Flávio Dino e Weverton Rocha num jogo de faz de conta na Famem

O primeiro afirmou num recente evento que o seu grupo político dispõe de pelo menos meia dúzia de candidatos ao Governo para a eleição de 2020 e afirmou que o momento, contudo, não é para se antecipar qualquer disputa.

Agora, prega consenso para a disputa da Famem.

Foi um recado direto ao segundo, que articula-se nos bastidores para ser “ungido” pelo grupo político antecipadamente para o Executivo.

O segundo, por sua vez, movimenta-se junto ao um grupo de prefeitos para a eleição da Famem, com o objetivo de derrubar do comando da entidade, o prefeito de Tuntum, Cleomar Tema.

Ele, aliás, se propôs ontem a atacar a imprensa que tratou do assunto e de sua articulação para o pleito na entidade municipalista.

Flávio Dino sabe dos interesses e dos objetivos de Weverton, mas também tem a noção exata de que esse não é o momento para  colocá-lo no grupo como o seu sucessor. É cedo ainda.

Weverton, por sua vez, sabe que não tem, pelo menos no momento, a “benção” de Flávio Dino para se cacifar como o nome de sucessão no grupo, finge que não tem nada com a eleição da Famem e joga a culpa na imprensa.

Um jogo de faz de conta. Só teatro…

Pressionado, Tema vai a Brasília ‘lutar’ por municípios maranhenses

Com o projeto de reeleição ameaçada na Federação dos Municípios do Maranhão (Famem), o presidente da entidade que também é prefeito do município de Tuntum, Cleomar Tema (PSB), foi a Brasília em busca de melhorias para os municípios maranhenses.

A agenda foi divulgada pela comunicação da Famem. Tema se reuniu com a secretária de Relações Financeiras Intergovernamentais da Secretaria do Tesouro Nacional do Ministério da Fazenda, Priscila Santana, com o coordenador geral do órgão, Renato Andrade e com o subgerente da Associação dos Membros dos Tribunais de Contas –Atricon, João Lopes Conde.

A movimentação do socialista ocorreu na mesma semana em que se levantou um grupo de mais de 50 prefeitos contrários à sua reeleição.

A articulação política pelo comando da Famem na oposição, é liderada pelo prefeito de Igarapé Grande, Erlânio Xavier (PDT). Ele é aliado do deputado federal e senador eleito, Weverton Rocha (PDT).

Ao que tudo indica, Cleomar Tema terá muito trabalho pela frente nos dois meses que antecedem a eleição…

 

Morde e assopra

O governador Flávio Dino (PCdoB) utiliza-se da estrutura da Federação dos Municípios do Maranhão para se apresentar como salvação para prefeitos de todo o estado. Ele tem usado a entidade para convocar para um encontro, marcado para a tarde desta terça-feira, 4, em São Luís.

O encontro, no entanto, está sendo visto por prefeitos – de oposição e mesmo governistas – como uma espécie de morde-e-assopra do governador. Sobretudo depois da reunião que Dino teve com vereadores maranhenses, no mês passado.

Durante o encontro com os parlamentares municipais, o comunista chegou a exigir deles que fiscalizem duramente as prefeituras, a fim de evitar desvios de conduta e de verbas dos municípios. Chegou a insinuar, inclusive, que evitava convênios com prefeitos para impedir que os recursos sejam aplicados incorretamente.

A declaração do governador repercutiu mal entre os gestores municipais. E foi então que ele acionou seu principal aliado na categoria, o presidente da Famem, Cleomar Tema Cunha. Tema articula-se para uma eventual composição com Dino, onde possa figurar como candidato a vice-governador ou até mesmo a outro posto na chapa do comunista. E para isso tenta mostrar força entre os prefeitos.

Nos últimos 30 dias, Tema tratou de desfazer o que os aliados de Dino chamam de mal-entendido no discurso do governador. E daí o tal encontro “morde-e-assopra” programado para esta terça-feira.

Da coluna Estado Maior, de O Estado do Maranhão

Famem e MP firmam parceria para encontros regionais

O presidente e vice-presidente da Federação dos Municípios do Estado do Maranhão, prefeitos Cleomar Tema (Tuntum) e Djalma Melo (Arari), respectivamente, estiveram reunidos, esta semana, com o procurador Geral de Justiça, Luís Gonzaga Martins Coelho.

