Após escândalo TV Guará retira pesquisa fantasma do ar

Após o escândalo revelado pela imprensa de que a pesquisa Econométrica – encomendada pela TV Guará e que deu larga vantagem a Flávio Dino -, ter sido “assinada” por uma pessoa já morta, a emissora comunicou hoje a retirada da pesquisa do ar.

Saiba mais sobre o caso aqui_____________

A técnica de estatística “responsável” pelo levantamento da Econométrica havia falecido 19 dias antes de pesquisa ter sido registrada na Justiça Eleitoral.

Por causa dos indícios de irregularidade e da falta de credibilidade no levantamento, a emissora resolveu retirar todos os dados do ar.

De acordo com a TV Guará, o responsável pela empresa que realizou a pesquisa, Sergio Oscar Zubicueta Goic, afirmou que houve um “equívoco” no levantamento.

Um caso lamentável.

NOTA

Sobre denúncias de irregularidade apontada por jornalistas e blogueiros a respeito da pesquisa divulgada no último dia 1º de setembro, o Sistema Guará esclarece:

A empresa Econométrica, foi contratada pela emissora para realização de pesquisa de intenção de votos para o Governo do Estado e Senado, por atuar no Maranhão há vários anos, tendo já chancelado pesquisas similares em pleitos anteriores para as mais diversas correntes políticas, bem como para os mais distintos veículos da imprensa local, inclusive o Sistema Guará na área de pesquisa de audiência televisiva, sendo reconhecida, indiscutivelmente, como possuidora de aparato técnico para realização de seus trabalhos;

Na certeza do cumprimento das exigências legais pela Econométrica, o Sistema Guará divulgou os resultados da pesquisa, seguindo orientações legais e habituais do TRE;

Logo após a detecção, através dos meios de comunicação, a direção do Sistema Guará entrou em contato com o responsável da Econométrica pedindo esclarecimento da irregularidade suscitada;

O responsável pela empresa que realizou a pesquisa, Sr. Sergio Oscar Zubicueta Goic, informou na ocasião, procurando justificar o fato já do amplo domínio público, que quando do registro oficial da pesquisa no site do TRE, realmente ocorreu um equívoco, informando em seguida que já estava tomando as devidas providências para saná-lo;

Diante do lamentável ocorrido, o Sistema Guará, reafirmando o seu compromisso com a verdade, a imparcialidade e procurando sempre manter, em sua missão, a ética e o dever de bem informar, mandou retirar de todos os meios e canais de comunicação, a divulgação de todos os dados atinentes à referida pesquisa, até que fique tudo devidamente esclarecido e regularizado perante o TRE, como informou a empresa responsável por eles.

Atenciosamente,

SISTEMA GUARÁ DE RADIODIFUSÃO LTDA.

Pesquisa que deu larga vantagem a Dino foi “assinada” por profissional já morta

Gilberto Léda – Essa nem mesmo os aliados comunistas conseguirão explicar. A última pesquisa sobre intenção de voto do Governo do Estado, feita pela Econométrica e publicada no último sábado, dando obviamente larga margem de votos para o atual governador e candidato à reeleição, Flávio Dino, foi assinada por uma profissional de estatística que já faleceu.

Fontes ouvidas com exclusividade pelo blog apontam que a professora Celene Raposo de Aquino, que aparece no site do TSE como responsável técnica pelo levantamento, estava morta 19 dias antes do registro da pesquisa, que foi feito no Tribunal em 26 de agosto deste ano.

De acordo com as mesmas fontes, Celene Raposo faria 81 anos de idade no próximo dia 14 de novembro, no entanto, os últimos cinco meses de vida da então professora foram em um leito de UTI de um hospital particular da capital maranhense. Ela foi diretora do Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público do Estado, além de professora universitária e, durante algum tempo, chancelou pesquisas da Econométrica. O Sindicato ao qual ela esteve filiada chegou a emitir um manifesto de pesar pelo seu falecimento.

