Vereador de Governador Nunes Freire é executado

vereador curióO vereador de Governador Nunes Freire, Esmilton Pereira dos Santos, de 45 anos, foi executado ao chegar a sua residência, num povoado da cidade. O crime aconteceu por volta das 22h30 de ontem.

A violência foi tamanha que, segundo informações da própria Polícia Militar, foram encontradas mais de 15 perfurações de bala no corpo do vereador Esmilton. O parlamentar que estava no seu quarto mandato e buscava reeleição pertencia ao PRB.

Apesar de ser natural de Lago Verde, Esmilton fez carreira política em Governador Nunes Freire. O parlamentar era conhecido como o vereador dos pescadores. Esmilton, segundo seus dados junto a Justiça Eleitoral, era solteiro e pretendia gastar algo em torno de R$ 10 mil para tentar sua nova reeleição.

Ao que tudo indica, infelizmente, foi mais um crime de encomenda praticado no Maranhão. Entretanto, resta saber se a execução do vereador Esmilton tem algo a ver com a política partidária, afinal estamos em ano eleitoral e em plena campanha.

Segundo – O curioso é que em 2014, outro vereador de Governador Nunes Freire foi assassinado. No dia 10 de março, morreu o vereador Paulo Lopes Sales (PT), 36 anos, após ter sido encontrado com várias fraturas no crânio, por suposto espancamento, na BR-316, entre Governador Nunes Freire e Maracaçumé, no dia 1º de março.

Naquela oportunidade, a Direção Estadual do PT, através do presidente Raimundo Monteiro, levantou a possibilidade de crime político.

Informações de Jorge Aragão

Blogueiro assassinado havia relatado ameaças de morte na quinta-feira

italoitalo2Ítalo Diniz, blogueiro que fazia a cobertura política do município de Governador Nunes Freire e região, havia relatado na quinta-feira, um dia antes de ter sido covardemente assassinado, ter sofrido ameaças de mortes.

O relato do blogueiro foi feito num grupo de bate do aplicativo WhatsApp onde jornalistas e blogueiros discutem pautas de seus municípios.

Na ocasião, Ítalo não revelou nomes, mas disse que já havia sido vítima de ameaças de “prefeitos, vereadores, capachos e seguranças”.  Ele disse já haver registrado boletins de ocorrência na delegacia local.

O blogueiro foi morto na noite de ontem na Rua do Evangelho, por dois homens que pilotavam uma motocicleta. Ítalo estava na companhia do também blogueiro Weberth Saraiva, que foi alvejado por três tiros, mas sobreviveu.

Uma testemunha afirmou ao blog de Jerivânio que o assassino ainda chegou a descer da moto para certificar de que Ítalo estava realmente morto.

O crime pode ter sido por encomenda…

Cemar condenada a indenizar família de vítima de choque elétrico

A Cemar deverá pagar indenização por danos morais no valor de 300 salários mínimos, o que equivale a R$ 163.500,00, à família de um lavrador que morreu em decorrência de choque elétrico no município de Governador Nunes Freire, em 8 de março de 2005. Além disso, a concessionária de energia elétrica ficará responsável pelo pagamento de pensão à viúva e a cada uma das sete filhas menores do casal, no valor de dois terços do salário mínimo. Todas as pensões são devidas a partir da data do acidente, terminando a da viúva na data em que a vítima completaria 65 anos, e a das filhas na data em que completarem 24 anos.

Decisão unânime da 4ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA), na sessão desta terça-feira, 28, negou provimento ao recurso da Cemar e manteve a sentença do juiz Anderson Sobral de Azevedo, da comarca de Governador Nunes Freire, em novembro de 2007. Os desembargadores entenderam que a Cemar não conseguiu comprovar a alegação de que o acidente teria ocorrido por culpa exclusiva da vítima.

A disputa judicial teve início com uma ação de indenização por danos morais que a viúva moveu em seu nome e representando as filhas menores do casal. Ela alegou que o marido morreu depois de se encostar num fio ligado a um poste na Estrada da Comasa. Argumentou que o lavrador era a única fonte de sustento de toda a família. O juiz julgou parcialmente procedente o pedido e fixou os valores das pensões e da indenização com correção monetária.

 

Apelação – No recurso de apelação, a Cemar sustentou que a vítima sofreu o choque elétrico porque estaria manuseando o poste sem autorização da concessionária, sem conhecimento técnico ou equipamento básico de segurança, tentando retirar uma peça denominada “estai” do poste, com o objetivo de fazer ligações clandestinas na rede elétrica pública. Alegou que o procedimento teria causado o rompimento de uma peça, deflagrando o curto-circuito.

A relatora, desembargadora Anildes Cruz, disse que não ficou comprovada a alegação da empresa, nem o hábito de procedimento da vítima ou sequer a existência de ferramentas no local do acidente. Considerou ter ficado configurada a omissão da concessionária na manutenção da rede, posto que esta originalmente não possui energia elétrica e não havia qualquer proteção para impedir que pessoas tivessem contato com a peça, que estava com eletricidade. Acompanharam o voto da relatora os desembargadores Jorge Rachid (revisor) e Lourival Serejo, em parcial acordo com parecer da Procuradoria Geral de Justiça.

Fonte: Assessoria TJ