Lobão admite possibilidade de disputar a eleição de 2016 em São Luís

Lobão líder oposicionista

Lobão líder oposicionista

O senador da República Lobão Filho (PMDB), admitiu com exclusividade a O Estado a possiblidade de disputar a eleição para prefeito de São Luís em 2016. O peemedebista obteve votação expressiva na capital em 2014, o que o credencia para a próxima disputa eleitoral. Em novembro do ano passado, ele rejeitava a discussão. Agora, já no campo da oposição, ponderou que está ouvindo familiares, amigos e classe política, para somente depois posicionar-se.

Candidato a governador do estado pela coligação “Pra Frente Maranhão” em 2014, Lobão Filho recebeu 150.346 votos na capital, o que representou 31,55% do eleitorado que foi às urnas em São Luís naquela oportunidade.

Considerado como o nome de referência do grupo político que representa após a ex-governadora Roseana Sarney (PMDB) ter declarado que não mais disputará eleições no estado, Lobão Filho tem sido constante citado nos bastidores como maior força política para confrontar o prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PTC), que disputará a reeleição apoiado pelo governador Flávio Dino (PCdoB).

Apesar do entusiasmo das lideranças do grupo, Lobão Filho tem adotado cautela ao tratar do tema. Ele afirmou que está ouvindo familiares, amigos e a classe política e ponderou que o momento é de reflexão a respeito dos próximos passos que ele dará na política.

“Em verdade, sou extremamente agradecido pela expressiva votação que recebi em São Luís, pelo carinho que tenho recebido diariamente nas ruas e pela referência que o partido tem me feito. Enfrentei uma campanha eleitoral difícil porque acreditei que poderia realmente mudar a história do Maranhão. Estou agora avaliando todo o cenário, mas acho muito cedo para definições importantes como essa. O momento é de reflexão”, enfatizou.

 Status – Essa foi a primeira vez que o senador Lobão Filho admitiu a possibilidade de disputar a eleição municipal de 2016. Em novembro do ano passado, um mês depois da disputa para o Executivo Estadual, o peemedebista havia descartado  enfrentar nova disputa.

Naquela ocasião, ele afirmou apenas que continuaria como um cidadão politicamente ativo em 2016, que participaria das decisões de seu grupo político e que faria campanha para o candidato que fosse escolhido pelo seu partido.

Até o início de janeiro deste ano, mesmo estando na oposição, se manteve distante das discussões políticas. Na segunda quinzena do mesmo mês, no entanto, passou a atuar como uma voz ativa dentro de seu partido político. Opinou sobre a eleição da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa e sobre o posicionamento de seu partido político no pleito.

Também destacou e defendeu a postura da deputada Andrea Murad (PMDB) como oposicionista na Casa. Agora, já discute a conjunta para 2016.

Fusões e incorporação de partidos altera cenário para 2016 no estado

César Pires não fica no DEM se partido se fundir a outra siglsa

César Pires não fica no DEM se partido se fundir a outra siglsa

Após finalizado o processo eleitoral no Brasil, partidos políticos intensificam as negociações a respeito de possíveis fusões e incorporações no campo nacional. Esse tipo de movimentação atinge diretamente as estruturas políticas de algumas legendas no Maranhão, que já trabalham perspectivas de possíveis cenários para as eleições 2016.

Negociam fusões o PPS com o PSB e o DEM com PSDB – estes últimos de forma mais tímida. Já no que diz respeito à incorporação, PDT com o PTC. Todas estas siglas, exceto o DEM, integram o grupo oposicionista no estado, liderado pelo governador eleito Flávio Dino (PCdoB).

Em Brasília, as direções de PPS e PSB já começaram a discutir com mais profundidade a possibilidade de fusão já para os dois últimos meses do ano. O PSB elegeu 34 deputados federais e o PPS outros 10. O objetivo é unificar e fortalecer a bancada, para atuar na oposição ao governo Dilma Rousseff (PT). O Solidariedade (SD) também sustenta a possibilidade de fusão.

