Deputado agradece a Flávio Dino por conclusão de 5% restantes de obra

 

 

Roseana Matões doisO deputado federal Hildo Rocha (PMDB) utilizou a tribuna da Câmara Federal, para agradecer ao governador Flávio Dino (PCdoB) por ter concluído a pavimentação da MA-034, que liga o povoado Baú, em Caxias ao município de Matões, obra iniciada pela ex-governadora Roseana Sarney (PMDB) e que será inaugurada hoje pelo governo.

A obra, que já foi deixada em fase de conclusão recebeu recursos do programa “Mais Asfalto”, que utiliza recursos do empréstimo feito também na gestão passada junto ao BNDES.

“Neste final de semana vai ser inaugurada a estrada que liga Matões ao povoado de Baú, no município de Caxias. São 71 quilômetros de estrada que foram iniciados em 2013, pela governadora Roseana Sarney. Parabenizo o governador Flávio Dino porque concluiu os 5% que faltavam”, disse.

A obra de pavimentação da estrada foi iniciada em julho de 2013, quando o então secretário de estado da Infraestrutura, Luis Fernando Silva (PSDB) – hoje aliado de Flávio Dino -, assinou a ordem de serviço ao lado da prefeita de Matões, Suely Pereira (PSB), mãe do deputado federal Rubens Pereira Júnior (PCdoB).

 

Andrea Murad quer a renúncia do comando do PMDB no Maranhão

Andrea Murad 2A deputada estadual Andrea Murad utilizou o seu perfil em rede social para afirmar que caso seja confirmada a denúncia de fraude na ata de uma suposta reunião do diretório estadual do PMDB que teria ocorrido no dia 11 de setembro deste ano, exigirá a renúncia do comando da sigla no Maranhão.

A denúncia foi levantada pelo deputado federal Hildo Rocha, em entrevista ao jornal O Estado do Maranhão.

“Ciente do que está se passando no PMDB, em que existe a forte suspeita de fraude em uma ata sobre as eleições do partido, lamento profundamente o ocorrido, mas que precisa ser reparado. Eu e o deputado Hildo estamos estupefatos com o fato da reunião do dia 11 de setembro sequer ter existido, ou seja, uma reunião fantasma. Se não houver resposta ao requerimento que fizemos, iremos buscar na direção nacional do PMDB e na justiça a suspensão da eleição para o novo diretório marcada para próxima sexta, dia 30. E se for comprovada fraude, devemos exigir a renúncia imediata da atual direção”, afirmou a parlamentar.

Andrea Murad e Hildo Rocha registraram a chapa “Renovar para Crescer” na semana passada. Mas pedem o adiamento da eleição. Sustentam que o estatuto do partido determina que qualquer convenção estadual e mudança de comando deve ser comunicada com 45 dias de antecedência, com edital publicado em veículo de comunicação. Para os parlamentares, o estatuto, não foi cumprido e a eleição que ocorrerá no dia 30 pode acabar invalidada.

O senador João Alberto, presidente estadual da sigla, ainda não se posicionou sobre a denúncia de fraude na ata da reunião.

Falta prefeito…

Imagem da Ponte José Sarney, que liga a Beira-Mar ao São Francisco

Imagem da Ponte José Sarney, que liga a Beira-Mar ao São Francisco

O deputado federal Hildo Rocha foi um dos mais eloquentes participantes da solenidade de homenagem aos 403 anos de São Luís, segunda-feira, na Câmara Federal. E fez questão de destacar as ações de prefeitos e do governo ­ do qual fez parte em vários momentos ­ nestes últimos 30 anos.

O deputado destacou que não há, neste período, nenhuma obra que possa ser contabilizada na conta dos prefeitos da capital como importante para o desenvolvimento e modernização da cidade.

A história mostra que o parlamentar do PMDB tem razão. De Gardenia Castelo, eleita em 1985, a Edivaldo Júnior, atual gestor, pouco que tenha sido feito em termos de mobilidade urbana, infraestrutura, transporte ou saneamento tem a assinatura dos prefeitos.

Pelo contrário, foram os governadores ­em maior ou menor grau ­ os que deixaram sua marca na capital maranhense. Os governadores construíram a maioria dos equipamentos, aparelhos e logradouros públicos que deram uma nova cara à capital maranhense.

