Maura Jorge também se destacou no debate da TV Mirante

A candidata da coligação (Renovação de Verdade), Maura Jorge (PSL), a exemplo do senador Roberto Rocha (PSDB), também se destacou no debate realizado na noite de ontem pela TV Mirante.

Firme em seus posicionamentos e com questionados formulados para cada uma das respostas dadas pelo governador Flávio Dino, Maura Jorge conseguiu chamar a atenção do eleitorado.

Ficou nítida também a estratégia da candidata de alinhar-se ao presidenciável Jair Bolsonaro, também do PSL e que lidera todas as pesquisas de intenções de votos no país.

Na visão do blog, contudo, Maura errou na mão, nos dois últimos blocos, ao exagerar na referência a Bolsonaro e deixar, ao mesmo tempo, de abordar temas importantes no embate contra os adversários.

No final do debate a avaliação é de que a candidata, apesar de alguns tropeços e do nervosismo inicial, foi bem.

A expectativa da coordenação de campanha de Maura é de que ela consiga subir alguns pontos na disputa.

É aguardar…

Saída de Eduardo Braide pode ter sido um erro fatal para a oposição

Jorge Aragão – É claro que ainda existe muito tempo, faltam 17 dias para as eleições e muita coisa ainda pode acontecer, mas se for confirmada a reeleição do governador Flávio Dino (PCdoB), no 1º Turno, fatalmente a saída de Eduardo Braide (PMN) da disputa majoritária terá sido essencial para isso.

Política é muito cíclica, mas política também é momento. As eleições do Maranhão precisavam de uma terceira via, mas não qualquer terceira via, mas uma terceira via realmente viável e com chances reais de disputar o Governo do Maranhão.

O momento, indubitavelmente, era de Eduardo Braide. O deputado estadual, que agora busca uma vaga na Câmara Federal, saiu da disputa pela Prefeitura de São Luís, em 2016, infinitamente maior do que entrou e somado a isso a sua postura oposicionista na Assembleia Legislativa, naturalmente o fizeram pré-candidato ao Governo do Maranhão.

Só que faltou união e principalmente diálogo para a Oposição no Maranhão. Roseana Sarney, Roberto Rocha e Maura Jorge, tinham e tem um desejo em comum: tirar do Palácio dos Leões o comunista Flávio Dino.

A maioria dos analistas políticos afirmavam à época que a presença de Eduardo Braide na disputa seria a certeza de um Segundo Turno e todos, sem exceção, só acreditavam na derrota de Dino num eventual Segundo Turno.

Só que apesar de tudo isso, jamais houve qualquer diálogo entre os oposicionistas, apesar de terem basicamente o mesmo objetivo. Diálogo esse defendido aqui no Blog do Jorge Aragão, por diversas vezes, pelo analista político e ex-deputado Joaquim Haickel.

Ora, se todos querem a derrocada de Flávio Dino, se a derrocada do comunista passava por um eventual Segundo Turno e se a candidatura de Eduardo Braide era sinônimo desse Segundo Turno, porque não fomentaram tal candidatura?

Faltando 17 dias para a eleição, esse prognóstico vai se confirmando, pois com a saída de Braide, restou a Oposição uma estratégia extremamente arriscada: torcer para um crescimento das candidaturas de Maura Jorge e Roberto Rocha. Só que os dois, mesmo juntos, não conseguem alcançar dois dígitos e a eleição pode sim ser finalizada no dia 07 de outubro.

É claro que a eleição ainda não está definida e mesmo sem Braide pode chegar ao Segundo Turno, mas que a desarticulação facilitou a caminhada de Flávio Dino em busca da reeleição, isso ninguém tem dúvida, nem antes e muito menos agora.

É aguardar e conferir, afinal faltam somente 17 dias.

PSL adia convenção de Maura Jorge e conversa com o PMN de Eduardo Braide

O Partido Social Liberal (PSL), que tem como pré-candidata ao Governo a ex-deputada Maura Jorge, decidiu adiar a sua convenção partidária.

O ato, previsto na Legislação Eleitoral para a definição das chapas majoritárias e coligações proporcionais, estava previsto para ocorrer no dia 28 de julho, mesma data da convenção do PCdoB, sigla que lançará Flávio Dino à reeleição.

O PSL tem mantido conversas com o PMN, do deputado estadual e pré-candidato ao Executivo, Eduardo Braide.

A expectativa é de que o parlamentar abra mão de sua pré-candidatura para apoiar Maura Jorge, e lidere uma coligação para a disputada de vagas na Câmara Federal.

O Podemos, o PSC e o PSDC também integram as negociações.

Vale aguardar.

Agora são três…

Incluindo o próprio governador Flávio Dino (PCdoB), que é candidato natural à sua sucessão, agora já são três os nomes postos oficialmente como pré-candidatos a governador do Maranhão em 2018.

