O posicionamento de lideranças após a repercussão da Lava Jato

O Estado – A inclusão do governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), no rol de possíveis investigados por suspeita de recebimento de dinheiro de caixa dois da Odebrecht na campanha eleitoral de 2010 levou a comentários de análises de lideranças e observadores da cena política local comentaram nos últimos dias.

Em depoimento à força-tarefa da Operação Lava Jato, o ex-funcionário da Odebrecht detalhou o pagamento de R$ 200 mil à campanha de Flávio Dino em 2010, em troca do apoio do comunista, então deputado federal, ao Projeto de Lei nº 2.279/2007, de interesse da empreiteira, na Câmara dos Deputados.

Outros R$ 200 mil foram pagos na campanha de 2014, segundo ele, de forma oficial. A proposta, então em tramitação na Câmara, garantiria segurança jurídica a investimentos da construtora em Cuba, em virtude do embargo econômico dos Estados Unidos à ilha comunista.

No Maranhão, o caso repercute desde o anúncio oficial de que o comunista estava na “Lista de Fachin” – no caso dele, a petição da Procuradoria-Geral da República (PGR) será encaminhada ao Superior Tribunal de Justiça (STJ).

O ex-juiz Marlon Reis – um dos autores da Lei da Ficha Limpa e atual nome do Rede no estado para a disputa pelo Senado -, foi quem mais se manifestou até agora.

Ontem, por exemplo, criticou, por meio de postagem na sua conta pessoal no Twitter, a tentativa de abafar a Lava Jato com a justificativa de salvar a política.

“Agora corruptos de diversos partidos tramam abafar a Lava Jato como forma de salvar a ‘política’. Querem salvar as próprias peles”, afirmou.

Ele não chegou a citar diretamente o governador maranhense, mas a declaração é um recado claro. Um dia antes, Dino havia usado também as redes sociais para propor uma “tática” que se estabelecesse como uma “saída política” para o caos instalado atualmente no país.

“Cabe à esquerda e ao centro democrático concertar uma saída política para o caos institucional. Fora da Política não há salvação real”, escreveu.

Caixa dois – Outro comentário de Reis, esse mais diretamente relacionado a Flávio Dino, referia-se a seu conceito sobre caixa dois.

Para o membro do Rede Sustentabilidade, o recebimento de doações não contabilizadas em campanhas eleitorais deve ser mesmo considerado crime. “Caixa 2 é corrupção qualificada pela lesa pátria”, defende.

MAIS

O conceito de que caixa dois é crime é também compartilhada pelo subprocurador-geral da República, Nicolao Dino, irmão do governador Flávio Dino. Meses antes de o comunista ser incluído na Lava Jato sob suspeita de receber R$ 200 mil dessa forma, ele havia declarado, durante o Seminário Reforma Política Eleitoral no Brasil, que “caixa dois é um fenômeno tão nocivo para o processo democrático quanto a corrupção”.

Dino é criticado até por adversários de Sarney

A inclusão do governador Flávio Dino (PCdoB) na chamada “Lista de Fachin” provocou reações contrárias ao comunista mesmo de lideranças que se opõem ao grupo do ex-presidente José Sarney (PMDB) no Maranhão.

Em artigo divulgado no fim de semana, por exemplo, o jornalista, médico e advogado João Bentivi comparou o aparecimento do comunista no caso com o fato de que figuras proeminentes “sarneísmo” estão fora da Lava Jato, dentre elas a principal adversária do governador, Roseana Sarney (PMDB).

“Está, pois, estabelecido o inevitável maniqueismo, mesmo nesse mar de incertezas, de constatações inapagáveis e volumosas surpresas. O nosso governador, na primeira infância da política, ainda que eu creia na sua honestidade (e creio) tem que se explicar e está se explicando. É mau. É mal”, escreveu.

Já Igor Lago, filho do ex-governador Jackson Lago (PDT), mesmo sem aliviar os “sarneístas”, criticou o grupo do governador, que tanto atacou seus oposicionistas nos últimos anos.

“A política [no Maranhão] resumiu-se aos sarneístas e seus dissidentes. O resultado não poderia ser pior: o sujo falando do mal lavado.”, comentou.

