Deputado cobra rigor nas investigações de crime contra professor

WellingtonO deputado estadual Wellington do Curso (PPS) utilizou a tribuna da Assembleia Legislativa, na manhã desta quinta-feira (18), para cobrar do secretário de Estado da Segurança Pública, Jefferson Portela, celeridade nas investigações do crime ocorrido na noite da última quarta-feira (17), em Coroatá, contra um jovem professor de Matemática, que foi assassinado dentro de casa.

Ao relatar o fato, o parlamentar externou sua preocupação com a Segurança Pública no Estado devido aos constantes crimes que vêm acontecendo e não foram solucionados, o que, segundo ele, favorece a impunidade e estimula o aumento da violência.

“Hoje é um dia de luto para a Educação do Maranhão, especificamente na cidade de Coroatá. Ontem, por volta das 22h30min, no bairro Trizidela, localizado na cidade de Coroatá, o jovem professor, Leonel Pereira, foi atingido com um tiro no peito, após reagir a um assalto por dois suspeitos dentro de sua casa. Em defesa da vida e da justiça, solicitamos ao secretário Jefferson Portela celeridade e atenção ao caso, e que cobre do delegado de Coroatá, empenho nas investigações para que possa colocar na cadeia, o mais rápido possível, o assassino do jovem Leonel. Pedimos o empenho do secretário de Segurança Pública para averiguação e investigação dessa morte, pois, caso não ocorra, isso favorecerá a impunidade e, consequentemente, aumentará os atos de violência”, argumentou o parlamentar, ao fazer referência ao assassinato do jovem blogueiro, Ítalo Diniz, que completou três meses e ainda não foi solucionado, no município de Governador Nunes Freire.

Flávio Dino será cobrado na Justiça por convênios não pagos

Murad afirmou que Coroatá recorrerá á Justiça

Murad afirmou que Coroatá recorrerá á Justiça

O ex-deputado estadual Ricardo Murad (PMDB) anunciou ontem, por meio de seu perfil, no facebook, que a Prefeitura de Coroatá ingressará com ação na Justiça Estadual contra o Governo, para receber os convênios firmados na gestão passada, que já estavam com recursos assegurados, mas que não foram pagos pelo governador Flávio Dino (PCdoB).

Murad critica o atual presidente da Famem, Gil Cutrim (PDT), prefeito de São José de Ribamar, por ceder ao Governo e não ter cobrado, até o momento, na Justiça, o pagamento dos convênios aos municípios.

“O Gil tem medo de enfrentar o governador em defesa dos prefeitos que estão prejudicados com obras paradas e empresas cobrando por serviços realizados. Também pudera!!! Depois que o pai foi pilhado na trairagem na eleição (fazendo “transfusão” como disse), não terão onde se acomodar se o Flávio resolver chutá-los para bem distante”, disse.

Ele afirmou que a Prefeitura de Coroatá deixou a Famem e explicou o motivo pelo qual o município buscará na Justiça o pagamento dos convênios.

“Todos deveriam fazer o mesmo e antes do encerramento dos respectivos prazos de vigência de seus convênios. E atenção. Não se esqueçam da Súmula 230 do TCU, cuja inteligência pode ser transplantada para essa situação: É co-responsável o prefeito, mesmo não sendo o responsável pelo ato danoso, que não adote as medidas legais visando ao resguardo do patrimônio público. Depois, quando virarem réus nas inúmeras ações questionando as milhares de obras inacabadas, não digam que não avisei”, finalizou.