Após diversas idas e vindas, recuos e acenos em direção ao próprio Flávio Dino e ao grupo Sarney, o senador Roberto Rocha finalmente admitiu, sexta-feira, em entrevista a uma emissora de rádio de Balsas, que será mesmo candidato a governador. Antes dele, a ex-deputada Maura Jorge já havia declarado a irreversibilidade de seu projeto de candidatura.

Poderia-se também incluir a ex-governadora Roseana Sarney (PMDB) nesta lista, a julgar pela sua declaração durante o lançamento da pré-candidatura do ministro Sarney Filho (PV) ao Senado. Na ocasião, Roseana afirmou que só será “candidata a governadora. Ou a nada”.

Mas ela própria prefere não afirmar-se candidata.

De acordo com a última pesquisa Escutec, divulgada por O Estado, Roseana Sarney aparece na frente e é a única capaz de bater Flávio Dino. Roberto Rocha só cresce na ausência da ex-governadora, mesmo assim, com apenas metade das intenções de votos do comunista.

Outro com bom desempenho na pesquisa é o deputado Eduardo Braide (PMN), que também ainda não se decidiu.

Neste momento pré-eleitoral, portanto, a disputa pelo Governo do Maranhão se resume a três nomes.

Pelo menos por enquanto…

Da coluna Estado Maior, de O Estado do Maranhão

O momento de cada um…

As semanas de crises políticas, tanto em Brasília quanto no Maranhão, arrefeceram os ânimos da pré-disputa eleitoral no estado, levando o governador Flávio Dino (PCdoB) e seus principais adversários a reduzir o ritmo de ações neste sentido.

O momento de cada um:

Flávio Dino (PCdoB): Às voltas com denúncias envolvendo sua gestão e pagando por erros crassos em sua propaganda midiática, o governador tem reduzido o debate público e aparecido cada vez menos nas redes sociais, onde é ativo. A ameaça de uma CPI para investigar o sistema de Saúde também incomoda o governo.

Roberto Rocha (PSB): O senador tem reduzido cada vez mais sua agenda de campanha, mantendo apenas a relação básica com prefeitos e deputados federais e estaduais. A nova postura tem um motivo: Rocha espera um posicionamento do governador Flávio Dino sobre a campanha, que pode, inclusive, reunir os dois no mesmo palanque. Mas ele nega publicamente.

Roseana Sarney (PMDB): a ex-governadora mantém a mesma postura. Trabalha normalmente entre os aliados partidários e políticos, mas não declara se entrará ou não na disputa. Sua última aparição pública se deu em maio, durante o lançamento da candidatura do irmão, ministro Sarney Filho (PV), ao Senado. Ali ficou-se sabendo que a ela só interessa a disputa ao governo. Ou nada.

Maura Jorge (Podemos): Dos quatro principais nomes já postos para a disputa, a ex-deputada Maura Jorge é a que mantém agenda mais intensa de pré-candidato. Ela viaja pelo menos uma vez por semana a uma das regiões do estado, onde se encontra com prefeitos, ex-prefeitos e lideranças. E tem se consolidado no eleitorado evangélico em todas as regiões.

Da coluna Estado Maior, de O Estado do Maranhão

Momentos de cada um…

Faltando menos de 14 meses para o início das convenções que vão definir os candidatos a governador no Maranhão, os principais nomes já postos à disputa como potenciais postulantes ao comando do estado vivem momentos quase parecidos, ainda que com diferenças de procedimento entre eles. O momento de cada um:

Flávio Dino (PCdoB): o atual governador teve duas importantes ações que fortaleceram seu projeto na semana passada. O PSDB e o PT manifestaram claro interesse de estar em seu palanque, por mais estranho que isso possa parecer, já que as legendas são antagônicas.

Roseana Sarney (PMDB): em São Luís, há duas semanas, a ex-governadora mantém a rotina de conversar nos bastidores com lideranças políticas e partidárias. Ontem, estreou programa do PMDB na TV, em que mostra suas obras e serviços do tempo em que governou o estado.

Roberto Rocha (PSB): o senador recuou nos últimos dias, curiosamente no mesmo momento em que o seu principal antagonista na legenda, José Reinaldo Tavares, anunciou deixar o partido; único candidato assumido ao governo, Rocha entrou em compasso de espera.

Maura Jorge (PTN): ativa no interior do estado, a ex-deputada e ex-prefeita recebeu a garantia do comando do partido de que pode ser mesmo candidata; e está na propaganda partidária, como protagonista, ao lado do deputado federal Aluisio Mendes.

Há outros nomes se insinuando para a disputa, como o deputado estadual Eduardo Braide (PMN) e o prefeito de Santa Rita, Hilton Gonçalo (PCdoB). Mas os quatro primeiros se movimentam com mais ênfase.

Da coluna Estado Maior, de O Estado do Maranhão

Brandão dá o troco em Maura Jorge e derruba Samuel Jorge no PSDB

O vice-governador do estado e presidente estadual do PSDB no Maranhão, Carlos Brandão, deu o troco na ex-prefeita Maura Jorge e derrubou do comando da Juventude do PSDB no estado, o seu sobrinho, Samuel Jorge.

