Governo engaveta projetos de mobilidade para São Luís

O Estado – O governo Flávio Dino (PCdoB) decidiu retirar do programa de financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) pelo menos seis importantes obras que estavam previstas na área de mobilidade urbana em São Luís.

A informação foi prestada pela secretária de Estado do Planejamento e Orçamento, Cinthya Mota, ao responder requerimento dos deputados Max Barros (PRP) e Eduardo Braide (PMN) solicitando dados sobre o plano de renegociação de dívidas do Estado com o banco de fomento.

Segundo o documento, após assumir o governo, o comunista deixou de executar os projetos de construção de alças nos viadutos da Cohab e da Cohama; de construção de uma ponte ligando a Via Expressa à Avenida Quarto Centenário; de construção de duas pontes anexas à Ponte José Sarney; e de construção da Ponte Quarto Centenário.

Projetos para as áreas de segurança, saúde e de educação também foram engavetados, como a ampliação do sistema de videomonitoramento de São Luís, a construção de sete centro de hemodiálise e a construção do centro de formação de professores.

Todas essas obras deveriam ser financiadas por recursos da linha de crédito Proinveste do BNDES e estavam previstas no programa “Viva Maranhão”, apresentado pela ex-governadora Roseana Sarney (PMDB) após a confirmação do empréstimo pelo banco – e já aprovados pela instituição financeira.

Críticas – Em discurso na Assembleia Legislativa, o deputado Eduardo Braide – um dos autores do requerimento de informações – criticou a retirada dos projetos estruturantes de mobilidade urbana e segurança pública para a cidade de São Luís.

“Hoje ficamos sabendo que o governador retirou vários projetos estruturantes para a capital, na mobilidade e segurança pública, temas prioritários para a cidade. E em tempos de tanta insegurança, o governador teve a coragem de retirar a ampliação da infraestrutura do sistema de vídeomonitoramento de São Luís”.

Em seu pronunciamento, Braide afirmou que, ao retirar projetos estruturantes, o governo Flávio Dino impediu a implementação de soluções definitivas para vários problemas da cidade.

“O Governo do Estado contribui com isso [com os índices negativos de São Luis], quando retira projetos estruturantes para a cidade. A solução definitiva estava nos projetos estruturantes que o governador retirou do empréstimo do BNDES”, completou.
O deputado ainda agradeceu a resposta ao pedido de informações e voltou a criticar a postura do governador Flávio Dino.

“Quero aqui agradecer à secretária Cynthia Mota Lima por ter respondido ao nosso questionamento. O Governo do Estado não pode ter medo de falar a verdade. Não pode ter medo de responder aos pedidos de informações feitos por esta Casa. É assim que a gente pode realmente ver o que está acontecendo e, neste caso, ficou claro que ao retirar todos os projetos estruturantes para a capital, o governador Flávio Dino não teve consideração com o povo de São Luís”, concluiu.

Brandão: “estamos na rota dos investidores”

O vice-governador do Maranhão, Carlos Brandão, assina artigo publicado em jornal local, no último fim de semana, sob o título: “Maranhão na rota dos investidores”, que trata da possiblidade de o Estado receber grandes investimentos internacionais, por causa de suas riquezas naturais e potencial para desenvolvimento.

Independentemente das disputas políticas que começam a ser travadas nos bastidores – para a eleição 2018 -, Brandão segue como articulador de grandes projetos para o estado, atuante na interlocução com investidores. Por isso, também, o tema abordado no artigo.

Abaixo, a íntegra do texto do vice-governador.

Maranhão na rota de investidores

Esta semana tive a oportunidade de, mais uma vez, representar o Maranhão em um evento importante para a captação de investimentos para o estado. Apresentamos nossas potencialidades durante o Fórum de Investimentos Brasil 2017, que aconteceu em São Paulo e reuniu inúmeros investidores brasileiros e de mais 40 países. Um grande momento em que ficou claro a todos que a crise política pela qual o país passa, não afasta o interesse de conglomerados mundiais pela possibilidade de negócios em nossas terras.

Acompanhado dos secretários Simplício Araújo (Indústria e Comércio) e Pierre Januário (Projetos Especiais) e pelo presidente da Emap, Ted Lago, pude observar que o interesse pelo Brasil continua em alta. E nesse contexto em que investidores internacionais se voltam a países emergentes com grandes espaços e economia estável, fizemos muitos contatos que nos criam a expectativa de que, em breve, faremos boas parcerias para o Maranhão. Nosso stand foi bastante visitado e o porto do Itaqui, em especial, chamou muita atenção pela localização, por seu calado, por sua estrutura e pela administração moderna e eficiente implantada em nosso governo.

