Gastos com a Comunicação somam R$ 14 milhões a mais do que o previsto no MA

O Estado – Os gastos do governo Flávio Dino (PCdoB) com comunicação em 2017 ultrapassaram em R$ 14 milhões o valor que previamente estabelecido na Lei Orçamentária Anual (LOA). Os dados levam em conta apenas as despesas da Secretaria de Estado da Comunicação e Assuntos Político (Secap), da gestão comunista, excluídos os gastos de outras pastas com propaganda.

Segundo o Orçamento de 2017 aprovado pela Assembleia Legislativa no fim do ano de 2016, a Secap teria à disposição R$ 58,9 milhões.

Até a tarde de ontem, contudo, o Portal da Transparência do Executivo estadual apontava que a pasta já havia efetuado R$ 72,9 milhões em pagamentos a fornecedores e servidores. Outros R$ 8,5 milhões ainda estão empenhados e podem ser pagos com recursos do orçamento atual, o que faz subir R$ 81,4 milhões o orçamento total da comunicação comunista neste ano.

Os gastos extra da comunicação de Flávio Dino em 2017 podem ser um prenúncio do que pode ocorrer em 2018, ano eleitoral, quando o governador tentará a reeleição. O desrespeito ao orçamento – e a necessidade de suplementações – tem sido uma tônica na atual gestão.

Em 2016, por exemplo, a Lei Orçamentária aprovada pelos deputados um ano antes previa despesas da ordem de R$ 43,8 milhões – o total executado, no entanto, chegou a R$ 66,7 milhões.

Já para 2018, a LOA aprovada na semana passada prevê que Secap terá R$ 61,9 milhões à disposição.

Se levada em consideração a prática recente do Executivo, esse valor deve passar da casa dos R$ 80 milhões, a partir da edição de decretos autorizando créditos suplementares, como já ocorreu nos últimos dois anos.

Intocável – Durante a votação da LOA pela Assembleia Legislativa, o Orçamento para Comunicação mostrou-se intocável.

Uma série de destaques apresentados pela oposição durante a apreciação da proposta, retirando parte do superorçamento da Comunicação para outras áreas, foi barrada pela tropa de choque governista.

O deputado Eduardo Braide (PMN), por exemplo, viu ser rejeitada uma emenda de R$ 5 milhões que deveria ser remanejada da Secap para a conclusão do Hospital do Criança.

“Esse hospital que só serviu para ser utilizado na televisão, para mostrar e enganar o povo da capital do Estado que ele seria entregue no final do ano passado. Um ano se passou e nada aconteceu em relação ao Hospital da Criança. Tivemos a oportunidade de corrigir essa injustiça quando destinamos R$ 5 milhões, que seriam utilizados na propaganda enganosa do Governo do Estado no ano que vem, para o Hospital da Criança. Mas, infelizmente, o governo mandou e a base acabou rejeitando essa emenda”, destacou.

Outra emenda, de R$ 1,8 milhão, para Unidade de Segurança Cidadã de Timon, também foi vetada. Novamente, o recurso sairia da comunicação.

Já o deputado Wellington do Curso (PP), propôs uma redução de R$ 20 milhões no orçamento da pasta de comunicação. Todas as emendas do progressista, no entanto, foram rejeitadas. Algumas delas, que totalizavam R$ 6 milhões, garantiriam reforço ao orçamento da Secretaria de Estado da Mulher.

O parlamentar ainda tentou mandar R$ 2 milhões para a Secretaria de Estado da Cultura e Turismo (Sectur) e outros R$ 10 milhões para a Secretaria de Estado do Esporte e Lazer (Sedel).

Governo mira 2018 ao ampliar gastos com comunicação

Imagem meramente ilustrativa

O Estado – O orçamento da comunicação comunista para o ano que vem é R$ 15 milhões maior que o de 2016. No ano passado a lei aprovada pelos deputados maranhenses apontava para uma estimativa der gasto de 43,8 milhões com essa rubrica.

Mesmo que se considere que a atual Secap nasceu da união entre a antiga Secom e a extinta Secretaria de Assuntos Políticos e Federativos (Seap) – esta com previsão de receita de R$ 6,7 milhões para 2016 -, o orçamento de 2017 ainda é muito maior que o atual, que seria de R$ 50,5 milhões, se somadas as receitas das duas pastas, de acordo com a LOA 2016.

Segundo deputados de oposição, o objetivo do aumento é eleitoral. Uma alteração feita à Lei das Eleições no ano passado estabeleceu que, no primeiro semestre de todo ano eleitoral – no caso da gestão comunista o foco é 2018 -, os gastos dos governos “com publicidade dos órgãos públicos” não podem exceder “a média dos gastos no primeiro semestre dos três últimos anos que antecedem o pleito”.

