Pré-candidata do PSTU fala em construir uma “revolução negra” no estado

A pré-candidata a prefeita pelo PSTU em São Luís, Cláudia Durans, professora da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), afirmou num vídeo produzido pelo partido, que lutará por uma revolução “fundamentalmente negra” no estado.

A sigla optou por lançar em todo o Brasil, de forma exclusiva nestas eleições, candidaturas de operárias, mulheres, negros e LGBT’s. “Para discutir a situação, a condição dos explorados, dos oprimidos para que possamos chamar a nossa classe para lutas efetivas, para derrubar Temer, para fazer uma greve geral e para construir uma outra forma de poder”, disse.

Durans afirmou que está “tocando a tarefa”, voltada, na capital, prioritariamente, para os descendentes de africanos no estado. “Os descendentes de africanos neste momento precisam reagir, e construir essa revolução. Essa revolução que é fundamentalmente negra, para trazer a nossa população quilombola ao primeiro plano da luta no protagonismo das transformações necessárias que precisamos fazer”, concluiu.

Flávio Dino veta projeto de lei que cria banco de emprego para vítimas de violência doméstica

veto banco de empregoO governador Flávio Dino (PCdoB) vetou integralmente o Projeto de Lei nº 050/2014, que havia sido aprovado na Assembleia Legislativa, e que instituía a criação de um Banco de Empregos para Mulheres Vítimas de Violência Doméstica e Familiar no âmbito do estado do Maranhão. O projeto é de autoria do deputado Marcos Caldas (PRP).

Por meio do projeto, o Poder Executivo teria a prerrogativa de firmar convênios com entidades públicas e ou privadas para garantir a capacitação e o desenvolvimento de atividades profissionais para mulheres vítimas de violência e que além das agressões, também sofrem com o desemprego.

Como justificativa para o veto, publicado no Diário Oficial da última segunda-feira, Dino sustentou o argumento de que o projeto é inconstitucional, uma vez que o “Poder Legislativo não pode propor leis que autorizem a criação de banco de empregos associado à atribuição de adotar medidas de capacitação e preparo de mulheres vítimas de violência doméstica e familiar no âmbito do estado do Maranhão”, destaca o texto.

Flávio Dino submete agora o projeto à apreciação dos deputados estaduais, que iniciam nova legislatura no mês de fevereiro.