No tal levantamento divulgado com pompa pelos aliados dinistas, mesmo depois de morta, a profissional teve seu nome usado para “esquentar” números, que foram efusivamente festejados em todas as redes sociais pelos aliados do candidato à reeleição, Flávio Dino.

Pelo que ainda apurou o blog, mesmo depois de já falecida, nem mesmo a direção da Econométrica sabia do fato.

Que coisa…

Econométrica: Vianey Bringel lidera com folga em Santa Inês

Pesquisa Santa InêsA ex-deputada estadual Vianey Bringel (PSDB), lidera todos os cenários da pesquisa de intenções de votos Econométrica, divulgada hoje por O Estado.

A pesquisa foi feita nos dias 1 e 2 deste mês e ouviu 540 eleitores na área urbana e na zona rural de Santa Inês. O levantamento foi registrado no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Maranhão com o número MA-02067/2016, de 15 de junho e possui margem de erro 4,1% e intervalo de confiança de 95%.

Na estimulada, Vianey Bringel aparece com 45,9% das intenções de votos. Ela é seguida por Cirino com 6,1%; pelo prefeito Ribamar Alves (PSB) com 3,5% [candidato a reeleição]; delegado Walter com 3% e Robert Bringel com 1,3%. Outros nomes foram citados, mas aparecem com menos de 1% cada. Dos que responderam não votar em ninguém são 3,1% e não sabe ou não respondeu 34,8%.

No primeiro cenário estimulado, a pré-candidata tucana aparece com 66,5%. Cirino vem logo em seguida com 11,9% e Delegado Walter com 7,2%. O prefeito Ribamar Alves aparece em quarto com somente 4,6% das intenções de votos. Fernando Ipiranga foi citado por 1,3% dos entrevistados e Sousa Neto (PROS) por 1,1%. Não sabe ou não respondeu somou 4,3% e nenhum dos candidatos, 3,1%.

Em uma segundo cenário, tendo somente Vianey Bringel e Ribamar Alves na disputa, a tucana aparece com 83,3% e o prefeito, 6,3%. Anulariam o voto 6,5% dos entrevistados e não sabe ou não respondeu somou 3,9%.

Em outro cenário, se a eleição fosse somente entre Cirino e Vianey Bringel, ela ganharia com 76,3% e seu adversário somaria 16,1%. Votos nulos somaram 3,5% e não sabe e não respondeu, 4,1%.

Em um último cenário com uma disputa entre Bringel e Delegado Valter, a pré-candidata do PSDB aparece com 80,2% e o outro candidato com 11,3%. Anulariam o voto 4,6% e não sabe e não respondeu somou 3,9%.

Com informações de O Estado

Bira do Pindaré deve desculpas…

BiraO deputado estadual Bira do Pindaré (PSB) utilizou o seu perfil em rede social para reclamar da não inclusão de seu nome na pesquisa de intenções de votos Econométrica, divulgada no último fim de semana e que mostrou a consolidação dos três principais candidatos ao pleito de outubro: deputada federal Eliziane Gama (PPS), prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT) e o deputado estadual Wellington do Curso (PP).

A insatisfação de Bira se deu uma vez que ele sustenta pré-candidatura ao Executivo Municipal, independentemente da disputa interna que trava na legenda com o senador Roberto Rocha.

Até aí tudo bem, razoável até, não fosse a covardia do deputado.

Bira resolveu atacar, de forma covarde e sem sentido algum, o jornal O Estado do Maranhão.

Tentou passar a ideia ao internauta e aos seus seguidores de que o jornal foi quem produziu e/ou encomendou a pesquisa.

“Quem disse a Econométrica e ao jornal O Estado do Maranhão (EMA) que deixei de ser pré-candidato a prefeito de São Luís? Repudio a atitude do jornal pela falta de critério jornalístico para a definição dos nomes que compõem a pesquisa. Flagrante a intenção de me excluir”, disse.

Bira fala em falta de critério jornalístico e flagrante intenção de o excluir.

Ora, a pesquisa foi realizada pelo instituto Econométrica e encomendada pela empresa Classe Mídia, que edita a Revista Maranhão Hoje. Essa informação está na segunda linha, do primeiro parágrafo da reportagem de O Estado que trata da pesquisa.

