Arnaldo Melo substituirá Nina na disputa para a Assembleia

O martelo foi batido no início desta semana: a deputada estadual Nina Melo (MDB) não disputará a reeleição.

Em seu lugar, o candidato da família será mesmo o pai dela, ex-governador e ex-presidente da Assembleia Arnaldo Melo (MDB).

O anúncio oficial deve ser feito em alguns dias.

Representatividade feminina menor no comando da Assembleia Legislativa

Nina MeloCom a eleição de ontem da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa, há pelo menos uma consequência já constatada: a queda na representatividade feminina na direção do Legislativo.

Na atual composição – com mandato até janeiro de 2017 -, há três mulheres na Mesa: Valéria Macedo (PDT), Graça Paz (PSL) e Francisca Primo (PT), nos postos de terceiro vice-presidente, quarto vice-presidente e quarto secretário, respectivamente.

Já na composição eleita ontem, apenas Nina Melo (PMDB) representará a bancada feminina no próximo biênio. Ele ocupará a quarta secretaria.

O curioso disso tudo é para que pudesse integrar a Mesa, o deputado Roberto Costa (PMDB), até então dono do posto, teve de abrir mão da vaga, o que só foi decidido nas 24 horas que antecederam o pleito.

Na atual legislatura, a Assembleia possui seis mulheres em mandato. Além de Valéria Macedo, Graça Paz, Francisca Primo e Nina Melo, há ainda as deputadas Ana do Gás (PRB) e Andrea Murad (PMDB), que é de longe, a mais atuante no Parlamento.

PEN não aceitará candidatura da filha de Arnaldo

nina_meloO deputado estadual e presidente do PEN no Maranhão, Jota Pinto, assegurou hoje aos pré-candidatos da legenda que não haverá “candidatura surpresa” na sigla.

Ele se referia à filha do presidente da Assembleia Legislativa, Nina Melo, filiada ao PEN no interior do estado. Arnaldo Melo tem o apoio de deputados governistas para disputar internamente a vaga no Senado Federal e pode tentar abrir espaços na política para a filha, o que já provocou reação imediata de pré-candidatos a deputado estadual.

Provocado pela suplente de deputado Priscylla Sá, que falou na filha de Arnaldo, Jota afirmou que o partido pode até apoiar a candidatura do presidente do Legislativo Estadual ao Senado, mas não aceitará a candidatura de quem não estiver inserido na lista de pré-candidatos do PEN, ou seja, que não tenha sido trabalhada e discutida internamente.

Até o momento, segundo o parlamentar, figuram como pré-candidatos a deputado estadual 44 membros da sigla. Como pré-candidatos a deputado federal, há outros 21 nomes. Nina não está na lista.

“Nós temos uma lista interna e que pode ser consultada por qualquer membro do PEN. Não aceitaremos nomes que não estejam inseridos nela, candidaturas surpresas. Caso contrário, estaríamos destruindo tudo aquilo que foi construído de forma democrática e aberta no partido. Fiquem todos tranquilos”, disse aos correligionários.

Há pouco o blog do Gilberto Léda (leia aqui) mostrou a reação de deputados estaduais a uma possível candidatura da filha de Arnaldo.  Pelo menos a metade dos governistas deve não apoiá-lo ao Senado caso a filha lance candidatura à Assembleia. Prova de que a missão não será fácil para o peemedebista.

Nota: Ao blog, Jota  Pinto afirmou que apesar de a sigla não aceitar “candidatura surpresa”, jamais ouviu de Arnaldo, ou de sua filha, manifestação ou interesse na eleição de outubro. “Por enquanto não há nada a esse respeito”, afirmou.

Edição às 16h15