Por ter um sistema financeiro forte, um enorme mercado interno, recursos naturais, um agronegócio organizado a ser explorado e grande potencial industrial, o Brasil é considerado um destino seguro para investimentos. Tanto que hoje é o sexto maior destino de Investimento Estrangeiro Direto (IED) do mundo. O IED, pode ser visto como a movimentação de capitais internacionais para propósitos específicos de investimento.

Uma prova disso foi a assinatura do fundo Brasil-China, que aconteceu durante o Fórum.

Este fundo, criado para financiar obras de infraestrutura, vai fazer circular U$ 20 bilhões de dólares no país, sendo que U$ 15 bilhões serão disponibilizados pela China. O objetivo é o financiamento de projetos considerados de comum interesse para os dois países. O que é muito bem-vindo, já que os países desenvolvidos possuem portos e aeroportos modernos, enquanto países como o Brasil ainda precisam modernizar suas estruturas. O fundo deve começar a operar já a partir deste mês de junho. E o Maranhão está inserido no processo através dos vários contatos feitos. O certo é que, com nossas potencialidades, nossas riquezas naturais e nossa gestão equilibrada, estamos definitivamente na rota dos investidores.

Carlos Brandão

Vice-Governador do Maranhão

 

 

Bancada federal discute investimentos federais no Maranhão

A bancada do Maranhão na Câmara Federal se reuniu na semana passada para tratar dos investimentos do Governo Federal junto ao estado. Na pauta, o andamento das obras de rodovias federais, o contingenciamento das emendas e o alinhamento para novas destinações de recursos. O coordenador da bancada, Rubens Júnior (PCdoB), também anunciou o deputado Junior Marreca como coordenador substituto.

O deputado Rubens Júnior (PCdoB) iniciou o encontro dos parlamentares apresentando o posicionamento do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) sobre a atual situação das intervenções nas rodovias federais do Maranhão. “Uma das minhas prioridades como coordenador da bancada maranhense na Câmara dos Deputados este ano será, sem sombra de dúvidas, garantir que o Governo Federal tire do papel o projeto de duplicação da BR-135”, destacou.

De acordo com o DNIT, o trecho da BR que se estende do Km 25 ao 51, está com mais de 80% concluída e que o ritmo da obra “está sendo ditado pelas condições climáticas do trecho, e que por se encontrar na fase de pavimentação, está impossibilitado de avanço pelo elevado índice de precipitação pluviométrica nesse período”.

Já o trecho entre os Km 51 e 95 está em fase de licitação. Este certame foi alvo de intervenção judicial especificamente na etapa de avaliação das propostas das empresas, o que justifica o atraso para sua conclusão.

Outra parte da BR-135, que vai do Km 95 ao 127, já tem contrato assinado e terá o prazo de 720 dias para execução. Ainda segundo o DNIT, neste momento está sendo providenciada a emissão da Licença de Instalação para efetivo início das intervenções.

Ainda de acordo com o DNIT, o ritmo da obra de adequação de capacidade da Travessia Urbana de Imperatriz é ditado pela pela disponibilidade financeira de instâncias superiores da Administração Federal, e que neste momento aguardam a liberação de R$ 26 milhões para dar continuidade.

Sobre a BR-226, o Departamento destacou que a pavimentação, que se estende do km 0 ao 100, está em fase de obras desde janeiro deste ano e sua conclusão está prevista para o dia junho de 2018.

Os parlamentares também definiram a permanência dos valores das emendas nas áreas de Transportes e Educação serão mantidas, após contingenciamento por parte do Governo Federal.

Além de Rubens Júnior, participaram da reunião os deputados Deoclides Macedo (PDT), Alberto Filho (PMDB), Hildo Rocha (PMDB), José Reinaldo (PSB) e Juscelino Filho (DEM).

Edilázio destaca obras do Governo em Santo Amaro

Hospital de Santo Amaro inaugurado por Roseana Sarney

Edilázio ao lado de Roseana Sarney, em novo hospital de Santo Amaro

O deputado estadual Edilázio Júnior (PV), destacou na manhã de hoje, na tribuna da Assembleia Legislativa, os investimentos do Governo do Estado no município de Santo Amaro, situado na Região dos Lençóis Maranhenses.

Edilázio participou ontem, ao lado da governadora Roseana Sarney (PMDB), da inauguração do hospital de 20 leitos do município, que integra o Programa Saúde é Vida.

Além dos investimentos na saúde pública, o parlamentar lembrou de obras de infraestrutura e de mobilidade urbana.

“Na inauguração do hospital eu pude ver ali a alegria dos munícipes, de todos os cidadãos santo-amarenses e a receptividade tão positiva à governadora Roseana Sarney, que tem tantos serviços prestados àquele município”, disse.

Edilázio destacou que nos quatro anos de seu primeiro mandato, ele conseguiu articular parcerias institucionais entre Governo do Estado e o município de Santo Amaro, onde atua politicamente, investimentos em diversos setores.

