José Joaquim é eleito presidente do Tribunal de Justiça do Maranhão

O desembargador José Joaquim Figueiredo dos Anjos foi eleito há pouco novo presidente do Tribunal de Justiça do Maranhão.

O magistrado venceu o pleito com 16 votos, contra 10 da desembargadora Nelma Sarney, adversária no pleito.

O desembargador Lourival Serejo foi eleito o vice-presidente e o desembargador Marcelo Carvalho o corregedor-geral de Justiça.

A votação foi secreta.

José Joaquim Figueiredo ficará no comando do tribunal no biênio 2018/2019, quando haverá nova eleição da Mesa Diretora.

Até o fim deste ano, a Mesa Diretora da Casa seguirá sendo composta pelos desembargadores Cleones Cunha – atual presidente da Casa -, Maria das Graças Duarte [vice-presidente] e Anildes Chaves Cruz [corregedora-geral de Justiça].

Fernando Furtado só se manifestará após ser notificado pelo TJ

Fernando Furtado é do PCdoB

Fernando Furtado é do PCdoB

A assessoria de comunicação do deputado estadual Fernando Furtado (PCdoB), afirmou ao blog que o parlamentar somente se manifestará da decisão do Tribunal de Justiça, de que ele seja submetido a interpelação judicial, após ele ser notificado pelo TJ.

Até o fim da tarde de ontem, segundo a assessoria, o parlamentar só havia tomado conhecimento da decisão do TJ por meio da imprensa.

O TJ decidiu pela interpelação de Furtado, que deve ser conduzida pela Procuradoria Geral de Justiça (PGJ) e pela Associação dos Magistrados do Maranhão (AMMA) após ter denunciado um suposto esquema de venda de sentenças na Corte Estadual.

Ele afirmou ter presenciado o pagamento de propina de um deputado estadual a um emissário de desembargador num posto de combustível. Apesar disso, jamais delatou os nomes dos envolvidos no “esquema”.

A decisão pela interpelação judicial ocorreu na sessão jurisdicional de ontem, do Órgão Especial do TJ após ter sido apresentada, oralmente, proposição do desembargador José Joaquim Figueiredo dos Anjos.

O magistrado sustentou que a denúncia acaba colocando toda a Corte sob suspeita, por isso a necessidade de explicações por parte do deputado.

Ainda não há data para que a interpelação seja realizada.