Rodoviários asseguram paralisação de 100% da frota de ônibus em São Luís

O Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Maranhão assegurou há pouco paralisação de 100% da frota de ônibus em São Luís.

Na noite de ontem, uma decisão da Justiça do Trabalho determinou circulação de 60% da frota, sob pena de multa ao sindicato.

Não adiantou.

Os trabalhadores prometem ignorar a decisão e manter a “greve geral” até às 18h de hoje.

Até o momento, 7h30, não há registro de ônibus em circulação na capital. A mobilização faz parte da “Greve Geral” do país, uma forma de protesto contra as reformas da Previdência e Trabalhista.

Desde às 5h, manifestantes bloquearam a Barragem do Bacanga e a entrada e saída de São Luís na BR-135.

 

PM mobiliza efetivo para manifestações da ‘GREVE GERAL’ no Maranhão

O comandante-geral da Polícia Militar do Maranhão, Coronel Pereira, editou hoje (27) uma portaria determinando que todo o efetivo do estado esteja em alerta na sexta-feira (28), por conta das manifestações agendadas por trabalhadores.

A “Ordem de Prontidão” vale das 7h30 às 18h, para todos os policiais militares do Maranhão que não estejam saindo de serviço de 24h.

Caberá aos comandantes,diretores e chefes providenciar o controle de todo o efetivo.

Informações de Gilberto Léda

Servidores do TJ querem “greve geral” no estado

Em resposta à postura do chefe do Executivo, o SINDJUS-MA reuniu sua diretoria na tarde de hoje e deliberou o que segue:

1- O Sindicato participará da Plenária do Movimento Sindical na noite desta quinta-feira (21) na Associação Comercial do Maranhão, a partir das 18 hs, que irá debater sobre pautas de interesse comum entre as categorias de servidores públicos estaduais, entre elas: a valorização do servidor público, o índice de 21,7%, pagamento das perdas inflacionárias, a necessidade de transparência e diálogo do Governo do Estado, bem como os servidores fantasmas da Assembleia Legislativa. A plenária ainda decidirá sobre a organização de um protesto que deverá ser realizado próxima quinta-feira, dia 28 de julho, com a participação de todos que assinaram a carta. O SINDJUS-MA defenderá em Plenária a decretação de uma Greve Geral dos Servidores Públicos Estaduais;

2- A realização de 11 Assembleias Gerais Extraordinárias Regionais que serão iniciadas em 6 de agosto, nas quais serão discutida a retomada do movimento paredista, uma vez que a suspensão da greve dos servidores da Justiça em 2015 se deu, a partir, da promessa feita pelo presidente do TJ-MA de que haveria prioridade de pagamento das perdas 2014, p que já foi demonstrado que não está ocorrendo por parte do Governo do Estado. As reuniões acontecerão nas seguintes regionais: Imperatriz, Balsas, Barra do Corda, Santa Inês, Bacabal, Pedreiras, Timon. Codó, Chapadinha, Pinheiro, São Luís e Rosário;

3- Organizar os procedimentos da Operação Padrão dos servidores do Judiciário como forma de protesto contra o congelamento dos salários da categoria. A operacionalização será divulgada nos próximos dias pelo SINDJUS-MA

PMs e bombeiros em greve ameaçados de expulsão

aaPoliciais militares do Maranhão que adeririam à greve da categoria – que hoje entra no seu 5º dia – estão ameaçados de expulsão da corporação. Isso porque o alto comando da PM, que se reúne no início da tarde, anunciou a abertura de processo de deserção e administrativo disciplinar contra os rebelados.
Em nota divulgada pela manhã, os coronéis reafirmaram a ilegalidade do movimento, conforme decisão judicial e multa diária de R$ 200,00 aos grevistas. O Governo somente retomará as negociações quando os policiais decidirem encerrar a greve.
De acordo com o documento, no parágrafo 4: “policiais e bombeiros militares que ingressaram nos anos de 2007 e 2010, assim como alunos do curso de formação de oficiais, por não terem estabilidade no serviço público, serão submetidos a processo administrativo disciplinar, podendo resultar em exclusão (termo grifado), a bem da disciplina…”.
Os grevistas, no entanto, ignoram a determinação judicial e a nota do alto comando da PM, e permanecem em greve por tempo indeterminado.