Ala do PT quer Mario Macieira na chapa de Flávio Dino

O Estado – A direção estadual do PT no Maranhão vai se reunir nesta semana para iniciar o debate sobre um novo nome que poderá ser o pré-candidato a senador pela legenda, o ex-presidente a seccional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Mário Macieira. Além dele, há ainda o ex-secretário de Esportes de Flávio Dino (PCdoB), Márcio Jardim, que vem defendendo a indicação do PT para a chapa do comunista.

Antes visto como um partido que não causaria problemas na composição da chapa de Flávio Dino, o PT parece que não desistiu a vaga na chapa majoritária do comunista. A prova disto foi o início do debate interno a respeito da indicação do nome do ex-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), seccional do Maranhão, Mário Macieira, para candidatura ao Senado.

Macieira confessa que há um conversa a respeito e que analisará da melhor forma a possibilidade de entrar na disputa pelo espaço na chapa de Dino.

“Fomos procurados por militantes do partido com esta proposta [ser o candidato a senador]. Não descarto a possibilidade até pelos anos de militância que tenho no partido. Mas também sei que toda esta história é embrionária e muito deve ser debatido”, disse a O Estado, Mário Macieira.

Interno – Além desta possibilidade de ter Mário Macieira como candidato ao Senado, o PT já tem inscrito como disponíveis para esta vaga o ex-secretário de Esportes do governo de Flávio Dino, Márcio Jardim. Ele vem conseguindo abrir espaços para o seu projeto por meio da relação próxima que tem com o ex-presidente Lula.

O problema de Jardim é conseguir o aval – se o PT conseguir entrar na chapa do governador – de Flávio Dino para ser membro da chapa majoritária.

Isto porque Jardim foi preterido pelo governador quando novos aliados como o PR e DEM chagaram ao governo. A secretaria comandada pelo petista acabou sendo direcionada para sanar a pane de outros aliados que reivindicavam o espaço no governo estadual.

O problema é que Jardim não agrega apoio nem internamente e nem como um nome aceito pelo governador e seus aliados dos demais partidos. Para garantir competitividade em relação aos demais partidos aliados, o PT pretende apresentar Macieira que seria um nome novo e de fácil aceitação interna e externa.

 

Conselho da OAB reprova as contas de Mário Macieira

MacieiraO Conselho Estadual da Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Maranhão – instância deliberativa da entidade – rejeitou na noite de ontem (21) as contas do ex-presidente Mário Macieira.

A rejeição refere-se ao exercício financeiro de 2015, último ano da administração dele à frente da Ordem, e tem como base um parecer de uma auditoria independente que aponta falhas no relatório financeiro-contábil.

Mário Macieira é filiado ao PT e pretende ser candidato a vice-prefeito de São Luís pelo partido – numa tentativa de composição com o atual prefeito, Edivaldo Holanda Júnior (PDT).

Informações do blog de Gilberto Léda

“Ganhar e perder é parte da política”, diz Macieira após derrota na OAB

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), seccional Maranhão, Mário Macieira, gravou uma mensagem de voz destinada aos amigos, amigas e companheiros, e em solidariedade a advogada Valéria Lauande – logo após a eleição de ontem da OAB -, em que afirma não precisar da Ordem para sobreviver.

O áudio circulou em grupos do aplicativo WhatsApp. Sobre a disputa eleitoral, Macieira afirma que “ganhar e perder é parte da política”.

“Agora, daqui por diante vamos manter a fé, ter a consciência tranquila do trabalho realizado, vamos respeitar democraticamente esse resultado e fazer a transição de gestão. Vamos  seguir em frente como sempre seguimos em nossas vidas. Nós não precisamos de OAB para sobreviver. Nós trabalhamos, nós vivemos, nós amamos, nós temos família, nós temos amigos, nós somos uma irmandade”, pontuou.

Ouça acima a íntegra da mensagem, divulgada pelo jornalista Gilberto Léda.

Advogados se unem para contrapor a gestão de Mario Macieira na OAB

oab jornalO Estado – A eleição para a seccional maranhense da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) ocorrerá somente em novembro, mas o movimento para debater propostas já foi iniciado, assim como as articulações para montagem de chapa.

Um grupo de cerca de 500 advogados, cujos representantes estiveram ontem em O Estado, já iniciaram esses debates. Reuniões periódicas estão sendo feitas. Toda quinta­-feira o grupo de advogados se reúne para debater o que eles consideram problemas da atual gestão da OAB e quais as propostas para resolver as pendências.

O movimento é estadual e conta com a adesão de 500 profissionais da área. Em visita a O Estado, os advogados colocaram como ponto mais importante para a próxima gestão da OAB o retorno da luta pelas prerrogativas dos advogados. Segundo Charles Dias, um dos líderes do movimento, há carências de atuação da ordem em prol da classe.

