Cafeteira garante ida de Felipe Camarão à Assembleia Legislativa

O líder do Governo na Assembleia Legislativa, deputado Rogério Cafeteira (PSB), assegurou disposição do secretário de Estado da Educação, Felipe Camarão, em prestar esclarecimentos aos deputados.

Na sessão de ontem, dois requerimentos de autoria do deputado Wellington do Curso (PP) foram indeferidos pela Mesa Diretora. Os requerimentos solicitavam informações a respeito de obras de reforma e construção de escolas em todo o estado.

“Talvez tenha acontecido algum ruído na comunicação. O próprio secretário Felipe Camarão pediu que o requerimento nem fosse votado, para que ele pudesse ir pessoalmente responder aos questionamentos. Ele já garantiu que irá a Assembleia Legislativa, vamos só agendar uma data”, afirmou Cafeteira.

Resta aguardar o cumprimento da promessa…

Flávio Dino exalta a entrega de ar-condicionado como melhoria na educação de Porto Franco

Flávio Dino ar-condicionado

O governador Flávio Dino (PCdoB) exaltou, em seu perfil em rede social, a entrega de um aparelho de ar-condicionado a uma escola de Porto Franco, como melhoria de qualidade da educação do município.

A entrega foi executada pelo secretário de Estado da Educação, Felipe Camarão, na última terça-feira.

Dino publicou a foto do secretário realizando a entrega e destacou o feito: “Secretário Felipe Camarão visitando Porto Franco e levando equipamentos para melhorar escolas da cidade”, disse.

A manifestação do governador, eleito sob o discurso do “novo e da mudança” em 2014, provocou a reação imediata de seus seguidores no Facebook, que criticaram a exaltação a entrega de um aparelho de ar-condicionado.

Crise – A manifestação de Flávio Dino sobre a entrega de um aparelho de ar-condicionado para Porto Franco, ocorreu em meio a uma crise entre o Governo do Estado e os professores da rede pública estadual.

Os professores exigem reajuste salarial de 11,36%, infraestrutura das escolas, segurança e melhores condições de trabalho.

Na semana passada o Sinproesemma informou, por meio de nota, que não conseguiu chegar a um acordo com a Secretaria de Estado da Educação a respeito da proposta de reajuste salarial.

 Benedita Costa, presidente do sindicato, cobrou a inclusão do reajuste dos salários na elaboração da peça orçamentária para 2016, embora tal peça já tenha sido aprovada desde o ano passado. O Legislativo Estadual trabalhará neste segundo semestre, a peça para o orçamento de 2017.

O Movimento Resistência dos Professores (MRP) que diverge da condução do Sinproesemma – que era liderado por Júlio Pinheiro (PCdoB), também tem cobrado o reajuste salarial da categoria e pressionado o governador Flávio Dino.

Com informações de O Estado

Governo dispensa licitação em contrato de quase R$ 5 milhões na Educação

Contrato tem validade de até 60 dias
Dispensa na EducaçãoO secretário de Estado da Educação, Felipe Camarão, autorizou a dispensa de licitação para um serviço classificado como emergencial, de apenas 60 dias, que custará aos cofres públicos quase R$ 5 milhões.

A dispensa, publicada no Diário Oficial do dia 8 deste mês, ocorre em favor da empresa Classi Segurança Privada Ltda, que presta serviços especializados em vigilância armada e ostensiva, diurna e noturna. Os serviços, no contrato, são destinados às escolas e prédios administrativos vinculados à Secretaria de Estado Educação, na Unidade Regional de Ensino São Luís [São Luís, Raposa, São José de Ribamar e Paço do Lumiar].

O contrato – firmado sem licitação -, tem o valor mensal de R$ 2.498.560,84 milhões. O valor global pelo prazo de até 60 dias é de R$ 4.997.121,68 milhões.

 Vale ressaltar, mais uma vez, que as dispensas de licitação no governo anterior eram duramente criticadas pelo governador Flávio Dino (PCdoB) enquanto este esteve na oposição.

Mas, parecem que se tornaram prática na atual gestão…

Felipe Camarão assume a Educação do Estado após queda de Prazeres

FlavioDInotwitterO governador Flávio Dino (PCdoB) anunciou há pouco, em seu perfil do twitter, a queda de Áurea Prazeres na Secretaria de Estado da Educação. Para o lugar de Prazeres Dino nomeou Felipe Camarão, que no mês passado havia sido anunciado na Secretaria de Estado de Governo.

