Fábio Câmara será o entrevistado de hoje na Sabatina O Estado

fabioO vereador Fábio Câmara, candidato a prefeito de São Luís pelo PMDB, será o entrevistado de hoje na Sabatina O Estado, iniciada na segunda-feira, e que tem por objetivo ouvir todos os candidatos ao Executivo da capital.

Oposição ao prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT), o peemedebista passou o período de pré-campanha inteiro reafirmando a sua candidatura. Isso porque ele não conta com o apoio das principais lideranças da sigla.

Durante os seus 3 anos e 8 meses de atuação no Legislativo Municipal [a atual legislatura se encerra em dezembro], Fábio Câmara fez inúmeras denúncias conta a gestão pedetista, principalmente em relação aos setores do transporte público e da saúde.

No setor de transporte, foi Fábio quem provocou o adiamento, em duas oportunidades, do início da licitação para o setor, após apresentar com dados indícios de vícios e direcionamento no processo.

A Sabatina O Estado será transmitida ao vivo pelo site oestadoma.com. Os internautas e eleitores poderão participar encaminhando perguntas por meio das redes sociais com a hashtag #SabatinaOEstado.

A entrevista começa às 10h e se estenderá até às 11h.sabatina 1

Quem é quem

Os principais candidatos a prefeito de São Luís entram na reta final do início do prazo de convenções em situações distintas entre si, e alguns até com perspectiva de mudança de cenário em relação ao que ocorria semanas atrás, por exemplo. Alguns casos:
Edivaldo Júnior (PDT): o prefeito ganhou fôlego com o crescimento nas pesquisas e, sobretudo, com a decisão do governador Flávio Dino (PCdoB) de criar o “consórcio de candidatos”. A jogada de Dino impede os adversários de buscar novas frentes, já que todos são “candidatos do palácio”. Edivaldo corre risco, porém, de aumentar seu desgaste com a adesão do também desgastado PT.

Eliziane Gama (PPS): a deputada ainda lidera as pesquisas, mas mostra-se cada dia mais fragilizada do ponto de vista político. Tem o PSDB, mas não tem as principais lideranças da legenda. E deve perder também o PSB. Muito por causa da própria postura ambígua, que ora vai para um lado, ora para outro.

Wellington do Curso (PP): descartado por Márcio Jerry como “candidato do palácio”, o deputado driblou a situação ao se fortalecer como “candidato independente”. Mas tem poucas lideranças atuando nos bastidores, o que dificulta a adesão de partidos e a formação de uma chapa consistente para as próximas fases da campanha.

Fábio Câmara (PMDB): o vereador conseguiu driblar a resistência das lideranças peemedebistas e se impôs como candidato. Tem agenda em Brasília, com a cúpula do PMDB, que já chancelou seu nome em São Luís. Senhor da própria decisão, Câmara tem agora condições próprias para negociar em nome da legenda da qual é presidente em São Luís, mesmo com os baixos índices nas pesquisas.

João Bentivi (PHS): o médico, jornalista e advogado, que começou empolgado, não conseguiu se viabilizar pode, inclusive, desistir da candidatura. Negociações nesse sentido estão sendo coordenadas por lideranças da legenda, que podem ir tanto para Eliziane Gama quanto para Wellington do Curso. Bentivi pode ser candidato a vereador, como uma espécie de puxador de votos da legenda.

Da coluna Estado Maior

Fábio Câmara não terá muita escolha…

fabioO vereador Fábio Câmara, pré-candidato a prefeito de São Luís, está isolado no PMDB. O peemdebista sustenta a sua pré-candidatura sem o apoio das principais lideranças do partido, o que acaba inviabilizando o seu próprio projeto.

Com desempenho tímido em todas as pesquisas de intenções de votos, Câmara não tem conseguido apresentar competitividade para a disputa eleitoral.

Mas, há a possibilidade de composição, na condição de candidato a vice-prefeito, com os demais pré-candidatos. Roseana Sarney (PMDB), por exemplo, cogita a composição de Fábio com o deputado estadual Wellington do Curso (PP). Outros nomes defendem a composição com a deputada federal Eliziane Gama (PPS).

“Teimoso”, Fábio Câmara tem mostrado resistência às propostas.

