No centro do Poder

É evidente o preconceito da mídia do Sul demonstrado com o deputado André Fufuca (PP), que assumiu ontem o exercício da presidência da Câmara Federal. O preconceito se dá, sobretudo, pelo sobrenome político do parlamentar, uma espécie de corruptela do nome Francisco, pai do deputado.

Mas mesmo diante do preconceito sulista, André Fufuca demonstrou altivez, coragem e segurança para conduzir os trabalhos na Câmara Federal neste momento de forte turbulência política. Estão na pauta de discussões assuntos como as reformas política, previdência, tributária, além de outras questões de forte repercussão.

Inteligente – apesar de muito jovem, com apenas 28 anos, completados domingo – Fufuquinha, como é mais conhecido no interior maranhense, cercou-se de líderes de peso na Câmara, como os governistas Beto Mansur (SP), Carlos Marum (RS) e Darcísio Perondi (RS), experientes raposas, que garantiram a ele a base parlamentar para conduzir os trabalhos. O deputado maranhense pode contar ainda com experientes colegas maranhenses, na Câmara e no Senado, capazes de lhe dar o cabedal político necessário.

Demonstrando humildade e capacidade de aprendizagem rápida, combinada à segurança que demonstra nestes momentos, André Fufuca vai deixando sua marca no parlamento brasileiro.

E só está no seu primeiro mandato.

Da coluna Estado Maior, de O Estado do Maranhão.

Eduardo Braide apresentará plano de governo à imprensa na quinta-feira

Foto de Biaman Prado

Foto de Biaman Prado

O candidato do PMN, deputado estadual Eduardo Braide, apresentará o seu plano de governo à imprensa na próxima quinta-feira, num café da manhã, que será realizado no Brisamar Hotel.

Ele afirmou que esta será a oportunidade de apresentar aos jornalistas e à sociedade, o que tem planejado para todas as áreas de atuação da administração pública municipal.

“Por que isso? Durante a campanha vocês são acostumados a cobrir as atividades dos candidatos, a movimentação de candidatos, as reuniões, mas muita das vezes o programa de governo fica num segundo plano. Termina a eleição e as vezes a imprensa não tem o conhecimento profundo daquilo que pensa o candidato que se dispõe a administrar a nossa cidade. E nós queremos fazer diferente em relação a este aspecto”, disse.

O plano de governo, segundo ele, amplamente detalhado durante o evento. “Toda a imprensa será convidada para o café da manhã, onde o nosso plano de governo será apresentado, item por item. O que nós vamos fazer é mostrar, de forma real, coerente, é possível fazer de São Luís uma cidade muito melhor de se viver”, finalizou.

Prefeito sugere controle da imprensa em São Luís

O prefeito de Buriti Bravo, Cid Costa (PTB), propôs hoje – por mais absurdo que pareça -, o controle da imprensa no Maranhão, durante a abertura da I Marcha Municipalista do estado, evento realizado pela Famem no Rio Poty Hotel, em São Luís.

No seu pronunciamento, o prefeito afirmou que repórteres protegem-se com um discurso da volta da censura, para atacar políticos no estado. Para combater a “prática”, ele sugeriu o controle da mídia.

“Nós temos que buscar um controle da imprensa, para que ela possa agir com mais responsabilidade e justiça, principalmente nós prefeitos que deixamos nossas vidas para cuidar dos nossos municípios, deixamos nossas famílias, nossos filhos, nossos amigos, para cuidar da nossa comunidade, portanto nós merecemos mais respeito e mais justiça através da imprensa”, disse e completou:

“Muitas vezes, a maioria desses repórteres, inclusive de rede nacional, ficam se escondendo por trás de uma manta (sic) da volta da censura, para estar travando (sic) notícias que denegrem (sic) a imagem sem a mínima responsabilidade de um cidadão que passa sua vida pautada na justiça e na responsabilidade”, enfatizou.

Após o ocorrido, Cid Costa afirmou ao jornalista Gilberto Léa que na verdade pretendia se referir apenas à “parte da imprensa que age com irresponsabilidade”.