Já para o lugar de Camarão o indicado foi o diretor geral do Departamento Estadual de Trânsito do Maranhão (Detran), Antônio Nunes.

Larissa Abdalla assume o lugar de Antônio Nunes no Detran. Com isso, Dino fecha a segunda etapa da reforma administrativa em menos de dois meses.

Desprestígio

Flávio Dino e Marcelo Tavares

Flávio Dino e Marcelo Tavares

De toda a reforma administrativa anunciada ontem pelo governador Flávio Dino (PCdoB), duas coisas ficaram ainda mais evidentes: o desprestígio dos secretários Marcelo Tavares (PSB) na Casa Civil e de Delma Andrade no Turismo.

Seguidamente esvaziado no Governo desde o início da atual gestão, Tavares, que tem optado por fugir dos holofotes, perdeu a prerrogativa e o peso de articulador que cabe especificamente a todo e qualquer secretário-chefe da Casa Civil.

A criação da Secretaria de Governo, pasta que terá como titular Felipe Camarão, só evidencia ainda mais o enfraquecimento de Tavares, que chegou inclusive a ser cogitado para comandar a Emap, como asseguram fontes da coluna.

Felipe Camarão ficará “mais próximo” do gabinete do governador, como adiantou o próprio Flávio Dino na última sexta-feira, e fará a interlocução com os demais secretários, aliados e auxiliares do comunista, prerrogativa que, pelo menos na teoria, caberia a Tavares.

Também desprestigiada no Governo, Delma Andrade “caiu” do comando da Secretaria de Estado do Turismo para a condição de ajunto de Diego Galdino, titular da nova pasta criada com a fusão de Turismo e Cultura.

Em choque com subordinados da pasta, Andrade não conseguiu, durante o período em que esteve no comando da Setur, apresentar resultados expressivos para o Estado, por isso a sua substituição no setor.

Mais mudanças devem estar por vir.

Da coluna Estado Maior, de O Estado do Maranhão

Flávio Dino fará balanço e poderá apresentar mudanças no governo

flávio deslumbradoO governador Flávio Dino (PCdoB) reunirá a imprensa na manhã de hoje, no Palácio dos Leões, para fazer um balanço do seu primeiro ano de governo.

A equipe do chefe do Executivo marcou para às 10h de hoje, uma entrevista coletiva, que poderá contar com a presença de lideranças do Governo, tanto do primeiro escalão da administração pública, quanto da Assembleia Legislativa.

Apesar de a assessoria do governador ter garantido que a coletiva se trata de uma conversa informal, onde Dino fará apenas uma avaliação de sua gestão, a expectativa é de que ele faça o anúncio das primeiras mudanças na estrutura do seu secretariado.

Se Dino mantiver inalterado aquilo que conversou com membros do próprio Governo e com integrantes da bancada governista no legislativo, é provável que ele anuncie, ainda hoje, a junção de pastas e alteração nos comandos de algumas secretarias.

Na última sexta-feira, durante agenda de trabalho, Flávio Dino adiantou a primeira mudança que deverá ocorrer este ano no Executivo.

Ele assegurou que o secretário Felipe Camarão deixará a Cultura logo após o Carnaval, que ocorrerá no início do próximo mês. Na ocasião, contudo, ele não revelou qual seria o destino de Camarão.

“Ainda vamos definir para onde ele vai. O certo é que será uma secretaria mais próxima a mim”, resumiu.

O nome de Camarão já chegou a ser cogitado, nos bastidores, na Casa Civil, na Educação e numa outra pasta que deve ser criada a partir da junção de secretarias ordinárias.

A expectativa também é de que Flávio Dino termine a fusão entre as secretarias de Comunicação, Cultura e Turismo. O titular da Secretaria de Assuntos Políticos, Marcio Jerry (PCdoB), uma espécie de braço-direito de Dino, exerça a função.

Segurança – Na semana passada o governador Flávio Dino determinou a exoneração do coronel Marco Antônio Alves do comando-geral da Polícia Militar do Maranhão.

A exoneração ocorreu logo após o estopim de nova crise na corporação. No dia 8 deste mês, período em que Dino ainda estava de férias, o tenente-coronel Miguel Neto, então comandante do 15º Batalhão da PM em Bacabal, apontou uma arma para um cabo da corporação e seu advogado, durante a apresentação do subordinado ao comandante.

O advogado acabou gravando um vídeo do momento da confusão, que repercutiu negativamente para a Polícia Militar nas redes sociais e na imprensa local.

