Privilégios? Governo aluga prédio de membro do PCdoB para instalar Funac

O governador Flávio Dino (PCdoB) alugou prédio no bairro Aurora para a instalação da Fundação da Criança e do Adolescente (Funac), com dispensa de licitação – diga-se de passagem -, que pertence a um membro do PCdoB: Trata-se de Jean Carlos Oliveira.

O valor mensal do aluguel para o comunista é de R$ 12 mil. A informação foi dada em primeira mão pelo jornalista Daniel Matos, chefe de reportagem de O Estado.

Jean Carlos, segundo a denúncia do blogueiro, recebe pela locação do prédio desde o mês de julho de 2016. Ele apresentou resenha de empenho e planilhas que comprovam as transações.

Desde o mês passado a vereadora Rose Sales (PMB) tem se manifestado nas redes sociais contra a instalação da unidade da Funac no bairro da Aurora.

Ela chegou a denunciar um episódio lamentável envolvendo o governador Flávio Dino, sobre o tema [reveja aqui].

Na manhã de hoje o jornalista Jorge Aragão [leia aqui] mostrou destempero de Marcio Jerry (PCdoB), secretário de Estado da Comunicação e Assuntos Políticos, contra a vereadora Rose Sales. Jerry chegou a afirmar que Sales estaria “comandando depredação de prédio para evitar adoção de medidas sócio-educativas”.

Agora, sabe-se o por que o destempero de Jerry.

Privilégios?

Flávio Dino diz à imprensa nacional que elegeu 217 prefeitos no estado

flaviodino

Atualização às 15h50

O autor da entrevista, Renato Rovai, corrigiu o próprio texto.

Onde se lia “Somando PCdoB e aliados, são 217. Do PCdoB são 46”, agora se lê “Elegemos 153, somando PCdoB e aliados. São 217 ao todo. Do PCdoB são 46”.

Registro e correções feitos também pelo Blog do Ronaldo Rocha.

Leia também:

_______ Edilázio: “Flávio Dino deixou rastro de derrotas nas eleições 2016” 

_______ Flávio Dino acumula derrotas nas eleições 2016

Flávio Dino cada vez mais próximo de Temer

flaviodinoO governador Flávio Dino (PCdoB), que tanto defendeu a presidente da República afastada Dilma Rousseff (PT), passou a se afastar da petista e aproximar-se do presidente Michel Temer (PMDB), a medida que o julgamento do processo de impeachment chega a parte final.

Além de tentar estreitar as relações com Temer, como mostrou a coluna Radar On Line, da Revista Veja [reveja aqui], o comunista agora quer uma “vaguinha” na comitiva que vai à China.

Foi o que mostrou o jornalista Gilberto Léda, no texto “Flávio Dino tenta vaguinha na comitiva de Temer à China” [leia a íntegra aqui].

Dino quer aproveitar a agenda para tratar com investidores da WTorre, a instalação de um empreendimento portuário em São Luís. Para isso, aposta na forte ligação dos empresários com o PMDB para alcançar êxito na agenda.

Resta saber se Temer vai ceder a “vaguinha” ao comunista…

Ministério Público na mira da patrulha comunista

Após o Ministério Público ter recomendado ao Governo do Estado que submeta os candidatos ao cargo de professor da rede estadual de educação a nova prova após a constatação de plágio em 25 questões do certame realizado pela Fundação Sousândrade, a mídia alinhada ao Palácio dos Leões, começou a patrulhar e confrontar o MP.

A patrulha comunista agora lança a informação de que o último concurso público realizado pelo Ministério Público teve 8 questões plagiadas e mesmo assim, não foi anulado, como cobra agora que o Governo faça com o concurso dos professores.

Na Assembleia Legislativa, o líder do Governo na Casa, deputado Rogério Cafeteira (PSC) lembrou do caso e disse que há jurisprudência que sustente a decisão do governador de homologar o resultado e convocar os aprovados para que assumam os seus cargos.

Resta saber agora como se comportará o Ministério Público, que ontem foi humilhado pelo Executivo…

Quem é Dino? Questiona Reinaldo Azevedo

Dilma Rousseff ao lado de Flávio Dino em São Luís / imagem Gilberto Léda

Dilma Rousseff ao lado de Flávio Dino em São Luís / imagem Gilberto Léda

O colunista Reinaldo Azevedo fez uma crítica lúcida e pertinente a respeito do oportunismo e da incoerência política do midiático governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB).

Dino acompanhou a presidente da República Dilma Rousseff (PT) na tarde de hoje na entrega de unidades habitacionais do Minha Casa, Minha Vida e na inauguração do Terminal de Grãos do Maranhão (Tegram), situado no Porto do Itaqui.

