Pesquisa DataM coloca vantagem de 12 pontos para Edivaldo

A pesquisa de intenções de votos do Instituto Data M, divulgada hoje, coloca Edivaldo Holanda Junior, com 12,1 pontos à frente do candidato do PMN, Eduardo Braide.

Na pesquisa estimulada, onde são apresentados os nomes dos candidatos ao eleitor, Edivaldo está com 54,7% de intenções de voto e Eduardo Braide com 42,6%. 1,5% disseram que não votariam em nenhum dos candidatos e 1,2% não sabem ou não responderam.

A pesquisa foi encomendado pela Rádio/ TV Difusora e Sindicato das Indústrias da Construção Civil do Estado do Maranhão/ Sinduscon, e registrado na Justiça Eleitoral sob o protocolo MA­09325/2016.

DataM inverte cenário e aponta vantagem de Edivaldo sobre Braide

A pesquisa DataM de intenções de votos inverteu o cenário apontado pelos instituto Escutec e Ibope e colocou o candidato Edivaldo Holanda Júnior (PDT) em vantagem sobre o seu adversário, Eduardo Braide (PMN), em São Luís.

Na pesquisa, registrada na Justiça Eleitoral sob o protocolo MA-02401/2016, Edivaldo aparece com 53,7% da preferência do eleitorado, contra 42,7% de Eduardo Braide. São exatos 11 pontos percentuais de vantagem.

Neste mesmo cenário, apenas 1,6% dos eleitores disseram que votariam em nenhum dos candidatos ou não responderam ao levantamento.

A pesquisa foi contratada pela TV Difusora e pelo Sindicato das Indústrias da Construção Civil do Estado do Maranhão/Sinduscon e ouviu 800 eleitores entre os dias 10 e 12 deste mês. A margem de erro é de 3,1 pontos percentuais para mais ou para menos.

DataM aponta vitória de Edivaldo no primeiro turno

datamA pesquisa DataM de intenções de votos, registrada na Justiça Eleitoral sob o protocolo MA-01065 e divulgada hoje, aponta vitória de Edivaldo Holanda Júnior (PDT) no primeiro turno das eleições 2016.

No levantamento, Edivaldo aparece com 47,1% das intenções de votos; contra 25,7% de Wellington do Curso (PP); 3,7% de Eliziane Gama (PPS); 2,6% de Eduardo Braide (PMN); 1,4% de Fábio Câmara (PMDB);  1,1% de Cláudia Durans (PSTU); 0,6% de Rose Sales; 0,2% de Valdeny Barros (PSOL) e 0,1% de Zeluis Lago (PPL). Apontaram “nenhum deles”, 8,9% dos entrevistados e não souberam ou não responderam, 8,7%.

Simulação – Na simulação de cenário da pesquisa estimulada apenas em votos válidos, o que acontece nas eleições, ou seja, descartando-se nulos e brancos, Edivaldo teria 57,1% dos votos válidos e seria eleito no 1º Turno. Wellington chegaria a 31,2% e Eliziane somaria apenas 4,5%.

A pesquisa DataM ouviu 1 mil eleitores entre os dias 20 e 22 de setembro, possui nível de confiabilidade de 95% e margem de erro de 3 pontos percentuais para mais ou para menos.

Wellington ingressa com ação contra o DataM

ação wellingtonO candidato a prefeito de São Luís, Wellington do Curso (PP), protocolou hoje na Justiça Eleitoral pedido de investigação contra a empresa DataM, após registro de exclusão de seu nome no disco da pesquisa eleitoral realizada pelos instituto, e que foi suspensa hoje.

A sustentação de Wellington é de que desde o dia 18 de julho de 2016 é obrigatório que conste o nome de todos os candidatos registrados na Justiça Eleitoral, nas pesquisas de intenções de votos.

Wellington também anunciou o protocolo de uma ação de suspeição junto ao TRE, sobre as pesquisas realizadas por este instituto e seus contratantes.

Divulgação da pesquisa DataM é adiada

DataMO Instituto DataM suspendeu a divulgação de sua primeira de intenções de votos realizada em São Luís sobre o pleito deste ano.

O levantamento seria divulgado amanhã, mas somente será publicado agora no dia 31 deste mês.

Isso porque, segundo fontes do instituto, houve um erro com o sistema da Justiça Eleitoral no momento do registro. O problema foi solucionado e um novo registro feito, mas a divulgação somente ocorrerá em nova data.

A pesquisa DataM foi contratada pela TV Difusora, que está sob o “comando” do deputado federal Weverton Rocha (PDT), articulador política da pré-campanha de Edivaldo Holanda Júnior (PDT).

 

A estranha defesa ao DataM

pesquisa eleitoralÉ no mínimo estranha a defesa orquestrada em meia dúzia de blogs alinhados à coligação “Todos pelo Maranhão”, ao instituto de pesquisa DataM, que já teve pelo menos duas pesquisas decretadas irregulares pela Justiça Eleitoral.

