, Sebastião Madeira, deve esvaziar na legenda o vice-governador do estado, Carlos Brandão.

Brandão foi quem assegurou a participação do PSDB na chapa do governador Flávio Dino nas eleições 2014.

Ele conseguiu barrar a ala contrária à aliança e conseguiu se viabilizar como o candidato a vice-governador daquela eleição.

Ocorre que Brandão tem perdido espaços no comando da legenda.

Sebastião Madeira, por exemplo, que pretende disputar uma vaga no Senado da República, discute no âmbito nacional, candidatura própria do partido nas eleições 2018.

O objetivo é assegurar a estrutura do partido ao senador Roberto Rocha, hoje oposição ao governador Flávio Dino.

Sem espaços no PSB, Rocha deve mesmo voltar ao ninho tucano.

E se voltar, será para ser candidato.

Caberá a Carlos Brandão, buscar outro caminho para o pleito do próximo ano…

Planalto barra Brandão na comitiva de Michel Temer que vai à China

Coluna Expresso / Revista Época – Convidado para integrar a comitiva do presidente Michel Temer que viajará à China na semana que vem, o deputado federal José Reinaldo (PSB-MA) bem que tentou arranjar uma carona para o amigo e vice-governador do Maranhão, Carlos Brandão.

Mas não deu certo.

Apesar de pertencer aos quadros do PSDB, partido da base do governo, Brandão é vice de Flávio Dino (PCdoB), crítico do presidente Michel Temer.

Brandão foi barrado na comitiva.

Como não poderá embarcar no avião presidencial, Brandão terá de apelar para voos comerciais com escalas pouco amigáveis. Ele é o principal articulador do governo maranhense nas negociações para a instalação de uma siderúrgica no estado com capital chinês.

Em abril, Brandão foi ao país asiático participar de encontros com empresários chineses.

A vice

Flávio Dino ao lado do vice-governador, Carlos Brandão

O governador Flávio Dino (PCdoB) passou a enfrentar um problema adicional – além da briga por candidaturas a senador – na montagem de sua chapa para as eleições de 2018. A vaga de vice passou a despertar interesse, sobretudo, pelo fato de que o contemplado pode, em caso de reeleição do comunista, assumir em 2022 já com projeto de ser candidato à reeleição.

E por este motivo, nessa briga entram figuras tão reluzentes quanto improváveis, como os prefeitos Edivaldo Júnior (PDT), de São Luís, e Luis Fernando Silva (PSDB), de Ribamar; os deputados federais Weverton Rocha (PDT), Eliziane Gama (PPS) e Waldir Maranhão (PP) – que ora pleiteiam vaga de senador – e até adversários do governador como o senador Roberto Rocha (PSB) e o deputado estadual Eduardo Braide (PMN).

A opção por adversários passou a ser admitida no Palácio dos Leões como medida para minimizar os riscos do pleito de 2018. Os dinistas entendem que, com menor número de candidatos ao governo, maior são as chances de vitória rápida, diante da polarização inevitável.

Mas a articulação não consta somente de chamar um Roberto Rocha ou um Eduardo Braide e abrir-lhes a vaga na chapa. É necessário contemplar aliados com outros espaços e evitar desgastes. Por isso a dificuldade de Flávio Dino no trato das questões envolvendo a montagem de seu palanque. Questões que só devem aumentar à medida que se aproxima a campanha.

Da coluna Estado Maior, de O Estado do Maranhão

Definição no PSDB: Brandão atento aos cenários

O presidente do PSDB no Maranhão, vice-governador do Estado, Carlos Brandão, participou na noite de ontem da reunião ampliada da Executiva Nacional da sigla, que definiu a permanência do partido na base do Governo Federal.

Lideranças nacionais do partido e representantes de todos os estados, participaram do ato.

Atento aos cenários, Brandão defendeu a tese de preservação à boa política. “Tenho acompanhado atentamente as movimentações do meu partido e respeito a decisão nacional, defendendo sempre a política feita com verdade, transparência, respeito às instituições e compromisso com o cidadão e com o país”, reforçou, ao assegurar que vai seguir as determinações que a coletividade partidária definir nacionalmente.