São viadutos, novas avenidas, praças, parques, habitações, espaços turísticos e obras de saneamento e infraestrutura de saúde que garantiram aos prefeitos, se quisessem, dotar a capital de um sistema de transporte de qualidade, e um sistema de turismo respeitado.

Hildo Rocha destacou, sobretudo, o governo do qual fez parte ­ os dois últimos mandatos de Roseana Sarney (PMDB) ­ citando a infraestrutrua de saúde, o investimento em saneamento e abastecimento, os equipamentos de lazer e turismo e as obras de mobilidade urbana, citando nominalmente cada uma delas.

E lamentou que, infelizmente, não se vê no horizonte desenho que possa, ao menos, apontar para a manutenção destes logradouros públicos.

Da coluna Estado Maior, de O Estado do Maranhão

Hildo Rocha pede providências da PGJ sobre caso de Vitória do Mearim

Deputado federal Hildo Rocha

Deputado federal Hildo Rocha

O Estado – O deputado federal Hildo Rocha (PMDB) denunciou o caso de Vitória do Mearim, que resultou na execução em via pública do mecânico Irialdo Batalha por um vigilante que estava sob a companhia de policiais militares, à Procuradora-Geral de Justiça (PGJ) do Maranhão.

O expediente foi encaminhado diretamente para a procuradora-geral de Justiça, Regina Lúcia de Almeida Rocha, com pedido de providências em relação à “grave violação dos direitos humanos”. Ontem o parlamentar voltou a tratar do tema na Câmara Federal.

Hildo Rocha responsabilizou o Governo do Estado pela tragédia, que ganhou repercussão nacional após veiculação de reportagem sobre o tema no programa jornalístico Fantástico, da Rede Globo, e questionou o fato de o governador Flávio Dino (PCdoB) não ter pedido desculpas à família da vítima, que chegou a ser classificada pela Secretaria de Segurança Pública (SSP) de assaltante, fato depois desconstruído pela própria secretaria.

“O Governo do Estado matou Irialdo Batalha duas vezes. A primeira quando o vigilante atirou duas vezes nele, e a segunda quando a Secretaria de Segurança o classificou de assaltante, sem que ele sequer tenha cometido algum crime. Aquele rapaz jamais havia passado pela polícia”, disse.

Hildo Rocha denunciou à Procuradoria-Geral de Justiça, o fato de o vigilante Luiz Carlos Machado de Almeida, identificado com o autor do homicídio, atuar de forma clandestina como policial militar.

“Luiz Carlos utilizava colete, uma arma da polícia e estava numa viatura policial na companhia de dois membros daquela corporação. Uma situação gravíssima e que precisa de uma apuração imediata”, completou.

Ele criticou também o fato de o governador Flávio Dino não ter se retratado à família da vítima. “Flávio Dino não quer reconhecer o erro, e sequer pedir desculpas aos familiares de Irialdo. Foi o Estado quem errou e matou aquele rapaz, por isso ele precisa reconhecer o erro e corrigir, para que casos semelhantes não mais ocorram”, completou.

Prisão – O vigilante Luis Carlos Machado de Almeida, identificado nas imagens como o autor dos disparos que levaram o mecânico Irinaldo Batalha a morte, foi preso pela Polícia Militar na noite da quarta-feira da semana passada, e apresentado à imprensa na manhã de ontem, na Secretaria de Segurança Pública.

Os dois policiais militares que participaram da ação e que deram cobertura ao atirador na viatura, identificados apenas como sargento Miguel e soldado Gomes, foram presos e autuados em flagrante na quinta-feira da semana passada. Eles estão detidos no Comando Geral da Polícia Militar.

Hildo Rocha denuncia caso de Vitória do Mearim à ONU

Deputado federal Hildo Rocha

Deputado federal Hildo Rocha

O deputado federal Hildo Rocha (PMDB) denunciou o caso de Vitória do Mearim, que resultou na execução em via pública do mecânico Irinaldo Batalha por um vigilante que estava sob a companhia de policiais militares – e que ganhou repercussão nacional -, à Organização das Nações Unidas (ONU).

O parlamentar classificou o ato de uma violação aos direitos humanos, e responsabilizou o Governo Flávio Dino (PCdoB) pela tragédia, que comoveu e revoltou a população. A justificativa de Rocha é de que o vigilante Luis Carlos Machado de Almeida, preso na última quarta-feira por ter efetuado os disparos contra o mecânico, funcionário da Prefeitura e que estava cedido ao Governo do Estado, atuava de forma clandestina nas forças de Segurança Pública do Maranhão.