O DataM teve recente levantamento, publicado pelo jornal Atos e Fatos, declarado irregular pelo juiz Ricardo Macieira. Ele apontou sete quesitos que comprovadamente comprometeram a pesquisa. O DataM é o único instituo de pesquisa que atesta vantagem acima de 20 pontos de Flávio Dino (PCdoB) em relação ao candidato governista, Lobão Filho (PMDB).

O instituto é de um funcionário da rádio Capital, de propriedade da família do vice-prefeito e candidato ao Senado da República, Roberto Rocha (PSB).

Curioso é que desde a última sexta-feira, foram produzidos textos emblemáticos, de mesmo teor, característica e fim: defender o DataM – cuja à transparência e credibilidade têm sido questionada por atores políticos.

Mais curioso ainda é que os mesmos blogs e o próprio PCdoB, tentam na mesma medida, “enquadrar” o jornal O Imparcial [que publicou pesquisa avaliada pela coordenação de campanha de Dino como desfavorável a ele], o instituto Econométrica. A pesquisa Econométrica foi classificada por esses mesmos blogs, por exemplo, de irregular, quando não é.

Relação estranha, mas que não passa despercebida pela população. A essa altura, aqueles com o mínimo de senso já devem ter se perguntado o que querem estes que defendem o DataM. Porque levantar essa bandeira? Com que prerrogativa se defende de forma tão contundente um instituto de pesquisa? Afinal, não seria coerente o próprio DataM manifestar-se a respeito da decisão judicial que declara pesquisa de sua autoria como irregular? E porque não faz isso?

 

TRE confirma condenação de Rádio Capital e DataM por pesquisa irregular

Gilberto Léda – O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Maranhão confirmou hoje (26) a condenação da Rádio Capital e do instituto DataM – ambos ligados ao vice-prefeito de São Luís, Roberto Rocha (PSB), pré-candidato a senador – ao pagamento de multa no valor de R$ 53 mil, cada, por divulgação de pesquisa irregular.

Os magistrados mantiveram decisão da juíza eleitoral auxiliar Maria José França Ribeiro (reveja) ao julgar recursos dos dois condenados.

A pesquisa em questão foi divulgada no dia 24 de abril e apontava o senador Edison Lobão Filho, pré-candidato do PMDB ao Governo do Estado, com 12%, contra 62,5% do comunista Flávio Dino.

No ato do registro, no entanto, o instituto não anexou o questionário aplicado, o que só foi feito dias após a publicização do resultado.

A irregularidade chegou a ser apontada pelo historiador Wagner Cabral, em uma série de posts no Twitter um dia antes de divulgação dos dados da consulta (reveja).

No dia 9 de maio, atendendo pedido do Diretório Estadual do PMDB, a juíza Maria José França Ribeiro mandou suspender a divulgação da pesquisa (leia mais).

DataM e Rádio Capital condenados e multados por pesquisa irregular

datam decisãoA juíza eleitoral Maria José França Ribeiro, do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Maranhão, condenou o Instituto DataM e a Rádio Capital ao pagamento de multa, cada um, no valor de R$ 53.205,00, por causa da divulgação de pesquisa de intenções de votos irregular. O instituto não apresentou documento obrigatório no ato do registro e divulgou a pesquisa sem respeitar o prazo mínimo de cinco dias estabelecido pela Justiça. A pesquisa, 0006/2014, contratada pela Rádio Capital, avaliou o cenário eleitoral para o Governo do Estado e para o Senado Federal.

A ação foi ingressada na Justiça pelo Diretório Estadual do PMDB, que apontou a ausência da apresentação do questionário efetivamente aplicado no trabalho da pesquisa junto ao pedido de registro, contrariando o que determina a Resolução 23.400 do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

A pesquisa, realizada entre os dias 19 e 22 de abril, foi publicada em blogs e veículos de comunicação, como a Rádio Capital, no dia 24 do mesmo mês. Segundo o instituto, teriam sido entrevistados 1.500 eleitores.

No dia 9 de maio, a juíza Maria José França Ribeiro já havia determinado, liminarmente, a suspensão da pesquisa 0006/2014 do DataM. Na ação, o PMDB alegava graves irregularidades na divulgação da pesquisa.

Naquela oportunidade, a magistrada considerou irregular a divulgação do resultado da pesquisa, justamente pelo fato de o instituto DataM não ter obedecido a antecedência prescrita.

Agora, no julgamento do mérito, condenou tanto o DataM quanto a Rádio Capital ao pagamento de multa. Os dados da pesquisa também não podem ser divulgados por qualquer outro veículo de comunicação.

A pesquisa mostrava larga vantagem do comunista Flávio Dino (PCdoB) sobre o adversário Lobão Filho (PMDB) na disputa para o Governo e também apontava liderança de Roberto Rocha – um dos sócios da Rádio Capital -, para o Senado. O nome de João Castelo (PSDB) não apareceu em nenhum dos cenários divulgados pelo DataM.

Justiça Eleitoral considera irregular divulgação de pesquisa DataM

A juíza eleitoral Maria José França Ribeiro mandou suspender a divulgação de uma pesquisa viciada, realizada pelo Instituto Data M e Rádio Ribamar Ltda, referente às intenções de votos para as próximas eleições ao Governo do Maranhão.