A intervenção da direção nacional da Juventude da sigla foi anunciada hoje. No comunicado, o partido político informa que a presidência da juventude no estado “perdia representatividade política. Isto porque o então presidente Samuel Jorge, declarava precocemente e a vários meios de comunicação o seu apoio a um nome para pré-candidatura ao governo do Estado, já para as eleições de 2018”.

Jorge foi destituído da presidência da juventude da sigla sob a acusação de infidelidade partidária.

Uma comissão provisória foi nomeada pelo presidente nacional da Juventude do PSDB, Henrique Palermo do Vale. Cinco membros [veja na imagem acima], conduzirão os rumos da juventude até a eleição, que ocorrerá nos próximos meses.

Ocupando o vácuo

Maura JorgeNos últimos meses, uma figura política passou a surgir com mais intensidade, sobretudo nos eventos políticos no interior maranhense. A prefeita de Lago da Pedra, Maura Jorge (PTN), no fim de seu segundo mandato municipal ­ e com a experiência de já ter exercido quatro mandatos de deputada estadual ­, passou a fazer contraponto aberto ao governador Flávio Dino (PCdoB). E já desponta como principal liderança de oposição ao comunista no interior do estado.

Essa história começou em janeiro, quando Dino esteve em Lago da Pedra, para um evento que tinha a própria prefeitura como protagonista, em parceria com o governo, mas Dino tentou impedi­la de participar da festa, para beneficiar seus aliados no município. O clima pesou entre os dois, o governador ouviu poucas e boas de corpo presente no palanque e o fato ganhou repercussão estadual.

Mas o que Maura Jorge fez foi ocupar um vácuo na oposição, gerado desde as eleições de 2014, quando, após a vitória do governador Flávio Dino, os líderes partidários que até então protagonizavam a disputa de poder no Maranhão se dispersaram. Dino passou a reinar absoluto, sem ninguém que lhe fizesse contraponto aberto.

A prefeita de Lago da Pedra parece ter visto esse vácuo e passou a ocupá­lo de forma cada vez mais contundente, passando a se projetar de forma estadual como opção ao governo comunista.

Agora filiada e dirigente do PTN no Maranhão, a prefeita deve aproveitar o fim do mandato municipal para sentar praça em São Luís, de onde pretende irradiar suas ações na oposição ao governo. Até porque 2018 já está batendo às portas.

Da coluna Estado Maior, de O Estado do Maranhão

Neto Evangelista acusa Fábio Macedo de ter comprado votos na eleição

netoApós passar constrangimento em Lago da Pedra e silenciar diante do ato hostil de Flávio Dino (PCdoB) sobre a prefeita Maura Jorge, sua nora, o secretário de estado de Desenvolvimento Social, Neto Evangelista (PSDB) resolveu atacar o deputado Fábio Macedo (PDT). Macedo havia afirmado que Maura “se acha dona da cidade”.

Mesmo sem fazer uma crítica sequer á postura de Flávio Dino, que chegou a bater boca com a prefeita no palanque e a impediu de usar a palavra, Evangelista se mostrou ofendido com a declaração de Macedo.

“Poderia se preocupar com o próprio município do Lago da Pedra, onde obteve mais de 3 mil votos, mas não. Nem presente no evento estava, aliás não é presente em momento algum no município, algo até já esperado, típico do modus operandi de quem o apoiou lá, apenas venda de voto, com o compromisso somente nos 90 dias de campanha eleitoral”, disse.

Fábio Macedo, acusado por Evangelista de ter comprado votos na eleição de 2014, é também membro da base de Flávio Dino na Assembleia Legislativa.

Maura Jorge deixa palanque após Dino a impedir de falar

A prefeita de Lago da Pedra, Maura Jorge, se retirou ontem do palanque montado pelo Governo do estado, no município, após o cerimonial do governador Flávio Dino a impedir de discursar à população.

O clima era tenso.

Dino estava no município para anunciar um conjunto de investimentos para as áreas de saúde, educação, saneamento, regularização fundiária e infraestrutura.

Maura Jorge, porém, que é quem administra a cidade, queria que lhe fosse concedida a palavra para também tratar das principais demandas de Lago da Pedra. Por ter sido impedida de falar, ela chegou a bater boca com Flávio Dino no palanque. Inconformada, Maura Jorge deixou o palanque [um segundo vídeo mostra o exato momento].

Parte da população que estava presente no evento então começou a vaiar o governador. O vice, Carlos Brandão, tentou contornar a situação e pedir para que presentes fizessem silêncio para que Dino pudesse concluir o seu pronunciamento. Não adiantou.

Foi um fracasso o evento de Dino no município.

A deputada Andrea Murad comentou o caso em seu perfil em rede social, e criticou o silêncio do presidente da Federação dos Municípios do Maranhão (Famem), Gil Cutrim, sobre o desrespeito à prefeita Maura Jorge.


No vídeo acima, do blog do Carlinhos Filho, prefeita afirma queria tão somente dar as boas-vindas ao governador.