HTO: cortes nos salários e carteiras de trabalho retidas

Profissionais da área da saúde que atuam no Hospital de Traumatologia do Maranhão (HTO), instalado na antiga Clínica Eldorado, reclamam da manutenção de cortes ilegais nos seus vencimentos e da retenção, também ilegal, já acumulada há meses, das carteiras de trabalho.

Os funcionários [enfermeiros e fisioterapeutas] já haviam denunciado irregularidades em dezembro do ano passado [relembre aqui].

Todos foram aprovados no seletivo realizado pela Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares (Emserh). Apesar disso, depois de meses de espera, foram admitidos pela Gerir, que é quem mantém o vínculo empregatício dos servidores desta unidade.

A Gerir, contudo, se nega, desde então, a pagar os salários fixados em edital 003/2015, de 30 de dezembro de 2015, realizado pela Fundação Professor Carlos Augusto Bittencourt e publicado no Diário Oficial do Estado, que é de R$ 2.500,00.

Tem repassado apenas R$ 2.000,00.

Outro grave problema diz respeito a retenção ilegal da carteira de trabalho dos funcionários.

Desde o ano passado, a Gerir se nega a devolver os documentos dos contratados. Pela lei, o empregador deve devolver esse tipo de documento num prazo máximo de 48 horas.

Enfermeiros e fisioterapeutas já buscaram diálogo com a direção da unidade e da empresa, mas não obtiveram respostas satisfatórias.

Enquanto isso, seguem penalizados com cortes nos salários, retenção da carteira de trabalho, falta de repouso digno e alimentação precária nos plantões.

OUTRO LADO

Em dezembro do ano passado,  a Secretaria de Estado da Saúde (SES) se manifestou sobre os cortes nos salários dos servidores. A nota, na íntegra, pode ser lida abaixo.

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) esclarece que a Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares (Emserh) realizou seletivo para contratação dos profissionais de saúde para compor quadro em qualquer das unidades da Rede Estadual de Saúde, de acordo com necessidade, independente do instituto gestor, conforme Decreto Estadual nº 31.052/2015. Sendo assim, a SES informa que os salários dos trabalhadores do Hospital de Traumatologia e Ortopedia do Maranhão seguem parâmetro estabelecido pela Organização Social a qual estão vinculados. A Secretaria comunica, também, que o Instituto realizará o pagamento referente ao valor do adicional noturno na folha de dezembro, que está sendo finalizada.

Enfermeiros de UPAs do Maranhão têm salários cortados

Enfermeiros das UPAS de Codó, Timon, Coroatá e Timbiras reclamam desde ontem de cortes indevidos nas suas remunerações.

Os trabalhadores prestam serviços à Saúde do Estado por meio da terceirizada Biosaúde – que absorveu funcionários antes contratados pelo ICN e pelo Instituto Corpore, e posteriormente requisitados administrativamente pela Emserh.

Eles acusam a empresa de reduzir unilateralmente os salários.

Na maioria dos casos, os cortes variam de R$ 200 a R$ 400, mas há casos em que a redução passa de R$ 1 mil.

Alguns deles já falam em greve.

Em tempo: o contrato da Biosaúde com a Emserh é de “módicos” R$ 264 milhões, por um ano de prestação de serviços.

Com informações de Gilberto Léda

SES treina enfermeiros e coordenadores para o combate a dengue

Enfermeiros recebem treinamento pela SES

Enfermeiros recebem treinamento pela SES

Enfermeiros e coordenadores de epidemiologia dos municípios de São Luís, São José de Ribamar, Raposa, Paço do Lumiar e Alcântara participaram ontem, no Hotel Holiday Inn, em São Luís, de um treinamento promovido pela Secretaria de Estado de Saúde (SES) para as ações de vigilância epidemiológicas da dengue e assistência de enfermagem do paciente. O treinamento será realizado até sábado (27), para que possam ser qualificados os 494 técnicos dos 217 municípios maranhenses.

O treinamento tem a finalidade de discutir todo o processo de epidemiologia. Também são abordados os procedimentos laboratoriais do diagnóstico para dengue, a importância do Sistema Gerenciador de Ambiente Laboratorial (GAL), organização dos serviços de atenção voltados para dengue e as diretrizes para o Plano de Contingência da Dengue.

Em 2012 o Estado notificou 6.785 casos de dengue e, em 2013 foram 4.505 – uma redução de 33,6%. A capital teve 1.269 notificações em 2012 e 1.106 em 2013, redução de 12,8%.

Enfermeiros reivindicam 30 horas semanais no Maranhão

 

Enfermeiros ocupam a galeria da Assembleia Legislativa

Enfermeiros ocupam a galeria da Assembleia Legislativa do  Maranhão

Enfermeiros do Maranhão que reivindicam a derrubada do veto da governadora Roseana Sarney (PMDB) ao projeto de autoria da deputada Valéria Macedo (PDT) que fixa em 30 horas semanais a jornada de trabalho da categoria [causa defendida pelo blog] receberam apoio de deputados estaduais na manhã de hoje. O projeto havia sido aprovado em dois turnos em 2011 no Legislativo, mas foi vetado pelo Governo.

Os profissionais da saúde estiveram com faixas e cartazes na galeria da Assembleia Legislativa e conseguiram uma reunião com parlamentares no auditório da Casa.

Além de Valéria Macedo – enfermeira por formação – participaram do encontro os deputados André Fufuca (PSD), Cleide Coutinho (PSB), Francisca Primo (PT), Eliziane Gama (PPS), Dr. Pádua (PSD) e Bira do Pindaré (PT).

No plenário da Casa, o deputado Neto Evangelista (PSDB) afirmou que apoia a causa dos enfermeiros e disse que votará pela derrubada do veto. Ele afirmou que outros estados do país já adotaram as 30 horas semanais para os enfermeiros – que hoje ocupam cerca de 60% do total de cargos em hospitais públicos do Maranhão.

Também no plenário, Valéria Macedo afirmou que o parecer do relator do projeto, deputado Manoel Ribeiro (PTB), é pela derrubada do veto. A parlamentar prometeu uma grande marcha com profissionais de todo o estado em São Luís, que terá o objetivo de pressionar o Legislativo Estadual quanto a derrubada do veto.