Não foi o jornal quem produziu a pesquisa. Não foi o jornal quem o excluiu de algum cenário político-eleitoral.

Mas ele sabe disso…

Bira do Pindaré é da patrulha que não perde uma oportunidade para tentar desqualificar O Estado e o jornalismo maranhense. O faz sempre que se encontra numa situação desconfortável.

Por isso age desta forma.

É desleal.

O que deveria fazer, até por dever de Justiça, era pedir desculpas públicas ao jornal O Estado e aos seus funcionários, que se dedicam diariamente a um trabalho sério e honrado.

Se tiver ética, coragem e humildade o fará.

Infelizmente, duvido muito que isso aconteça…

Os fatos da Econométrica

301 dom 120616 HA pesquisa Econométrica de intenções de votos, contratada pela empresa Classe Mídia, responsável pela publicação da Revista Maranhão Hoje, apresentou pelo menos três principais fatos ao eleitorado ludovicense.

O primeiro deles: a manutenção da vantagem – ainda acima da margem de erro -, da deputada federal Eliziane Gama (PPS), pré-candidata a prefeita de São Luís. Gama segue na liderança e como o principal nome para a disputa.

O segundo importante fato, trata-se da ascensão do prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT), que em levantamentos de outros institutos, apresentava desempenho que beirava os 15% a 16% da preferência do eleitorado.

Edivaldo cresceu, chegou à marca dos 20% das intenções de votos e empolgou aliados. Na avaliação destes, o prefeito apresenta claro potencial de crescimento, apesar do elevado índice de rejeição, sobretudo com as inserções partidárias e quando houver o início da veiculação da propaganda eleitoral – já que serão apresentadas ao seu eleitorado -, e de forma mais ampla, as obras e programas realizados por sua gestão.

Há um mês o prognóstico para o prefeito era desastroso. Depois da Econométrica, contudo, a leitura fria é de que a situação continua difícil para alguém que busca a reeleição, mas não impossível.

O terceiro e surpreendente fato é a consolidação do deputado estadual Wellington do Curso (PP) entre os principais nomes na disputa. Ainda sem apoio de partidos, e sem pertencer a um grupo político que trabalhe no projeto 2016, Wellington avançou e chegou próximo de um empate técnico com o prefeito.

Apresenta-se definitivamente no páreo para a disputa e na simulação de um eventual segundo turno com Edivaldo Holanda Júnior, sai vitorioso.

Ninguém comemorou mais a pesquisa publicada por O Estado na edição especial de fim de semana do que o pré-candidato pepista.

E este aspecto da análise é quase unanimidade junto à classe política.

Da coluna Estado Maior, de O Estado do Maranhão

Econométrica: Eliziane segue na frente de Edivaldo; Wellington encosta

301 dom 120616 HO Estado – A pesquisa de intenções de votos Econométrica, realizada entre os dias 4 e 7 deste mês e contratada pela empresa Classe Mídia, que edita a Revista Maranhão Hoje, apresenta a disputa polarizada por três nomes e São Luís: a deputada federal Eliziane Gama (PPS), o prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT) e o deputado estadual Wellington do Curso (PP).

O levantamento, registrado na Justiça Eleitoral sob o protocolo MA-08340/2016, ouviu 997 eleitores em 52 bairros da capital, possui margem de erro de 3,1% e intervalo de confiança de 95%.

Ao todo, foram elencados cinco principais cenários na pesquisa, todos do tipo “estimulado”. Destes, três simulam eventual segundo turno na capital. Até então, nenhum instituto havia apontado cenário de segundo turno para São Luís.

No primeiro cenário mais abrangente da pesquisa, quando o instituto pergunta ao eleitor em qual dos candidatos ele votaria caso as eleições fossem “hoje”, a deputada Eliziane Gama aparece na frente com 24,3% das intenções de votos, contra 20,0% do prefeito Edivaldo Holanda Júnior.