A crítica a Dino tomou como base o posicionamento que tem sido adotado pelo comunista – de momento, diga-se de passagem -, à manutenção do mandato da presidente petista. Por outro lado, Azevedo mostra que foram inúmeras as vezes que Dino tentou na Justiça, cassar mandatos de adversários ou tornar nulas eleições. Incoerência é pouca para o comunista:

Golpe é tentar impedir que os Poderes da República exerçam suas prerrogativas constitucionais. De resto, quem é Dino para falar? Recomendo uma breve pesquisa no Google. Coloquem lá na área de busca as seguintes palavras, sem vírgulas e sem aspas: “Flávio Dino grupo Sarney recorreu Justiça”. Vocês verão quantas vezes este senhor apelou a instâncias legais para tentar cassar mandatos ou eleições de seus adversários locais, ligados à família Sarney ou pertencentes à própria.

Dino é oriundo da escola de pensamento do PCdoB: o que serve a seu grupo e a seu projeto de poder traduz a redenção popular; o que não serve é golpe. Essa conversa das esquerdas já não seduz mais ninguém, a não ser meia dúzia de colunistas cujas máscaras caíram de forma irremediável. Dilma tem de prestar contas à democracia, não à ditadura”, destaca trecho do texto.

Dino poderia ter ficado sem essa…

Leia a íntegra do texto do colunista Reinaldo Azevedo aqui ______

Flávio Dino segue sem assumir as suas responsabilidades no Governo

 dino-e1428409349125-300x237O governador Flávio Dino (PCdoB), parece ainda perdido no cargo que exerce. Pior que isso, não assume as suas responsabilidades e tenta transferir todas as falhas de sua gestão ao governo anterior.

No dia de sua posse, no Palácio dos Leões, Flávio afirmou em alto e som que o Maranhão não mais voltaria a ser manchete negativa no âmbito nacional.

Pois bem, em menos de seis meses já foram inúmeras as manchetes negativas. Primeiro, a farra de nomeações de parentes de aliados nos primeiro e segundo escalões do Governo do Estado. Em relação a isso, quem não lembra, ele disse que não poderia “impedir o amor”. Patético.

A mais recente teve como mote o resgate de presos de Justiça do Complexo Penitenciário de Pedrinhas, o que somente atestou a falta de competência da Administração Penitenciária, comandada pelo mineiro Murilo Andrade.

Mas esse não é o maior problema. O maranhense é ciente de que Flávio Dino não seria capaz de resolver tudo no estado de uma hora para outra, como num passe de mágica, apesar de ele ter vendido essa imagem. O pior, é a tentativa de lançar sobre a “oligarquia”, todas as suas falhas.

Não foi o governo anterior quem nomeou parentes de aliados a partir do dia 1 de janeiro deste ano.

Também não foi a gestão passada, que permitiu, mesmo sob monitoramento, o resgaste cinematográfico de presos do maior complexo penitenciário do estado.

Mas Flávio parece só querer olhar para trás. Engatou a marcha ré como bem salientou o ex-presidente da República Jose Sarney.

Dino sabe fazer política. Tem uma postura até elogiável na frente das câmeras. Sabe “vender” a sua imagem.

Mas administrar que é bom…

O abismo entre o discuso e a prática de Flávio Dino

Flávio Dino mesmo antes de assumir, já tenta censurar jornalistas

Flávio Dino mesmo antes de assumir, já tenta censurar jornalistas

Em recente entrevista ao programa Roda Viva, da TV Cultura, o governador eleito Flávio Dino (PCdoB) afirmou com todas as letras ser “contrário” a “qualquer tipo de controle de conteúdo” na mídia.

Há, no entanto, um verdadeiro abismo em relação ao discurso do comunista e a prática, que é justamente a de tentar censurar jornalistas e assim deter o controle de mídias.

Mesmo depois de eleito, Flávio recorreu à Justiça – expediente que extrapolou até o limite do bom senso, durante o período eleitoral -, e ajuizou ação de indenização por danos morais contra o jornalista Daniel Matos, pela publicação de um texto opinativo em seu blog. Além da indenização, Dino pedia que a postagem fosse retirada do ar.

Felizmente a ação do comunista não prosperou e foi indeferida.

A matéria em questão tinha como título “’Com serviços prestados’ à campanha de Flávio Dino, César Bombeiro mira a Sejap”. No texto, Matos mostrou toda a movimentação de Bombeiro para ser nomeado na pasta, algo que nem deu certo, uma vez que o comunista confirmou o bacharel em Direito Murilo Andrade, com larga experiência em Minas Gerais.

Não havia nada demais no texto, a não ser a crítica, que Dino tanto tenta evitar no campo das ideais, e barrar na Justiça. Tanto que na decisão, o juiz Silvio Suzart dos Santos, da 11ª Vara Cível da capital, negou os pedidos de Dino.

