Deputados avaliam situação de Lula e eventual presença do petista no Governo

Deputados LulaO Estado – Deputados federais que integram a bancada maranhense na Câmara Federal, avaliaram a situação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e os efeitos para o Governo Dilma Rousseff (PT) de uma possível ascensão do petista para a Casa Civil, um dos mais importantes ministérios do Poder Executivo.

Na semana passada Dilma nomeou Lula ministro-chefe da Casa Civil. Uma decisão liminar, contudo, tornou nula a posse. Em menos de 48 horas a liminar foi derrubada e Lula voltou a ser ministro. Mas a nomeação acabou anulada, pela segunda vez, na sexta-feira, pelo ministro Gilmar Mendes do Supremo Tribunal Federal (STF). O ex-presidente ainda pode recorrer ao Pleno do STF. Lula é alvo de investigações da Operação Lava Jato, comandada pelo juiz federal Sergio Moro.

Cinco deputados federais maranhenses falaram com exclusividade a O Estado sobre o tema.

eliziane gama congressoPara João Marcelo Souza (PMDB), Lula tem potencial para amenizar o desgaste da gestão Dilma Rousseff.

“Lula foi nomeado por ser considerado um bom articulador político. É importante saber quais medidas que o ex-presidente irá tomar para ajudar o Governo neste momento conturbado que o país está atravessando”, disse.

Júnior Marreca (PEN), disse que Lula pode ajudar Dilma a melhorar a sua relação com o Poder Legislativo, que hoje está abalada.

“Quanto a Lula, não podemos medir [os efeitos]. Mas vejo que ele no Governo pode sim melhorar o diálogo com o Congresso”, resumiu.

Já Pedro Fernandes (PTB), que até o início do ano coordenou a bancada maranhense na Câmara, apesar da difícil situação, afirmou acreditar que Lula pode ajudar Dilma a sair da crise.

“A ascensão de Lula no Governo com certeza dará um upgrade [à administração federal]”, pontuou.

Redução de força – Juscelino Filho (DEM) avaliou que após a divulgação dos áudios, pelo juiz Sergio Moro, das ligações telefônicas interceptadas pela Polícia Federal, Lula perdeu força política e apoio popular. Ele acredita que o cenário passou a ser outro após a divulgação dos áudios.

“Com Lula ministro, o Governo Dilma tenta aumentar a governabilidade comprometida e melhorar a deteriorada interlocução com o Congresso, para influenciar o resultado do processo de impedimento em favor da presidente. Com as bombásticas revelações autorizadas pela Justiça Federal, acho que a força política dele e dela diminuíram, fizeram muitos comentários desabonadores ao Parlamento, criaram vários constrangimentos institucionais, que isolam mais o Governo, reduzem a base de apoio dele e pioram bastante a situação de ambos, Dilma e Lula, inclusive junto à opinião pública”, enfatizou.

Eliziane Gama (Rede) corroborou do posicionamento de Juscelino… [Continue lendo aqui] / assinantes

Edilázio critica atuação da articulação política do Governo do Estado

Edilázio quer atuação mais efetiva de Ricardo Archer

Edilázio quer atuação mais efetiva de Ricardo Archer

O deputado estadual Edilázio Júnior (PV) cobrou ontem na Assembleia Legislativa uma atuação mais efetiva do secretário de estado de Assuntos Políticos, Ricardo Antônio Archer.

O parlamentar afirmou que na semana passada acompanhou o secretário de estado da Infraestrutura Luis Fernando Silva (PMDB) nos municípios de Balsas e em Fortaleza dos Nogueiras, onde uma nova estrada foi entregue à população, mas sequer havia sido convidado. Edilázio cobrou mais organização e proximidade do secretário com membros da base da governadora Roseana Sarney (PMDB).

“Num momento tão grandioso como aquele, com a entrega e assinatura de obras não havia representatividade política por causa da falta de organização. Nenhum vereador do município de Balsas foi convidado. Conversei com o deputado Stênio Rezende (PMDB), que é uma referência no município e ele também me disse que não foi convidado para se fazer presente”, disse.

Atento ao esvaziamento político, Edilázio disse que ainda tentou contato o secretário adjunto, Júnior Marreca, mas também não obteve resposta satisfatória. “Então quero dizer que me fiz presente  em Balsas e em Fortaleza dos Nogueiras, mas foi de penetra, de intrometido, porque nem convidado eu fui”, completou.

Edilázio ainda comparou a atuação do secretário Ricardo Archer com a do secretário Clodomir Paz, que coordena o Governo Itinerante e pediu agilidade do Governo na solução do problema. “Vale destacar o trabalho de Clodomir Paz, pois todas as etapas do Governo Itinerante há convite para os deputados. Fui votado em 197  municípios e me sinto credenciado em estar nos 217, uma vez que sou deputado estadual. Fica a minha crítica à articulação política, à Casa Civil e a Secretaria de Infraestrutura”, finalizou.

 Ascom Edilázio