Os praças do 15º Batalhão da PM chegaram a tentar dar voz de prisão ao comandante, mas ele foi escoltado uma equipe de atuação especial da PM até São Luís. A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) pediu a exoneração imediata do tenente-coronel do comando do 15º Batalhão.

Mas, o coronel Alves, ainda no comando-geral da PM, promoveu Miguel Neto ao cargo de Chefe do Estado Maior da corporação, o que provocou revolta entre praças e agentes de Segurança Pública.

Dias depois, Alves deixou o comando da polícia no Estado.

Flávio Dino anuncia saída de Felipe Camarão da Cultura e artistas reagem

Camarão 1Não foi bem recebida pelos artistas maranhenses a informação do governador Flávio Dino (PCdoB) de que o secretário de Estado da Cultura, Felipe Camarão, deixará o cargo depois do Carnaval.

Flávio Dino afirmou na manhã de hoje que o secretário assumirá outra pasta em fevereiro.

– Ainda vamos definir pra onde ele vai, o certo é que será uma secretaria mais próxima a mim – explicou.

Camarão 2

Foi o bastante para que artistas locais iniciassem uma campanha, nas redes sociais, pela permanência do secretário.

Cesar Boaes publicou em seu perfil, no Facebook, um banner com a imagem de Felipe e um apelo: “Campanha fica Felipe e melhora mais a inda!!!”.

Na descrição da imagem, ele completou o apelo: “Compartilhem!!! Quando dá certo alguém na pasta da Secretaria de Cultura tiram o secretário? Governador deixa Felipe Camarão. Estou lançando esta campanha”.

Mano Borges comentou em seguida. “Se for verdade é uma perda para as artes do Maranhão. Esse jovem e talentoso secretário vem desenvolvendo um belíssimo trabalho”.

Apesar da manifestação dos artistas, Dino parece já ter tomado a sua decisão. Felipe deixará mesmo a pasta…

Felipe Camarão esclarece convocação de PMs e bombeiros

Felipe Camarão

Felipe Camarão fala sobre concurso da PM

Jorge Aragão – Em entrevista a Rádio Mirante AM, ao programa Acorda Maranhão, na manhã desta quarta-feira (07), o secretário de Gestão e Previdência do Governo do Maranhão, Felipe Camarão, dirimiu as dúvidas sobre a convocação dos mil excedentes do concurso da Polícia Militar.

Inicialmente o secretário abordou a polêmica sobre a existência ou não de excedentes no concurso e falou ainda que já existe um parecer da PGE, baseado em decisões da Justiça, favorável a modificação do Edital sem prejuízo aos candidatos que participaram do concurso.

“Sinceramente não consegui enxergar motivo para tanta polêmica, a decisão do governador Flávio Dino já havia sido tomada também na gestão passada, tanto que temos um parecer da Procuradoria Geral do Estado desde 2013 favorável a convocação de mais candidatos. O parecer inclusive é muito bem fundamentado que cita decisões de diversos tribunais, incluindo STF e STJ em casos análogos, e aqui mesmo já foi feito anteriormente no concurso da Polícia Civil. Não existe a necessidade de passar sequer pela nossa Assembleia, apenas uma publicação no Diário Oficial e dar publicidade a essa modificação, afinal não existirá prejuízo a nenhum candidato”, afirmou Camarão.

O secretário também garantiu que todos os demais itens do Edital serão respeitados, incluindo a regionalização e a proporcionalidade.

“Tirando a cláusula que afirma que só seriam convocados os três mil primeiros colocados, todas as demais serão mantidas e respeitadas. O concurso continuará sendo regionalizado e todas as proporcionalidades serão respeitadas, enfim todas as regras do Edital serão seguidas”, assegurou.

Felipe Camarão afirmou ainda que o governador Flávio Dino determinou urgência para a convocação dos excedentes, mas ele não quis amarrar um prazo específico, mas fez uma previsão de que em no máximo em três meses os convocados devem estar realizando os testes físicos.

“O Decreto já foi publicado e já estamos tomando todas as providências, agora vamos ter que recontratar a empresa para dar continuidade ao certame, pois o contrato com a Fundação Getúlio Vargas acabou. Depois disso iremos fazer a reclassificação do concurso. Não quero precisar uma data para não ser leviano e não criar expectativa, mas acredito que no máximo em três meses os convocados já estarão até fazendo o Teste de Aptidão Física”, finalizou.