O recado de Igor Lago a Flávio Dino após a citação na Lava Jato

A data da publicação é 12 de abril. Quarta-feira da semana passada, um dia depois de a imprensa nacional revelar o conteúdo da delação de José de Carvalho Filho – ex-executivo da Odebrecht -, e que comprometeu a imagem do governador Flávio Dino (PCdoB).

O delator afirmou ao Ministério Público Federal (MPF) ter negociado propina com o governador, em troca de apoio a um projeto de lei que beneficiaria a empreiteira, para uso na campanha eleitoral de 2010. Naquele ano, Dino perdeu a eleição para o Governo do Maranhão.

A PGR pediu autorização para abertura de inquérito contra Dino ao ministro Edson Fachin, do STF, e o ministro encaminhou o pedido ao STJ.

Diante de todo esse contexto, Igor Lago, filho do ex-governador Jackson Lago, publicou o seguinte: “Maranhão. Pobre província do Brasil. A política resumiu-se aos sarneístas e seus dissidentes. O resultado não poderia ser pior: o sujo falando do mal lavado”…

Para bom entendedor…

Do blog de Jorge Aragão

Igor e Clay Lago reféns de Eliziane

No Fórum Eleitoral, Igor, Clay e históricos do PDT, oficializaram saída do partido; Eliziane aproveitou para fazer convite

No dia 4 de junho de 2013, no Fórum Eleitoral, Igor, Clay Lago e históricos do PDT, oficializaram saída do partido; Eliziane aproveitou para fazer convite ao PPS

O médico Igor Lago, filho do ex-governador Jackson Lago e Clay Lago, viúva do pedetista, estão definitivamente em situação extremamente desconfortável, numa leitura fria, reféns de Elziane Gama (PPS).

Pior que isso, podem ser novamente vítimas de traição política.

Igor e Clay deixaram o PDT após terem sido apunhalados pelo deputado federal Weverton Rocha e a sua trupe no PDT e na oposição. Não há o que argumentar a esse respeito.

Igor Lago se filiou ao PPS em outubro do ano passado em apoio a Eliziane

Exatos 4 meses depois, no dia 4 de outubro, Igor e Clay se filiaram no PPS de Gama

Antes disso, assistiram a dois episódios devastadores à família e ao grupo político até então liderado por Jackson. O primeiro foi a destruição do Governo por aliados do pedetista fascinados pelo poder dos Leões. Deu no que deu.

O segundo foi justamente a tomada rasteira do PDT e a condução do partido a uma aliança política com o PCdoB de Flávio Dino, que segundo o próprio Igor, já havia traído Jackson em 2010.

Em outubro do ano passado, quando Dino insistia em pregar na imprensa ter sido amigo de Jackson, Igor Lago o classificou de desleal e disse mais: Jackson e Dino traçaram trajetórias diferentes na política.

Disse Igor na ocasião: “Combateram-no o tempo todo, maltrataram a sua candidatura até o dia da eleição. Foi vale-tudo. Não sou o único a achar que Flávio Dino foi desleal”, disse e completou sobre as trajetórias de ambos: “Jackson era líder popular e democrático, formado na luta social, um dos fundadores do PDT. O outro, eleito pelo cabresto, pela caneta, pela máquina do então governador Zé Reinaldo. E o que fez o deputado? Ficou a serviço das corporações jurídicas”.

Voltemos a possibilidade de nova traição política.

Igor, Clay Lago e históricos/egressos do PDT, saíram do partido justamente por conta

Agora, Eliziane pode articular apoio a Flávio Dino

Agora, Eliziane pode articular apoio a Flávio Dino e ignorar apoio de Igor e Clay

da aliança política com Flávio Dino. Para Igor, Dino não representa a mudança que tanto prega, jamais apresentou um programa de governo consistente e apenas quer o poder pelo poder.

Os ex-pedistas ingressaram no PPS justamente com a “promessa” da via alternativa, àquela não alinhada ao grupo governista ou a oposição dinista. Ingressaram no PPS “iludidos” [ou não] por Eliziane, de que ela seria a candidata ao Governo, independentemente das movimentações políticas dos demais partidos no cenário. Agora percebem que pode não ser “bem assim”.

