Eliziane defende leis mais severas contra o tráfico de drogas

A deputada Eliziane Gama (PPS-MA) e o ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra, defenderam nesta terça-feira (20) a aprovação de leis mais severas contra traficantes de drogas e uma ação mais enérgica do poder público para tratar o dependente químico. E concordaram que a legalização de entorpecentes, como a maconha, não leva à redução da violência.

Os dois estiveram juntos em audiência pública na Câmara dos Deputados. O encontro foi promovido pela Comissão Externa sobre o Consumo de Drogas entre Jovens. O colegiado é coordenado pela deputada.

Após mais de três horas de debates sobre os efeitos perversos do consumo de drogas, principalmente entre adolescentes e jovens, Eliziane, o ministro e demais debatedores, em sua maioria, defenderam o endurecimento das penas para quem vende tóxicos e uma ação mais eficiente do Estado para dependente químico.

“A legalização das drogas não resolverá o problema da violência. Suécia e os EUA tiveram endurecimento das regras, o que trouxe redução da violência, inclusive do número de homicídios”, disse a parlamentar do PPS.

O ministro Osmar Terra mostrou pesquisas e levantamentos realizados em diversas partes do mundo que mostram que a solução para diminuição da criminalidade foi alcançada em lugares onde houve a adoção de regras mais severas contra traficantes e o tratamento adequado com o usuário de drogas. Segundo Terra, não há tratamento eficiente, onde se flexibiliza a abstinência do consumo entre os pacientes.

Ao final, o ministro elogiou o trabalho da Comissão Externa.

“Na ausência de uma lei mais firme, mais dura, e mais exigente contra as drogas, a situação está se deteriorando. O trabalho da deputada Eliziane e dos parlamentares desta comissão vai mostrar isto: que precisa ter um novo corpo de leis para enfrentar esta gravíssima epidemia de drogas e de violência que assola o Brasil”, afirmou Osmar Terra.

A deputada Eliziane afirmou que a comissão sob sua coordenação realizará outros debates sobre o tema para buscar uma proposta eficaz para resolver o grave problema das drogas no país.

A parlamentar disse que é preciso que os poderes Legislativo e Executivo, com a participação da sociedade civil, se envolvam para resolver a epidemia do consumo de drogas em todos os estados, sem exceção.

Segundo o Ministério do Desenvolvimento Social, o Brasil é um dos países que tem a maior fronteira com produtores de drogas, que “todos os dias inundam nosso país com substâncias ilícitas”.

Lobão Filho quer a integração das igrejas no combate às drogas

Para o candidato do PMDB, as drogas provocam problemas físicos e espirituais; ele quer ajuda de igrejas evangélicas e católica para o tratamento de jovens viciados

Lobão trata a dependência química também como problema espiritual

Lobão trata a dependência química também como problema espiritual

O senador Lobão Filho (PMDB), candidato ao Governo do Estado, explicou há pouco durante sabatina na rádio Mirante AM, como pretende combater o problema do tráfico e dependência de drogas no Maranhão.

Ele se mostrou preocupado com o avanço do uso do Crack no estado e disse que pretende atacar em duas frentes: na educação dos jovens e repressão ao tráfico.

Explicou que pretende ampliar o trabalho de conscientização nas escolas e enfatizou que pretende promover a integração das igrejas evangélicas e Católica no processo de combate ao problema.

“A droga é problema social, mas espiritual também. E é por isso que eu pretendo envolver igrejas evangélicas e a igreja Católica nesse processo. As drogas provocam dependência física e atingem a alma do ser humano. Elas devem ser tratadas como um problema espiritual também, e enfrentadas desta forma. E é por isso que eu tenho a esperança nas igrejas. No meu governo, tanto as igrejas católicas quanto as evangélicas devem ser nossos parceiros neste processo de resgaste dos nossos jovens”, completou.

Além de ampliar o processo de conscientização nas escolas e de encarar as drogas como um problema também espiritual, Lobão Filho explicou que o tráfico deve ser combatido de forma dura. “Na outra vertente do problema vamos endurecer o trabalho contra o tráfico. A Segurança Pública será um dos pilares de nosso governo e não vamos baixar a guarda para esses traficantes que estão matando os nossos jovens. O combate ao tráfico será duro e permanente”, finalizou.

Operação policial na ‘cracolândia’ de São Luís tem saldo de 34 conduzidos

A Polícia Civil realizou na manhã de hoje, uma grande operação na área da

Operação policial no João Paulo - Foto: G. Ferreira

feira do João Paulo conhecida como “cracolândia de São Luís”. De acordo com a superintendência da PC, seis acusados de tráfico de drogas foram conduzidos ao 2º DP (João Paulo), dos quais quatro foram autuados por associação para o tráfico. A polícia também apreendeu 28 usuários – vários deles menores, que foram levados num microônibus para a Academia de Polícia, no São Raimundo. Os suspeitos presos e autuados são: Rodrigo Sousa de Moraes, 18; Carlos Henrique Ferreira Paixão, o “Fofão”, 27; Eduardo dos Santos Borges e Antonio Reginaldo Muniz. De acordo com o delegado Joviano Furtado, supervisor do Centro Integrado de Defesa Social (Cids) Oeste, que coordenou a operação, os 28 usuários apreendidos seriam ouvidos por profissionais especializados, na Academia de Polícia, e em seguida será realizado com eles um trabalho de recuperação e integração social.