Governo tenta encobrir homicídios no Ano Novo

oestadomortes JPmortesGilberto Léda – O governador Flávio Dino (PCdoB) e praticamente toda sua equipe ligada às áreas de Comunicação de Segurança têm repetido há dois, como um mantra, que não houve registro de homicídios na capital maranhense durante os seis dias de festas que marcaram a virada do ano na capital.

O objetivo deles é claro: mostrar para a população que o esquema de segurança montado para o Réveillon deu certo e que, como em tudo o que faz, esse governo é o melhor de todos os tempos.

dinomortes segurançamortesAntes fosse…

O problema é que as afirmações dos governistas não guardam nenhuma relação com a realidade.

Numa rápida consulta a dois dos maiores jornais do Maranhão (O Estado e Jornal Pequeno) fica claro que o Governo do Estado – e todo o seu aparato de comunicação e segurança – está mentindo.

O Estado aponta para 10 corpos no IML – apenas três deles oriundos do interior. Entre os registros, cita o jornal, vítimas de homicídio.

Já o JP mostra mais: 11 homicídios, os mesmos três no interior.

Ou seja: houve, sim, homicídios em São Luís no período citado pelo governador e seus assessores.

Essa é a realidade dos fatos, contra a qual se deve lutar. Não encobrir e fingir que as famílias das vítimas não perderam seus entes.

Porque a propaganda governista pode até funcionar para quem se deixa enganar, mas não apaga a dor de quem perde um familiar, especialmente num momento de celebração, como a festa de ano novo.

Para JP, Dino precisa se transformar em Sarney

Flávio Dino deve virar Sarney para JP

Flávio Dino deve virar Sarney para JP

O grupo Sarney sempre teve um líder inquestionável. Nos momentos mais difíceis e conturbados, a voz de Sarney sempre chegou para colocar ‘ordem na casa’ e conscientizar a todos sobre a importância da marcha unida por um objetivo único; a vitória. Quando a voz não era suficiente, o ‘murro na mesa’ resolvia. E foi assim que durante quase 50 anos, ouvindo o seu líder maior nas horas decisivas, esse grupo conseguiu conquistar as vitórias que conquistou; questionadas ou não.

É desse líder que a oposição sempre se ressentiu, motivo de muitas desuniões e brigas em momentos decisivos. E é nesse líder que Flávio Dino precisa se transformar agora, para que a oposição vença as eleições de outubro. E não tem momento mais importante para provar isso do que agora, quando alguns oposicionistas que não pensam no Maranhão, mas apenas nos seus interesses pessoais, ameaçam um projeto da maior importância para esse estado.

É hora de Flávio Dino mostrar que é líder. E tem todo respaldo popular para isso; afinal, é o homem que grande parte do povo maranhense está vendo, hoje, como a esperança de dar um fim a esse império que domina o estado há quase 50 anos.

Um murro na mesa e ele acaba com essa briga estúpida pela candidatura a vice-governador. Nada melhor para acabar com esse ‘balaio de gatos’ do que ele, Flávio Dino, escolher quem ele quer para compor a sua chapa. (Informe JP)