As imagens feitas por cinegrafistas amadores mostram Luis Carlos com o uso de colete à prova de balas e arma de fogo, na companhia de dois policiais militares numa viatura de polícia.

“Esse cidadão, Luis Carlos, que não faz parte das forças de Segurança Pública do Maranhão, estava usando um colete da polícia, usando uma arma da polícia, dentro de uma viatura e junto de policiais, realizando uma blitz, quando a tragédia ocorreu. Essa pessoa que se passava por policial militar, viu que o rapaz ainda estava vivo, e disparou dois tiros em seu rosto, quando ele já estava deitado no chão, sem direito à defesa. Foi um ato desumano e cruel que ocorreu pelas mãos do Governo Flávio Dino”, disse.

Além de denunciar o caso ao Conselho de Direitos Humanos da ONU, o deputado federal ofereceu também denúncia ao presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara Federal, deputado Paulo Pimenta (PT-RS). Hildo Rocha garantiu também que encaminhará denúncia à Ordem dos Advogados do Brasil (OAB); Secretaria Nacional de Direitos Humanos da Presidência da República; Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e para a Procuradoria Geral da República.

Ele afirmou que um dos objetivos é impedir que pessoas não qualificadas e habilitadas exerçam irregularmente a atividade policial no Maranhão.

“O que aconteceu com Irinaldo Batalha, lá em Vitória do Mearim, é culpa do Governo do Estado. Espero que as providências sejam tomadas pelo o governador Flávio Dino”, completou.

Prisão – O vigilante Luis Carlos Machado de Almeida, identificado nas imagens como o autor dos disparos que levaram o mecânico Irinaldo Batalha a morte, foi preso pela Polícia Militar na noite de quarta-feira, e apresentado à imprensa na manhã de ontem, na Secretaria de Segurança Pública.

Os dois policiais militares que participaram da ação e que deram cobertura ao atirador na viatura, identificados apenas como sargento Miguel e soldado Gomes, foram presos e autuados em flagrante na quinta-feira da semana passada. Eles estão detidos no Comando Geral da Polícia Militar.

Reforma política: Hildo Rocha defende o fim do voto obrigatório

Deputado federal Hildo Rocha

Deputado federal Hildo Rocha

O deputado federal Hildo Rocha (PMDB) se manifestou de forma favorável, em seu perfil em rede social, por meio de um vídeo, pelo fim do voto obrigatório no país, item da reforma política que será apreciado a partir do dia 10 na Câmara Federal.

Para o peemedebista, obrigar o eleitor a votar durante o processo eleitoral, é ir de encontro ao que rege a Constituição Federal.

“O voto facultativo impede o voto de cabresto. O cidadão não pode ser obrigado a votar. A obrigatoriedade do voto fere o direito da individualidade do cidadão. E é por isso que nós temos de acabar com o voto obrigatório”, disse.

A proposta pelo fim do voto obrigatório foi apresentado pelo deputado federal Rodrigo Maia (DEM­RJ). O texto já foi protocolado na Mesa Diretora da Casa e irá para a apreciação do plenário na próxima semana.

Ministro anuncia 11 novos aeroportos para o estado do Maranhão

Hildo Rocha em audiência com ministro Padilha

Hildo Rocha em audiência com ministro Padilha

A Secretaria Nacional da Aviação Civil investirá R$ 2 bilhões na construção ou reforma de 80 aeroportos regionais em oito estados, sendo 11 no estado do Maranhão. Essa informação foi confirmada para o deputado federal Hildo Rocha (PMDB) pelo ministro Eliseu Padilha durante audiência no ministério que contou com a participação do prefeito Erick Costa, de Barra do Corda, um dos municípios a serem contemplados.

Além de aproximar a população e conectar melhor o país, o programa de aviação civil regional pretende interiorizar o desenvolvimento econômico da área. “Vamos dar acesso aos brasileiros a um transporte que um dia atendeu apenas uma parcela da população”, afirmou o ministro.

Hildo Rocha confirmou os municípios de Bacabal, Barra do Corda, Carolina, Caxias, Imperatriz, Pinheiro, Santa Inês, Balsas, São João dos Patos e Governador Nunes Freire a serem contemplados no Programa de Desenvolvimento da Aviação Regional. “Trata-­se de um importante programa que vai integrar o país e movimentar a economia dessas localidades”, disse o deputado.