A reunião serviu para que fossem formalizadas parcerias para encontros regionais que a Famem e o Ministério Público Estadual realizarão ainda neste primeiro semestre.

O primeiro encontro abordará o tema Gestão Estratégica e será promovido pelo MPE no dia 20 deste mês na cidade de Balsas.

A entidade municipalista mobilizará os gestores e promoverá uma mesa redonda com os promotores de Justiça dos municípios vizinhos.

Já em abril, o Ministério Público participará do seminário regional que a Federação realizará na cidade de Imperatriz, na região Tocantina.

No encontro, que contará com representantes de todos os segmentos da classe política, serão abordados temas de interesse da municipalidade.

“É importante mantermos essa aproximação com o MP, uma vez que trata-se de uma instituição que luta pelos direitos da sociedade”, afirmou Cleomar Tema.

Luis Gonzaga agradeceu a parceria do presidente da entidade municipalista.

De acordo com ele, a Famem tem relevante importância no que diz respeito a orientar os gestores e fazer com que as informações cheguem de forma mais rápido aos mesmos.

Ascom Famem

Difícil retomada

Gil Cutrim é o presidente da Famem

Gil Cutrim é o presidente da Famem

Entidade criada em meados da década de 90 para fortalecer o poder de fogo dos prefeitos maranhenses nos órgãos da capital – secretarias, governos e Judiciário – a Federação dos Municípios do Maranhão se transformou em poucos anos numa das mais influentes entidades políticas do estado.

Por lá passaram, ao longo dos seus mais de 20 anos figuras emblemáticas da representação municipalista, como o ex-governador Luiz Rocha, os ex-deputados federais Paulo Marinho, Deoclides Macêdo e Ricardo Archer, e o atual deputado federal Hildo Rocha.

Mas a Famem entrou em colapso a partir da última gestão, e é hoje um arremedo de representação política. Ao longo dos últimos quatro anos a entidade definhou em importância ao ponto de se chegar a duvidar de sua existência às vésperas de um novo pleito para escolher sua representação.

Ao longo da história da entidade, os meses de novembro e dezembro, após cada eleição municipal, eram sempre os meses em que prefeitos de todo o Maranhão aportavam em São Luís nas articulações para escolha dos dirigentes que iriam representar o municipalismo maranhense.

A fraca representatividade da entidade é tanta que seus destinos deverão ser decididos de forma cartorial, entre as cúpulas do PDT, do PCdoB e do PSDB, cujas lideranças detêm o poder estadual. Ao que parece, são estas lideranças que decidirão o futuro de uma representação que deveria estar, hoje, em um patamar de discussão acima de sua atual história.

E qualquer que seja o resultado desta decisão de cúpula, os prefeitos maranhenses sabem que precisaram de força para a retomada da história da entidade.

Uma difícil retomada…

Da coluna Estado Maior, de O Estado do Maranhão

Discussões retomadas

Adriano FamemA Assembleia Legislativa discutirá esta semana, com maior profundidade, o Projeto de Lei de autoria do Poder Executivo que altera os critérios de repasses oriundos do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) aos municípios.

O projeto prevê que a repartição da parcela pertencente aos municípios deve privilegiar com maior percentual de verba as prefeituras que apresentarem melhor desempenho no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).

O tema, polêmico, será debatido na quinta­feira, dia 5, junto à Federação dos Municípios do Maranhão (Famem), numa ampla audiência pública proposta pelo deputado estadual Adriano Sarney (PV).

Na semana passada, o presidente da entidade, Gil Cutrim (PDT), prefeito de São José de Ribamar, passou a ser pressionado pelo Palácio dos Leões, por não ter se posicionado, até aquela ocasião, sobre a proposta.

O líder do Governo na Assembleia Legislativa, deputado Rogério Cafeteira (PSC), chegou a utilizar a tribuna da Casa para afirmar que o Legislativo não poderia ficar “ad eternum” [expressão latina que significa infinito aguardando por uma posição da Famem.
Uma ameaça cristalina de que a base governista poderia a qualquer momento, colocar o projeto em votação, mesmo sem a participação dos prefeitos – atingidos diretamente com a proposta.

