PF identificou mais de 400 funcionários fantasmas para desvios na Saúde

Viatura da Polícia Federal durante operação na Secretaria de Estado da Saúde Foto: Sidney Pereira/TV Mirante)

Durante as investigações que resultaram na deflagração da Operação Pegadores, a Polícia Federal identificou a criação de cargos fantasmas como modalidade de desvio de recursos públicos da Saúde.

Ao todo, segundo a PF, mais de 400 cargos foram criados com a finalidade de desviar dinheiro que deveria atender aos interesses da população. O esquema foi identificado após apuração sobre o supersalário pago à enfermeira Keilane Silva, em Imperatriz.

“Identificamos cerca de 424 pessoas que foram inseridas nas folhas de pagamento das unidades hospitalares mas que não exerciam suas funções”, disse o delegado Wedson Cajé Lopes.

De acordo com o delegado, os crimes se davam por nomeação de supostos profissionais por indicação política.

“Era um desvio direto de recursos públicos das unidades para estas pessoas”, pontuou.

Perguntado sobre o período em que foram identificados os crimes, o delegado afirmou que todos se tratam da atual gestão.

“Foram crimes cometidos em 2015, em 2016 e que continuam em 2017. Todos na atual gestão”, resumiu.

“[…] A terceira é a desfaçatez, aliada a certeza de impunidade desses fraudadores que, como foi lembrado aqui, estamos na quinta fase da Sermão aos Peixes, e conforme demonstrado nas auditorias até agora realizadas pela CGU, parte dos recursos do Fundo Estadual de Saúde não estão se revestindo em serviços de saúde para a população em função desses desvios. No caso concreto apontado na Operação Pegadores, é a falta de profissionais para atendimento e estrutura condizentes com a necessidade da comunidade. Exemplificando. Cada profissional fantasma e o apadrinhado que recebe indevidamente da Saúde, impede que haja profissional nas unidades hospitalares prestando serviços à população”, disse Francisco Alves Moreira, superintendente da Controladoria Regional da União no Maranhão.

Após repercussão nacional de alguel de clínica secretário irá a Assembleia

O Estado – O secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, fará a prestação de contas do quadrimestre, de sua gestão, amanhã, na Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa do Maranhão.

A informação foi dada pelo deputado Levi Pontes (PCdoB), único parlamentar a utilizar a tribuna da Casa na sessão de ontem. A presença de Lula no Legislativo ocorre uma semana depois de ganhar repercussão nacional, o escândalo do aluguel e reforma do prédio onde funcionou a antiga Clínica Eldorado.

“Nesta quarta feira, às 08h30, estaremos recebendo na Comissão de Saúde o Secretário de Estado da Saúde, doutor Carlos Lula, que fará prestação de contas da sua gestão do quadrimestre e o relatório fiscal. Portanto é uma oportunidade ímpar para que todos os deputados possam fazer as suas interrogações, tirar as suas dúvidas e os seus questionamentos de como anda a saúde pública neste Governo. Fica aqui o nosso convite e dizer da importância da presença de todos”, disse o comunista.

A movimentação da base governista, que agendou a presença de Lula na comissão técnica da Casa, tem por objetivo evitar a convocação do secretário por parte da oposição.

Na semana passada, o deputado Edilázio Júnior (PV) solicitou a planilha de custos do Governo do Maranhão com a reforma do prédio da Clínica Eldorado.

O deputado Wellington do Curso (PP) também protocolou requerimento com a solicitação de todos os gastos com aluguel e reforma do prédio.

Escândalo O escândalo do aluguel e reforma da clínica foi abordado primeiro por O Estado.

Logo depois, ganhou repercussão nacional no Bom Dia Brasil, da TV Globo, e provocou forte debate no Legislativo Estadual.

A reportagem que foi ao ar em rede nacional, do repórter Alex Barbosa, da TV Mirante, mostrou detalhes do contrato de aluguel do imóvel, que já custou cerca de R$ 1 milhão aos cofres públicos no período de um ano, sem que a clínica tivesse sido inaugurada ou qualquer maranhense atendido no local.

Além do aluguel, de R$ 90 mil mensais, o Governo bancou a reforma do prédio, no valor de R$ 903 mil. O objetivo inicial era instalar na unidade uma clínica especializada em atendimento em Traumatologia e Ortopedia.

O prédio está alugado pelo Executivo desde o mês de agosto de 2016.

Depois da repercussão do escândalo, o Governo do Maranhão informou, por meio de nota, que foi mais rápido e barato o aluguel de uma estrutura existente para instalar o HTO; que a unidade deve reduzir a espera dos pacientes por tratamento e que a Clínica Eldorado terá condições de fazer até 400 cirurgias por mês e em 2 anos, 9.600 cirurgias ortopédicas a mais serão realizadas em São Luís.

Saiba Mais

O Estado entrou em contato com o Governo do Estado e perguntou se a presença do secretário na Assembleia Legislativa possui alguma relação com o caso do aluguel da Clínica Eldorado. Perguntou também se a reunião de amanhã tem por objetivo amenizar o desgaste no Governo e evitar uma convocação do secretário por parte da oposição. Até o fechamento desta edição, contudo, não houve respostas.

Deputado esclarece reunião com Lula no Legislativo

O líder do Governo na Assembleia Legislativa, deputado Rogério Cafeteira (PSB), explicou a participação do secretário de Estado da Saúde (SES), Carlos Lula, é protocolar.

Ele rechaçou qualquer ligação entre a presença do secretário e o caso da Clínica Eldorado e disse que trata-se da exposição de um relatório do orçamento.

“Haverá apenas a apresentação do Relatório de Execução Orçamentária. Obrigação legal. Não tem nenhuma relação com a clínica, mas ele se dispõe a debater qualquer assunto”, disse.

Cafeteira afirmou que Carlos Lula tem se dirigido à Assembleia Legislativa regularmente para fazer a prestação de contas.

“Ele tem ido de 4 em 4 meses fazer essa apresentação, que é exigida pela Lei de Responsabilidade Fiscal”, completou.

Rogério Cafeteira deve participar, ao lado dos demais governistas, da reunião da Comissão de Saúde do Legislativo com o secretário Carlos Lula.

Carlos Lula rechaça entregar cargo no Governo

carlos-lulaO secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, negou hoje ao blog do jornalista Jorge Aragão [leia aqui], o boato de que ele estaria disposto a entregar o cargo de primeiro escalão do Governo do Estado.

A “notícia” havia sido dada por blogs que fazem a cobertura política da capital, nas últimas duas semanas.

A Jorge Aragão, Lula rechaçou a possibilidade.

“Continuo na Secretaria de Saúde até o governador Flávio Dino decidir efetuar alguma mudança. Nunca cogitei entregar o cargo, chance zero”, enfatizou.

Carlos Lula, portanto, segue como titular na pasta da Saúde.