A impugnação da pesquisa eleitoral com número de protocolo MA 00006/2-14 no Sistema de Registro de Pesquisas Eleitorais (PesqEle) foi justificada pela falta de apresentação do questionário efetivamente aplicado no trabalho de pesquisa, junto ao pedido de registro da consulta na Justiça Eleitoral. O instituto limitou-se a apresentar um quadro estatístico dos ditos municípios onde a pesquisa seria realizada, não cumprindo dispostos na resolução nº 23.400 do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

A decisão de proibir a divulgação da pesquisa por graves irregularidades praticadas pelo Data M foi fundamentada ainda no questionamento de que, com a ausência de apresentação dos questionários aplicados, a pesquisa não tem caráter cientifico e nem o controle de que foi aplicada de forma independente/imparcial e isenta de interesses pessoais, o que dificulta a comprovação e a veracidade da mesma.

A pesquisa DataM foi contratada pela Rádio Capital, do vice-prefeito de São Luís, Roberto Rocha.

Em sua decisão, a juíza eleitoral Maria José França Ribeiro considerou ainda que a divulgação do resultado da pesquisa não obedeceu a antecedência mínima de cinco dias, prescrita na legislação eleitoral brasileira, haja vista que o seu registro, conforme demonstrado no Edital da Pesquisa, denominado de “Aviso”, gerado pelo próprio site do TSE, deu-se às 12 horas e 58 minutos do dia 19 de abril e, já no dia 24, vários blogs e o Jornal Pequeno, noticiavam o resultado da pesquisa.

O pedido da medida cautelar, deferido pela Justiça Eleitoral contra o Instituto Data M, foi representado pelo PMDB do Maranhão. Caso a decisão do Tribunal Regional Eleitoral não seja obedecida, a juíza determinou multa diária de R$ 2 mil reais, de acordo com a resolução nº 23.400/2013 do TSE. A decisão da Justiça Eleitoral coloca assim, sob suspeita, as pesquisas realizadas pelo referido instituto.

Ascom PMDB

César Pires e Eliziane desqualificam resultado de pesquisa em São Luís

César Pires disse que pesquisa foi contratada por Roberto Rocha

César Pires disse que pesquisa foi contratada por Roberto Rocha

O líder do Governo na Assembleia Legislativa, deputado César Pires (DEM) e a deputada oposicionista Eliziane Gama, pré-candidata ao Governo do Estado, desqualificaram hoje o resultado da pesquisa de intenções de votos das DataM contratada pela oposição.

A pesquisa, segundo Pires, contratada por empresa do vice-prefeito Roberto Rocha (PSB), pré-candidato ao Senado Federal, coloca Flávio Dino (PCdoB) como larga vantagem em São Luís, com 38,1% de intenções de votos. Eliziane aparece logo em seguida com 17,5% e Luis Fernando Silva (PMDB) tem apenas 9,4%.

Pires questionou o fato de o cenário ter mudado drasticamente em apenas 15 dias de uma primeira pesquisa do instituto. Naquela ocasião Dino aprecia com 28%, Gama com 22% e Luis Fernando com 17%.

Quando o cenário se refere a disputa pelo Senado Federal, o absurdo é gritante. O vice

Roberto Rocha aparece na frente de Roseana: dado foi questionado

Roberto Rocha aparece na frente de Roseana: dado foi questionado

-prefeito de São Luís aprece com 32,7% de intenções de votos, contra apenas 16,1% da governadora Roseana Sarney (PMDB), coisa que nem mesmo a oposição acredita. Na semana passada, Marcelo Tavares (PSB) afirmou a jornalista não acreditar em derrota de Roseana para o Senado em cenário algum na eleição de 2014.

“Não fato algum que justifique o crescimento de 10 pontos percentuais em apenas 15 dias de quem esteve por todo esse tempo ausente do cenário. Não há nada que justifique a queda absurda de um outro pré-candidato e da deputada Eliziane Gama, que durante este período ocupou espaços na mídia, sobretudo durante a crise em Pedrinhas”, disse.

Ele também questionou o fato de a pesquisa ter sido contratada por Roberto Rocha. “A pesquisa foi contratada por uma empresa patrocinada pelo candidato ao Senado. O radialista que fez é vinculado a uma emissora de comunicação do vice-prefeito, e tem mais: essa empresa, curiosamente é paga por Roberto Rocha. O comandante da empresa, empregado de seu Roberto Rocha faz um programa de rádio e isso está declarado no próprio blog”, disse.

 “Nem mesmo estatístico, que é obrigatório por lei, há na empresa DataM. Se alguém me apresentar o contrário amanhã eu declino disso. Os preços cobrados são subfaturados e isso pode ser constatado verificando o registro de outras empresas de pesquisa, como mostra o site do Superior Tribunal Eleitoral”, desqualificou.

A oposição não soube rebater os argumentos de Pires e os questionamento de Eliziane, que também descartou acreditar no levantamento divulgado pela DataM.