Foi então que o deputado Adriano Sarney promoveu, no seu gabinete, uma reunião com o comando da Famem para tratar do tema e agendou para dia 5 a audiência pública.

Resta saber se o Governo acatará as propostas da entidade para uma possível reformulação do projeto.

Da Coluna Estado Maior

Gil Cutrim pressionado por deputados governistas

16/10/2012.Crédito:Karlos Geromy/OIMP/D.A.Press.Brasil.São Luís-MA. Gil Cutrim, prefeito eleito do município de São José de Ribamar, visita o Jornal O Imparcial.

Crédito:Karlos Geromy/OIMP/D.A.Press.Brasil

O presidente da Federação dos Municípios do Maranhão (Famem), Gil Cutrim (PDT), prefeito de São José de Ribamar, tem sido pressionado pela bancada governista na Assembleia Legislativa a posicionar-se a respeito do Projeto de Lei, de autoria do Executivo, que altera os critérios de repasses oriundos do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) para os municípios.

O líder do Governo na Casa, deputado Rogério Cafeteira (PSB), afirmou que o Legislativo não pode esperar “eternamente” pela Famem para votar a matéria.

“Nós não podemos também ficar inertes, porque vossa excelênciajá falou, e eu concordo: juntar 217 prefeitos é bastante difícil. Mas nós temos que abrir a discussão. Vai chegar um momento em que a gente vai ter que votar o projeto, mesmo que se decida contra. Ele tem que ser votado. Nós não podemos ficar ad eternum[expressão latina que significa até o infinito] esperando uma posição”, afirmou.

Já o deputado Alexandre Almeida, questionou o silêncio de Gil Cutrim. “Eu acho a ideia fantástica [projeto de lei], eu concordo com todos que entendem ser de fato um caminho efetivo para a gente estimular os municípios a investirem na educação e se preocuparem com resultados […]. O que está me causando estranheza é o distanciamento da Famem. O que me deixa preocupado é o distanciamento dos prefeitos em relação à Assembleia, sobretudo por conta deste projeto”, completou.

Apesar de toda a pressão, Gil Curtrim se mantém fora do debate sobre o tema. E ninguém sabe por qual motivo…

A crise entre o Governo e as prefeituras

Flávio Dino enfrenta fortes críticas de prefeitos

Flávio Dino enfrenta forte pressão de prefeitos

Os dois lados tentam manter as aparências públicas, mas o clima entre o governador Flávio Dino e os prefeitos maranhenses não ficou amistoso após a Marcha Municipalista promovida pela Federação dos Municípios. A passagem do governador teve forte repercussão negativa, tanto entre os gestores municipais quanto pelo que falou à imprensa.

De lá para cá, o que se ouve são reclamações dos prefeitos de que o governo recusou-se a atender pedidos pela liberação de recursos de convênios, dando de ombro ao apelo para recuperação dos municípios. E de lá para cá o que se vê nas redes sociais é uma discreta, mas intensa troca de farpas entre o chefe da Articulação Política de Dino, jornalista Márcio Jerry, e o presidente da Federação dos Municípios, Gil Cutrim.
E diante dos discursos de quase clamor dos prefeitos, o governador ainda ironizou, cobrando deles que se posicionassem a favor da criação da nova CPMF, com alíquota de 0,38%.

Desde então, os prefeitos entenderam o recado: pelo menos em 2015 – e muito menos em 2016, que é ano eleitoral, com restrições, portanto, à realização de convênios e parcerias – os municípios não poderão contar com recursos do governo do Estado para tentar salvar o orçamento.

E agora chega o fim do ano e o 13º salário. Será um “deus nos acuda”.

Um “Deus nos acuda”, Da coluna Estado, de O Estado do Maranhão

Flávio Dino diz que CPMF “tá fazendo falta” e defende volta do imposto

dino6Gilberto Léda – Depois de atacar até a imprensa para negar que tenha sido dele a ideia de reinstituir a CPMF com alíquota de 0,38%, durante encontro com a presidente Dilma Rousseff (PT), no mês de setembro (reveja), o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), derrubou ele mesmo a própria máscara na manhã desta sexta-feira (30).

