ANJ repudia ações de censura do Governo contra O Estado

O Estado – A Associação Nacional de Jornais (ANJ) se manifestou a respeito da tentativa de censura interposta contra o jornal O Estado pelo governo de Flávio Dino (PCdoB). Para a entidade, é preocupante a ação da gestão estadual contra o jornal, o que para a ANJ, configura uma afronta a liberdade de expressão e também à sociedade.

Levantamento da assessoria jurídica de O Estado mostra que desde o ano passado, o governo de Flávio Dino vem entrando com ações assinadas pela Procuradoria Geral do Estado (PGE) pedindo indenizações por danos morais e direito de respostas devido a reportagens publicadas no jornal que faz críticas a gestão comunista.

Diante da tentativa recorrente de censura, O Estado buscou a ANJ para denunciar o abuso contra a liberdade de expressão feito pela gestão comunista.

Em resposta a manifestação do jornal, a entidade enviou nota se mostrando preocupada com este tipo de ação, caracteriza pela associação como golpe na liberdade de expressão.

“A Associação Nacional de Jornais (ANJ) vê com grande preocupação as decisões judiciais contrárias ao jornal O Estado do Maranhão, resultantes de ações decorrentes de matérias do jornal a respeito do governo estadual”, diz trecho da nota.

Diante desta tentativa, a associação disse ainda que espera que as decisões judiciais daqui do Maranhão sejam revistas pelas instâncias superiores do Poder Judiciário.

“A ANJ espera que as decisões judiciais que proíbem a divulgação de informações pelo jornal O Estado do Maranhão sejam revistas por instâncias superiores do próprio Poder Judiciário, restabelecendo a plena liberdade de imprensa”, manifestou-se a entidade.

Ações – No total, o governo estadual impetrou 18 ações contra o jornal O Estado e também contra o site Imirante, que pertence ao mesmo grupo de comunicação do matutino.

Deste total, oito dizem respeito especificamente ao episódio do aluguel da Clínica Eldorado, que passou por uma reforma de um ano – com todas as despesas pagas pela gestão – e ainda recebeu regularmente o aluguel de R$ 90 mil mensais mesmo a clínica estando fechada devido a reforma.

E das oito ações relacionadas ao aluguel camarada da Eldorado, quatro são com pedido de direito e resposta e outras quatro são por danos morais com pedido de indenização no valor de R$ 200 mil cada.

Mais

Nota da ANJ

“A Associação Nacional de Jornais (ANJ) vê com grande preocupação as decisões judiciais contrárias ao jornal O Estado do Maranhão, resultantes de ações decorrentes de matérias do jornal a respeito do governo estadual.

A ANJ assinala que a censura é proibida pela Constituição Federal e que o impedimento da livre circulação de informações, mais do que atingir veículos de comunicação, afronta um direito de toda a sociedade.

A ANJ espera que as decisões judiciais que proíbem a divulgação de informações pelo jornal O Estado do Maranhão sejam revistas por instâncias superiores do próprio Poder Judiciário, restabelecendo a plena liberdade de imprensa”.

Brasília, 18 de junho de 2018

Associação Nacional de Jornais

O Estado estreia programa semanal “Eleições 2018”

Clóvis Cabalau, Carla Lima, Marco D’Eça, Gilberto Léda e Ronaldo Rocha

O jornal O Estado do Maranhão retoma hoje, em sua versão online, o projeto pioneiro de debate sobre o processo eleitoral. O “Eleições 2018” [assista o programa aqui] já está disponível em oestadoma.com e traz em sua primeira edição uma análise sobre o cenário atual da sucessão estadual, apresentando pré-candidaturas, movimentações e possibilidades de aliança dos atuais postulantes ao cargo de governador.

Mediado pelo diretor de redação, Clóvis Cabalau, o programa contará com as informações e opiniões da equipe da editoria de Política de O Estado: o editor Marco Aurélio D’Eça, a subeditora Carla Lima e os repórteres Ronaldo Rocha e Gilberto Léda.

“Esse é um projeto pioneiro no jornalismo online do Maranhão, iniciado por O Estado ainda no fim de 2015, tendo seu ápice durante nossa cobertura da eleições de 2016. Com o ‘Eleições 2018’ seguimos como referência na cobertura do processo eleitoral, sempre com análises isentas e gabaritadas e com informação exclusiva”, destacou Cabalau.

