Jerry e a escolha do novo secretário de Saúde de São Luís

Desde a queda da ex-vereadora Helena Duailibe da Secretaria Municipal da Saúde de São Luís, muito tem se questionado nos bastidores, a escolha do prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT) por Lula Fylho, então secretário de Governo.

Pois bem.

A escolha, na verdade, não foi de Edivaldo. Trata-se de uma intervenção direta do secretário de Estado de Comunicação e Assuntos Políticos, Márcio Jerry (PCdoB), a indicação de Fylho.

Apesar de ter saído há pelo menos dois anos da gestão de Edivaldo, Jerry mantém forte influência na administração municipal.

E definiu, ele próprio, quem seria o novo titular de uma das pastas mais importantes da gestão pedetista.

É evidente que presidente do PCdoB nega qualquer interferência na escolha, mas pessoas próximas a Jerry garantem a sua atuação para “salvar a gestão da saúde” de São Luís.

E Edivaldo assiste a tudo de longe.

Uma característica incontestável de sua gestão…

Helena Duailibe é demitida por Edivaldo

A médica e ex-vereadora Helena Duailibe (PMDB) foi demitida da Secretaria Municipal da Saúde de São Luís.

No cargo desde 2014, quando o então secretário César Félix caiu, Helena atuava como uma das principais auxiliares de Edivaldo Holanda Júnior (PDT), na Prefeitura de São Luís.

A Prefeitura, numa versão oficial, afirmou por meio de nota que Helena entregou o cargo ao prefeito.

Mas, não é verdade.

Helena caiu.

Foi demitida por manter na pasta, profissionais ligados ao ex-secretário de Estado da Saúde, Ricardo Murad (PMDB).

Edivaldo, por sua vez, não demitiu Helena por decisão própria. Recebeu ordens, e cumpriu.

Esse Edivaldo…

Helena Duailibe condiciona saída do PMDB a decisão de Edivaldo Júnior

Helena Duailibe coloca futuro nas mãos do prefeito

Helena Duailibe coloca futuro nas mãos do prefeito

A secretária municipal de Saúde de São Luís, vereadora Helena Duailibe (PMDB), condicionou uma eventual saída do seu partido político á decisão do prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT).

Helena é o nome mais cotado, até o momento, para compor a chapa majoritária do pedetista nas eleições de outubro deste ano. Tanto que foi justamente o argumento utilizado pela ala do PMDB que defendia, até o mês de dezembro do ano passado, a composição entre o PDT e o PMDB para a disputa eleitoral.

A gestora também teve o seu nome especulado em outros partidos como o PCdoB, do governador Flávio Dino, para uma possível composição com o PDT e indicação do cargo de vice na chapa majoritária.

Apesar disso, a secretária afirmou que permanece no PMDB. “Eu estou no PMDB e quem vai decidir se vou sair ou ficar é o prefeito Edivaldo Holanda Júnior”, disse.

A declaração da peemedebista, contudo, indica possível saída no futuro, da legenda. Isso porque o PMDB já trabalha com a possibilidade de candidatura própria para as eleições de outubro.

Os nomes do vereador Fábio Câmara (PMDB), principal opositor de Edivaldo na Câmara Municipal, e de André Campos (PMDB), superintendente da Funasa no Maranhão, são alguns dos possíveis candidatos a prefeito de São Luís. A ex-governadora Roseana Sarney (PMDB), rejeita, até o momento, candidatura ao Executivo.

Com a falta de espaços na legenda para uma possível composição de chapa ao lado de Edivaldo, Helena Duailibe pode acabar optando por deixar a sigla e seguir outro projeto político.

Decisão – Em comunicado oficial, a secretária de saúde afirmou que já tomou uma decisão para o pleito de outubro. Ela não disputará mais reeleição a uma cadeira no legislativo.

“Pretendo continuar no cargo de secretária municipal da Saúde e não mais concorrer ao cargo de vereadora”, disse.

Helena deve apoiar o marido, o ex-deputado estadual Afonso Manoel (PMDB), à disputa de uma vaga na Câmara Municipal de São Luís.

