Edilázio repudia atos de vandalismo em manifestações no DF

 

O deputado estadual Edilázio Júnior (PV) manifestou repúdio hoje, no Legislativo Estadual, aos atos de vandalismo praticados por manifestantes ontem contra o patrimônio público em Brasília.

Durante os protestos, houve depredação da Esplanada dos Ministérios, prédios, paradas de ônibus, bancas, orelhões e refletores destruídos com uso de pedras e fogo.

“Ontem o que nós vimos em Brasília pelos meios de comunicação foram imagens de baderna e de vandalismo. E aí nada contra se manifestar, o que nós não podemos ser favoráveis é à depredação do nosso patrimônio”, disse.

Edilázio lembrou que no ano passado, durante as manifestações em favor do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), não havia registro de depredação do patrimônio público.

“Nós acompanhamos as manifestações contra a presidente Dilma pedindo ‘Fora Dilma’. Nós vimos 1 milhão de pessoas na [avenida] Paulista, da mesma forma em Brasília também mais de 300 mil pessoas, e não vimos um empurra-empurra, não houve um quebra-quebra, não houve um spray de pimenta, porque as pessoas que saíram de casa para se manifestar contra o PT eram pessoas de bem, famílias. Quantos de nós vimos crianças, idosos naquelas manifestações. E ontem o que nós vimos eram só mascarados, quebraram todas as paradas de ônibus, atiravam pau e pedra contra a polícia. Tocaram fogo em três Ministérios, quebraram os computadores. E tudo aquilo é patrimônio nosso, é patrimônio do país”, completou.

O parlamentar classificou como correta a decisão do presidente Michel Temer (PMDB) de convocar as Forças Armadas para fazer a contenção dos atos de vandalismo e repudiou a atuação de militantes de esquerda nos movimentos.

“Quando se pediu ali o auxílio do Exército, não foi para querer reprimir uma manifestação não, mas para proteger o patrimônio. O Exército também esteve na Copa do Mundo e nas Olímpiadas para por ordem e garantir a segurança do brasileiro. Fica o meu repúdio àqueles vândalos que ontem estavam ali, foram apenas para fazer baderna, meia dúzia de desocupados que estiveram fazendo de Brasília um campo de guerra. E aí eu pergunto: por que essas imagens passaram no mundo todo ontem. Qual o investidor que vai ter coragem de vir para este país com essa insegurança que tem da esquerda? Porque vocês podem ver que não tem uma bandeira do Brasil, é só bandeira vermelha. Então, fica o meu repúdio e a minha solidariedade aos brasileiros”, finalizou.

José Marcio Leite na Saúde do Distrito Federal

45d4bafb91ee44f53984302651c5e54aJorge Aragão – O médico e ex-secretário adjunto de Saúde do Maranhão, José Marcio Leite, é mais um da equipe da ex-governadora Roseana Sarney (PMDB), que passa a ganhar espaços em Brasília.

Reconhecido por sua trajetória profissional e no campo da administração pública – ele também já atuou na Saúde do município de São Luís -, José Marcio Leite foi nomeado pelo secretário de Saúde do Distrito Federal, Fábio Gondim, para atuar na pasta, em Brasília. O nome de José Marcio Leite foi avaliado e aprovado pelo governador Rodrigo Rollemberg (PSB).

No posto de chefe da Assessoria Especial de Gabinete da Secretaria de Saúde do Distrito Federal, José Marcio Leite ficará responsável pela missão de coordenar projetos de ensino e pós-graduação da Faculdade de Ciências Médicas (FEPECS), que pertence à Secretaria de Saúde.

A ideia é implantar cursos lato stricto sensu e desenvolver a instituição. “Isso vai me permitir voltar ao ensino”, disse.

Um dos personagens que coordenou o programa “Saúde é Vida” no Maranhão e com larga experiência também no campo acadêmico, José Marcio Leite levará todo o conhecido adquirido e já aplicado no estado, para o Distrito Federal.

Até porque competência tem de sobra…