Governo vai gastar mais de R$ 12 milhões com aluguel de helicópteros

A Secretaria de Estado da Segurança Pública da gestão Flávio Dino (PCdoB) assinou novo contrato com a Helisul Táxi Aéreo para o aluguel de três helicópteros.

Ao todo, o Governo vai gastar R$ 12,9 milhões dos cofres públicos, nos próximos 12 meses, apenas com o uso das três aeronaves.

 

A Helisul já tem um contrato em vigor com a mesma SSP. Em 2017 a empresa recebeu dos cofres estaduais R$ 8,3 milhões para alugar helicópteros ao CTA (antigo GTA), aeronaves usadas pelo governador, em algumas ocasiões, para cumprir agendas políticas Maranhão adentro.

A informação é do blog do Gilberto Léda.

Lagostas pilotam helicópteros nos céus da pequenez política maranhense

flaviodinoLinhares Júnior – Helicópteros que deveriam estar “servindo ao povo” sendo usufruídos por “autoridades” em atividades de cunho “político e pessoal”. Ouvi essas acusações por anos e anos quando quem estava no poder eram os sarneys. Hoje o governo é acusado por tudo aquilpo que acusava quando oposição. Uma lástima…

Sempre achei essa conversa de helicóptero um exagero dos dois lados. O governo se queimava com bobagens, viagens ridículas, e a oposição denunciava coisas triviais como o uso por secretários. Veio a eleição, a inversão de lugares e a certeza de que eu estava certo: tudo era jogo de cena. Flávio Dino e seus secretários fazem aquilo que passaram anos criticando. E tudo veio à tona com Marcos Pacheco, o secretário de saúde.

No início do governo ele costumava dizer que condenava o uso de helicópteros por secretários de estado. Estava pouco se lixando para o lado operacional da coisa, queria mesmo atacar seu antecessor. Nove meses depois, o mesmo Pacheco foi fotografado usando um helicóptero do GTA. Que coisa, não é?

Mas, o pior estava por vir, segundo denúncias da deputada Andrea Murad o uso das aeronaves é indiscriminado. Simone Limeira, que confessou ter aceitado propina para liberar o transporte escolar de crianças e depois pediu afastamento do governo, também usou a aeronave para fins políticos.

Ao contrário da oposição de tempos passados, Andrea Murad foi mais prudente e afirmou que o uso por secretários para fins de trabalho é normal. O que não pode, segundo a ela, é ser usado para fins alheios ao funcionamento da máquina estatal. Simone Limeira não é funcionária do governo! Querem saber? Andrea está coberta de razão.

Nos seus tempos de oposição Flávio Dino e companhia vociferavam contra tudo. Esses casos de helicópteros eram quase que diários. “Um secretário foi visto em um helicóptero do GTA? Denuncia que isso é errado!”. E foi assim por longos e longos anos.

Hoje no governo, o pessoal da gritaria dos tempos de oposição percebeu que é humanamente impossível atender às demandas no interior sem fazer uso das aeronaves do próprio governo. Eu não sei se eles sabiam na época da oposição que o GTA é uma organização do governo. O uso de seus equipamentos pelo governo é a coisa mais normal do mundo. Parece que descobriram isso só agora. A repetição é proposital, leitores: governo, governo, governo e governo! Às vezes temos que bater muito na mesma tecla para se fazer entender por algumas cabecinhas.

Após as denúncias da deputada, que também acusou Márcio Jerry de usar o helicóptero para fins pessoas, a culpa foi aceita “pela metade”. Claro que não deixaram de desmerecer Andrea, mesmo que ela esteja fazendo algo que eles quando oposição faziam “diuturna e noturnamente”, como costuma dizer a chefe de Flávio Dino lá em Brasília.

A verdade é que os atuais mandatários do Palácio dos Leões fizeram oposição irresponsável quando estavam do outro lado. Muitas das denúncias ridículas que parlamentares e líderes faziam tinham como única meta “jogar para a galera”. Coisas inócuas, fofoquinha de comadre, avacalhação pura e simples.

Se hoje a política maranhense se tornou palco de coisas miúdas, tomada por deputados inúteis como Fernando Furtado e uma ratosfera de semianalfabetos parasitas sustentada com dinheiro público, muito disso se deve a atuação do grupo do governador durante os últimos anos. A culpa não é só deles, o grupo sarney fez sua parte elegendo playboys para a Assembleia Legislativa. Projeto que será mimetizado daqui há 3 anos, podem esperar!

Querem uma prova dessa diminuição política? Quem não se lembra do caso das lagostas? Flávio Dino passou meses tornando uma coisa tão banal, tão pequena, em símbolo de mudança. Passou uma boa parte da eleição falando de lagostas como se isso fosse o maior problema desse estado. Como proteger uma pessoa que deixa de falar coisas muitos mais importantes, como o desenvolvimento econômico do interior, para dar vazão ao que come ou deixa de comer Roseana Sarney?

“Não existe mais caviar e lagosta no Palácio dos Leões”, disse dias atrás em uma entrevista. Oh, meu Deus! O governador agora come como uma pessoa comum, resolvemos os problemas do Maranhão! Isso é que é mudança! Coisa nenhuma! Isso é populismo barato e chinfrim! Quer parecer um homem do povo? Então retire o sistema de ar-condicionado do Palácio dos Leões. Afinal, a maioria das pessoas desse estado não tem acesso a este “luxo”. Comece a andar de ônibus por São Luís, visite o interior dentro de vans. Quando ficar doente, vá para uma UPA ou para o Socorrão. E os ternos? Vai ter que trocá-los por camisas compradas na Rua Grande! E “ai” de você se for visto algum dia na Cabana do Sol ou no Coco Bambu! Tem que comer lá na João Lisboa, em pé! Abrir mão de lagosta para parecer “humilde” é fácil. Quero ver ser humilde de verdade o tempo todo.

E em relação aos helicópteros, a solução é muito simples. Basta criar uma homepage em que a população tenha acesso ao GPS delas e aos planos de voo. Pronto! Problema resolvido! Mas, nós bem sabemos que o governo não vai criar NENHUMA medida para dar transparência ao uso delas.

E vocês sabem a razão? Simples, é aquela mesma que motiva o governador a sair por aí dizendo que não servem mais lagostas no Palácio dos Leões enquanto frequenta os melhores e maiores restaurantes de São Luís.

Ganha um doce quem dar o nome a isso na área de comentários.