“É bem de ver que a publicação hostilizada e acima transcrita não ultrapassa a crítica jornalística, tendo o réu se limitado a externar sua opinião a respeito de possíveis pretensões de terceiro de ocupar cargo no futuro governo […] Nada que possa, portanto, ser considerado danoso ou propriamente ofensivo contra a honra e a dignidade do autor”, sentenciou.

Flávio Dino, q ue ingressou com dezenas de ações na Justiça Eleitoral durante a campanha, mesmo antes de assumir, já dá clara demonstração de como pretende agir nos próximos quatro anos, quando confrontado no campo das ideias.

Mas  mídia não se curvará a ele…

Clima é de tensão no PCdoB…

Flávio Dino tentou barrar pesquisa

Flávio Dino tentou barrar pesquisa

É de tensão o clima no seio oposicionista por causa do inegável avanço do senador e pré-candidato ao Governo do Estado pelo PMDB, Lobão Filho.

Na tarde e noite de ontem, comunistas insistiam em pressionar por meio de telefone ou via SMS, alguns dos jornalistas de O Imparcial, veículo que divulgou o resultado da pesquisa de intenções A de votos Econométrica. Por causa de uma decisão da Justiça Eleitoral, o blog não poderá citar os números.

A cúpula do partido conseguiu uma liminar na noite de ontem, que suspendia a divulgação da pesquisa, alegando que a lista com os nomes dos bairros dos municípios onde o levantamento de dados foi feito, não havia sido disponibilizada.

Sob o argumento de que não foi notificado e sem qualquer tipo de questionamento aos dados ou método utilizado na pesquisa, O Imparcial divulgou o levantamento, considerado desastroso pelo PCdoB.

O setor jurídico já se mobiliza e deverá acionar o jornalista responsável por crime eleitoral. O PCdoB também exigirá a condenação do matutino ao pagamento de multa.

Flávio Dino tem recorrido à Justiça para censurar jornalistas e veículos de comunicação até por textos opinativos publicados. São várias as ações que tramitam na Justiça Eleitoral impetradas pelo PCdoB.

Demonstração talvez de desespero, que parece somente aumentar com o passar dos dias. Demonstração de despreparo diante de um posicionamento contrário ao seu. Demonstração também de que aquela empolgação e o clima de já ganhou – quem não lembra da contagem regressiva para a “libertação do Maranhão” -, já não existem mais.

Não sabe o que diz

Flávio Dino não sabe o que diz

Flávio Dino não sabe o que diz sobre  o estado

Quem leu a entrevista do comunista Flávio Dino publicada domingo em O Imparcial ficou com a impressão de que ele está desconectado da realidade do Maranhão atual, pois demonstra que sabe muito pouco do que é o estado e como fazer para desenvolvê-lo. Ex-juiz federal e ex-deputado federal de um só mandato, tendo como única experiência executiva três anos na presidência da Embratur – um instituto cuja única função é promover o potencial turístico do Brasil no exterior -, Dino fala como se já estivesse cacifado para cuidar de um estado como o Maranhão.

Todos os itens que “pretende” desenvolver estão sendo desenvolvidos pelo governo comandado por Roseana Sarney (PMDB). Fala de turismo, quando o governo já implantou o Plano Maior e conta com a parceria do Ministério do Turismo. Fala que vai melhorar a educação, quando o atual governo já implantou o Estatuto do Professor, que poucos estados adotaram.

Promete valorizar seus “colegas” servidores, que hoje já recebem tratamento correto do atual governo. Diz que formará mais médicos, mas se vier a fazê-lo utilizará as escolas de Medicina conseguidas pela UFMA para Caxias, Pinheiro, Bacabal e Imperatriz, com o apoio total da governadora Roseana Sarney. E por aí vai.

No item economia, o comunista se enrola todo, falando em “consolidar o que já existe” e chega ao fim da resposta sem que ninguém entenda claramente o que pretende, pois parece desprezar grandes investimentos, como o da Suzano, por exemplo, que está mudando a Região Tocantina. Fala de uma “nova política industrial”, baseada “no adensamento das cadeias produtivas de grãos, pecuária, alumínio, ferro, cimento”, etc, itens já consolidados na economia maranhense.

Mas não tem nenhuma palavra sobre, por exemplo, celulose, ouro, energia e gás natural. Ou seja, o Maranhão econômico de Flávio Dino é o de hoje, sem os seus mais novos e importantes itens.

Finalmente, diz que vai “captar” mais recursos federais “via transferências voluntárias”. Se sabe mesmo onde estão esses recursos, por que não foi buscá-los para os prefeitos e para o Governo do Estado? O que o impede de deixar a arrogância de lado e canalizar esses recursos para a Prefeitura de São Luís, por exemplo? Se não o faz, assume um egoísmo nada saudável para um político. Mas tudo indica tratar-se de um blefe.

Da coluna Estado Maior, de O Estado do Maranhão