“Um deboche do governador”, diz Edilázio sobre publicação de Flávio Dino

edilázio flávioO deputado estadual Edilázio Júnior (PV) criticou o governador Flávio Dino (PCdoB) por causa da publicação do comunista em rede social, que faz referência à lotação do Supermercado Mateus durante o dia de ontem.

Para ele, Dino agiu de má fé e debochou da população do Maranhão com a publicação em seu perfil em rede social.

“Enquanto milhares de maranhenses se aglomeraram em filas para aproveitar a promoção do Mateus e economizar alguns centavos na compra do arroz, do feijão e da farinha, o governador tenta ludibriar a população e em tom de deboche, ele age de má-fé e brinca com a situação caótica do povo do Maranhão. Tenta passar a ideia para o Brasil, de que apesar da crise, essa é a realidade diária nos nossos supermercados. Um deboche do governador, que age de forma ridícula e menospreza a nossa população”, finalizou.

Veja a íntegra da crítica do parlamentar na imagem acima.

Ficou perigoso comer fora de casa

Barata foi encontrada no Spoleto

Barata foi encontrada no Spoleto por criança

Não há qualquer justificativa e é um absurdo o que acontece em São Luís. Está cada dia mais perigoso comer fora de casa.

No último dia do mês de maio, uma criança encontrou uma barata num prato de refeição do Sopoleto do Shopping São Luís. Apenas alguns dias depois, um cliente do Subway do Shopping da Ilha, fez denúncia parecida, após comprar um lanche no estabelecimento.

No dia 11 de junho a nutricionista Ariane Coelho denunciou em seu perfil no Facebook, ter encontrado um inseto – aparentemente uma pequena barata – em um pudim, em uma das unidades do Supermercado Mateus, também em São Luís.

Ontem foi a vez de clientes do BomdiBoca da Avenida dos Holandeses denunciarem com

Pudim do Mateus também tinha inseto

Pudim do Mateus também tinha inseto

um vídeo, larvas em pelo menos duas bandejas onde foram servidas as refeições. Não havia um gerente no estabelecimento e os funcionários resistiam em ressarcir os clientes. Um absurdo! Um abuso!

Como bem mostrou Marco D’Eça [veja aqui], é um caso de saúde pública, e tem tudo para se transformar também em um caso de polícia. As Vigilâncias Sanitárias – Municipal e Estadual – precisam se manifestar. Onde está também o Ministério Público? A Promotoria de Defesa do Consumidor e a Promotoria de Saúde precisam agir.

Atente que todos os casos foram registrados em estabelecimentos comerciais conceituados, situados em dois dos maiores shoppings da capital e em áreas nobres, como a Avenida dos Holandeses, por exemplo. Estão aí, visíveis a todos.

Aliás, como também havia questionado no mês passado o jornalista Gilberto Léda [veja aqui], tem algo de errado com o controle de qualidade de lanchonetes e restaurantes da capital. E isso tem de mudar.

Link do vídeo no facebook: https://www.facebook.com/photo.php?v=495153937220071