Por isso a união das pastas, como forma de garantir uma estrutura mais robusta e, ainda, orçamento mais inchado em 2017. Assim, garante-se uma média maior de gastos em comunicação, permitindo o uso de verba satisfatória no primeiro semestre do ano em que Flávio Dino buscará a reeleição.

Flávio Dino vai investir R$ 15 milhões a mais na pasta de Comunicação em 2017

fdsfdsf

Marcio Jerry é quem comanda a pasta

O Estado – A Proposta de Lei Orçamentária Anual (PLOA) do Governo do Maranhão para o exercício financeiro de 2017 – encaminhada há pouco mais de duas semanas à Assembleia Legislativa – prevê aumento de mais de R$ 15 milhões das despesas com Comunicação Social.

Em 2016, a lei aprovada pelo deputados maranhenses apontava para uma estimativa der gasto de 43,8 milhões com essa rubrica.

Já para o ano que vem a expectativa do Executivo é destinar 58,9 milhões à Secretaria de Estado da Comunicação Social e Assuntos Políticos (Secap), comandada pelo secretário Márcio Jerry (PCdoB), considerado o braço direito do governador Flávio Dino (PCdoB).

Especificamente para a gestão da pasta está previsto orçamento de R$ 20,4 milhões no ano que vem (são apenas R$ 7,2 milhões neste ano). Para “divulgação de ações governamentais” serão mais de R$ 23,5 milhões.

Mesmo que se considere que a atual Secap surgiu da união entre a antiga Secom e a extinta Secretaria de Assuntos Políticos e Federativos (Seap) – esta com previsão de receita de R$ 6,7 milhões para 2016 -, o orçamento de 2017 ainda é muito maior que o atual, que seria de R$ 50,5 milhões, se somadas as receitas das duas pastas, de acordo com a LOA 2016.

Aditivo – Um dos objetivos do aporte de recursos é a divulgação da gestão comunista na imprensa nacional. Para isso, já existe um contrato em vigor, que foi prorrogado por mais um ano, no final do mês de setembro, pela Secap.

A empresa contratada é a Informe Comunicação Integrada Ltda., responsável por cuidar da imagem do governador Flávio Dino (PCdoB) na mídia nacional.

O valor global do contrato é de R$ 6 milhões, e até a data do aditivo, segundo dados do Portal da Transparência, haviam sido pagos R$ 2,9 milhões.

Já no dia 11 de outubro, após a renovação, a Secap desembolsou outros R$ 192 mil, perfazendo um total de R$ 3,1 nilhões apenas em 2016. A empresa é comandada por Rebeca Scatrut, esposa do jornalista Ricardo Noblat.

MAIS

Na Assembleia Legislativa, a Proposta de Lei Orçamentária Anual de 2017 deve ser relatado pelo deputado Vinícius Louro (PR), presidente da Comissão de Orçamento, Finanças, Fiscalização e Controle da Casa.

Diário de S. Paulo aponta cegueira do MP para contrato milionário de Flávio Dino

Do blog do Leandro Mazzini, no Diário de S. Paulo

Cegueira camarada

Em lua de mel com o governador Flávio Dino (PCdoB), o Ministério Público do Maranhão fecha os olhos para o contrato de assessoria de imprensa e gestão de imagem de R$ 6 milhões, para um ano de serviços, contratado do Grupo Informe, de Brasília, via licitação. Daí? Daí que a então governadora Roseana Sarney pagou R$ 1,32 milhão pelo mesmo serviço e período para a CDN Comunicação.

Bunkers

O contrato de Roseana com a CDN – agência maior e mais conhecida nacionalmente que a atual – foi divulgado no Diário Oficial do Maranhão dia 8 de agosto de 2014. Detalhe: Roseana dispunha e Dino mantém equipe de assessores no Palácio dos Leões.

Informação foi primeiro repercutida no Maranhão pelo blog do Gilberto Léda 

Andrea Murad questiona ‘gasto duplo’ do Governo com assessoria de imprensa

ANDREA MURAD 220216A deputada estadual Andrea Murad (PMDB) saiu mais uma vez em defesa da saúde pública do Maranhão e questionou a postura do governo que pouco tem investido no setor enquanto gasta, ao mesmo tempo, com a contratação de uma empresa de comunicação para melhorar a imagem de Flávio Dino. Dino conta com a equipe de jornalistas do Palácio dos Leões, e com dispõe também de outra assessoria, contratada por R$ 6 milhões.