Ao discursar para uma plateia de prefeitos maranhenses, na I Marcha Municipalista do Maranhão, evento promovido em São Luís pela Federação dos Municípios do Estado do Maranhão (Famem), o comunista defendeu abertamente a volta da CPMF, ou de “outra coisa no lugar” dela.

“A CPMF não foi criada na semana passada, a CPMF existiu durante dez anos no Brasil, com alíquota de 0,38%, não era alíquota de 0,20%. E aí, por um momento, o Congresso resolveu acabar com a CPMF. Tá fazendo falta. Ou bota a CPMF ou bota outra coisa no lugar”, disse.

E foi mais longe: criticou gestores públicos que são contra a volta do chamado imposto do cheque.

“Me espanta um gestor público que é contra a volta da CPMF”, completou.

E, assim, cai mais uma farsa…

Clique aqui ou no quadro abaixo e ouça a declaração do governador.

Prefeitos maranhenses irão apresentar pleitos ao Governo Federal

francisco escórcioPrefeitos dos 52 municípios maranhenses que apresentaram os piores Índices de Desenvolvimento Humano, de acordo com o Atlas do IDH 2013, estarão em Brasília, este mês, discutindo com representantes do Governo Federal a elaboração e execução de ações que possam modificar este quadro negativo.

 Graças a uma articulação do deputado federal Francisco Escórcio (PMDB), que pediu , que foi quem interviu junto ao Governo Federal para que ocorresse o encontro a audiência com os prefeitos maranhenses.

O presidente da Federação dos Municípios do Estado do Maranhão (Famem), Gil Cutrim (PMDB), também atuou na articulação com Chiquinho Escórcio.

“O objetivo é colocar estes prefeitos e prefeitas em contato direto com os representantes do Governo Federal e deixá-los à vontade para expor a problemática de cada um dos seus municípios. Problemática, esta, que, na maioria dos casos, contribuiu para que estas cidades apresentassem índices baixos de desenvolvimento humano”, explicou Gil Cutrim.

“Depois de expormos a situação destes municípios, iremos ouvir os ministros e cobrar soluções no sentido de reverter este quadro negativo constatado nestas 52 cidades”, completou o presidente.

A programação da caravana municipalista maranhense tem início no dia 19 com uma reunião com o ministro da Educação, Aloizio Mercadante. O encontro acontece no auditório do edifício sede do Ministério no horário das 14h30 às 18h.

No dia 20, prefeitos e prefeitas estarão reunidos com o Ministro da Saúde, Alexandre Padilha, no auditório Emílio Ribas, situado no térreo do MS, das 9h ao meio dia.

Figuram na lista dos piores IDH do Maranhão as seguintes cidades: Fernando Falcão, Marajá do Sena, Jenipapo dos Vieiras, Satubinha, Água Doce do Maranhão, Lagoa Grande do Maranhão, São João do Caru, Santana do Maranhão, Arame, Primeira Cruz, Conceição de Lago-Açu, Belágua, Aldeias Altas, São Roberto, São Raimundo do Doca Bezerra, Pedro do Rosário, São João do Sóter, Centro Novo do Maranhão, Santo Amaro do Maranhão, Itaipava do Grajaú, Brejo de Areia, Serrano do Maranhão, Amapá do Maranhão, Araioses, Governador Newton Bello, Cajari, Santa Filomena do Maranhão, Milagres do Maranhão, São Francisco do Maranhão, Afonso Cunha, Timbiras, Bacurituba, Cachoeira Grande, Capinzal do Norte, Bom Jardim, Senador Alexandre Costa, São Luís Gonzaga do Maranhão, Passagem Franca, Feira Nova do Maranhão, Araguanã, Duque Bacelar, Matões do Norte, Humberto de Campos, Turilândia, São Benedito do Rio Preto, Pio XII, Parnarama, Vargem Grande, Centro do Guilherme, Governador Luiz Rocha, Boa Vista do Gurupi e Mirador.