Também participaram do encontro, representantes de bancada, quatro ministros: Aloysio Nunes Ferreira (Relações Exteriores), Bruno Araújo (Cidades), Antônio Imbassahy (Secretaria de Governo) e Luislinda Valois (Direitos Humanos); os governadores de São Paulo, Geraldo Alckmin; de Goiás, Marconi Perillo, e do Pará, Simão Jatene; os prefeitos de São Paulo, João Dóriae e de Manaus, Arthur Virgílio.

 

 

Brandão: “estamos na rota dos investidores”

O vice-governador do Maranhão, Carlos Brandão, assina artigo publicado em jornal local, no último fim de semana, sob o título: “Maranhão na rota dos investidores”, que trata da possiblidade de o Estado receber grandes investimentos internacionais, por causa de suas riquezas naturais e potencial para desenvolvimento.

Independentemente das disputas políticas que começam a ser travadas nos bastidores – para a eleição 2018 -, Brandão segue como articulador de grandes projetos para o estado, atuante na interlocução com investidores. Por isso, também, o tema abordado no artigo.

Abaixo, a íntegra do texto do vice-governador.

Maranhão na rota de investidores

Esta semana tive a oportunidade de, mais uma vez, representar o Maranhão em um evento importante para a captação de investimentos para o estado. Apresentamos nossas potencialidades durante o Fórum de Investimentos Brasil 2017, que aconteceu em São Paulo e reuniu inúmeros investidores brasileiros e de mais 40 países. Um grande momento em que ficou claro a todos que a crise política pela qual o país passa, não afasta o interesse de conglomerados mundiais pela possibilidade de negócios em nossas terras.

Acompanhado dos secretários Simplício Araújo (Indústria e Comércio) e Pierre Januário (Projetos Especiais) e pelo presidente da Emap, Ted Lago, pude observar que o interesse pelo Brasil continua em alta. E nesse contexto em que investidores internacionais se voltam a países emergentes com grandes espaços e economia estável, fizemos muitos contatos que nos criam a expectativa de que, em breve, faremos boas parcerias para o Maranhão. Nosso stand foi bastante visitado e o porto do Itaqui, em especial, chamou muita atenção pela localização, por seu calado, por sua estrutura e pela administração moderna e eficiente implantada em nosso governo.

Por ter um sistema financeiro forte, um enorme mercado interno, recursos naturais, um agronegócio organizado a ser explorado e grande potencial industrial, o Brasil é considerado um destino seguro para investimentos. Tanto que hoje é o sexto maior destino de Investimento Estrangeiro Direto (IED) do mundo. O IED, pode ser visto como a movimentação de capitais internacionais para propósitos específicos de investimento.

Uma prova disso foi a assinatura do fundo Brasil-China, que aconteceu durante o Fórum.

Este fundo, criado para financiar obras de infraestrutura, vai fazer circular U$ 20 bilhões de dólares no país, sendo que U$ 15 bilhões serão disponibilizados pela China. O objetivo é o financiamento de projetos considerados de comum interesse para os dois países. O que é muito bem-vindo, já que os países desenvolvidos possuem portos e aeroportos modernos, enquanto países como o Brasil ainda precisam modernizar suas estruturas. O fundo deve começar a operar já a partir deste mês de junho. E o Maranhão está inserido no processo através dos vários contatos feitos. O certo é que, com nossas potencialidades, nossas riquezas naturais e nossa gestão equilibrada, estamos definitivamente na rota dos investidores.

Carlos Brandão

Vice-Governador do Maranhão

 

 

Carlos Brandão: “vamos aguardar a decisão oficial da executiva nacional”

O presidente estadual do PSDB no Maranhão, vice-governador Carlos Brandão, explicou qual deve ser a postura da sigla em relação às eleições 2018 no estado.

Brandão destacou que o PSDB foi o partido que mais cresceu, de forma proporcional, no país, nas eleições do ano passado e explicou que a legenda aguardará uma decisão da cúpula nacional para movimentar-se em busca de alianças no estado.

“O PSDB maranhense trabalha para cumprir as metas estabelecidas. Assim, fomos o diretório que, proporcionalmente, mais cresceu no país. Entendo que a aliança foi importante para que isso ocorresse. De qualquer forma, vamos aguardar o posicionamento oficial da executiva nacional. Vejo que esse debate sobre alianças, e isso vale para qualquer partido, só deve ocorrer mesmo quando as regras do jogo forem definidas, ou seja, após a discussão sobre a reforma política. O certo é que o PSDB do Maranhão respeitará a decisão da executiva”, disse.