“Somos quase 15 mil advogados e o que percebemos é que quem comanda a Ordem há vários anos não percebe que o perfil dos advogados é diferente do perfil que a OAB tem. Não há um trabalho voltado para os profissionais que hoje estão desamparados”, afirmou Charles Dias.

Além de criticar a falta de atividades voltadas para defesa dos profissionais, os advogados disseram ainda que a seccional do Maranhão da OAB tem lado político mesmo a legislação prevendo que a entidade de classe deve ser apartidária.

Movimento -­ O grupo de advogados iniciou o movimento no fim do ano passado. Já foram mais de 20 reuniões semanais. Há grupos em redes sociais que estimulam o debate sobre a melhoria da entidade de classe. O movimento continuará este ano. Na quinta­-feira, 5, os advogados reunirão a imprensa no Hotel Luzeiros na Ponta d’Areia para apresentar o movimento e quais são suas propostas. “Queremos buscar novas adesões ao nosso projeto, que tem o objetivo único de valorização de quem é a razão da existência da ordem, que são os advogados”, afirmou Charles Dias.

Presidente da OAB-MA rebate Saulo Ramos

O presidente da OAB-MA, Mário Macieira, rebateu o advogado Saulo Ramos, que em um texto de opinião publicado hoje em O Estado, afirmou que a OAB-MA não tem competência legal para propor Adin (Ação Direta de Inconstitucionalidade)” contra o projeto aprovado pela Assembleia Legislativa que estatizou a Fundação Sarney.  Veja abaixo o texto.

Falando de erros crassos

Por Mário de Andrade Macieira*

Em desabalada e precipitada carreira, para socorrer os que de socorro não precisam, o Dr. Saulo Ramos se arremessa dos píncaros do Olimpo para esgrimir argumentos contra uma ação que a OAB/MA ainda nem mesmo decidiu se vai fazer . É que cometeu o pior dos erros de um advogado, argumentou por ouvir dizer.

Mário Macieira em visita a O Estado / foto: Biaman Prado

Para sua tranqüilidade, e para que volte mais calmo para as alturas de onde não precisava ter descido, devo, na qualidade de Presidente da OAB-MA, informar ao Dr. Saulo, advogado que confessa em sua autobiografia ter arremessado autos de um processo da janela do fórum para “defender” os interesses de seu constituinte, que o Conselho da nossa Seccional ainda vai apreciar a questão, debatida em toda sociedade maranhense, e pelos meios de comunicação de seu próprio Estado natal, acerca da inconstitucionalidade, parcial ou total, formal ou material, da Lei Estadual que criou a Fundação da Memória Republicana.

Lembrando ao eminente jurista, que inventou quase tudo que há no Direito brasileiro, inclusive o Direito Ambiental, segundo informa em sua autobiografia romanceada, que não existe a “OAB de São Luís”, e sim a OAB-MA, que caso o Conselho venha a concluir pela existência de inconstitucionalidade na referida lei, o que nem ainda se debateu, deverá considerar se a pecha se dá em relação à Constituição do Estado ou em relação à Constituição da República, no primeiro caso (“é claro que ele sabe”), a competência para julgamento será do Tribunal de Justiça do Maranhão, e a Seccional do Estado, com sede em São Luís, tem legitimidade para propor a ação. No segundo caso, aí sim, a seccional representará ao Conselho Federal para que este decida se é o caso de usar da legitimação inserta no art. 103, VII da Constituição Federal e aí então, no Supremo Tribunal, quem sabe, o apressado advogado da causa não possa fazer melhor sua defesa.

É claro que as lições de um tão elevado jurista sempre são bem-vindas para nós outros mortais que não habitamos o Olimpo. Porém, permitam-nos esclarecer ao pródigo defensor dos oprimidos, que a OAB-MA não dá azo a paixões, favorecimentos ou perseguições partidárias. Por aqui, atuamos com destemor, com altivez, porém com serenidade e respeito a todos, sem arredar um só milímetro do compromisso de defender as finalidades institucionais da OAB, dentre as quais a defesa da Ordem Constitucional. Tanto é assim que também fomos acusados de partidarismo quando intentamos, no Tribunal de Justiça do Maranhão, ADIN contra a majoração da Planta Básica de Valores do IPTU de São Luís, naquele momento, os que hoje nos acusam de sectarismo partidário, aplaudiram a OAB, porque o Município é governado por um seu adversário. Talvez a decepção seja decorrente do fato de que esperavam o partidarismo às avessas, que protege os eventuais erros dos seus correligionários. Na OAB-MA não é assim.

Por derradeiro, que não se preocupe o escriba, não nos agastaremos com suas fotos, nem nos irritamos com suas críticas, na OAB, ambiente democrático, todos têm direito às suas posições, aos seus entendimentos e interpretações. A democracia sobrevive do dissenso e do pluralismo, em um ambiente no qual o respeito recíproco e a tolerância à minoria é o princípio a partir do qual do contraditório nasce a verdade.

*Presidente da OAB/MA.