Enfermeiros de UPAs do Maranhão têm salários cortados

Enfermeiros das UPAS de Codó, Timon, Coroatá e Timbiras reclamam desde ontem de cortes indevidos nas suas remunerações.

Os trabalhadores prestam serviços à Saúde do Estado por meio da terceirizada Biosaúde – que absorveu funcionários antes contratados pelo ICN e pelo Instituto Corpore, e posteriormente requisitados administrativamente pela Emserh.

Eles acusam a empresa de reduzir unilateralmente os salários.

Na maioria dos casos, os cortes variam de R$ 200 a R$ 400, mas há casos em que a redução passa de R$ 1 mil.

Alguns deles já falam em greve.

Em tempo: o contrato da Biosaúde com a Emserh é de “módicos” R$ 264 milhões, por um ano de prestação de serviços.

Com informações de Gilberto Léda

SES treina enfermeiros e coordenadores para o combate a dengue

Enfermeiros recebem treinamento pela SES

Enfermeiros recebem treinamento pela SES

Enfermeiros e coordenadores de epidemiologia dos municípios de São Luís, São José de Ribamar, Raposa, Paço do Lumiar e Alcântara participaram ontem, no Hotel Holiday Inn, em São Luís, de um treinamento promovido pela Secretaria de Estado de Saúde (SES) para as ações de vigilância epidemiológicas da dengue e assistência de enfermagem do paciente. O treinamento será realizado até sábado (27), para que possam ser qualificados os 494 técnicos dos 217 municípios maranhenses.

O treinamento tem a finalidade de discutir todo o processo de epidemiologia. Também são abordados os procedimentos laboratoriais do diagnóstico para dengue, a importância do Sistema Gerenciador de Ambiente Laboratorial (GAL), organização dos serviços de atenção voltados para dengue e as diretrizes para o Plano de Contingência da Dengue.

Em 2012 o Estado notificou 6.785 casos de dengue e, em 2013 foram 4.505 – uma redução de 33,6%. A capital teve 1.269 notificações em 2012 e 1.106 em 2013, redução de 12,8%.

Enfermeiros reivindicam 30 horas semanais no Maranhão

 

Enfermeiros ocupam a galeria da Assembleia Legislativa

Enfermeiros ocupam a galeria da Assembleia Legislativa do  Maranhão

Enfermeiros do Maranhão que reivindicam a derrubada do veto da governadora Roseana Sarney (PMDB) ao projeto de autoria da deputada Valéria Macedo (PDT) que fixa em 30 horas semanais a jornada de trabalho da categoria [causa defendida pelo blog] receberam apoio de deputados estaduais na manhã de hoje. O projeto havia sido aprovado em dois turnos em 2011 no Legislativo, mas foi vetado pelo Governo.

Os profissionais da saúde estiveram com faixas e cartazes na galeria da Assembleia Legislativa e conseguiram uma reunião com parlamentares no auditório da Casa.

Além de Valéria Macedo – enfermeira por formação – participaram do encontro os deputados André Fufuca (PSD), Cleide Coutinho (PSB), Francisca Primo (PT), Eliziane Gama (PPS), Dr. Pádua (PSD) e Bira do Pindaré (PT).

No plenário da Casa, o deputado Neto Evangelista (PSDB) afirmou que apoia a causa dos enfermeiros e disse que votará pela derrubada do veto. Ele afirmou que outros estados do país já adotaram as 30 horas semanais para os enfermeiros – que hoje ocupam cerca de 60% do total de cargos em hospitais públicos do Maranhão.

Também no plenário, Valéria Macedo afirmou que o parecer do relator do projeto, deputado Manoel Ribeiro (PTB), é pela derrubada do veto. A parlamentar prometeu uma grande marcha com profissionais de todo o estado em São Luís, que terá o objetivo de pressionar o Legislativo Estadual quanto a derrubada do veto.