Segundo o diretor de redação, com o programa sobre as eleições, a equipe de Política de O Estado prepara-se, também, para a retomada da “Sabatina O Estado”, com entrevistas com todos os candidatos ao governo confirmados.

“Como ainda estamos em período de pré-campanha, o programa focará nas análises de cenários, nas articulações dos pré-candidatos, preparando o terreno para a nossa série de sabatinas, que ocorrerá no segundo semestre, após as convenções partidárias, quando os candidatos já houverem sido oficialmente anunciados”, completou.

Apuração – O editor de Polícia, Marco D’Eça, também exaltou o pioneirismo de O Estado no jornalismo online maranhense e pontuou que, mais uma vez, o eleitor do Maranhão ficará a par de tudo do processo eleitoral com informação de qualidade e bem apurada.

“Nosso foco bem informar o nosso leitor. E é pensando nisso que buscamos a informação melhor apurada, a análise baseada em dados reais, a opinião bem embasada. O Estado é pioneiro nesse formato de cobertura e, com a experiência já adquirida, entregará aos seus seguidores um panorama completo do processo eleitoral de 2018”, ressaltou.

“Eleições 2018” irá ao ar semanalmente no site de O Estado, sempre às quartas-feiras. No primeiro programa, um rápido bate-papo sobre os pré-candidatos já postos no debate, fake news e a mais recente incursão do governador Flávio Dino (PCdoB) pelo no cenário da sucessão presidencial.

O Estado completa 58 anos e tem credibilidade apontada por maranhenses

Ao longo de 58 anos, o jornal O Estado manteve sua postura de comprometimento com temas que mobilizam a vida dos maranhenses. Com apuração precisa e seriedade, o jornal se consolidou como uma das mais importantes fontes de informação dos maranhenses.

A credibilidade do jornal construída em 58 anos é ressaltada pelo deputado Adriano Sarney (PV). “Certamente, o jornal presta um relevante serviço à sociedade, fazendo um jornalismo sério, apurado, que ouve as partes. Neste sentido, não só apoia como fortalece a democracia, pois traz denúncias importantes que geram cobrança e resultam em melhoria nas gestões do legislativo e executivo”, destaca o deputado.

A deputada Andrea Murad (PMDB) frisa o papel fiscalizador do matutino. “O jornal O Estado tem sido um importante instrumento, não apenas no cumprimento do seu papel como veículo impresso e digital detentor de notícias de utilidade pública, entretenimento, cultura e demais editorias, mas por ser, principalmente, um instrumento que fiscaliza e contribui para a transparência das ações dos atuais Poderes, cuja sociedade precisa tomar conhecimento de suas realidades e formar opinião”, enfatiza Andrea Murad.

As notícias destacadas em O Estado pautam outros veículos de comunicação. Um exemplo foi o caso de ciberbullying sofrido pelo técnico portuário de 36 anos, Robson David Viana Barros, após publicar uma foto sua em uma rede social. O caso rendeu mensagens de solidariedade e desencadeou também uma reflexão sobre os crimes praticados na internet.

A foto de David Viana, replicada por um internauta, originou uma montagem que o comparava ao boneco de um filme. A “brincadeira” mudou a rotina de David, levando-o à reclusão. Após a reportagem de O Estado, outros veículos procuraram Robson Barros, que foi personagem de outras pautas que suscitaram o bullying virtual.

Aluguel

Outro caso com grande repercussão foi o que ficou conhecido como “aluguel camarada”. Publicada em O Estado em janeiro deste ano, a reportagem, assinada pelo repórter Gilberto Léda, mostrou que o governador Flávio Dino (PCdoB) pagava, desde 2015, R$ 9,5 mil por mês pelo aluguel de um imóvel na Aurora pertencente a um membro de seu partido. A informação, bem como a pesquisa de dados na internet, a busca de fontes e apuração foi mérito da equipe do matutino.

A história do imóvel, que continuava fechado mesmo estando, à época, alugado há quase dois anos para a Fundação da Criança e do Adolescente (Funac) – subordinada à Secretaria de Estado de Direitos Humanos e Participação Popular (Sedihpop) -, ganhou destaque nos discursos de parlamentares como a deputada Andrea Murad e Adriano Sarney, entre outros da oposição. A ampla repercussão ao caso teve como desdobramentos, a exoneração do dono do prédio que ocupava alto posto na Empresa Maranhense de Administração Portuária e o recuo do governo do Estado em relação ao prédio, que será desalugado em dezembro, após acordo com a comunidade do bairro da Aurora.