Mais

Apesar de integrar o primeiro escalão da administração municipal de SãoLuís desde fevereiro de 2014, ano em que houve eleição para o Governo do Estado, a vereadora Helena Duailibe não deixou de participar das agendas internas do PMDB. No mês de outubro do ano passado, por exemplo, ocasião da eleição para a presidência do diretório estadual do partido, ela compareceu ao lado de lideranças da sigla como os senadores João Alberto e Edison Lobão, a ex-governadora Roseana Sarney, deputados federais, estaduais e vereadores de vários municípios da sigla.

Edivaldo demite César Félix; Helena Duailibe assume a Saúde

Félix: demitido por Edivaldo

Félix: demitido por Edivaldo

O prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PTC) oficializou hoje a décima mudança no primeiro escalão de seu governo. Ele demitiu o secretário municipal de Saúde, César Félix e o substituiu pela vereadora Helena Duailibe (PMDB).

A decisão de colocar Helena à frente da pasta já havia sido tomada desde o ano passado. Só não havia sido oficializada porque Edivaldo era pressionado por seu pai, Edivaldo Holanda Braga, uma vez que Helena pertence ao PMDB, partido da

Helena Duailibe é a nova secretária

Helena Duailibe é a nova secretária

governadora Roseana Sarney.

Helena também foi a candidatada de Edivaldo à presidência da Câmara Municipal de São Luís, mas acabou derrotada por Isaias Pereirinha (PSL), no ano passado.

Agora, está definitivamente oficializada no governo petecista.

                      NOTA 

O prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior, anunciou nesta sexta-feira, 31, mudança no seu secretariado. O secretário de Saúde, Cesar Felix, deixará o cargo.

Para ocupar a Secretaria de Saúde, o prefeito Edivaldo indicou a vereadora Helena Duailibe (PMDB).

 

São Luís, 31 de janeiro de 2014.

Secretaria Municipal de Comunicação

 

Comissão de Saúde da Câmara vai apurar denúncias no Socorrão I

Helena Duailibe (PMDB) quer apurar denúncias

Helena Duailibe (PMDB) quer apurar denúncias

O Estado – A presidente da Comissão de Saúde da Câmara de São Luís, Helena Duailibe (PMDB), deve se reunir hoje com os demais membros da comissão, os vereadores Dr. Gutemberg de Araújo (PSDB), Sebastião Albuquerque (DEM) e Manoel Rego (PTdoB), para discutir a possibilidade de fazer uma visita ao hospital municipal Djalma Marques, o Socorrão I, para apurar denúncia de que o aparelho autoclave, que serve para esterilização de equipamentos antes de procedimentos cirúrgicos, não está funcionando.

Na semana passada, o líder da oposição na Casa, vereador Fábio Câmara (PMDB), usou a tribuna para denunciar o caso. Na oportunidade, o parlamentar criticou a postura do diretor do Socorrão I, Dr. Yglésio Moysés, em não tomar providências urgentes para resolver a situação e disse que 150 pacientes estariam sob risco de contaminações. Ele ainda cobrou uma posição firme da Comissão de Saúde do Legislativo para apurar os fatos e agir com rigor.

O caso foi parar na polícia, depois que um enfermeiro do Centro Cirúrgico, que não teve seu nome revelado, registrou um Boletim de Ocorrência (BO) – de nº 11021/2013, de 1º de junho de 2013, às 20h05, no Plantão Central da Beira-Mar- denunciando o problema. “Esse é na verdade um caso de polícia, pois o diretor do Socorrão I, o internauta e o médico pedinte Yglésio Moisés, faz o seguinte: ele administra um hospital que o aparelho autoclave não está funcionando. Quem fala isso não é o vereador Fábio Câmara, mas sim um professor de faculdade, um enfermeiro e funcionário do próprio Socorrão I, que já fez até um Boletim de Ocorrência na polícia chamando atenção da sociedade”, declarou.

Para a vereadora Helena Duailibe, as denúncias são gravíssimas, pois envolvem a precariedade na utilização de um aparelho que serve para esterilização de equipamentos cirúrgicos. “Entendemos que essa denúncia tem nome, tem identidade e nós precisamos esclarecer até para deixarmos tudo tranquilo. Portanto, estaremos solicitando explicações e vamos ouvir as duas partes envolvidas, ou seja, o denunciante e o diretor do Socorrão I para chegarmos à realidade dos fatos”, declarou.