Assembleia divulga nota de pesar após assassinato de delegado da PF

Nota

A Assembleia Legislativa do Maranhão externa seu mais profundo pesar pelo falecimento do delegado da Polícia Federal, David Farias Aragão, assassinado durante assalto em sua residência, neste último sábado (5), no bairro Araçagy, em São José de Ribamar.

David Farias tinha 36 anos, era casado e deixa duas filhas. Ingressou na Polícia Federal há mais de 12 anos e coordenou várias operações policiais, contribuindo intensamente nas ações de combate ao crime. Atualmente, chefiava a Delegacia de Repressão aos Crimes Fazendários no Maranhão.

O Legislativo Estadual reconhece a partida do delegado como uma grande perda para a Polícia Federal e para o Brasil. E, neste momento de dor, solidariza-se com familiares, amigos e admiradores. Que a luz divina os console e lhes dê serenidade para enfrentar esta perda imensurável e precoce.

Othelino Neto, presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão

Jhonatan afirma à polícia que assassinou presidiário para não ser morto

O criminoso Jhonathan de Sousa Silva – condenado a 25 anos de prisão pelo assassinato do jornalista Décio Sá, então repórter de Política de O Estado, disse em depoimento à Polícia Civil que matou o detento Alan Kardec Mota porque estava sendo ameaçado de morte. O crime ocorreu no último domingo no Presídio São Luís 4, no Complexo Penitenciário de Pedrinhas.

Jhonathan Silva afirmou que as ameaças ocorriam desde 2016. Ele contou “que, depois que foi ameaçado de morte, teve um desentendimento com Alan Kardec em um jogo de futebol. Na ocasião, foi necessária a intervenção de outros internos para separar a briga.  “Alan Kardec gritava para os internos apoiarem ele”, relatou Jhonathan.

O homicida relatou ainda que há duas semanas se desentendeu com Alan Kardec em um jogo de xadrez, tendo ele dito para outro interno que resolveria com o interrogado suas diferenças na quadra, porque, se não fosse do jeito dele, iria esfaqueá-lo.

“Quando se encontrava em sua cela, uma noite antes do crime, ouviu o barulho de amolar de facas, mas não sabia de qual cela vinha. Na manhã, quando foi ao banheiro, encontrou um chuço no chão, próximo ao vaso sanitário. Pegou o chuço, indo em direção a Alan Kardec, e desferiu um golpe na região do peito”, relatou.

O criminoso matou Alan Kardec Dias Mota com golpes de ferro no peito, por volta das 7h30 do domingo, no horário do banho de sol. O detento ainda chegou a ser levado para o Hospital Municipal Dr. Clementino Moura (Socorrão II), mas não resistiu e morreu no fim da tarde.

Com informações de O Estado

Deputado cobra rigor nas investigações de crime contra professor

WellingtonO deputado estadual Wellington do Curso (PPS) utilizou a tribuna da Assembleia Legislativa, na manhã desta quinta-feira (18), para cobrar do secretário de Estado da Segurança Pública, Jefferson Portela, celeridade nas investigações do crime ocorrido na noite da última quarta-feira (17), em Coroatá, contra um jovem professor de Matemática, que foi assassinado dentro de casa.

Ao relatar o fato, o parlamentar externou sua preocupação com a Segurança Pública no Estado devido aos constantes crimes que vêm acontecendo e não foram solucionados, o que, segundo ele, favorece a impunidade e estimula o aumento da violência.