O editor de Política de O Estado, Marco D’Eça, destaca o empenho da equipe do periódico em levar ao leitor informações relevantes. “Todos os dias, a nossa equipe transita nos três Poderes em busca de informações que, na maioria das vezes, acaba pautando a cena política do estado. Não é incomum o jornal ser citado como fonte de informações na Assembleia Legislativa, por exemplo. Além, claro, de ser citado nas redes sociais e nos bastidores do poder. Toda a equipe que faz a editoria de Política sente que a cada dia cumpre o papel essencial do jornalismo: o de informar a sociedade com seriedade e comprometimento com a verdade”, diz D’Eça.

O deputado estadual Edilázio Júnior (PV) também destaca o papel do matutino. “Sou leitor assíduo do jornal O Estado. Acompanho as notícias diárias e posso afirmar, com propriedade, que sou testemunha do comprometimento do jornal com a notícia, com os fatos, com a verdade. O Estado tem se destacado ao longo dos anos por sua cobertura nas mais diversas áreas, sobretudo, na política. São inúmeras as repercussões de notícias que alcançam o Maranhão e o país. É diferenciado”, observa Edilázio Júnior.

O deputado Wellington do Curso (PP) destacou o compromisso com a informação e a responsabilidade do jornal em matérias de caráter investigativo. “Tendo como uma de suas missões levar informação ao cidadão, recentemente, O Estado mostrou de forma detalhada e abrangente, temáticas sociais relevantes, como o aumento de impostos e o adiamento do prazo de finalização das obras da BR-135. Esse caráter investigativo do jornal tem se destacado nas denúncias apresentadas diante dos descasos da administração pública. Parabéns não apenas pelos 58 anos, mas por desenvolver a função de levar informações e, ao mesmo tempo, pressionar o poder público em benefício da população”, parabeniza o deputado.

Eleitores de Wellington e Eliziane migraram para Braide, aponta Escutec

escutec-cruzamentosO Estado – A pesquisa Escutec/O Estado divulga ontem e que já aponta uma virada do candidato do PMN, deputado estadual Eduardo Braide, sobre o prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT), candidato à reeleição pela coligação “Pra seguir em frente”, levantou também de onde viram os votos dos dois postulantes ainda na disputa pelo cargo de prefeito de São Luís.

Antes de perguntar em quem os entrevistados votariam no 2º turno, o instituto procurou saber em quem eles votaram no dia 2 de outubro.

O resultado mostra que, mesmo sem oficialmente receber apoio dos outros três principais concorrentes na disputa – Wellington do Curso (PP), da coligação “Por amor a São Luís”; Elliziane Gama (PPS), da coligação “São Luís de verdade”; e Fábio Câmara (PMDB), da coligação “Coragem para fazer” -, o deputado Eduardo Braide tem sido o destinatário natural dos votos votos dados antes a esses candidatos.

Os dados específicos apontam que o eleitor que mais se identifica com o atual líder da corrida eleitoral é o do também deputado estadual Wellington do Curso. Segundo o Escutec, 78,79% dos eleitores do pepista declaram votar, agora, em Braide. O prefeito é o preferido para 5,05% desses eleitores.

De Eliziane Gama, o candidato do PMN fica com 60% dos eleitores e com 60,61% dos que votaram em Fábio Câmara – o atual prefeito recebe, respectivamente, 14,55% e 6,06% dos votos desses eleitores.

Já oficialmente na base de apoio a Braide, a vereadora Rose Sales (PMB) dá ao novo aliado 63,64% dos seus votos – e 27,27% a Edivaldo.

Mudança – A consulta revela, ainda, uma curiosidade: há um pequeno percentual de eleitores que afirma já haver mudado de voto em relação ao primeiro turno.

Dos entrevistados que disseram haver votado em Edivaldo Holanda Júnior no 1º turno, 5,32% admitem que votarão em Eduardo Braide no segundo. Por outro lado, 2,77% trocaram o candidato do PMN pelo pedetista.