Mas, no final das contas, não terá outra alternativa…

Fábio Câmara reage a Roberto Costa e reafirma candidatura no PMDB

fabioO vereador Fábio Câmara reagiu à entrevista concedida pelo deputado estadual Roberto Costa (PMDB) no último fim de semana, e reafirmou ontem sua pré-candidatura a prefeito de São Luís.

“Quero afirmar que sou pré-candidato a prefeito de São Luís e quem falar o contrário está mentindo.Minha pré-candidatura surgiu com total apoio da minha família, dos meus amigos e da população”, afirmou o vereador, nas redes sociais.

Câmara parte para a campanha com um diferencial que ele julga importante para ser apresentado ao eleitor de São Luís: o distanciamento em relação ao projeto de poder do governador Flávio Dino e do prefeito Edivaldo Júnior.

“Eu sou o único pré-candidato que nunca estive vinculado direta ou indiretamente ao grupo do prefeito Edivaldo de Holanda Júnior e do governador Flávio Dino. Faço, fiz e farei oposição à sua gestão desde sempre”, declarou.

Fábio ignora o prazo dado por Roberto Costa,de 10 de julho, e diz que o PMDB tem tempo até o último dia das convenções, que ocorrerá em 5 de agosto.

“O partido vai discutir o projeto para São Luís até o prazo limite. E é o diretório municipal, do qual sou presidente, quem decide isso, mais ninguém”, afirmou.

Tempo curto para o PMDB

fabioEm menos de 30 dias – mais precisamente em 20 de agosto –, os partidos políticos começam a contar os prazos para definir seus candidatos a prefeito, vice-prefeito e vereadores para as eleições. E entre todos os chamados grandes partidos, o PMDB é o único que parece não ter ainda um destino definido, mesmo com um candidato a prefeito, o vereador Fábio Câmara.

As lideranças da legenda ainda discutem outros caminhos – até mesmo coligação com o prefeito Edivaldo Júnior (PDT) –, enquanto Câmara não consegue chegar ao pelotão de cima das pesquisas eleitorais.

E o prazo vai ficando cada vez mais curto para uma decisão que possa eliminar riscos para todos os lados: tanto para os interesses dessas lideranças, como para Fábio Câmara, que, no sacrifício da candidatura, pode estar abrindo mão de uma reeleição à Câmara Municipal, onde teve papel destacado no primeiro mandato.

A decisão do PMDB torna-se cada vez mais urgente exatamente porque, por trás do projeto de disputar uma eleição, tem todos os quesitos que a envolve, como por exemplo as alianças e a chapa de interessados na candidatura de vereador.

Para garantir representatividade no Legislativo municipal, o maior partido do país tem que ter quadros capazes de gerar voto – ou pelo menos uma coligação que garanta atingir o quociente eleitoral que garanta a participação no rateio das vagas.

E é exatamente por isso que o tempo fica curto.

Todos os principais partidos políticos já definiram seus caminhos na capital maranhense – seja com candidatura própria, seja em aliança com outras legendas. Assim o campo de atuação dos peemedebistas neste aspecto já está restrito.

E enquanto não de definir em relação ao caminho a seguir, o tempo vai encurtando para o PMDB. E o resultado pode ser uma inédita ausência no Legislativo municipal.

Da coluna Estado Maior, de O Estado do Maranhão

PMDB prepara projeto ‘Andrea Murad’

fábio e andreaApós o senador João Alberto (PMDB) praticamente fechar as portas para a candidatura do vereador Fábio Câmara (PMDB) à Prefeitura de São Luís, membros do partido já preparam o nome de Andrea Murad (PMDB) para a disputa na capital.

E a senha foi dada ontem mesmo, pelo senador Lobão Filho (PMDB), em entrevista a O Estado.

Edinho afirmou que em caso de impossibilidade da candidatura de Fábio, Andrea seria a saída para a legenda.

“A Andrea pode ser uma alternativa por ser uma parlamentar combativa e como não era pré-candidata não teve como ser avaliada nesta última pesquisa”, afirmou, fazendo referência a pesquisa Econométrica.

Fábio Câmara, contudo, ainda acredita que receberá o apoio da sigla para o pleito.

Mas está enganado…

 

Sem espaços no PMDB, Fábio Câmara terá de repensar projetos…

fabioA declaração do senador João Alberto, presidente do diretório estadual do PMDB em relação à candidatura do vereador Fábio Câmara à Prefeitura de São Luís, apenas evidencia uma situação nada confortável ao vereador: a falta de espaços no partido para a sua candidatura.