Eliseu Padilha garantiu total integração com as instituições envolvidas e confirmou o subsídio para 50% das passagens aéreas. Em relação ao aeroporto de Bacabal, o ministro solicitou a outorga da área e informou que as obras serão iniciadas em breve. “Teremos em Bacabal um moderno aeroporto com capacidade para pousos e decolagens de grandes aeronaves”, disse.

Com informações de O Estado

Hildo Rocha não poderá recuar

Deputado federal Hildo Rocha

Deputado federal Hildo Rocha

Após ter feito forte denúncia na Câmara Federal contra a Corte Eleitoral do Maranhão, e ter assistido ontem o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) ter pedido investigação sobre as denúncias à Polícia Federal e ao Ministério Público Federal (MPF), o deputado Hildo Rocha (PMDB) não poderá recuar.

Rocha havia afirmado no início da semana, que o prefeito Edilomar Nery Miranda, de Ribamar Fiquene, só tivera o seu diploma cassado porque não aceitou pagar propina a emissários membros da Justiça Eleitoral maranhense.

É natural até que durante as investigações, ele seja convidado pela PF e pelo MPF a contribuir nas investigações e tenha de reafirmar as suas declarações. O prefeito também poderá ser ouvido. Esta será a oportunidade para ambos declinarem os nomes dos emissários que cobravam a propina.

E esse será um passo enorme, como definiu o próprio deputado federal, para que seja aberta a “caixa preta” da Justiça Eleitoral brasileira.

Em defesa da Refinaria Premium I

Por Hildo Rocha*

Hildo RochaÉ grave é a decisão da Petrobras de cortar seus investimentos e realizar a baixa contábil da Refinaria Premium I.

Refinarias são essenciais para o país, pois nessas unidades o petróleo bruto é processado para produzir os diversos produtos que todos nós utilizamos diariamente, tais como gasolina, óleo diesel, gás liquefeito de petróleo etc.

De acordo com o último Plano Estratégico da Petrobras, a meta da companhia era suprir o mercado brasileiro de derivados, alcançando uma capacidade de refino de 3,9 milhões de barris por dia em 2030.

Alinhado ao Plano Estratégico 2030 e com foco no curto e médio prazo, o Conselho de Administração aprovou o Plano de Negócios e Gestão 2014-­2018 com estimativa de investimentos de US$ 220,6 bilhões.

Infelizmente, a Petrobras comunicou, no dia 28 de janeiro de 2015, baixas contábeis de R$ 2,111 bilhões, referente à descontinuidade da Refinaria Premium I, e de R$ 596 milhões, referente à descontinuidade da Refinaria Premium II.

Esses empreendimentos seriam, sem dúvida, importantes propulsores do desenvolvimento econômico e social no Estado do Maranhão e do Ceará, devido à grande demanda de bens de capital, de insumos e de mão de obra especializada.

Dentre os benefícios decorrentes da implantação da Refinaria Premium I, destaca­-se a criação de até 25 mil empregos durante o pico da obra e a estimativa de cerca de 1,5 mil empregos para a operação da unidade.

Esse sonho não pode acabar por óbvias razões, conforme descrito a seguir.

De 2000 a 2013, o crescimento da produção anual brasileira dos principais combustíveis foi de 160 milhões de barris, enquanto o consumo anual aumentou em 203 milhões de barris. Desse modo, o Brasil tornou­-se ainda mais dependente das importações. Houve um aumento de 62 milhões de barris ao ano no volume de importação dos principais derivados, o que corresponde a um aumento de 62,46%.

O óleo diesel, a nafta e a gasolina geraram grandes despesas na balança comercial brasileira. Em 2013, a importação de óleo diesel gerou um impacto negativo de mais de US$ 8 bilhões. Mesmo com um crescimento do PIB próximo de zero, o consumo nacional de combustíveis cresceu 5,28% na comparação entre 2013 e 2014.

Nesse contexto, não há dúvidas quanto à necessidade de construção de novas refinarias no Brasil.

É importante destacar que o atual parque nacional de refino é muito concentrado nas regiões Sul e Sudeste. Essas regiões respondem, em termos volumétricos, por 82% da produção de derivados. Registre­-se, contudo, que em 2013, as regiões Norte, Nordeste e Centro­-Oeste consumiram 39% de todo o óleo diesel demandado no país.

É notório que as refinarias Premium I e II, ao se integrarem às instalações da Petrobras, muito contribuiriam para a infraestrutura da companhia e para a geração de empregos no Brasil.