“O Governador não estar nem aí para a população. Cortou mais de 78% dos recursos de combate a dengue. Faz corte nas áreas essenciais, como a saúde do povo, mas tem dinheiro para promover a sua imagem pessoal. O mais engraçado é que ele quer promover o governo e não tem resultado algum com o trabalho. Todos viram hoje no Blog Coluna Esplanada do UOL o tipo de imagem nacional que Flávio Dino quer mostrar. Uma mentira! Basta vir ao Maranhão, basta acompanhar o sucateamento da rede hospitalar do Estado, basta ver todas as áreas do governo, a ineficiência do governador, a incompetência do governador, mas ele tem dinheiro para gastar seis milhões vendendo uma imagem mentirosa de um governo incompetente, corrupto, fraudulento e que só sabe fazer miséria com a vida do povo”, disse a parlamentar.

O assunto repercutiu após um site nacional de notícias comentar sobre os gastos que o Governo do Maranhão vai fazer para divulgar a imagem pessoal do governador Flávio Dino. Para a deputada, o gasto de R$ 6 Milhões deveriam ser revertidos em investimentos para a saúde do Maranhão ou intervir em municípios como São Luís, onde Socorrões encontram-se um caos.

“Os Socorrões em São Luís estão um caos, hoje mesmo uma manifestação dos médicos pedindo socorro. É desse tipo de administração que o governador Flávio Dino gosta. É com esse tipo de administração que o governador Flávio Dino compactua. Até hoje não deram um jeito no Socorrão, por quê? Por que o governador Flávio Dino não interviu no Socorrão como fez na época o então secretário Ricardo Murad quando interviu na gestão João Castelo? Porque não está nem aí para a saúde do povo. Se as UPAS do Estado ele está acabando, se o Hospital Carlos Macieira, que era referência, o Hospital Geral, ele está conseguindo acabar, os hospitais dos municípios que ele sequer inaugura. Mas gasta R$ 6 Milhões para promover a imagem de um governo que não existe”, finalizou a parlamentar.

Edivaldo critica a Comunicação da Prefeitura de São Luís: “Nunca prestou”

Edivaldo criticou a Comunicação da Prefeitura

Edivaldo criticou a Comunicação da Prefeitura

O deputado estadual Edivaldo Holanda Braga (PTC), pai do prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PTC), criticou a Comunicação da Prefeitura de São Luís, após a divulgação do resultado da pesquisa Escutec, que mostra o petecista em desvantagem na corrida eleitoral.

As críticas ocorreram na manhã de hoje a jornalistas e blogueiros, no fim da sessão ordinária. Para o deputado, Edivaldo Júnior tem feito um bom trabalho. O que falta, segundo ele, é uma boa comunicação.

“Um ano e meio para a recuperação da imagem. Acho que a comunicação nunca prestou. A comunicação da Prefeitura nunca foi boa, continua sem ser boa. Governo não aparece sem comunicação”, reclamou o deputado.

Edivaldo afirmou que o resultado da pesquisa Escutec, que mostra larga vantagem da deputada federal Eliziane Gama (PPS) numa eventual disputa pela Prefeitura de São Luís e que também atesta Edivaldo Júnior ameaçado por outros possíveis adversários como Luis Fernando Silva (PSDB) e a ex-governadora Roseana Sarney (PMDB) – apesar de ela jamais ter falado em candidatura -, serve de alerta para o prefeito.

“Acredito que a pesquisa serve como um alerta, também, para que o prefeito possa cuidar da comunicação, porque cuidar da cidade ele já está cuidando”, finalizou.

Morre o jornalista Leonardo Monteiro

Leonardo lutava contra o câncer

Leonardo lutava contra o câncer

Morrreu na tarde de ontem em São Luís, o presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais de São Luís, Leonardo Monteiro.

Ele estava internado em estado grave desde quinta-feira na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital de Alta Complexidade Carlos Macieira. Monteiro lutava contra um câncer de próstata e já havia sido submetido a cirurgia no Hospital Aldenora Bello.

Funcionário público aposentado, Leonardo Monteiro presidia sob polêmicas o Sindicato dos Jornalistas Profissionais de São Luís desde a década de 1990. O sindicato chegou a ter a filiação na Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) suspensa. Mesmo assim, ele continuou no comando da entidade.

O corpo do jornalista está sendo velado na central da Pax União, no Centro e o sepultamento ocorrerá às 15h de hoje, no cemitério Jardim da Paz, na Estrada de Ribamar.

 

De como Márcio Jerry é nocivo ao governo Holandinha…

Do blog de Marco D’Eça – Nem mesmo a cúpula da administração Edivaldo Holanda Júnior (PTC) tem mais dúvidas do prejuízo que o secretário de Comunicação Márcio Jerry (PCdoB) causa para o prefeito.