Wellington do Curso aparece logo em seguida com 16,9% da preferencia do eleitorado, na terceira colocação, a frente da vereadora Rose Sales (PMB), com 6,8%; vereador Fábio Câmara (PMDB), com 2,6% e o médico João Bentivi (PHS), com 2,6%.

Afirmaram que votarão nulo, 22,7% dos entrevistados e não souberam ou não quiseram responder, 4,2%.

No segundo cenário do tipo “estimulado”, Eliziane Gama aparece `novamente a frente com 24,6% das intenções de votos; contra 20,2% do prefeito Edivaldo Júnior; 17,0% de Wellington do Curso; 7,2% da vereadora Rose Sales; 2,6% de Bintivi e 1,3% da deputada estadual Andrea Murad (PMDB), que na semana passada abriu mão da disputa em favor de Fábio Câmara.

Declararam que votariam nulo 23,1% dos eleitores e não souberam ou não quiseram responder, 4,1%.

Espontânea – A Pesquisa Econométrica também levantou um cenário do tipo “espontâneo” para a disputa eleitoral 2016 em São Luís. Neste, quando nenhum nome de pré-candidato é apresentado ao eleitor, Edivaldo Holanda Júnior aparece na primeira colocação, com 13,2% da preferência do eleitorado.

Eliziane Gama fica na segunda colocação, com 9,2% das intenções de votos, contra 5,8% de Wellington do Curso; 5,4% de João Castelo (PSDB); 2,7% de Rose Sales; 1,5% de Roseana Sarney (PMDB); 1,3% de Fábio Câmara; 0,6% de Bira do Pindaré (PSB); 0,6% de Neto Evangelista (PSDB); 0,4% de Tadeu Palácio (PP); 0,2% de Bentivi e 0,2% de Andrea Murad. Ao todo, 1,4% afirmou que votaria em “outros”; 1,4% disse que não votará em nenhum candidato e 56,0% não souberam ou não quiseram responder.

 Mais

 Apesar de ter lançado há pouco tempo sua pré-candidatura à Prefeitura de São Luís, o nome do deputado estadual Eduardo Braide (PMN) não apareceu na pesquisa Econométrica de intenções de votos.

Com apoio de Dilma, Lobão Filho aparece à frente de Flávio em pesquisa

econometricaA pesquisa de intenções de votos do Instituto Econométrica que havia sido censurada pela Justiça Eleitoral após ação do PCdoB, partido do candidato Flávio Dino, foi autorizada ontem pela juíza eleitoral Alice de Sousa Rocha, do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Maranhão, que deferiu liminar em mandato de segurança impetrado pelo instituto, revogando assim a decisão anterior do juiz Ricardo Macieira. O levantamento, considerado regular pela Justiça, foi publicado hoje em O Imparcial.

O levantamento havia sido suspenso parcialmente, justamente apenas no quesito em que Flávio Dino aparece empatado tecnicamente com Lobão Filho (PMDB), que está com um ponto de vantagem na frente.

A pergunta vetada associa Lobão Filho à presidente Dilma Rousseff (PT) e ao ex-presidente Lula (PT), e o candidato Flávio Dino a Aécio Neves (PSDB), jOSÉ Serra (PSDB) e Fernando Henrique Cardoso (PSDB).

Neste aspecto, Lobão aparece com 39,4% das intenções de votos, contra 38,8% de Flávio Dino.

O levantamento foi realizado pelo Instituto Econométrica de 26 a 31 de julho. Foram consultados 1.005 eleitores, em 54 municípios. A pesquisa foi registrada na Justiça Eleitoral sob o número 00029/2014. A margem de erro é de 3 pontos percentuais e o intervalo de confiança é de 95%.

Má fé – Mesmo diante de uma decisão judicial que tornou legal a divulgação do resultado, o PCdoB por meio de seu presidente, Marcio Jerry, tenta desqualificar a pesquisa, o Instituto Econométrica e o jornal O Imparcial, nas redes sociais.

Utilizam de má fé e afirmam que o levantamento é irregular e uma fraude, quando na verdade a Justiça não encontrou qualquer tipo de irregularidade no levantamento.

É o desespero batendo à porta…