Então tá…

Apenas coincidências?

flaviodinoUma equipe do jornal americano Financial Times deve desembarcar no Maranhão nos próximos dias, para uma missão específica: pretende retratar a suposta “mudança no Maranhão” após o governo Flávio Dino (PCdoB).

Curiosamente, a chegada de estrangeiros da imprensa ao Maranhão começou exatamente após o governador fechar contrato com a empresa Informe Comunicação Corporativa, pertencente à família de ninguém menos que o jornalista Ricardo Noblat.

O contrato da Informe é de R$ 6 milhões ­ ganhos em uma licitação da qual somente esta empresa concorreu ­ e tem por objetivo exatamente furar espaços na imprensa nacional ­ e, ao que parece, internacional.

Ainda enrolado com os resultados de seu governo ­ que patina em questões básicas, como Segurança e Saúde ­, Flávio Dino, mesmo assim, não desistiu de se projetar nacional e até internacionalmente. E os gastos para isso parecem não ter importância para o governador.

Há duas semanas, matéria da revista inglesa The Economist destacou suposta mudança nos índices sociais do Maranhão nestes 10 meses de governo comunista ­ sabe­se lá de onde a revista tirou o resultado desses índices, já que nenhum instituto oficial divulgou qualquer relatório no período. Mas, coincidentemente, a matéria de The Economist, conhecida mundialmente pelas pautas negociadas, saiu exatamente após a assinatura do contrato com a empresa Informe Comunicação.

E, assim, Flávio Dino vai construindo o seu governo, sem nenhum avanço que possa justificar a mudança pregada por ele durante a campanha. Mas com uma imagem construída em matérias internacionais, com custos milionários para o contribuinte maranhense.

Texto sob o título Internacional, da coluna Estado Maior, de O Estado do Maranhão

Jornalistas discutem função social da imprensa

Itevaldo Júnior conversou com jornalistas da assessoria do Tribunal de Justiça

Itevaldo Júnior conversou com jornalistas da assessoria do Tribunal de Justiça

O papel dos meios de comunicação e a função social da imprensa na atual conjuntura política. Este foi um dos assuntos discutidos pelos profissionais da Assessoria de Comunicação do Tribunal de Justiça, no projeto “Café com Palavra”, em mesa-redonda com o jornalista Itevaldo Júnior.

Profissional com experiência nas áreas política e cultural, com reportagens marcantes na imprensa maranhense, Itevaldo Júnior afirmou em debate com os jornalistas do TJMA que os meios de comunicação social ocupam papel importante no processo de mudança da realidade política, econômica e social no País.

Questionado se a comunicação online, com os inúmeros recursos oferecidos pela Internet, pode comprometer a sobrevivência do jornal impresso, Itevaldo Júnior frisou que os veículos tradicionais de comunicação não podem competir de forma ingênua com a Internet.

Para o jornalista, o jornal impresso tem que se reinventar nessa nova realidade no mercado da comunicação, para manter sua vitalidade como instrumentos de comunicação eficiente junto à sociedade, que já consegue aferir a qualidade da informação que recebe.

Segundo ele, os veículos tradicionais, em especial impressos, devem manter o que têm de melhor, ampliando o contato com a sociedade, com efetivos investimentos no conteúdo e na qualidade do jornalismo praticado, dando mais consistência à notícia e evitando a superficialidade.

Itevaldo Junior diz que a força do jornalismo impresso está nas grandes reportagens com abordagens contextualizadas sobre temas pertinentes à sociedade, descrevendo o mundo no qual vivemos.

O jornalista enfatizou que a imprensa tem que exercer plenamente a sua função social. No caso específico dos jornais, ele ressalta que esse segmento de mídia não pode abandonar a grandes reportagens e tratar com superficialidade questões que definem a vida do cidadão.

Na ocasião, ele apresentou aos jornalistas da Assessoria de Comunicação do TJMA o livro “Quase Retratos”, obra literária da sua lavra, concebida a partir da sensibilidade e do olhar atento do jornalista no cotidiano profissional.