De como Márcio Jerry é nocivo ao governo Holandinha…

Do blog de Marco D’Eça – Nem mesmo a cúpula da administração Edivaldo Holanda Júnior (PTC) tem mais dúvidas do prejuízo que o secretário de Comunicação Márcio Jerry (PCdoB) causa para o prefeito.

Edivaldo comete erro e empossa Marcio Jerry

Edivaldo comete erro e empossa Marcio Jerry

Incompetente na gestão da comunicação institucional, Jerry faz questão de mostrar que está ali não por Holandinha, mas pelos interesses do PCdoB e de seu patrono, Flávio Dino. Dane-se a prefeitura; dane-se os aliados do prefeito.

O exemplo mais recente desta nocividade é o caso envolvendo Felipe Camarão na Secretaria de Urbanismo.
O grupo mais próximo de Edivaldo Holanda Júnior tem convicção de que Márcio Jerry agiu para queimar Camarão e forçar a sua saída da Semurh, atendendo aos interesses políticos dos comunistas.
Jerry não tinha mais necessidade alguma de divulgar a nota – que aliás, havia sido pedida dois dias antes pelo jornal O EstadoMaranhão – e só o fez para que o assunto não saísse da mídia, como queriam o prefeito e os seus aliados mais próximos.
Além da nota, o secretário fez questão de continuar comentando o caso a tarde inteira de ontem no Twitter, provocando a equipe do jornal, como se quisesse forçar para que a matéria sobre Felipe fosse publicada.
E só não conseguiu seu intento por causa da serenidade da equipe do jornal, que já havia percebido sua intenção de forçar um escândalo contra Felipe Camarão.
Tudo começou ainda na segunda-feira.
De posse da informação de que a Advocacia-Geral da União não havia liberado Felipe Camarão para assumir a Semurh, o jornalista Ronaldo Rocha entrou em contato com o próprio. Camarão confirmou a pendência com a AGU e disse que, apesar de nomeado, teve o ato tornado sem efeito até que fosse resolvida a pendência.
Mas Ronaldo Rocha conversou também com Márcio Jerry.
O titular da Seconzinha reafirmou que Camarão era o secretário sim! Ronaldo Rocha então revelou a ele que o próprio Felipe havia dito que não era secretário. Jerry ficou alguns segundos em silêncio e disse que iria responder por escrito, desligando imediatamente o telefone.
Numa conversa com o próprio Felipe Camarão, o titular deste blog, que é editor de política de O Estado Maranhão, avaliou a situação e entendeu que a matéria não tinha razão de ser, decidindo não publicá-la.
O assunto já havia sido esquecido quando, ontem à tarde, Márcio Jerry divulgou uma nota oficial da Seconzinha admitindo o que ele mesmo havia negado dois dias antes: que Felipe Camarão, diante da pendência com a AGU, apesar de ter sido empossado, nunca foi efetivado no comando da Semurh.
Diante da nova revelação, o titular deste blog orientou sua equipe a apurar o caso.
Os jornalistas encontraram documentos e atos do Diário Oficial do Município que embasavam uma reportagem mais ampla.
Em conversa com o próprio Felipe e com outros secretários da cúpula do governo Holandinha, a jornalista Carla Lima percebeu a surpresa destes com a divulgação da nota. Segundo eles, Márcio Jerry já havia sido orientado a não mais tratar o assunto.
Ao que tudo indica – segundo os próprios holandistas – o lugar-tenente do comunismo maranhense decidiu divulgar uma nota que havia negado dois dias antes apenas para que o caso voltasse à mídia, criando mais constrangimento para o desafeto Felipe Camarão.
Mesmo assim, a equipe do titular deste blog decidiu não mais abordar o caso.
Felipe Camarão soube disso, Eivaldo Júnior soube disso, mas Márcio Jerry não. E, como um tolo, passou a a espernear contra a equipe do jornal O EstadoMaranhão na rede social Twitter.
Foram diversos tuítes, com agressões até pessoais contra jornalistas, numa tentativa de criar uma prevenção a uma eventual reportagem sobre o assunto.
As agressões só arrefeceram quando o também membro da equipe de política de O Estado, Gilberto Léda, encaminhou imagens de documentos a Jerry, com a pergunta: “tu conheces esta assinatura? Se conhece, para de ficar falando bobagem no twitter”.
O documento, em poder dos jornalistas, comprova pelo menos uma mentira na nota emitida por Márcio Jerry.
As tuitadas do secretário imediatamente chegaram ao conhecimento do próprio prefeito, de Felipe Camarão, outros auxiliares da administração e até do ex-deputado Edivaldo Holanda, que já havia advertido o secretário de Comunicação do excesso de participação na internet.
Os membros do governo não tiveram dúvidas da intenção do comunista em criar embaraços para aqueles que atrapalham o plano do seu partido dentro da prefeitura.
E já sabem do quão nocivo Márcio jerry é para a administração Holandinha.
Mas não foi por falta de aviso…