João Alberto declarou ao jornal O Estado do Maranhão que “não existe candidatura irreversível”, ao referir-se a Câmara, pré-candidato a prefeito.

A declaração ocorreu dias após a divulgação da pesquisa de intenções de votos Econométrica, desastrosa para o peemedebista, que sequer alcançou 3% das intenções de votos.

Sem apoio das principais lideranças do partido desde sempre, Fábio Câmara rema sozinho, há meses, contra a maré.

Apesar de ter nutrido, em alguns momentos, certo entusiasmo com a sua candidatura, parece já ter se dado conta de que o PMDB não lhe dará legenda para a disputa. E se der, não passará disso. Não terá estrutura, muito menos apoio político dos principais caciques da sigla.

Hora oportuna de repensar projetos e avaliar propostas.

Fábio Câmara retribui gesto a Andrea Murad

Fábio e AndreaO vereador Fábio Câmara (PMDB) fez uma visita de cortesia à deputada estadual Andrea Murad, nesta terça-feira, dia 07 de junho, para agradecer a colega de partido pelo gesto solidário de retirar sua pré-candidatura à Prefeitura de São Luís em prol da unidade do PMDB na disputa das eleições deste ano. A reunião aconteceu no gabinete da deputada na Assembléia Legislativa.

 — O apoio que recebi no gesto companheiro e solidário da minha amiga deputada Andrea [Murad], me sensibilizou muito — declarou ele em contato com a reportagem.

 No encontro, que foi o primeiro diálogo oficial entre eles, Fabio aproveitou para pedir ajuda de Andrea na formatação de seu plano de governo e convidou a deputada para um almoço entre pré-candidatos que será realizado, no próximo fim de semana, na sede municipal do partido, localizada no São Francisco.

 — Eu reconheço que precisamos ter unidade partidária para vencemos a eleição. Por isso estou aqui não só para agradecer o apoio da deputada, mas para pedir a sua ajuda na elaboração das diretrizes do programa de governo para nossa cidade. Além disso, aproveitou para convidá-la para um almoço entre pré-candidatos que será realizado, no próximo fim de semana, na sede municipal do nosso partido — disse.

 Durante a conversa, Andrea explicou os motivos que o levaram a abdicar da pré-candidatura e afirmou que seu gesto demonstra que ela esta disposta não só a ajudar no plano de governo, como também a apoiar a candidatura própria do PMDB, seja qual for a circunstância, seja qual for o candidato.

 — Não posso acreditar que o nosso partido seja coadjuvante na eleição mais importante como a de prefeito de São Luís. Por isso resolvi abdicar da minha pré-candidatura em prol da unidade do PMDB. O meu gesto demonstra que estou disposta a ajudar não só no plano de governo, mas por candidatura própria do PMDB, seja qual for a circunstância, seja qual for o candidato — informou.

Fábio Câmara supera Andrea em pesquisa e pode ser o candidato do PMDB

fabioO vereador Fábio Câmara deve consolidar-se como candidato do PMDB a prefeito de São Luís nas eleições 2016.

O parlamentar obteve desempenho superior ao da deputada estadual Andrea Murad na pesquisa de intenções de votos Escutec – registrada na Justiça Eleitoral sob o protocolo MA-01393/2016 -.

A pesquisa foi encomendada pelo próprio PMDB, para avaliar a situação de seus dois pré-candidatos a prefeito. Câmara, que tem feito oposição ao prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT) desde o primeiro ano de mandato, ficou numa posição de maior destaque em relação a correligionária.

O vereador obteve 5,7% das intenções de votos em um dos cenários da pesquisa, enquanto Andrea Murad ficou com apenas 3,7%.

Fábio Câmara também leva vantagem no que diz respeito à estrutura partidária. Ele jamais obteve apoio da legenda à sua empreitada. Carregou até aqui, sozinho, o desafio de disputar a eleição contra o candidato do governador Flávio Dino (PCdoB), enquanto Andrea Murad obtve o apoio, mesmo que tímido, do deputado estadual Roberto Costa (PMDB) e a simpatia do senador João Alberto (PMDB).

Resta saber agora qual será a escolha do PMDB na convenção partidária.