Ascom TJMA

Sousa Neto repudia desrespeito de secretário de estado à imprensa

Deputado estadual Sousa Neto

Deputado estadual Sousa Neto

O deputado Sousa Neto (PTN) apresentou nesta terça-feira (14) na Assembleia Legislativa nota de repúdio ao secretário estadual de Indústria e Comércio, Simplício Araújo, pela forma desrespeitosa com que referiu-se ao jornal O Estado do Maranhão nas redes sociais. Para o parlamentar, a postura do membro do governo Flávio Dino foi uma afronta à liberdade de imprensa.

“Isso para mim é uma afronta. E quero aqui me solidarizar com o jornal O Estado do Maranhão e todos os amigos da imprensa em geral, que estão em todos os meios para levar a notícia à população, independente da questão partidária. Esse desrespeito a O Estado eu considero uma afronta à liberdade de imprensa”, discursou Sousa Neto.

Ele ressaltou que o desrespeito à imprensa tem sido recorrente por parte do secretariado do governo atual, e citou como exemplo o secretário de Segurança, Jefferson Portela, que chamou o jornal O Estado de pasquim da oligarquia. “Isso mostra quem são os profissionais que estão trabalhando nesse governo. Os secretários com um linguajar desse e o governador Flávio Dino deveria ter mais respeito para com a imprensa, principalmente a imprensa que faz a oposição a ele”, finalizou.

Para Sousa Neto, todos devem zelar pela liberdade de imprensa, principalmente os gestores públicos. “Defendo e sempre defenderei o respeito pelo profissional da imprensa, seja ele dos blogs, da imprensa escrita, das televisões e das rádios. E o governador deve estar preocupado com as irregularidades que estão ocorrendo em seu governo, e não ficar mandando seus auxiliares achincalhar a imprensa”, declarou.

Ele finalizou cobrando do secretário Simplício Araújo respeito aos veículos de comunicação. “Ele praticamente não aparece em nenhum jornal porque não tem feito trabalho algum na Secretaria de Indústria e Comércio, e já demonstrou que não tem capacidade para gerir uma pasta tão importante”, concluiu.

Ascom

Em nota, Governo nega censura à imprensa

Sobre Ofício Circular n 05/2015-SPCC, expedido pela Superintendência de Polícia Civil da Capital, o governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP), esclarece que:

 1 – Em nenhum momento houve determinação para que informações de interesse público deixem de ser repassadas pelos delegados da Polícia Civil aos meios de comunicação;

 2 – O documento prevê apenas que todas as informações acerca de prisões e outros procedimentos realizados sejam repassadas à Assessoria de Comunicação da SSP-MA;

 3 – Fato constatado tendo em vista que o Ofício Circular foi enviado no dia 12 de fevereiro e por todo este período os delegados permaneceram prestando informações normalmente à imprensa, além de enviá-las para distribuição pela Secretaria de Estado da Comunicação Social para todos os veículos de comunicação;

 4 – Por fim, a Secretaria reitera seu compromisso com a democracia e transparência das ações realizadas, diretriz estabelecida pelo governador Flávio Dino.

Governo quer limitar acesso de jornalistas a informações na SSP

censura-768x1024O delegado assistente da Superintendência de Polícia Civil da Capital (SPCC), Alessandro de Castro, assinou um ofício distribuído a todos os delegados de polícia da capital, que estabelece censura aos veículos de comunicação no estado.

O documento destaca que todas as prisões que mereçam “atenção da imprensa” somente poderão ser repassadas à imprensa por meio da assessoria de comunicação da Secretaria de Segurança Pública. Ou seja, o documento veta qualquer entrevista de autoridade policial aos veículos de comunicação.

Impede por consequência que os profissionais da imprensa desempenhem a sua função com liberdade e de forma democrática.

O Governo do Estado faz, na verdade, é tentar limitar o trabalho da imprensa. Essa é a mudança…