 

 

Secom diz que Felipe Camarão é “assessor informal” do prefeito

Felipe Camarão jamais assumiu a secretaria de Urbanismo

Felipe jamais assumiu a secretaria de Urbanismo

Apenas hoje a Prefeitura de São Luís admitiu o que O Estado e este blog havia revelado na terça-feira. Impedido de atuar na equipe de governo do prefeito Edivaldo Holanda Júnior pela Advocacia Geral da União (AGU), o procurador Felipe Camarão jamais exerceu a função de secretário na atual administração. Isso, mesmo após ter sido nomeado para o posto.

Em nota de esclarecimento enviada ao titular do blog, [havia sido pedida ontem] a Secretaria de Comunicação confirmou que Camarão não integra a equipe de governo e atua apenas como “assessor informal” do prefeito.

Ontem, após o próprio Felipe reafirmar que não havia sido cedido pela AGU e garantir que o ato de nomeação e posse tornaram-se para ele sem efeito, além de explicar que seu nome nunca constou na folha de pagamento do Município, Márcio Jerry, secretário de comunicação da Prefeitura, afirmou que o procurador era sim secretário, mas que estava com algumas pendências na Procuradoria. Confrontado com as informações do titular do blog, recuou ao silêncio e preparou a nota, para quase 24 horas depois ser disponibilizada. É a comunicação batendo cabeça na atual administração…

Vencida a questão sobre a atuação ou não de Felipe Camarão no Município – reforço -, por explicação do próprio procurador e não pela nota da Secom, ficam alguns questionamentos:

Que transparência é essa que após quase seis meses de gestão, a própria Comunicação não sabe ao certo quem é e quem não é secretário do novo governo?

Quando é que o prefeito pretendia dizer a população que na verdade o adjunto de Urbanismo [Antonio Araújo Costa] atua como secretário e o secretário nomeado é apenas um mero “assessor informal”?

Afinal de contas, como está a situação de Francisco Gonçalves, Alan Kardec e Vinicius Nina na Prefeitura? Estariam estes com problemas semelhantes ao de Felipe junto aos órgãos federais aos quais atuam?

A nota começa afirmando que o tema sobre Felipe Camarão se tratava de “especulação”. Onde estavam as especulações, se na verdade tudo que foi dito por este blog e imprensa foi confirmado pelo próprio procurador?

E quem assina os documentos referentes a Habitação – a exemplo do Minha Casa Minha Vida – por Geraldo Castro, uma vez que nem secretário ele é?

Abaixo a Nota de Esclarecimento da Prefeitura de São Luís

Acerca de especulações envolvendo a Secretaria Municipal de Urbanismo e Habitação, a Prefeitura de São Luís informa que:

 1)     Convidado pelo prefeito Edivaldo Holanda Júnior para assumir a Secretaria Municipal de Urbanismo e Habitação, o advogado e servidor público federal Felipe Camarão aguarda solicitação de sua liberação junto à Advocacia Geral da União (AGU), conforme processo instaurado desde que aceitou a incumbência;

 2)     Felipe Camarão foi simbolicamente empossado, dada a iminência de ser liberado pela AGU, mas jamais assumiu efetivamente o cargo nem tampouco, por conseguinte, recebeu qualquer tipo de remuneração;

 3)     Enquanto aguarda a definição do pedido de liberação, Felipe Camarão trabalha normalmente no escritório da AGU em São Luís e fora do expediente normal, na condição de cidadão pleno de direitos, atua como assessor informal do prefeito Edivaldo Holanda Júnior;

 4)     A Secretaria Municipal de Habitação e Urbanismo, nesse período e até que Felipe Camarão seja liberado pela AGU, está sendo gerida pelo arquiteto Antonio Araújo, efetivamente nomeado como Secretário Adjunto;

 5)     O prefeito Edivaldo Holanda Júnior aguarda o atendimento do pleito encaminhado à AGU solicitando a liberação do servidor Felipe Camarão, como outrora já feito para que ele servisse ao governo do Estado, na condição de coordenador do PROCON, e à Universidade Federal do Maranhão, como procurador.