Eliziane já admite publicamente que somente pode sustentar a pré-candidatura ao Palácio dos Leões caso tenha apoio de um outro partido político, como o PSB ou PSDB. E hoje senta a mesa com o mesmo Flávio Dino e a turma que a patrulhou na Assembleia Legislativa no ano passado, justamente pelo fato de não ter concordado com o projeto comunista até àquela altura.

É bom lembrar que nem Igor Lago, muito menos Clay Lago foram procurar abrigo ou acolhimento no PPS de Eliziane Gama. A popular-socialista sim, no dia da desfiliação dos históricos do PDT [4 de junho de 2013], no Fórum Eleitoral, foi quem fez questão de se apresentar aos dissidentes e ali oferecer espaços políticos no PPS. O discurso naquele momento era o de candidatura própria e combate à oligarquia e ao dinismo.

Agora, reféns de Eliziane, Igor Lago e companhia podem acabar a ver navios. Podem novamente ser apunhalados pelas costas e sofrer nova traição política. Se isso ocorrerá ou não, só o tempo irá dizer. De qualquer forma, a resposta está próxima…

O Maranhão da Impostura

Igor Lago é filho do ex-governador, Jackson Lago

Igor Lago é filho do ex-governador, Jackson Lago

Os pretensos donos das oposições e que querem ser donos do Maranhão revelam a cada dia, a cada hora, a cada minuto e a cada segundo, um temor inexplicável por uma candidatura alternativa ao governo do estado.

Querem impor um pensamento único, um candidato único, uma chapa única. Quem não aceitar essa “unanimidade” é visto como um blasfemo, um herege, um pecador.

A rede de blogs criada nos últimos meses (e, presumivelmente, com dinheiro público!) se encarrega de jogar as almas discordantes aos cães.

Esse comportamento me faz lembrar as eleições de 2010 quando, depois de recusarem, veementemente, a proposta de unidade das oposições em torno daquele que teve o seu mandato usurpado por um golpe jurídico, em determinado momento, passaram a atacá-lo e a sua candidatura, por todos os meios, até o dia da eleição a ponto de diminuí-la e enfraquecê-la e comprometer a realização de segundo turno.

Perderam para as próprias e insaciáveis ambições de poder!

Desde então consideram-se os “donos das oposições”. Quem ousou ou ousa enfrentar tal projeto é alvo das piores atitudes que a política maranhense costuma reservar em momentos de incompreensão e intolerância, de trapaça e vilania.

O temor de uma candidatura alternativa residiria no fato de que esta pode desempenhar um papel determinante na campanha eleitoral: o de fazer com que as pessoas percebam que a “Oposição” não tem nada de diferente à situação; que a “Oposição” é oriunda da situação; que a “Oposição” pensa, fala e faz a mesma política da situação e, talvez, com mais arrogância e sem limites.

O Maranhão precisa de uma Oposição sem cumplicidades. Uma Oposição à política de usura do poder, de atrelamento do município e estado aos interesses pessoais, de grupo e partidários.

O Maranhão precisa de uma Oposição democrática, livre e soberana que chegue ao poder para servir à sociedade, priorizar o interesse público e fazer uma gestão transparente e à altura dos desafios do presente.

* Impostura, segundo o dicionário, significa embuste, engano artificioso, afetação de grandeza, superioridade, orgulho, confinante com a empáfia e a bazófia.

 

Igor Lago espera que Eliziane mantenha candidatura ao Governo do Estado

Igor Lago se filiou ao PPS em outubro do ano passado em apoio a Eliziane

Igor Lago se filiou ao PPS em outubro do ano passado em apoio a Eliziane Gama

O médico Igor Lago (PPS), filho do ex-governador Jackson Lago, afirmou que, apesar de ainda não ter conversado com a deputada estadual e pré-candidata ao Governo do Estado, Eliziane Gama (PPS), sobre uma possível aproximação política da parlamentar com o pré-candidato Flávio Dino (PCdoB), espera que ela mantenha o projeto de candidatura ao Executivo nas eleições de outubro, como foi acertado com os dissidentes do PDT que se filiaram no PPS em 2013.

Nas últimas três semanas, foram inúmeras as informações nos bastidores de que a popular-socialista teria se aproximado de Flávio Dino após convite para que ela ocupasse espaços na chapa majoritária comunista. Gama negou a aproximação.