Eliziane Gama  torce para que ocorra fusão com o PSB

Eliziane Gama torce para que ocorra fusão com o PSB

No Maranhão, a deputada estadual Eliziane Gama, presidente do diretório estadual do PPS, avalia positivamente a possibilidade de fusão. Ela destacou a O Estado o fortalecimento da legenda que comanda e disse que apoia o modelo proposto por dirigentes nacionais da sigla.

“Se houver de fato a fusão do PPS com o PSB, nós passaremos a ser a quinta maior legenda do Brasil, e isso significa muito. Significa, por exemplo, aumentar a bancada na Câmara Federal, presidir comissões na Câmara, obter mais tempo para debates, ampliação de fundo partidário, ou seja, nós conseguiríamos crescer bastante partidariamente”, afirmou.

Gama explicou que o debate foi iniciado durante a disputa do segundo turno das eleições presidenciais e revelou que a expectativa é de que uma definição ocorra em curto prazo.

“Antes da posse dos deputados federais, que ocorrerá em fevereiro, já teremos uma noção da possiblidade ou não da fusão. Particularmente acredito que é totalmente possível. Nas conversas que a gente tem com alguns colegas, dá para perceber também esse desejo. O PPS já vem tentando há muito tempo uma reformulação. Alguns falam até em refundação. A própria Marina Silva chegou a elogiar a determinação do PPS de debater essa refundação. Acho que os partidos brasileiros hoje precisam ter esse sentimento”, completou.

Não fica – Outras siglas que discutem a possiblidade de fusão no campo nacional, são o DEM e o PSDB, que quer ampliar as suas bases na oposição ao governo Dilma. Até o momento, segundo o deputado estadual César Pires (DEM), as negociações não alcançaram os membros da legenda no Maranhão. Pires, porém, já deixa claro que se a proposta for concretizada, ele deixa o partido.

“Até o momento, nada foi discutido no âmbito estadual, pelo menos que tivesse alcance dos deputados. Mas se houver fusão eu terei de procurar uma outra alternativa. Estarei liberado para isso [juridicamente]. Então o que digo é isso: se houver fusão eu não fico”, enfatizou.

Flávio Dino começa a neutralizar virtuais adversários de Edivaldo Júnior

Evangelista será secretário de Dino, e foi aconselhado a desistir de Prefeitura

Evangelista será secretário de Dino, e foi aconselhado a desistir de Prefeitura

Ao que tudo indica o governador eleito Flávio Dino (PCdoB) começa a neutralizar alguns de seus aliados políticos que vislumbram disputar a Prefeitura de São Luís em 2016.

O deputado estadual Neto Evangelista (PSDB), já confirmado como futuro secretário de estado do Desenvolvimento no governo disnista, já foi aconselhado por seu partido político a não entrar na disputa da eleição para o Executivo Municipal.

Na avaliação da cúpula tucana, Evangelista ainda é bastante jovem e pode se preparar por mais um tempo para alcançar o comando do Palácio La Ravardière. O que pode haver de implícito nisso, é uma articulação do próprio governador eleito.

Eliziane Gama vai brigar por espaços na eleição de 2016

Eliziane Gama vai brigar por espaços na eleição de 2016

Flávio sabe que se Neto Evangelista, Eliziane Gama (PPS) e Edivaldo Júnior disputarem a mesma eleição majoritária, haverá a implosão no seu grupo político. E por experiência própria, tenta evitar o estrago pré-anunciado.

Evangelista já parece neutralizado, e é provável que nem mais fale em 2016. Eliziane Gama, por outro lado, resistirá as investidas comunista, com a legitimidade de quem conseguiu a maior votação no estado para a Câmara Federal, e principalmente, de quem abriu mão de disputar a eleição para o Governo do Estado em 2014 justamente para alcançar a Prefeitura de São Luís. A popular-socialista, portanto, será um problema maior para Flávio.