A pesquisa Escutec, contratada pelo jornal O Estado, foi registrada na Justiça Eleitoral sob o protocolo MA-03647/2016 e ouviu 1.100 eleitores ludovicenses, nos dias 10 e 11 de outubro. A margem de erro é de 3 pontos percentuais, para mais, ou para menos – o que ainda leva os dois oponentes a uma situação de empate técnico -, e o intervalo de confiança é de 95%.

Caso do VLT foi o mais abordado por candidatos durante a Sabatina O Estado

Sabatina O EstadoCarla Lima, de O Estado – Por cerca de duas semanas, o jornal O Estado promoveu entrevistas com todos os candidatos a prefeito de São Luís. Na Sabatina O Estado, durante nove dias, foram abordados pelos postulantes ao mandato de prefeito temas relacionados à Saúde, Educação, Esporte, Turismo, Cultura, Infraestrutura de Mobilidade Urbana. Nesse último tema, o principal assunto foi o destino do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT).

A Sabatina O Estado ouviu os candidatos Rose Sales (PMB), Edivaldo Holanda Júnior (PDT), Eliziane Gama (PPS), Zeluis Lago (PPL), Fábio Câmara (PMDB), Cláudia Durans (PSTU), Valdeny Barros (PSOL), Wellington (PP) e Eduardo Braide (PMN). Cada um teve uma hora para apresentar suas propostas e fazer as considerações ou críticas aos adversários.

E entre os temas mais abordado, a Mobilidade Urbana foi o mais presente nas entrevistas de todos os candidatos. E dentro desse tema, o assunto VLT foi o mais comentado pelos candidatos tanto para criticar a compra como para apresentar a proposta para o destino do veículo.

As propostas para destinar o VLT foram as mais diversas. Foram desde mante o projeto de ser uma alternativa de transporte para quem vem da áreas Itaqui-Bancaga até para servir de prisão ou de trem para passeio turístico na Avenida Litorânea.

“Um crime cometido contra nosso povo e que o gestor responsável deveria está preso e preso dentro do VLT”
Cláudia Durans

“Porque não utilizar o VLT, por exemplo, para o turismo, com uma rota que vai da Praça do Pescador, na Avenida Litorânea, até o final da via?”
Wellington

Além das propostas, teve ainda a explicação do prefeito Edivaldo Holanda Júnior sobre o destino do veículo. Segundo ele, há um projeto no Ministério das Cidades para que o VLT seja implantado na capital.

E como já custou aos cofres públicos cerca de R$ 7 milhões, o gestor garantiu que a saída da Prefeitura de São Luís foi buscar na Justiça a recuperação desse recurso gasto a maioria para guardar o trem comprado.

Entre os candidatos que não pouparam críticas a existência do VLT em São Luís estão Cláudia Durans e Eliziane Gama. A primeira criticou o ex-prefeito João Castelo (PSDB), que foi o gestor que decidiu comprar o VLT na época das eleições de 2012. Gama preferiu criticar seu adversário pela perda de prazos junto ao Governo Federal para implantar o meio de transporte quatro anos depois de comprado.

Cláudia Durans disse que o VLT deveria ser tornar uma prisão para o gestor que aplicou dinheiro público em uma ação considerada pela candidata do PSTU como eleitoreira.
“Um crime cometido contra nosso povo e que o gestor responsável deveria está preso e preso dentro do VLT”, afirmou Durans.

Eliziane Gama garantiu que há verba disponível para implantar o VLT e que buscará junto ao Governo Federal verba para colocar o VLT para funcionar. Segundo ela, esse dinheiro não é novidade. No Ministério das Cidades existia cerca de R$ 480 milhões implantar esse tipo de veículo de massa, mas a Prefeitura de São Luís perdeu os prazos para assinatura do convênio.

Transformar o VLT em trem para o turismo é mais uma proposta

welllington sabatinaA proposta mais inusitada e de pouco alcance social foi do candidato Wellington. Ele disse que irá utilizar o VLT como transporte para turista na Avenida Litorânea da Praça do Pescador até o Parquinho da Litorânea.

“Porque não utilizar o VLT, por exemplo, para o turismo, com uma rota que vai da Praça do Pescador, na Avenida Litorânea, até o final da via? É um projeto viável. Já foram gastos R$ 7,5 milhões na compra do veículo, e numa eventual administração do PP, nenhum investimento será desperdiçado”, disse o candidato.