Em entrevista a O Estado, Igor Lago evitou fazer qualquer tipo de crítica a Eliziane, mas deixou claro não concordar com uma possível aliança da parlamentar com Dino ou com o grupo governista, que tem como pré-candidato o secretário de Estado da Infraestrutura, Luis Fernando Silva (PMDB). Para ele, Gama precisa compreender o seu espaço e o seu momento na política e manter o projeto de candidatura ao Palácio dos Leões.

Igor Lago afirmou que o estado precisa de uma alternativa, que em sua análise não é possível ser vista nas outras duas pré-candidaturas expostas à população. “Há milhares de eleitores órfãos no estado e que não se identificam com nenhuma das duas candidaturas apresentadas. Eliziane é uma deputada estadual de segundo mandato, vem do meio do povo, uma mulher de trajetória pessoal reveladora, lutadora, e tem aí um grande desafio pela frente. Precisa tão somente manter a capacidade de discernir o momento político em que o estado está vivendo”, disse.

Dissidente do PDT justamente pelo fato de o partido ter sido conduzido pelo deputado federal Weverton Rocha para uma aliança com Flávio Dino, Igor Lago disse não conseguir enxergar vantagens políticas ou de cunho social para o PPS, numa possível aliança do partido com o PCdoB. “Vejamos as candidaturas no Maranhão. Existe a do grupo governista, que já estamos acostumados a ver a sua forma de fazer política, e as oposições. A oposição que está aí [Flávio Dino], disputando com o grupo situacionista, em nada se diferencia do governo. Essa é a minha visão, não sei qual é a dela [Eliziane]. Essa oposição [comunista] não tem caráter democrático e beira ao fascismo em alguns aspectos, como na sua área profissional. Portanto, não me identifico com nenhum dos dois lados [grupo governista e oposição liderada por Flávio Dino]“, disse.

Diálogo – O médico, pré-candidato a deputado federal, afirmou que ainda não foi procurado por Eliziane Gama para tratar do assunto. Mas assegurou que, caso seja procurado, discutirá com ela e com os membros do PPS a questão da manutenção da candidatura própria da legenda. Em sua avaliação, esse é o único caminho do partido para as eleições.

Procurada por O Estado, Eliziane Gama negou que haja qualquer tipo de aproximação política entre ela e Flávio Dino e assegurou que disputará o comando do Palácio dos Leões. “Nossa candidatura está mantida e não há outro debate nesse sentido. O PPS tem candidatura própria. Quanto às coligações, o PPS nacional e a Rede de Sustentabilidade estão nos ajudando na construção”, afirmou.

 

Eliziane comemora pré-candidatura de Igor Lago

O médico Igor Lago, filho do ex-governador Jackson Lago, disputará a Câmara Federal pelo PPS

O médico Igor Lago disputará uma vaga na Câmara Federal pelo PPS

A presidente do Diretório Estadual do PPS, deputada Eliziane Gama comemorou a decisão do filho do ex-governador Jackson Lago, o médico Igor Lago de concorrer a uma vaga na Câmara Federal e apoiar o projeto majoritário do partido nas próximas eleições.

 “O Dr. Igor Lago representa a verdadeira história do Dr. Jackson Lago no Maranhão. Tenho certeza que o legado de Dr. Jackson será honrado por este grande homem. O PPS se sente fortalecido, pois a decisão da candidatura do Dr. Igor engradece o partido”, destacou Eliziane Gama.

 A decisão de Dr. Igor Lago de concorrer a uma vaga de deputado federal e apoiar Eliziane Gama nas eleições de 2014 foi tomada em reunião realizada terça-feira (17)  na residência da esposa de Jackson Lago, Dra. Clay Lago. O encontro contou com a presença de importantes lideranças como Luciana Lago, ex-deputado Rubem Brito, Cândido Lima, Jô Santos, Patrício do Santa Cruz, Raimundo Silva Aroucha, Zé Maria Cantanhede, Zé Maria Machado.

 Para Igor Lago o PPS representa a alternativa popular e democrática, pois é um partido sensível a necessidade de renovação e reformulação da política para a reaproximação do eleito e do eleitor.