“Hoje é um dia de luto para a Educação do Maranhão, especificamente na cidade de Coroatá. Ontem, por volta das 22h30min, no bairro Trizidela, localizado na cidade de Coroatá, o jovem professor, Leonel Pereira, foi atingido com um tiro no peito, após reagir a um assalto por dois suspeitos dentro de sua casa. Em defesa da vida e da justiça, solicitamos ao secretário Jefferson Portela celeridade e atenção ao caso, e que cobre do delegado de Coroatá, empenho nas investigações para que possa colocar na cadeia, o mais rápido possível, o assassino do jovem Leonel. Pedimos o empenho do secretário de Segurança Pública para averiguação e investigação dessa morte, pois, caso não ocorra, isso favorecerá a impunidade e, consequentemente, aumentará os atos de violência”, argumentou o parlamentar, ao fazer referência ao assassinato do jovem blogueiro, Ítalo Diniz, que completou três meses e ainda não foi solucionado, no município de Governador Nunes Freire.

Sousa Neto cobra explicações da Sejap por soltura de envolvido no homicídio do médico Luiz Alfredo

Deputado estadual Sousa Neto

Deputado estadual Sousa Neto

O deputado oposicionista Sousa Neto (PTN) lamentou hoje, na tribuna da Assembleia Legislativa, o ato de soltura de Anderson Silva Gonçalves, envolvido no covarde assassinato do médico Luiz Alfredo, que atuava como diretor do Hospital Geral, o Hospital do Câncer do Maranhão.

Neto se solidarizou à família do médico e disse ter ficado impressionado com a liberação do criminoso.

“Eu vim aqui como amigo da família, da esposa dele, Luciana, dos filhos Daniel, Lucas e Thiago, que de alguma forma, estavam com o sofrimento amenizado com a prisão daquele elemento. Mas agora ele está solto”, disse.

Neto cobrou da Sejap, um esclarecimento referente ao caso, uma vez que o Ministério Público transferiu à secretaria de Estado, a responsabilidade pela soltura do suspeito.

Anderson Silva Gonçalves, o Aranha, foi solto pelo juiz José Ribamar d’Oliveira Costa Júnior, da 2ª Vara Criminal de São Luís, referente a um outro processo o qual o criminoso responde.

Na decisão, o magistrado fez uma ressalva, apontando que Aranha somente poderia ser solto, caso ele não estivesse preso por outro motivo. O Ministério Público apontou que a Sejap não se atentou para o fato de que ele respondia por homicídio e o pôs em liberdade.

Corpo de jovem desaparecida é encontrado esquartejado na Cohab; namorado se matou

Corpo de Dahlia Ferreira foi encontrado em saco plástico na Cohab

Corpo de Dahlia Ferreira foi encontrado em saco plástico na Cohab

Foi encontrado na manhã de hoje pela Polícia Civil, o corpo da jovem Dahlia Ferreira, que estava desaparecida desde o último domingo em São Luís. O corpo estava esquartejado dentro de um saco plástico no condomínio onde ela residia, na Cohab.

O principal suspeito de ter cometido o crime brutal e covarde, foi o companheiro da vítima, Raphael Carvalho, que também foi achado morto dentro de casa. Ele teria se enforcado ao perceber a movimentação de vizinhos onde se deposita o lixo do condomínio, local que escondia o corpo de Dahlia. Antes de ter entrado em casa e se enforcado, Raphael ingeria bebida alcoólica num bar próximo à sua residência. A atitude dele chamou a atenção de vizinhos, que acompanhavam o desenrolar do caso.

Raphael havia dado uma entrevista no mínimo confusa na segunda-feira, ao fazer apelos à população pelo suposto desaparecimento de Dahlia. Na entrevista, ele explicava à repórter que Dahlia era explosiva e que ele tentava “trabalhar” isso nela. Uma justificativa estranha para aquele momento, que passou de imediato a ser investigada pela polícia.

Até então, a única informação existente era a de que Dahlia havia saído domingo às 7h da manhã para a praia, sozinha.

A polícia agora deve esclarecer o que realmente aconteceu nesse dia. Dahlia foi realmente a praia. Foi morta em qual momento e porque?

Em sua última postagem no facebook, Dahlia disse o seguinte: “Sabe quando vc aperta o botão do farejador? Veio à tona hoje”. Sinal de que ela desconfiava de algo. O post foi no sábado, um dia antes de seu desaparecimento.