Outros candidatos também apresentaram proposta para o VLT. Eduardo Braide, por exemplo, disse que apesar de não ter um projeto fechado para implantação do VLT devido ao seu programa de governo, discutirá a possibilidade de implantar o VLT sem que tenha que aumentar o custo desse projeto com o pagamento de indenizações de imóveis.

“Se em relação ao veículo de massa, o VLT for a melhor opção e nós vamos debater isso com a sociedade, vamos verificar a melhor forma de implantar o VLT sem pagar as indenizações dos imóveis que deixa esse tipo de projeto muito mais caro”, disse Braide.
Já Fábio Câmara preferiu não apresentar proposta para o VLT por “acreditar no que disse o prefeito” de que já há um processo de convênio com o Governo Federal para a implantação do VLT.

Eduardo Braide será o último entrevistado na Sabatina O Estado

eduardo braideO deputado estadual Eduardo Braide (PMN), candidato a prefeito de São Luís, será o último entrevistado da Sabatina O Estado.

O candidato responderá a perguntas relacionadas a temas sorteados pelos jornalistas Marco Aurélio D’Eça, Ronaldo Rocha [titular do blog] e Gilberto Léda e também a perguntas feitas por interunautas, por meio das redes sociais.

Ele fechará o primeiro ciclo da Sabatina, iniciativa inédita no jornalismo maranhense, que além além de contar com uma estrutura de TV [é realizada no estúdio da TV Mirante], e com a transmissão ao vivo por meio do site oestadoma.com, inclui a interatividade direta com o leitor do jornal e internautas, que participam do programa por meio da hashtag #SabatinaOEstado e por meio de WhatsApp.

Caso haja segundo turno em São Luís, O Estado também fará a sabatina com os dois candidatos a prefeito escolhidos pelo eleitorado ludovicense.

Wellington do Curso será sabatinado hoje por O Estado

sabatina 1O deputado estadual Wellington do Curso, candidato do PP a prefeito de São Luís, será sabatinado daqui a pouco por O Estado.

Durante o período de 1 hora, sem intervalos, o pepista falará sobre as suas propostas para áreas como saúde, educação, meio ambiente, mobilidade urbana e assistência social.

A sabatina, que será conduzida pelos jornalistas Ronaldo Rocha [titular do blog], Gilberto Léda e Marco Aurélio D’Eça, será transmitida ao vivo, das 10h às 11h, pelo site o estadoma.com.

Internautas e eleitores poderão participar enviando perguntas por meio das redes sociais, utilizando a hashtag #SabatinaOEstado.

Wellington é o penúltimo candidato a participar da programação inédita de O Estado. Amanhã, Eduardo Braide (PMN) fecha a série histórica de sabatinas realizada pelo impresso.

A Sabatina O Estado é o primeiro contato do eleitor ludovicense com os candidatos a prefeitos, e garante a todos os concorrentes, tempo igualitário para a apresentação de suas propostas, independentemente da legenda ou da formação de bancada de suas respectivas siglas em Brasília.

Fábio Câmara será o entrevistado de hoje na Sabatina O Estado

fabioO vereador Fábio Câmara, candidato a prefeito de São Luís pelo PMDB, será o entrevistado de hoje na Sabatina O Estado, iniciada na segunda-feira, e que tem por objetivo ouvir todos os candidatos ao Executivo da capital.

Oposição ao prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT), o peemedebista passou o período de pré-campanha inteiro reafirmando a sua candidatura. Isso porque ele não conta com o apoio das principais lideranças da sigla.

Durante os seus 3 anos e 8 meses de atuação no Legislativo Municipal [a atual legislatura se encerra em dezembro], Fábio Câmara fez inúmeras denúncias conta a gestão pedetista, principalmente em relação aos setores do transporte público e da saúde.

No setor de transporte, foi Fábio quem provocou o adiamento, em duas oportunidades, do início da licitação para o setor, após apresentar com dados indícios de vícios e direcionamento no processo.

A Sabatina O Estado será transmitida ao vivo pelo site oestadoma.com. Os internautas e eleitores poderão participar encaminhando perguntas por meio das redes sociais com a hashtag #SabatinaOEstado.

A entrevista começa às 10h e se estenderá até às 11h.sabatina 1