O filho do ex-governador Jackson Lago  elogiou a postura e a história política da presidente do Diretório Estadual do PPS. “Eliziane Gama é a grande e boa novidade da política maranhense. Deputada de segundo mandato, mulher, jornalista de origem humilde e que tem natureza democrática e que contribui muito com nosso estado através do seu trabalho”, destacou Igor Lago.

 O médico Igor Lago, filho do ex-governador Jackson Lago, além de outras lideranças egressas do PDT se filiaram ao PPS no mês outubro e passaram a integrar projeto do partido para 2014.

 “É um grande privilégio para o PPS ter o Dr. Igor Lago e os demais líderes de um projeto que sofreu ruptura histórica no Maranhão, que foi o Governo de Jackson Lago. Tê-los ao nosso lado é uma demonstração que este legado continua vivo, e aumenta ainda mais a nossa responsabilidade na construção de um Maranhão para os maranhenses”, afirmou Gama.

Ascom Eliziane

Igor Lago também condena ataques a Eliziane

igor lagoO médico Igor Lago (PPS) voltou a criticar dinistas que agora tentam passar a população a ideia de que Eliziane Gama (PPS) é aliada do grupo Sarney.

Igor Lago disse ter ficado impressionado com a agressividade com o qual “este setor” das oposições atua no sentido de evitar outra candidatura.

Mesmo setor que prega ter apoio de todos os presidenciáveis e que já divide cargos para o Palácio dos Leões.

Acima, o posicionamento do médico, filho do ex-governador Jackson Lago, em seu perfil no Facebook.

Para Igor Lago, Flávio Dino foi desleal com Jackson em 2010

Desleal

O médico Igor Lago (PPS) voltou a criticar o presidente da Embratur Flávio Dino (PCdoB), que agora prega no interior do estado que era “amigo” de Jackson Lago. Em entrevista a um blog político [Robert Lobato] da capital, assegurou que Flávio foi desleal com o pedetista, que disputava em 2010 a sua última eleição. – Combateram-no o tempo todo, maltrataram a sua candidatura até o dia da eleição. Foi o vale-tudo. Não sou o único a achar que Flávio Dino foi desleal – disse.

Diferentes

Igor Lago também afirma que não há qualquer semelhança – seja política ou social -, nas trajetórias de vida de Jackson Lago e Flávio Dino. Afirma que Jackson era líder popular e democrático, formado na luta social, um dos fundadores do PDT. – O outro, eleito pelo cabresto, pela caneta, pela máquina do então governador Zé Reinaldo. E o que fez como deputado? Ficou a serviço das corporações jurídicas -, completou.

Da coluna Estado Maior, de O Estado do Maranhão

Imagem do Dia: Igor Lago no PPS

O médico Igor Lago, filho do ex-governador Jackson Lago, filiou-se hoje ao PPS, partido presidido pela deputada estadual Eliziane Gama. Apesar de ainda não ter decidido, Igor pode disputar a eleição de 2014. Esse inclusive é o objetivo de Eliziane. Com a chegada do médico no PPS, está descartada a chance de Flávio Dino ()

O médico Igor Lago, filho do ex-governador Jackson Lago, filiou-se hoje ao PPS, partido presidido no Maranhão pela deputada estadual Eliziane Gama. Igor defende o projeto de candidatura própria de Eliziane e rechaça qualquer tipo de aliança com Flávio Dino (PCdoB). O médico agora se une a Wellington do Curso e dá mais força política à legenda.

Filiação de Igor Lago afasta PPS de Flávio Dino

Igor Lago ao lado de Eliziane na ocasião de sua desfiliação do PDT

Igor Lago ao lado de Eliziane na ocasião de sua desfiliação do PDT

Blog do Linhares – A filiação de Igor Lago, filho e herdeiro político do ex-governador Jackson Lago, na tarde desta sexta-feira (04) o PPS da deputada Eliziane Gama pode acarretar em um distanciamento maior do partido do grupo liderado pelo comunista Flávio Dino.

Igor Lago tem sido um dos maiores críticos do grupo de oposição nos últimos anos. Já chegou inclusive a apontar Flávio Dino como representante de certo “messianismo barato”.

Com a entrada de Igor e outros no PPS o partido ganha musculatura eleitoral. Nas últimas semanas a falta desta musculatura foi apontada por possíveis aliados como o maior entrave para a candidatura da deputada Eliziane Gama ao governo.