Segundo o Plano Decenal de Expansão de Energia, o Brasil deverá estar produzindo cerca de 5 milhões de barris de petróleo por dia em 2023. Caso fossem instaladas as Refinarias Premium I e II, a capacidade nacional de refino seria de 3,245 milhões de barris diários.

Se essas refinarias não forem instaladas, haverá uma redução na capacidade de refino, prevista para 2023, de 600 mil barris por dia. Assim, nesse ano, as refinarias no Brasil estariam produzindo 2,645 milhões de barris por dia, o que corresponderia a apenas pouco mais da metade da produção de petróleo.

Ressalte­-se que, mesmo com a construção das refinarias Premium I e II, o Brasil, em 2023, não seria autossuficiente na área de refino. Nesse ano, haveria um déficit de derivados de 18,7 mil metros cúbicos por dia. A decisão de não implantar essas refinarias aumentaria esse déficit para 106,6 mil metros cúbicos por dia, o que significa um aumento de 470%, com forte impacto na balança comercial.

Ressalte­-se, ainda, a posição geográfica privilegiada da Refinaria Premium I. Sua maior proximidade com centros consumidores dos Estados Unidos e da Europa facilitaria muito a venda de excedentes para esses centros.

O motivo alegado para a descontinuidade da Refinaria Premium I seria a dificuldade financeira pela qual passa a Petrobras. É importante, então, analisar o desempenho da companhia em 2015.

O preço do petróleo atualmente é baixo e impacta muito o desempenho das empresas que atuam no mercado. No entanto, o efeito sobre a Petrobras é significativamente menor, pois seu faturamento não está vinculado ao preço do petróleo no mercado internacional, mas ao preço de realização nas refinarias, que, atualmente, é muito alto e não deve cair ao longo de 2015.

A boa geração de recursos próprios da Petrobras, em razão da possibilidade de manutenção dos atuais preços da gasolina e do óleo diesel, deveria fazer com que a companhia mantivesse seus investimentos.

Em razão das boas perspectivas de lucro e de fluxo de caixa, não parece fazer sentido as declarações da ex-presidente da Petrobras, publicada no dia 29 de janeiro de 2015. Segundo a senhora Graça Foster, a Petrobras cortaria investimentos a ponto de reduzir a carteira de exploração de petróleo “ao mínimo necessário” e iria também desacelerar o ritmo das obras do COMPERJ.

Em resumo, a Petrobras é uma das maiores empresas na área de petróleo, conta com extraordinários recursos humanos, tem uma posição privilegiada para explorar e produzir os reservatórios do Pré­-Sal, que comprovadamente são gigantescos, e deve ter, em 2015, um ótimo fluxo de caixa.

Desse modo, as baixas contábeis referentes às Refinarias Premium I e Premium II não são justificáveis e devem ser canceladas, mantendo-­se os investimentos da companhia. É fundamental que a Petrobras tenha visão púbica e compromisso com o desenvolvimento do país.

É deputado federal em exercício*

Hildo Rocha estuda ingressar na Justiça contra Flávio Dino

Hildo Rocha coordenou programas importantes na gestão Roseana Sarney

Hildo Rocha coordenou programas importantes na gestão Roseana Sarney

O deputado federal Hildo Rocha (PMDB) estuda acionar o governador Flávio Dino (PCdoB) na Justiça por conta das declarações do comunista à revista Isto É. Dino afirmou que ao assumir mandato acabou com as “quadrilhas” que atuavam no Maranhão.

“Se houve irregularidades, ao afirmar que tinha algo de errado, deveria apresentar provas e não ficar falando mal do Maranhão fora do Maranhão. Governar é mais que ficar olhando pelo retrovisor. Governar é como dirigir um carro. Precisamos olhar para frente, para o para­brisas”, afirmou Rocha.

Hildo disse que já está analisando que tipo de ação ingressar na Justiça e cobrar do governador comunista provas de suas declarações que atacam o governo antecessor e seus membros.

Hildo Rocha atuou no governo Roseana Sarney (PMDB) como secretário estadual de Cidades e de Articulação Política. “Fiz parte do governo de Roseana e as declarações do governador me ofenderam. Trabalhamos duro e sério durante todos esses anos. Temos resultados que não serão apresentados pelo atual governador, mas temos muito trabalho feito pelo Maranhão”, disse.