Mas ele deve possuir cartas na manga para também neutralizar a aliada. Eliziane que fique esperta…

Grupo dinista em larga vantagem no Maranhão; oposição órfã

Flávio Dino se elegeu governador com o apoio de Zé Reinaldo

Flávio Dino se elegeu governador com o apoio de Zé Reinaldo

Deputados estaduais e federais e líderes partidários que pertencem ao grupo ainda hoje liderado pela governadora Roseana Sarney (PMDB), já se sentem órfãos de liderança no Maranhão.

Após a derrota eleitoral do senador Lobão Filho (PMDB) para o comunista Flávio Dino (PCdoB), um vazio político se estendeu ao grupo, que se continuar no mesmo ritmo, deixa de ter uma referência a partir de janeiro de 2015.

Isso porque a governadora Roseana Sarney já decidiu, não mais exercerá mandato. Ela assegura que ainda permanecerá na política, no entanto, sem candidatar-se mais. Lobão Filho, por sua vez, [que chegou onde chegou praticamente sozinho] rejeita o título de novo líder do grupo. Ele está focado no seu trabalho no Senado, e talvez com um pé atrás em relação à própria governadora, prefere não assumir a condição de novo líder do grupo e opositor a Flávio.

Eliziane saiu fortalecida das eleições 2014

Eliziane saiu fortalecida das eleições 2014

Até hoje, nenhum deputado estadual ou federal eleito, foi procurado por Roseana Sarney, ou por Lobão Filho. Não há diálogo, não há diretrizes, não há estratégia definida.

No atual cenário político, portanto, quem sai mais fortalecido é o comunista Flávio Dino e todo o seu grupo.

Sem um opositor pelo menos momentaneamente, Dino caminha para o início de um governo tranquilo. Se tiver competência, vai longe. Se não, ele mesmo cria as condições para que um nome de oposição [que até então não existe] ganhe força.

 Prefeitura – E não é somente para o Governo do Estado que há vantagem do grupo dinista. Despontam como virtuais candidatos para a Prefeitura de São Luís, em 2016, a deputada estadual Eliziane Gama (PPS), o deputado estadual Neto Evangelista (PSDB) – orientado pelo tucanato a não entrar na disputa -, e o próprio Edivaldo Holanda Júnior (PTC), que buscará a reeleição. Todos em vantagem, todos aliados de Flávio. Não há, no entanto, nomes do grupo adversário. O alerta está ligado…

PED/PT: suspenso segundo turno do municipal em SL

NOTA

O Diretório Municipal do Partido dos Trabalhadores de São Luís informa que o Processo de Eleições Diretas (PED) para escolha em segundo turno, do presidente municipal foi suspenso neste domingo (24), em virtude do clima de insegurança e tensão instalado nos locais de votação pela chapa que não acatou a determinação do Diretório Nacional, que estabeleceu no último dia 22 que não haveria segundo turno para o PED estadual no Maranhão, uma vez que a eleição estadual encontra-se sub judice.

A decisão pela suspensão das eleições municipais do PED em São Luís foi tomada pelo presidente do PT, que é coordenador do PED, após consulta ao Secretário Nacional de Organização do PT, Florisvaldo Souza. É importante ressaltar que o clima de instabilidade e insegurança da militância partidária ocorreu no momento de instalação do processo para realização das eleições nos quatro pontos de votação em São Luís, colocando em risco a integridade dos militantes, mesários e fiscais que participavam do processo.

Convém destacar que o Diretório Municipal cumpriu integralmente todos os procedimentos estabelecidos pela Secretaria Nacional de Organização, tanto no primeiro turno e, sobretudo, no segundo turno, conforme ofício enviando ao Diretório Estadual no dia 22 de novembro de 2013.

Todo o material referente ao PED municipal deste domingo foi organizado pela Executiva Municipal e será encaminhado relatório do ocorrido ao Diretório Nacional, a quem cabe deliberar sobre a situação.

São Luís, 24 de novembro de 2013

Fernando Silva
Presidente do Diretório Municipal do PT de São Luís

Washington: “A bola agora está com os deputados”

Washington oficializou candidatura ao TCE

Washington oficializou candidatura ao TCE

O vice-governador Washington Oliveira (PT), consolidado como candidato único à vaga de conselheiro do Tribunal de Contas do Estado falou ao blog sobre a suas expectativas em relação ao processo de escolha do novo conselheiro de contas que será conduzido pela Assembleia Legislativa.