Edivaldo comete erro e empossa Marcio Jerry

Edivaldo comete erro e empossa Marcio Jerry

Incompetente na gestão da comunicação institucional, Jerry faz questão de mostrar que está ali não por Holandinha, mas pelos interesses do PCdoB e de seu patrono, Flávio Dino. Dane-se a prefeitura; dane-se os aliados do prefeito.

O exemplo mais recente desta nocividade é o caso envolvendo Felipe Camarão na Secretaria de Urbanismo.
O grupo mais próximo de Edivaldo Holanda Júnior tem convicção de que Márcio Jerry agiu para queimar Camarão e forçar a sua saída da Semurh, atendendo aos interesses políticos dos comunistas.
Jerry não tinha mais necessidade alguma de divulgar a nota – que aliás, havia sido pedida dois dias antes pelo jornal O EstadoMaranhão – e só o fez para que o assunto não saísse da mídia, como queriam o prefeito e os seus aliados mais próximos.
Além da nota, o secretário fez questão de continuar comentando o caso a tarde inteira de ontem no Twitter, provocando a equipe do jornal, como se quisesse forçar para que a matéria sobre Felipe fosse publicada.
E só não conseguiu seu intento por causa da serenidade da equipe do jornal, que já havia percebido sua intenção de forçar um escândalo contra Felipe Camarão.
Tudo começou ainda na segunda-feira.
De posse da informação de que a Advocacia-Geral da União não havia liberado Felipe Camarão para assumir a Semurh, o jornalista Ronaldo Rocha entrou em contato com o próprio. Camarão confirmou a pendência com a AGU e disse que, apesar de nomeado, teve o ato tornado sem efeito até que fosse resolvida a pendência.
Mas Ronaldo Rocha conversou também com Márcio Jerry.
O titular da Seconzinha reafirmou que Camarão era o secretário sim! Ronaldo Rocha então revelou a ele que o próprio Felipe havia dito que não era secretário. Jerry ficou alguns segundos em silêncio e disse que iria responder por escrito, desligando imediatamente o telefone.
Numa conversa com o próprio Felipe Camarão, o titular deste blog, que é editor de política de O Estado Maranhão, avaliou a situação e entendeu que a matéria não tinha razão de ser, decidindo não publicá-la.
O assunto já havia sido esquecido quando, ontem à tarde, Márcio Jerry divulgou uma nota oficial da Seconzinha admitindo o que ele mesmo havia negado dois dias antes: que Felipe Camarão, diante da pendência com a AGU, apesar de ter sido empossado, nunca foi efetivado no comando da Semurh.
Diante da nova revelação, o titular deste blog orientou sua equipe a apurar o caso.
Os jornalistas encontraram documentos e atos do Diário Oficial do Município que embasavam uma reportagem mais ampla.
Em conversa com o próprio Felipe e com outros secretários da cúpula do governo Holandinha, a jornalista Carla Lima percebeu a surpresa destes com a divulgação da nota. Segundo eles, Márcio Jerry já havia sido orientado a não mais tratar o assunto.
Ao que tudo indica – segundo os próprios holandistas – o lugar-tenente do comunismo maranhense decidiu divulgar uma nota que havia negado dois dias antes apenas para que o caso voltasse à mídia, criando mais constrangimento para o desafeto Felipe Camarão.
Mesmo assim, a equipe do titular deste blog decidiu não mais abordar o caso.
Felipe Camarão soube disso, Eivaldo Júnior soube disso, mas Márcio Jerry não. E, como um tolo, passou a a espernear contra a equipe do jornal O EstadoMaranhão na rede social Twitter.
Foram diversos tuítes, com agressões até pessoais contra jornalistas, numa tentativa de criar uma prevenção a uma eventual reportagem sobre o assunto.
As agressões só arrefeceram quando o também membro da equipe de política de O Estado, Gilberto Léda, encaminhou imagens de documentos a Jerry, com a pergunta: “tu conheces esta assinatura? Se conhece, para de ficar falando bobagem no twitter”.
O documento, em poder dos jornalistas, comprova pelo menos uma mentira na nota emitida por Márcio Jerry.
As tuitadas do secretário imediatamente chegaram ao conhecimento do próprio prefeito, de Felipe Camarão, outros auxiliares da administração e até do ex-deputado Edivaldo Holanda, que já havia advertido o secretário de Comunicação do excesso de participação na internet.
Os membros do governo não tiveram dúvidas da intenção do comunista em criar embaraços para aqueles que atrapalham o plano do seu partido dentro da prefeitura.
E já sabem do quão nocivo Márcio jerry é para a administração Holandinha.
Mas não foi por falta de aviso…