A Reforma Política a que se referiu Brandão, em discussão no Congresso Nacional, pode estabelecer diretrizes que vão atingir o sistema eleitoral do país. Uma das propostas diz respeito ao voto em lista fechada; outra trata do fim das coligações e a última, do fim da figura do vice.

São aspectos decisivos para a definições de alianças…

Flávio Dino destaca reeleição de Brandão no PSDB

Flávio Dino ao lado do vice-governador, Carlos Brandão

O governador Flávio Dino participou, na manhã deste domingo (7), da Convenção Estadual 2017 do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), que reelegeu, por aclamação, o vice-governador Carlos Brandão à presidência do partido. O evento, ocorrido no Rio Poty Hotel, em São Luís, reuniu prefeitos, vereadores e dirigentes da sigla de todas as regiões do Maranhão.

Em seu discurso, Flávio Dino enfatizou a palavra gratidão para se referir ao PSDB e aos dirigentes, sobretudo o presidente Carlos Brandão, na construção da vitoriosa campanha de 2014 e na condução de um Governo pautado na agenda de mudanças para o Maranhão. “Essa é a razão principal da minha presença aqui, agradecer a grande colaboração que o PSDB dá ao nosso Governo, desde a campanha, agora no exercício das funções. Liderado pelo vice-governador Carlos Brandão é um partido fundamental na nossa aliança política”, destacou.

Flávio Dino manifestou o desejo pela continuidade da união entre o PSDB e o PCdoB que, segundo ele, “está fazendo muito bem ao Maranhão”. O governador realçou ainda que o PSDB viveu um grande processo de fortalecimento em todo o estado após as eleições municipais “com o meu apoio e minha solidariedade a esse crescimento”. Sobre a reeleição do vice-governador Carlos Brandão à presidência do partido, ele afirmou que é uma pessoa que ajuda o Maranhão com sua experiência.

“Quem acompanha as funções de Governo sabe que o vice-governador dá uma grande colaboração cotidiana ao Governo. Nos representando em uma série de atividades de enorme importância, a exemplo da captação de investimentos internacionais, reuniões com delegações internacionais, empresas estrangeiras que desejam investir no Maranhão. Tenho certeza que o PSDB vai continuar caminhando nesse rumo de sustentação do processo de mudanças políticas do nosso estado na medida em que nos ajuda bastante a governar”, reiterou Flávio Dino.

Reeleito para o próximo biênio à frente do PSDB, Carlos Brandão disse que terá mais responsabilidade para conduzir o partido “da forma que nós estamos conduzindo. O partido cresceu muito e vai continuar crescendo. E essa parceria com o Governo tem fortalecido o PSDB”. O vice-governador fez questão de ratificar que a união com o Governo foi fundamental para o fortalecimento dos tucanos.

“Nós antes de estarmos alinhados com o PCdoB tínhamos oito prefeitos. Depois da aliança nós aumentamos de oito para 30 prefeitos. Nós tínhamos oito vice-prefeitos. Com a aliança passou para 20 vice-prefeitos. E tivemos 76 candidatos. Portanto, é uma aliança que deu certo”, disse Brandão, explicando que o PSDB está no Governo não só com o vice-governador, mas com Secretaria, e outros cargos contribuindo para um Maranhão melhor.

Informações do Portal Vermelho

Brandão deve ser reeleito presidente em convenção estadual do PSDB

O vice-governador do Maranhão, Carlos Brandão, presidente estadual do PSDB no estado, será reeleito hoje.

Ele comanda chapa única registrada pela sigla e por isso deverá reassumir a presidência do partido pelo próximo biênio.

A convenção acontece desde às 8h no Rio Poty Hotel e se estende até às 12h. Na reunião, os tucanos vão discutir as diretrizes do partido para o próximo biênio, e logo após será realizada a eleição do presidente e demais membros da direção da sigla no Maranhão.

Brandão conduzirá o partido, com o aval da direção nacional, nas eleições 2018.

E o seu objetivo é manter a unidade da sigla para o próximo pleito.

Aspecto que parece ter sido compreendido pelos membros do PSDB no estado…