Ele afirmou que somente optou por disputar a eleição após ter entrado em consenso com aliados do PT. Vale ressaltar que até há umas três semanas, ele descartava disputar o posto. “Fiz uma consulta ampla aos companheiros no estado e todos acharam que era positiva a minha participação nesse novo espaço. Foi também por esse motivo que decidi por meu nome na disputa “, afirmou.

Washington disse estar preparado para o novo desafio e consciente da responsabilidade. “É um espaço importante e sei que posso contribuir da mesma forma como ocorreu na Câmara Federal e agora no Governo do Estado. É um órgão que atua no controle dos gastos onde posso certamente contribuir com excelência. A bola agora está com os deputados”, completou.

O petista reuniu 35 assinaturas, o que automaticamente inviabilizou a inscrição de um concorrente – uma vez que cada candidato teria de reunir no mínimo 14 indicações -, e deverá ser aclamado conselheiro de contas, na vaga do conselheiro aposentado Yêdo Lobão.

Agora, com a inscrição do petista já consolidada, a Mesa Diretora da Assembleia Legislativa deverá formar comissão com representação de todos os blocos.

Essa comissão, que deve ser presidida pelo deputado Carlos Alberto Milhomem (PSD), terá como função realizar uma espécie de sabatina e avaliar, por meio de perguntas e respostas diretas, os conhecimentos jurídicos, contábeis, econômicos e financeiros de Washington, para somente em seguida dar o parecer em relação à aprovação do petista. Esse processo deve ser finalizado em até uma semana.

Monteiro vence eleição no PT e defende reedição de aliança com o PMDB em 2014

Monteiro posa para a foto oficial com membros de sua chapa

Monteiro posa para a foto oficial com membros de sua chapa em lançamento de campanha

Raimundo Monteiro foi reeleito presidente do Partido dos Trabalhadores (PT) no Processo de Eleições Diretas (PED) realizado domingo. A apuração das urnas acabou ontem. Monteiro teve 50,3% do total de votos, enquanto todos os outros adversários, somados, receberam 49,70%. Augusto Lobato, que tinha a intenção de levar o PT para Flávio Dino (PCdoB), vai recorrer à direção nacional da sigla.

Com a vitória de Monteiro no Maranhão, está praticamente definida a reedição da aliança PT/PMDB para a eleição ao Governo do Estado em 2014, apesar de no plano nacional as duas legendas ainda discutirem o tema.

Pelo menos é o que defende Monteiro, apoiado pelo vice-governador Washington Luiz. Para ele, não há motivo algum para quebrar a aliança com o PMDB e trilhar outro caminho para as próximas eleições.

Ele entende que o PT está bem contemplado no Executivo e por isso é a favor da manutenção do acordo. “Meu candidato é Luis Fernando e a nossa aliança é com o PMDB. É claro que dependemos da posição nacional do partido. Mas de minha parte, a decisão é essa, manter e ampliar essa aliança para 2014”, defendeu ainda durante a campanha, antes da eleição de domingo.

Com menos de 24 horas de cassação, Beto Castro retorna ao cargo

Beto Castro é mantido no cargo

Beto Castro é mantido no cargo

Durou menos de 24 horas a alegria do suplente de vereador Paulo Roberto Pinto, o Carioca (PRTB). Isso porque no fim da manhã de hoje o juiz eleitoral, Sérgio Muniz, concedeu liminar ao vereador Beto Castro (PRTB).

O parlamentar havia sido cassado ontem por decisão da juíza Luzia Madeiro Nepomucena por ter fraudado documentos e mentido à Justiça Eleitoral quando registrou sua candidatura a vereador da capital.

De posse da liminar, Beto Castro agora passa a ter o direito de aguardar no cargo o julgamento do mérito da ação proposta pelo correligionário Carioca.

Carioca, por sua vez, tentará cassar a liminar para conseguir ser empossado na Câmara Municipal de São Luís. Essa novela terá novos capítulos…