Enfatizou a destinação de emendas parlamentares para o calçamento de ruas do povoado Boa Vista, a construção de um terminal rodoviário, aquisição de duas ambulâncias equipadas e a construção de uma estrada que deve ligar a sede municipal, ao povoado Sangue, de onde é feito o transporte turístico para a região. Ele também destacou da parceria que resultou na reforma e ampliação da Câmara Municipal do município.

“Com a construção da nova estrada e do hospital inaugurado, não há dúvida de que haverá maior qualidade de vida, desenvolvimento e um futuro melhor para os jovens que ali residem. Nós agradecemos muito à governadora por toda a sua generosidade com aquele povo e eu fico extremamente feliz por ter participado de parte desse progresso. Fico feliz com o carinho que me foi demonstrado”, finalizou.

Edilázio destaca obras em Santo Amaro e a construção do Anel da Soja

Edilázio destaca obras em Santo Amaro

Edilázio destaca obras em Santo Amaro

O líder do Bloco Parlamentar Democrático, deputado estadual Edilázio Júnior (PV), destacou na sessão de hoje na Assembleia Legislativa, a autorização do Governo do Estado para a construção, na Região Sul, do Anel da Soja. A obra, que receberá investimentos de R$ 700 milhões, integra 400 quilômetros de pavimentação e viabilidade para o escoamento mais rápido e eficaz de toda a produção daquela região. Edilázio participou da assinatura da Ordem de Serviço. Ele também ressaltou a autorização para a construção da estrada que ligará o povoado Sangue ao município de Santo Amaro do Maranhão e a estrada que ligará Santo Amaro a Primeira Cruz.

“O Anel da Soja é a maior obra rodoviária do estado do Maranhão e servirá para escoar toda a riqueza da Região Sul”, disse. A obra foi autorizada na última sexta-feira pelo secretário de estado da Infraestrutura, Luis Fernando Silva (PMDB), que coordena o Plano Rodoviário no interior do estado. O plano contempla a construção de mais de mil quilômetros de vias recuperadas nos 217 municípios e mil quilômetros de rodovias estaduais.

Edilázio falou dos investimentos do Governo no município de Santo Amaro do Maranhão, confirmados após ele ter apresentado indicações na Assembleia. No início do ano, por exemplo, ele já havia articulado a assinatura de um convênio entre a Prefeitura e o Executivo Estadual, com o emprego de emendas parlamentares, que contempla o município com a pavimentação de vias por bloquetes.

Citou também a construção da estrada que dará acesso ao município e os benefícios à população local. “A estrada que ligará o povoado Sangue até Santo Amaro vai custar R$ 63 milhões. Ali [na assinatura da ordem de serviço], eu pude ver a alegria do povo com a obra tão sonhada, que muitos não acreditavam que um dia viesse acontecer. A governadora Roseana Sarney [PMDB] levou um sorriso para o rosto de santo-amarenses”, disse.

Ele falou do potencial turístico do município e da previsão de aumento da economia local. “Eu não tenho dúvida de que, a partir de agora, com a construção desta estrada e depois de sua conclusão, Santo Amaro será o grande destaque do turismo de nosso estado”, completou.

Ao todo, segundo mostrou Edilázio, o Governo do Estado autorizou a execução da MA 320, com 47 quilômetros de extensão [R$ 63 milhões]; pavimentação de vias urbanas, com investimento de R$ 1,7 milhão e o trecho da MA 320 de 23 quilômetros que vai de Primeira Cruz a Santo Amaro.

Eduardo Braide (PMN) reconheceu o empenho do pevista e se colocou na condição de testemunha do esforço de Edilázio por Santo Amaro.

Maranhão receberá R$ 120 bilhões em investimentos, diz Maurício Macedo

maurício macedoO Maranhão deve receber nos próximos anos investimentos de R$ 120 bilhões nos diversos setores produtivos do estado, como siderurgia, energia e petróleo e gás, além da implantação de 12 novos distritos industriais, informou o secretário de estado da Indústria e Comércio, Maurício Macedo, durante a palestra “Conjuntura Maranhense: hoje e no futuro”, apresentada no VIII Encontro de Revendedores de Combustíveis do Nordeste-Brasil, que será encerrada hoje (28), no Pestana Resort Hotel.

O secretário apresentou aos revendedores de combustível o cenário econômico do Maranhão, com a construção e agenda de desenvolvimento produtivo, as diretrizes e ferramentas para o aumento da competitividade produtiva do Estado, a exemplo de R$ 1,3 bilhão destinados a integração rodoviária e mobilidade urbana, ressaltando a posição estratégica em relação às principais rotas marítimas. “O crescimento dos investimentos no Estado impacta na atividade de revenda de combustível porque aumenta a demanda de transporte para os produtos”, afirmou.

 As informações são do SindiCombustíveis